Connect with us

Geral

Rede de Campinas terá reforço de mais 60 médicos

Publicado

em

Após sete meses da sanção da lei que instituiu o Mais Médicos Campineiro, as primeiras 60 contratações do programa, de um total de 120 previstas, começam na primeira semana de março. Além disso, 244 profissionais da saúde, dos quais 85 médicos sendo 65 na área de saúde da família, aprovados em concurso público, serão contratados pela Prefeitura e, com isso, afirmou o secretário de Saúde, Carmino de Souza, Campinas vai zerar o déficit de médicos nas unidades de atenção básica.

Na próxima terça-feira, o prefeito Jonas Donizette (PSB) assina convênio com faculdades de Medicina da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), PUC-Campinas e São Leopoldo Mandic e com a Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar, parceiras no programa.

Inicialmente o programa, que tem caráter educacional para apoiar a formação, estimular pesquisas e ampliar o atendimento nas unidades básicas, previa contratações para vagas de residência e especialização, mas a Prefeitura decidiu centralizar em residência (R1 e R2) na área de saúde da família e comunidade. O programa selecionou 47 residentes e as universidades aguardam autorização do Ministério da Educação para aumento de vagas em residência.

O contrato será de dois anos. Os demais 60 previstos no programa serão contratados em 2021. Os profissionais receberão bolsa mensal de até R$ 11 mil, que será custeada pela Prefeitura. Eles atuarão em unidades de saúde da rede pública e cumprirão 60 horas semanais, observadas as proporcionalidades estipuladas pela Comissão Nacional de Residência Médica para estudo e trabalho. De acordo com o secretário, 70% dos contratados pelo Mais Médicos Campineiros atuarão na atenção básica. Os outros 30% atuarão em rodízio nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), em laboratórios e darão plantão nas unidades de urgência e emergência da Unicamp, PUC-Campinas e Prefeitura.

O esquema de trabalho será de dez horas diárias de segunda a quinta-feira e da noite de sexta-feira até domingo, plantão de 12 horas. Às quintas-feiras, os residentes dedicarão oito horas ao programa teórico. A distribuição dos residentes ocorrerá em todas as áreas da cidade, utilizando a rede de saúde mais próxima da sede deles, no caso, as parceiras do programa. “Isso permitirá que não haja sobreposição de profissionais em unidades”, disse Carmino.

De acordo com o decreto de outubro do ano passado, que regulamentou a lei que criou o Mais Médicos Campineiro, as faculdades tiveram que criar, em parceria com a Prefeitura, um programa único que foi aberto para profissionais com registro no Conselho Regional de Medicina (CRM).

Pelas regras, coube às instituições de ensino parceiras designar um tutor acadêmico para as vagas de Residência em Medicina da Família e Comunidade de cada uma das instituições. Na semana passada a Secretaria de Saúde abriu inscrições para o processo seletivo interno de profissionais médicos interessados em atuar como preceptores dos residentes de Medicina de Família e Comunidade. As inscrições terminam em 4 de fevereiro.

O programa municipal surgiu para suprir o déficit de médicos com a saída dos cubanos do programa Mais Médicos federal, em novembro de 2018. O prefeito Jonas Donizette optou por um programa municipal, nos mesmos moldes do federal, por a contração ser mais rápida do que com concurso e ser uma oferta a mais.

Cubanos

Campinas ainda tem 75 médicos na rede, do programa federal Mais Médicos e a expectativa é que os contratos vencidos em outubro do ano passado sejam prorrogados e há expectativa de reinserção de médicos cubanos. “Não sabemos ainda o número, mas esperamos receber 14 do governo federal”, disse o secretário de Saúde, Cármino de Souza.

Lei sancionada em novembro pelo presidente Jair Bolsonaro criou o Programa Médicos pelo Brasil que substituirá, gradativamente, o Mais Médicos. Serão 18 mil vagas em todo o Brasil, principalmente em municípios pequenos e distantes dos grandes centros urbanos. O texto permite o retorno dos médicos cubanos que atuaram no Mais Médicos por dois anos, desde que estivessem no exercício de suas atividades no Programa Mais Médicos no dia 13 de novembro de 2018, quando o acordo de cooperação foi reincidido pelo governo cubano; e ter permanecido no Brasil até a data da publicação da Medida Provisória nº 890, que cria o Médicos pelo Brasil, na condição de naturalizado, residente ou com pedido de refúgio.

Geral

Saúde aplica mais de 2 mil doses de vacina contra a covid-19 no sábado, 27

Publicado

em

Por

A Secretaria de Saúde aplicou durante este sábado, 27 de novembro, 2.168 doses de vacina contra a covid-19, por meio da ação Campinas Vacina Mais. Pessoas de todas as faixas de idade acima dos 12 anos puderam se vacinar, sem precisar fazer agendamento, em diversos pontos. 

 

As ações do Campinas Vacina Mais começaram na sexta-feira, 26 de novembro, e seguem durante este domingo, dia 28. O objetivo é aumentar a cobertura vacinal, principalmente nos adolescentes e nos adultos entre 18 e 24 anos. O balanço completo do fim de semana será divulgado na segunda-feira.

 

Estão sendo aplicadas primeiras e segundas doses, assim como as doses adicionais. No caso das duas últimas, serão cumpridos os intervalos estabelecidos pelo Programa Estadual de Imunização (confira abaixo). 

 

Todas as pessoas precisam levar CPF e comprovante de endereço. No caso de segunda dose ou dose adicional é necessário apresentar o cartão de vacinação.

 

Intervalo

 

Vacina da Pfizer – para receber a segunda dose da Pfizer é preciso um intervalo de pelo menos 21 dias (três semanas) para pessoas a partir de 18 anos. No caso de adolescentes, o intervalo é a partir de oito semanas.

 

Vacina Astrazeneca – o intervalo entre as doses da vacina da Astrazeneca é de, no mínimo, oito semanas.

 

Vacina CoronaVac – o intervalo entre as doses da vacina CoronaVac é de quatro semanas.

 

Dose adicional – Pessoas a partir de 18 anos precisam ter completado o esquema vacinal há pelo menos cinco meses. Pessoas com alto grau de imunossupressão podem receber a dose adicional a partir de 28 dias da segunda dose.

 

Agendamento

 

Independentemente do “Campinas Vacina Mais”, o agendamento para receber as vacinas contra a covid-19 continua aberto.

 

A escolha do dia, horário e local pode ser feita no site https://vacina.campinas.sp.gov.br

Continue Lendo

Geral

Centros de Saúde começam a vacinar alunos em escolas da rede estadual

Publicado

em

Por

A Secretaria Municipal de Saúde iniciou a vacinação contra covid-19 nas escolas estaduais de Campinas para ampliar a cobertura vacinal de adolescentes e jovens adultos. Cada centro de saúde está responsável pela imunização das comunidades escolares das suas áreas de abrangência. O calendário é organizado de acordo com a disponibilidade dos estabelecimentos de Educação e de Saúde. As ações fazem parte do “Campinas Vacina Mais”, com vacinação sem agendamento em pontos estratégicos da cidade, iniciada em 23 de outubro. 

 

A medida foi tomada depois que um levantamento do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) apontou que cerca de 23 mil alunos da rede estadual com idade a partir de 12 anos estão sem a primeira dose da vacina. Em relação à segunda dose, são cerca de 14 mil com a imunização incompleta.

 

Em Campinas, a cobertura vacinal de primeira dose dos adolescentes entre 12 e 14 anos é de 64,3%. Entre as pessoas de 15 a 17 anos, a cobertura é de 67,1%.

 

Documentos

 

Os menores de idade devem levar RG e/ou CPF e autorização dos pais. Os adultos devem apenas levar o documento.

 

Campinas Vacina Mais

 

Neste final de semana, de 27 e 28 de novembro, serão realizadas outras ações do Campinas Vacina Mais em vários pontos da cidade. 

 

Clique e confira os locais e endereços em https://vacina.campinas.sp.gov.br/vacinas/covid-19.

 

 

Agendamento

 

Independente das ações do “Campinas Vacina Mais”, o agendamento para receber as vacinas contra a covid-19 continua aberto. 

 

A escolha do dia, horário e local pode ser feita no site https://vacina.campinas.sp.gov.br.

Continue Lendo

Geral

Performance será ato pela valorização da arte e história afro-descendente

Publicado

em

Por

No mês da Consciência Negra e combate ao racismo, os artistas Andrea Mendes e Antônio Pulquerio realizarão uma performance no Parque Portugal (Lagoa do Taquaral). A atividade artística terá início às 10h no portão principal da área de lazer e continuará até o Lago do Café, onde percorrerá as alamedas até a Casa de Vidro. Para finalizar, será feita uma ação de ativação artística na Liteira, que integra o acervo do Museu da Cidade.
Segundo os organizadors, a performance/cortejo revisita ritos ancestrais, evoca presenças de antepassados afro-descendentes para reviver memórias de origens que transcendem o peso das desumanizações que marcaram os corpos de seu povo. Os artistas classificam a performance como “uma celebração de (re)existência que proclama: Arroba não! Somos o peso milenar da nossa força ancestral!”
A intervenção é parte das ações artísticas realizadas durante a exposição “Ocupação Escritas Ocultadas”, que tem como curadora Sônia Fardin.

Data – 27/11
Início – 10h, no portão 1 do Parque Portugal (Taquaral)
Término – 11h, no Museu Casa de Vidro

Continue Lendo

Populares