Connect with us

Geral

Hospital Celso Pierro/PUC inicia restrição a atendimento pelo SUS

Publicado

em

 

O Hospital e Maternidade Celso Pierro, da PUC-Campinas, inicia nesta segunda-feira (6) uma série de restrições de atendimento para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O hospital, que é uma das principais referências da Região Metropolitana de Campinas (RMC), só vai receber a partir de hoje casos de emergência, respeitando a capacidade máxima de 20 leitos de internação. O que chegar além disso será redirecionado para outras unidades.

Além do atendimento, uma série de exames laboratoriais também deixarão de ser feitos. O diretor técnico do hospital, Nilton Crepaldi Vicente, informou na última semana que o corte anunciado de R$ 2 milhões de recursos pela Prefeitura obrigou a tomada das medidas. “Temos um convênio com a Secretária de Saúde de Campinas, renovado em junho e que vai até dezembro deste ano, que sofreu um corte de verba de maneira unilateral, que causa sérios problemas e impacta no hospital”, disse Vicente ao site G1 sobre as restrições adotadas pela unidade.

Segundo o diretor, atualmente 60% dos atendimentos do Pronto-Socorro do Celso Pierro são de pacientes espontâneos, ou seja, não classificados como casos de emergência. “Vamos exigir o refinanciamento. Vamos atender o que está no contrato. O vermelho [classificação de risco], emergência e casos transferidos de outras unidades, respeitando a capacidade máxima de 20 leitos”, avisou.

Esse tipo de medida afeta diretamente o sistema de saúde pública nas cidades da região. “Vai haver aumento na demanda em Valinhos, principalmente de atendimentos na UPA e na busca por exames de laboratório. Moradores de Campinas que possuem parentes e amigos aqui na nossa cidade acabam usando endereços dessas pessoas para serem atendidos”, disse o secretário de Saúde de Valinhos, Nilton Tordin. Segundo ele, a secretaria vai avaliar o impacto das restrições do Celso Pierro em Valinhos para, se necessário, adotar alguma medida. “Não fomos comunicados oficialmente, mas estamos atentos para qualquer problema”, afirmou.

Publicidade

O Celso Pierro tem realizado exames laboratoriais para os prontos atendimentos do Campo Grande e do Anchieta, mas que não fazem parte do contrato. “Nós somos um hospital, não um laboratório. Isso também vai ser suspenso”, avisou. O diretor ainda destacou que tem uma parte do serviço ocioso, à espera de autorização da Prefeitura. “Temos mais de 900 tomografias para fazer, 300 delas da oncologia, para diagnóstico, que nós pedimos autorização para a Secretaria de Saúde e eles não autorizam. Tenho funcionários, equipamento parado, e a secretaria não encaminha a autorização.”

Para a EPTV, o secretário de Saúde de Campinas, Cármino de Souza, disse que recebeu uma notificação do Celso Pierro e que iria analisá-la. Ele admite que a população deve busca\r atendimento em outros locais, o que deve mudar o cenário em outros postos na região.

Em nota, a secretaria de Saúde “esclarece que os pagamentos feitos à PUC são referentes a procedimentos”. “O que ocorreu no convênio entre a Pasta e o Hospital Celso Pierro foi uma revisão no volume de serviços prestados e não de valores. Atualmente, o convênio com a PUC tem um teto de R$ 9,1 milhões, o que equivale a mais de R$ 100 milhões por ano, e a entidade recebe pelos procedimentos realizados. Até o final de agosto, o teto era de R$ 11,2 milhões, mas esse valor nunca foi atingido pela instituição.”

A secretaria de Saúde informa que “as mudanças no convênio foram discutidas com a PUC entre fevereiro e agosto e só foram aplicadas a partir de setembro”.

 

Publicidade

 

Geral

Campanha do Agasalho de Campinas ultrapassa 9,4 toneladas de doações

Publicado

em

Por

A Campanha do Agasalho de Campinas alcançou nesta sexta-feira, dia 1º, a marca de 9.441 quilos de doações, entre roupas e cobertores. O número representa um avanço de 23,7% em relação ao último balanço, divulgado em 22 de junho. “É com muita satisfação e espírito solidário que celebramos esse novo patamar de doações. O povo de Campinas está de parabéns”, afirmou Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.
No dia 6 de julho, será feita uma operação conjunta com o Exército para triar a grande quantidade de doações na quadra esportiva dos Patrulheiros Campinas. Esse ano, a campanha continua priorizando roupas masculinas, pois são as que menos chegam por meio de doações.
As doações podem ser feitas até o dia 31 de julho. Um hotsite foi criado especificamente para a campanha: https://campinas.sp.gov.br/doeagasalho.
A Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos destaca, ainda, para a importância de as peças estarem em bom estado de conservação.
O propósito da Campanha do Agasalho é a distribuição de roupas de inverno e cobertores à população socialmente vulnerável. A Campanha irá até o dia 30 de julho, podendo ser prorrogada em caso de necessidade.
Operação inverno
Desde 1º de maio, a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos lançou a Operação Inverno, serviço de acolhimento a pessoas em situação de rua no município por meio do SOS Rua. A Operação Inverno se estende até o dia 30 de setembro.
Desde que começou, já foram registrados 3.570 atendimentos, foram distribuídos 6.013 cobertores e realizados 716 encaminhamentos a abrigos municipais.
Durante a Operação Inverno, o período de acolhimento do serviço SOS Rua passa a ser das 8h à 0h. O objetivo é acolher essas pessoas e, se elas aceitarem, as encaminhar aos serviços da rede de proteção, de assistência social e de saúde do município. O SOS Rua conta com equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos e educadores que atuam diretamente nas ruas.
Desde a primeira semana do mês, reforçando a ação da Operação Inverno, o Bagageiro Municipal ampliou em mais duas horas o horário de atendimento à população socialmente vulnerável. O serviço está localizado na Rua José Cruz Ferreira Jorge, 32, na Vila Industrial, e funciona, agora, de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h. Antes da mudança, o horário de atendimento era até 17h.
A Secretaria também, em 5 de maio, ampliou o número de vagas em abrigos para pessoas em situação de rua. Além das 120 vagas já existentes no Samim, foram criadas mais 100 vagas na Casa da Cidadania.
Além da Operação Inverno, por meio do SOS Rua, a Prefeitura de Campinas mantém outras políticas públicas voltadas à população em situação de rua.
Mão amiga
Tendo como objetivo promover a reinserção social por meio da qualificação profissional de pessoas em situação de rua, o Mão Amiga oferece, durante o curso, uma bolsa de 277 UFICs, o que equivale a R$ 1.165,73, e dura de 12 a 24 meses. Desde 2016, quando foi criado, já foram certificados 166 bolsistas: 130 homens e 36 mulheres, que frequentaram aulas de hidráulica, elétrica e música. Mais de 20 ex-egressos do curso já entraram para o mercado de trabalho formal.
Operação “Amigos no trecho”
Iniciada em 1º de julho de 2021, o projeto envolve a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, a Polícia Militar Rodoviária e as concessionárias que administram as estradas que passam pelo município de Campinas. Trata-se de um serviço 24 horas que, ao identificar um morador em situação de rua nas estradas, aborda, identifica-o e oferece acolhimento no albergue municipal.
Recâmbio
O Recâmbio de Migrantes é um programa da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos cujo propósito é garantir o retorno seguro de pessoas socialmente vulneráveis a seus locais de origem.
Centros POP Sares unidade 1 e unidade 2
São equipamentos públicos que ofertam atendimento especializado para pessoas em situação de rua. As ações desenvolvidas são: acolhida; escuta qualificada e compreensão do contexto familiar e social dos (as) usuários (as); orientação sobre documentação pessoal; compreensão da complexidade e da dimensão social que perpassa a situação de rua; incentivo à participação social dos (as) usuários (as) e a defesa de direitos e oferta de cuidados de higiene, vestuário e alimentação.
Casas de passagem
As duas casas de passagem em Campinas acolhem pessoas em situação de rua, oferecendo espaço transitório de moradia para a construção do processo de saída das ruas. Oferece cuidados de higiene, saúde, alimentação, vestuário, documentação e convivência.
Abrigos
A Prefeitura conta com três abrigos masculinos, um feminino e um albergue municipal (Samim).
Consultório na rua
A Secretaria Municipal de Saúde mantém o Consultório na Rua, que visa atender a essa população. Por meio de um veículo adaptado que percorre diversas áreas da cidade, o Consultório na Rua oferece cuidados em saúde a essas pessoas em seus próprios contextos de vida. É composto por duas equipes multidisciplinares que contam com médicos, psicólogos, assistentes sociais, auxiliares de enfermagem, enfermeiros e redutores (pessoas que trabalham com a política de redução dos danos causados pelas drogas).
O foco do atendimento é voltado para doenças ou condições que mais atingem os moradores em situação de rua, como tuberculose, alcoolismo e combate ao crack e outras drogas. Orienta essa população sobre doenças, como as sexualmente transmissíveis e hepatites. Realiza curativos, testes de diabetes e medição de pressão.

Continue Lendo

Geral

Operação Inverno entregou 6 mil cobertores à população em situação de rua

Publicado

em

Por

A Operação Inverno chegou esta semana a 6.013 cobertores distribuídos desde o início das atividades, em 1º de maio. Nesse mesmo período, foram realizadas 3.570 abordagens nas ruas de Campinas e 716 encaminhamentos ao Samim.
O serviço SOS Rua e as equipes da Secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos têm realizado um trabalho árduo e extremamente qualificado para acolher a população em situação de rua”, afirmou Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.
Durante a Operação Inverno, o período de acolhimento do serviço SOS Rua é das 8h à 0h. O objetivo é acolher essas pessoas e, se elas aceitarem, as encaminhar aos serviços da rede de proteção, de assistência social e de saúde do município. O SOS Rua conta com equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos e educadores que atuam diretamente nas ruas.
Desde a primeira semana do mês, reforçando a ação da Operação Inverno, o Bagageiro Municipal ampliou em mais duas horas o horário de atendimento à população socialmente vulnerável. O serviço está localizado na Rua José Cruz Ferreira Jorge, 32, na Vila Industrial, e funciona, agora, de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h. Antes da mudança, o horário de atendimento era até 17h.
Desde 5 de maio, a secretaria ampliou o número de vagas em abrigos para pessoas em situação de rua. Além das 120 vagas já existentes no Samim, foram criadas mais 100 vagas na Casa da Cidadania.
Campanha do Agasalho
A Campanha do Agasalho de Campinas coletou até o momento 9.441 quilos, entre roupas e cobertores. O número representa um avanço de 23,7% em relação ao último balanço, divulgado em 22 de junho. Esse ano, a campanha continua priorizando roupas masculinas, pois são as que menos chegam por meio de doações.
A Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos destaca, ainda, para a importância de as peças estarem em bom estado de conservação. As doações podem ser feitas até o dia 31 de julho. Um hotsite foi criado especificamente para a campanha: https://campinas.sp.gov.br/doeagasalho.
O propósito da Campanha do Agasalho é a distribuição de roupas de inverno e cobertores à população socialmente vulnerável. A Campanha irá até o dia 30 de julho, podendo ser prorrogada em caso de necessidade.
Outras ações
Além da Operação Inverno, por meio do SOS Rua, a Prefeitura de Campinas mantém outras políticas públicas voltadas à população em situação de rua.
Mão amiga
Tendo como objetivo promover a reinserção social por meio da qualificação profissional de pessoas em situação de rua, o Mão Amiga oferece, durante o curso, uma bolsa de 277 UFICs, o que equivale a R$ 1.165,73, e dura de 12 a 24 meses.
Desde 2016, quando foi criado, já foram certificados 166 bolsistas: 130 homens e 36 mulheres, que frequentaram aulas de hidráulica, elétrica e música. Mais de 20 ex-egressos do curso já entraram para o mercado de trabalho formal.
Operação “Amigos no trecho”
Iniciada em 1º de julho de 2021, o projeto envolve a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, a Polícia Militar Rodoviária e as concessionárias que administram as estradas que passam pelo município de Campinas. Trata-se de um serviço 24 horas que, ao identificar um morador em situação de rua nas estradas, aborda, identifica-o e oferece acolhimento no albergue municipal.
Recâmbio
O Recâmbio de Migrantes é um programa da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos cujo propósito é garantir o retorno seguro de pessoas socialmente vulneráveis a seus locais de origem.
Centros POP Sares unidade 1 e unidade 2
São equipamentos públicos que ofertam atendimento especializado para pessoas em situação de rua. As ações desenvolvidas são: acolhida; escuta qualificada e compreensão do contexto familiar e social dos (as) usuários (as); orientação sobre documentação pessoal; compreensão da complexidade e da dimensão social que perpassa a situação de rua; incentivo à participação social dos (as) usuários (as) e a defesa de direitos e oferta de cuidados de higiene, vestuário e alimentação.
Casas de passagem
As duas casas de passagem em Campinas acolhem pessoas em situação de rua, oferecendo espaço transitório de moradia para a construção do processo de saída das ruas. Oferece cuidados de higiene, saúde, alimentação, vestuário, documentação e convivência.
Abrigos
A Prefeitura conta com três abrigos masculinos, um feminino e um albergue municipal (Samim).
Consultório na rua
A Secretaria Municipal de Saúde mantém o Consultório na Rua, que visa atender a essa população. Por meio de um veículo adaptado que percorre diversas áreas da cidade, o Consultório na Rua oferece cuidados em saúde a essas pessoas em seus próprios contextos de vida. É composto por duas equipes multidisciplinares que contam com médicos, psicólogos, assistentes sociais, auxiliares de enfermagem, enfermeiros e redutores (pessoas que trabalham com a política de redução dos danos causados pelas drogas).
O foco do atendimento é voltado para doenças ou condições que mais atingem os moradores em situação de rua, como tuberculose, alcoolismo e combate ao crack e outras drogas. Orienta essa população sobre doenças, como as sexualmente transmissíveis e hepatites. Realiza curativos, testes de diabetes e medição de pressão.

Continue Lendo

Geral

Feira do Empreendedor PCD na Estação Cultura tem apoio do Sebrae

Publicado

em

Por

A Feira do Empreendedor PCD (Pessoa Com Deficiência) Eficiente conta com o apoio do Sebrae para promover a inovação no segmento. O evento ocorrerá neste sábado, dia 2, na Estação Cultura de Campinas, das 9h às 17h e tem, também, a participação da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.
Organizado pela empresa Libras Visual, a Feira do Empreendedor PCD Eficiente vai reunir 37 expositores, além de 13 palestras e 10 apresentações, como desfiles de PCDs, dança do ventre, ballet com crianças cegas, entre outros, tudo com total acessibilidade para o público cego e surdo.
Campinas tem, segundo estimativas do IBGE, cerca de 28% da população, ou 345 mil pessoas, com algum tipo de deficiência: são 13 mil com deficiência intelectual, 54 mil com deficiência auditiva, 72 mil com deficiência motora e 205 mil com deficiência visual.
A secretaria municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos oferece os seguintes serviços à população com deficiência:
Plataforma Emprega Bem – plataforma digital on-line que aproxima as empresas dos profissionais com deficiência.
Cartão Bem Acessível – documento de identificação da pessoa com deficiência que facilita o acesso prioritário aos serviços públicos municipais
Programa de Acessibilidade Inclusiva – o pai serviço, de transporte coletivo
Guia Digital Caminhos da Inclusão – o guia aponta uma lista contendo os endereços acessíveis de Campinas: https://caminhos.campinas.sp.gov.br/.
Coordenadoria de Acessibilidade Arquitetônica – a coordenadoria de acessibilidade arquitetônica (caa) realiza as vistorias nos imóveis públicos ou de uso público para verificação e orientação quanto as normas de acessibilidade.
Centro de Referência da Pessoa com Deficiência – realiza o atendimento psicossocial para as pessoas com deficiência e suas famílias dando orientações sobre direitos.
Central de Interpretação de Libras – realiza o atendimento ao público surdo ou com deficiência auditiva, intermediando a sua comunicação com os demais serviços públicos.
Confira as apresentações
10h – Igreja FF – Pantomima
10h20 – Mãos que Cantam
10h30 – Coral encantar com as mãos
11h20 – Andrea Rosa – a capacidade do pcd –
11h40 – Dança do ventre
12h10 – Sebrae Empreendedorismo
12h30 – Assucamp – história da Associação
12h50 – Inclusione – Mercado de Trabalho PCD
13h10 – Lucas Carvalho PCD
13h30 – Cris Mendes – PCD – Inclusão 360
13h40 – Cais – Conhecer para incluir
14h – Balé Grupo sementes do Futuro – Associação Fernanda Bianchini
14h20 – Centro Cultural Louis Braille – Palestra
14h40 – Aline- Acessibilidade na estética
15h – Arte libras – Decifrando a Libras –
15h20 – Raquel Moreno –projeto surdo caminhoneiro
15h40 – Gilceliano – Autonomia, uma busca do PCD
16h – Mãos que Cantam – Palestra e música
Confira a lista dos expositores:
1 – Centro Cultural Louis Braille
2 – Arte libras
3 – Inclusione – temperos prontos
4 – Inclusão e libras
5 – Maira Massei – artesanato
6 – Katia surda – tapetes
7 – Sebrae
8 – Apae
9 – Boldrini
10 – Cais
11 – Assucamp
12 – Lídia Michelin – madeiras
13 – Marcia surda – reciclável
14 – Remi – alimentos
15 – Candido Ferreira
16 – Vera e Vagner – temperos prontos
17 – Khatia Vieira – livros
18 – Giseli – canecas, camisetas acessórios libras
19 – Karen Fernandes – pijamas
20 – Carol Bonfim – chaveiros
21 – Itamar – barba e cabelo
22 – Janaina – bijuterias de libras
23 – Nisfran – artesanato
24 – Asadep – tiara, lacinho
25 – Mãos que Cantam
26 – Raquel Moreno – projetos online
27 – Wickbold –
28 – JULIANA SOARES
29 – M. Eliana – acessórios de costuras
30 – Igreja FF – pinturas rosto, teatro, oficina
31 – Daniela – acessórios
32 – UNIP
33 – Irene – artesanato de caixinhas
34 – Giowander
35 – Lucas Carvalho
36 – Cris Mendes – consultoria
37 – Selma – roupas
38 – Vanessa – bolo de pote.

Continue Lendo

Populares