Connect with us

Geral

Orquestra Sinfônica de Campinas volta a se apresentar dias 23 e 24/03

Publicado

em

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (OSMC) fará o primeiro concerto com venda de ingressos da temporada 2019 no próximo final de semana. As apresentações serão nos dias 23 de março, às 20h, e no dia 24 de março, às 11h, no Teatro Municipal “José de Castro Mendes”. Sob regência do maestro Victor Hugo Toro e com a participação do solista Winston Ramalho, Spalla (primeiro-violino), a OSMC apresentará músicas de compositores franceses.

 

Neste ano, a Orquestra Sinfônica Municipal comemora os 90 anos de fundação. Como parte da celebração, nos dias dos concertos haverá o lançamento do livro “Todas as Notas”, com comentários para os programas da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas entre 2003-2016, de Lenita W. M. Nogueira, que estará presente autografando os livros.

 

 

No palco

 

À frente da apresentação dos dias 23 e 24 de março estará o maestro Victor Hugo Toro, regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas e seu diretor artístico.

Nascido em Santiago do Chile, além de regente, Toro é também compositor e suas obras têm sido interpretadas por diversos grupos sinfônicos e de câmara. Recentemente foi laureado pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino com a Ordem do Mérito Cultural “Carlos Gomes” com o grau de comendador, recebeu de parte da Câmara Municipal de Campinas a medalha “Carlos Gomes”, pelos relevantes serviços prestados à cidade.

Como solista no concerto estará no palco Winston Ramalho, um dos mais destacados violinistas brasileiros de sua geração e, como dizia seu grande mestre Tibor Varga, “Mãos perfeitas para o violino como as de Winston só nascem de 10 em 10 anos”. 

Durante seus estudos na Áustria também estudou música de câmara com membros do Quarteto Alban Berg, Vienna Piano Trio e Quarteto Hagen. Foi primeiro lugar de vários concursos nacionais e internacionais.

 

Compositores e obras

 

JULES MASSENET (Montaud, 1842-Paris, 1912)

Le Cid – Música de balé

A influência da imperatriz Eugenia de Montijo (Granada, 1826-Madri, 1920) na corte de Napoleão III estimulou o interesse que já havia na França pela cultura espanhola. Na música destacam-se obras como Sinfonia Espanhola de Eduard Lalo, Espanha de Emmanuel Chabrier, a ópera Carmen de Georges Bizet e, alguns anos depois, Ibéria de Claude Debussy e A Hora Espanhola de Maurice Ravel. Massenet não fugiu a esta corrente e, além de El Cid, escreveu outras óperas com tema ou ambiência espanhóis. 

O romance no qual foi baseada a ópera, Le Cid ou l’honneur castillan, foi escrito por Pierre Corneille (1606-1684). O libreto, de Édouard Blau e Louis Gallet, foi entregue em 1873 para Georges Bizet (1838-1875). Este trabalhou em El Cid concomitante com Carmen, mas acabou abandonando a composição. Em 1884 o libreto, aprimorado por Adolphe-Philippe D’Ennery, foi entregue a Massenet, que concluiu a ópera em 1885, ano da estreia no Theatre de L’Opéra em Paris com estrondoso sucesso. 

Na ópera francesa, a presença de balé é indispensável e Massenet também não fugiu à regra. Para emoldurar a tragédia de Rodrigo Díaz de Vivar (ca. 1043-1099) e sua amada Chimène, o balé, inserido no segundo quadro, ocorre na praça de Burgos e tem sete números: Castillane, Andalouse, Aragonaise, Aubade, Catalane, Madrilene e Navarraise.

 

 

ÉDOUARD LALO (Lille, 1823-Paris, 1892)

Sinfonia Espanhola para Violino e Orquestra, op.21

Aos 16 anos, Lalo foi para Paris estudar violino e composição e ali entrou no círculo do pintor Eugène Delacroix, tocou em orquestras, inclusive sob a regência de Hector Berlioz, deu aulas de violino e integrou o Quarteto Armingaud, que, por vezes recebia pianistas, como Clara Schumann e Camille Saint-Saëns. 

Compôs duas sinfonias, mas não teve sucesso como compositor até que conheceu o violinista Pablo de Sarasate (Pamplona, 1844-Biarritz, 1908), que o inspirou a compor uma série de peças para ele e outros intérpretes. Em 1847, Sarasate tocou na estreia do hoje quase esquecido Concerto para Violino de Lalo, que, no mesmo ano, iniciou a composição da Sinfonia espanhola, ambos dedicados ao violinista espanhol.

Embora chamada Sinfonia, que seria uma obra exclusivamente orquestral, trata-se, na verdade, de um concerto, já que tem um violino solista. Mas também não segue estritamente a forma de um concerto, que, em geral, tem três movimentos, aqui são cinco. 

A obra estreou em Paris em 1875, tendo como solista Sarasate que, segundo Alberto Bachmann, autor da Enciclopédia do Violino, combinava “graça, brilho e vitalidade selvagem em um grau extraordinário”. 

O primeiro movimento (Allegro non tropo) se inicia marcial, mas logo acontece a entrada do violino. A orquestra dialoga com o solista, alternando momentos marciais e líricos. O segundo movimento (Scherzando. Allegro molto) é baseado em uma seguidilha (como a aria da ópera Carmen, que estrearia em um mês sem grande repercussão). O terceiro movimento (Intermezzo. Allegro non tropo), por vezes omitido, é bastante virtuosístico com destacada ambiência espanhola. O quarto movimento (Andante) tem uma melodia em estilo folclórico e o quinto (Rondo), começa tranquilo com um ostinato, mas vai se animando e exigindo uma atuação intensa do solista que, entre idas e vindas do tema principal, vai se desdobrando em alguns momentos de grande virtuosidade. 

Sinfonia Espanhola, a única obra de Lalo que permanece no repertório, influenciou a composição do Concerto para Violino de Tchaikovsky. Este afirmou que a peça de Lalo “tem muita frescura, agilidade de ritmos picantes, de melodias lindas e excelentemente harmonizadas… Ele [Lalo], da mesma forma que Léo Delibes e Bizet, não aspira a profundidade, mas evita cuidadosamente a rotina, procura novas formas e pensa mais em beleza musical do que em observar tradições estabelecidas, assim como os alemães”.

 

 

CAMILE SAINT-SAËNS (Paris, 1835 – Argel, 1921)

Sinfonia nº 3, op.78 em Dó menor (Sinfonia com órgão)

Saint-Saëns foi reconhecido por sua pluralidade intelectual, e, conforme observou o crítico americano Philip Hale, foi “organista, pianista, caricaturista, cientista amador, apaixonado por matemática e astronomia, comediante amador, folhetinista, crítico, viajante, arqueólogo – um homem que nunca descansava”. Já Charles Gounod afirmou: “Monsieur Saint-Saëns possui a mais surpreendente organização musical que conheço. É um músico que possui todas as armas. É um mestre do seu ofício como nenhum outro”.

A composição da Sinfonia nº 3 foi sofrida e Saint-Saëns desabafou: “Eu dei tudo a ela, tudo o que era possível. O que realizei aqui, nunca mais vou realizar novamente”. De alta sofisticação harmônica e rítmica, estreou no dia 19 de maio de 1886 na St. James’s Hall, em Londres, com o compositor à frente da orquestra da Royal Philharmonic Society, que havia encomendado a obra. 

Embora conhecida como “Sinfonia com órgão”, este instrumento não atua como solista, mas como um elemento da orquestra, mesmo papel reservado ao piano, também incluído na ampla grade orquestral. Outra peculiaridade da obra é que ela não segue os padrões do período romântico, que prescreviam sinfonias em quatro movimentos, esta apresenta apenas dois. Na verdade, ao que tudo indica, são mesmo quatro movimentos, mas agregados em dois.

A composição é baseada em transformação temática, fórmula utilizada por Berlioz e Liszt, que busca criar uma unidade musical, apesar da utilização de vários temas. Muitos analistas associam o primeiro motivo com o Dies Irae, cantochão medieval associado à ideia da morte. Outros contestam, já que, na sequência aparece um trecho de caráter cromático, que estaria em contradição com este raciocínio. Após este início lento, Adagio, acontece a entrada das cordas que, com certo nervosismo, introduzem um segundo momento, Allegro moderato. O trecho é intenso e vai num crescendo até a retomada do tema das cordas, agora apresentado também pelas madeiras. O movimento alterna alguns momentos mais serenos, mas se mantém denso a maior parte do tempo. No final, quando a música se torna menos agitada, é introduzido, sem separação, um novo andamento, Poco adagio, um trecho contemplativo no qual o órgão atua em conjunto com a orquestra, gerando um timbre bastante especial.

O segundo movimento se inicia Allegro moderato, com resquícios do tema inicial. Segue-se um trecho mais rápido, Presto, e na sequência um mais lento, Maestoso. A sinfonia se conclui com um Allegro, no qual se revela com intensidade a presença do órgão, que, ao lado do piano executado a quatro mãos e da atuação em massa da orquestra, dão um final majestoso para esta que é considerada uma das mais importantes obras sinfônicas do último quartel do século XIX. 

 

 

Serviço:

Ingressos à venda no Teatro Municipal “José de Castro Mendes” (Praça Corrêa de Lemos, s/nº, Vila Industrial, Campinas), a partir da quarta-feira, dia 20/03. A bilheteria funciona de terça-feira a domingo, das 16 às 21 horas. Telefone (19) 3272-9359.

 

Valor dos ingressos

Sábado (23/03)

R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (estudantes, aposentados e maiores de 60 anos), R$ 10,00 (professores das redes municipal e estadual de ensino e pessoas com deficiência e mobilidade reduzida) e R$ 5,00 (estudantes da rede municipal e estadual de ensino)

 

Domingo (24/03)

R$ 10,00 (inteira)

R$ 5,00 (estudantes, aposentados e maiores de 60 anos)

R$ 4,00 (professores das redes municipal e estadual de ensino e pessoas com deficiência e mobilidade reduzida) 

R$ 2,00 (estudantes da rede municipal e estadual de ensino)

 

 

Legislação sobre meia-entrada

Lei Nº 12.933 de 26/12/2013

Decreto Nº 8.537 de 05/10/15

Decreto Municipal nº 17971 de 14/05/2013 – Portadores de deficiência e mobilidade reduzida

Decreto Municipal nº 18.107 de 25/09/2013  – Professores das escolas públicas e privadas do Município de Campinas e das cidades que compõem a Região Metropolitana de Campinas; Estudantes das redes municipal e estadual de ensino

Lei Federal nº 10.741 de 01/10/2003

Estatuto do Idoso – Idosos com idade igual ou superior a 60 anos 

Lei Nº 12.933 de 26/12/2013

Decreto Nº 8.537 de 05/10/15

Decreto Municipal nº 17971 de 14/05/2013 – Portadores de deficiência e mobilidade reduzida

Decreto Municipal nº 18.107 de 25/09/2013  – Professores das escolas públicas e privadas do Município de Campinas e das cidades que compõem a Região Metropolitana de Campinas; Estudantes das redes municipal e estadual de ensino

Lei Federal nº 10.741 de 01/10/2003

Estatuto do Idoso – Idosos com idade igual ou superior a 60 anos 

Geral

Campinas entra na Fase de Transição do Plano São Paulo neste domingo, 19

Publicado

em

Por

A partir deste domingo, dia 19 de abril, Campinas entra na Fase de Transição do Plano São Paulo. O anúncio foi feito em coletiva do Governo do Estado e em transmissão ao vivo do prefeito Dário Saadi. O decreto municipal será publicado em edição extraordinária do Diário Oficial (www.campinas.sp.gov.br/diario-oficial/).

“Precisamos manter a atenção especial e todos os cuidados possíveis, mesmo com essa flexibilização. Campinas, graças à adesão da população, está em uma situação mais controlada, mas não é hora de baixar a guarda”, disse Saadi.

A Fase de Transição, válida para todos os municípios, terá duração de duas semanas. Durante esse período, o atendimento presencial será retomado para algumas atividades com 25% da capacidade e entre 11h e 19h.

Na primeira semana – 19 a 23 de abril – estão autorizadas as atividades comerciais e religiosas.

Entre os dias 24 e 30, também os restaurantes e salões de belezas e barbearias poderão atender presencialmente. Nessa semana, estará autorizada a retomada das atividades culturais.

As academias e centros de treinamento também poderão funcionar entre 24 e 30 de abril; para este segmento, o horário permitido será das 7h às 11h e das 15h às 19h.

O Estado fará uma nova atualização da Fase São Paulo no dia 1º de maio.

Segundo o secretário de Justiça, Peter Panutto, Campinas seguirá integralmente as medidas anunciadas pelo Estado. “No nosso decreto, além do que determina o Estado, vamos manter as restrições da Fase Emergencial e da Fase Vermelha, entre elas o uso das áreas comuns dos condomínios e a de festas clandestinas e reuniões familiares com mais de 10 pessoas”, explicou. “Também manteremos a entrada de apenas uma pessoa por família em estabelecimentos comerciais”, completou.

No decreto municipal, a partir do dia 24 de abril, os parques públicos e os clubes sociais poderão reabrir, mantendo o limite de 25% de capacidade e o horário entre 11h e 19h.

Continue Lendo

Geral

Prefeitura de Campinas participa da Conexão Solidária neste sábado, 17

Publicado

em

Por

A Prefeitura de Campinas participa da 3ª edição da Campanha Regional de Arrecadação do Conexão Solidária, da EPTV Campinas. A ação ocorre neste sábado, dia 17 de abril, das 8h às 17h.

arrecadação de alimentos não perecíveis será feita pelo sistema drive-thru, no Paço Municipal, em dois pontos de coleta na Rua Barreto Leme. Os donativos serão destinados às famílias em situação de vulnerabilidade social e nutricional.

Para respeitar os protocolos sanitários estabelecidos pelas autoridades locais e garantir segurança a todos os participantes, não será necessário descer do carro. Basta parar num dos pontos de coleta, os voluntários irão retirar os produtos e encaminhá-los para o Banco Municipal de Alimentos.

O primeiro posto para recolhimento das doações será instalado próximo à entrada do arruamento do Paço Municipal. O outro ficará na entrada do estacionamento externo

O Conexão Solidária é uma iniciativa da EPTV que conta com apoio das cidades que recebem o sinal da emissora. A ideia é mobilizar os 317 municípios da área de cobertura da emissora, em São Paulo e em Minas Gerais. Tudo que for arrecadado irá para o Banco de Alimentos, onde é feita a triagem, pesagem e armazenamento adequado.

As doações serão destinadas às organizações da sociedade civil, parceiras do poder público que atuam nas comunidades. A entrega para as mais de 38 mil famílias inscritas no aplicativo Viva Vida acontecerá com data e hora marcada, via agendamento pelo próprio aplicativo.

A ação tem o apoio das secretarias municipais, da Sanasa, Guarda Municipal, Ceasa, Emdec, Defesa Civil, Transurc e Higa Atacado. A Prefeitura irá disponibilizar álcool em gel, máscaras e luvas para os mais de 50 voluntários, inscritos na plataforma Transforma Campinas. Eles serão orientados por um profissional da área de saúde sobre os cuidados sanitários que devem ser observados.

O Exército também auxiliará na ação, disponibilizando duas equipes. Uma ficará no Paço Municipal e a outra na sede do Banco de Alimentos.

Campinas sem Fome

A Campanha Campinas Sem Fome, lançada pela Prefeitura no último dia 22 de março, arrecadou, até esta sexta-feira, dia 16 de abril, quase 300 toneladas de alimentos.

Desse total, o Banco de Alimentos já entregou 11.661 cestas básicas para as entidades parceiras que atuam nas comunidades e são responsáveis pela entrega direta às famílias. Mais de 46 mil pessoas foram beneficiadas até o momento.

Continue Lendo

Geral

Gripe: Saúde reforça importância da vacinação e pede adesão da população

Publicado

em

Por

A campanha de vacinação contra a gripe deste ano, que começou na última segunda-feira, 12 de abril, registrou baixa adesão nos primeiros dias em Campinas. Do público inicial, estimado em 145 mil pessoas, apenas 3.148 (2,17%) foram vacinadas até a tarde de quinta-feira, 15 de abril. A expectativa era vacinar, nesta primeira semana, 20% deste público. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, dia 16, pelo prefeito Dário Saadi, durante transmissão ao vivo na internet.
Nesta fase atual, devem ser vacinadas crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após dar à luz), trabalhadores da Saúde e povos indígenas. Idosos serão vacinados na segunda etapa, a partir de 11 de maio. A meta é vacinar 90% deste público.
Estamos preocupados com a adesão desses primeiros dias de vacinação. A influenza é uma síndrome respiratória que pode ser grave. Quando as pessoas procuram os centros de saúde, os quadros de covid e gripe são muito semelhantes e, por isso, fica difícil fazer o diagnóstico. Além disso, a influenza pode levar à necessidade de internação em um sistema hospitalar que já está muito comprometido”, afirmou o secretário de Saúde, Lair Zambon.
Ele ressaltou que a criança é o maior vetor da gripe. “Ela pode contaminar as pessoas por até 14 dias. É muito importante que os pais levem as crianças para receber a vacina. Dessa forma, elas serão menor vetor para os adultos e, com isso, haverá uma diminuição de casos de síndromes gripais, com redução nas internações, complicações e mortes das crianças. Se houver uma epidemia de síndromes gripais em crianças, teremos que achar um espaço infantil para fazer essas internações e isso será muito complicado, pois estamos usando quase toda a área física e recursos humanos para a Covid”, alertou.
Zambon garantiu que os Centros de Saúde do município estão abastecidos com as vacinas e preparados para receber os públicos-alvo da campanha de maneira segura. Também reforçou a importância de que a população esteja imunizada contra os vírus da gripe para reduzir a pressão no sistema de Saúde com novas internações.
O prefeito confirmou: “é muito importante que as pessoas se vacinem contra a gripe. Parece uma doença simples, sem complicações, mas não é. A gripe causa muitas mortes e internações todos os anos”.
Onde se vacinar
Para receber a vacina, as pessoas devem procurar o Centro de Saúde mais próximo de sua casa. É preciso levar documento com foto e, se tiver, a carteira de vacinação. Para saber o endereço, é só ligar no 156 ou acessar https://zoneamento.campinas.sp.gov.br/saude.php?nome_campanha=Campanha%20Influenza%202021. O site mostra a unidade mais próxima, os horários de aplicação de doses e a disponibilidade da vacina.
Os profissionais da Saúde dos hospitais públicos e privados, dos Centros de Saúde e da Rede Mário Gatti estão sendo vacinados em seus locais de trabalho. Outros profissionais da Saúde, como os que trabalham em clínicas e os autônomos, também serão vacinados nos Centros de Saúde e em postos volantes específicos, ainda em abril. Os locais serão divulgados em breve.
Neste ano, por conta da Campanha de Vacinação contra a Covid-19, que também está sendo realizada, idosos acima de 60 anos e professores serão vacinados na segunda etapa, prevista para começar em 11 de maio.
Já as pessoas com comorbidades (doenças crônicas e outras), com deficiência permanente, e outros públicos serão vacinados na terceira etapa, programada para a partir de 9 de junho.
Outras informações sobre a Campanha de Vacinação contra a gripe estão disponíveis em vacina.campinas.sp.gov.br .

Continue Lendo







Populares