Connect with us

Geral

Eficiência energética em habitação social será debatida com governo alemão

Published

on

A Companhia de Habitação de Campinas (Cohab Campinas) realiza nesta quarta-feira, 27 de novembro, apresentação do projeto de cooperação técnica “Eficiência Energética para o Desenvolvimento Urbano Sustentável – Foco: Habitação Social” (EEDUS). A iniciativa busca a promoção de melhorias de eficiência energética na habitação social, visando atingir todo o conjunto de atores envolvidos nos programas de habitação. A abertura será às 13h, no auditório da Sanasa de Campinas.

O projeto é desenvolvido em parceria entre a Secretaria Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional (SNH/MDR) e a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), no âmbito da cooperação bilateral entre o Brasil e a Alemanha para o desenvolvimento sustentável

Nesse contexto, o projeto EEDUS promove os “Diálogos Sobre Eficiência Energética – Zonas Bioclimáticas” (DEE-ZB), tendo como objetivo a troca de conhecimentos e de boas práticas de eficiência energética na habitação. Também busca ressaltar a importância de abordagens variadas para as diferenças climáticas num país de grande extensão territorial como o Brasil.

O evento terá a participação do secretário de Habitação e presidente da Companhia de Habitação de Campinas (Cohab Campinas), Vinícius Riverete; do secretário Nacional de Habitação – Ministério do Desenvolvimento Regional (SNH/MDR), Celso Toshito Matsuda; de representantes da Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ). O evento terá, ainda, a participação de gestores e profissionais da área de habitação, para que atuem com foco em construções sustentáveis e eficiência energética, promovendo melhorias em normas, regulamentações e processos envolvidos na temática.

A integração de critérios de eficiência energética nas diretrizes de fomento aos programas de habitação de interesse social assume elevada importância, por isso a Cohab Campinas é parceira do projeto e atua para que se construa sólida base de conhecimento e informações dos fatores que compõem a Zona Bioclimática 3”, disse Vinícius Riverete.

O mapa do zoneamento bioclimático do Brasil compreende oito diferentes zonas de conforto térmico humano, dados climáticos, estratégias construtivas e de condicionamento térmico passivo, com a meta de estabelecer critérios para proporcionar conforto térmico nas edificações habitacionais. A Zona Bioclimática 3 à qual Vinícius Riverete se refere, envolve Campinas e 330 cidades distribuídas nos Estados de São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Minas Gerais.

A GIZ – Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (Agência Alemã de Cooperação Internacional) é uma empresa privada internacional fundada em 1975 por Erhard Eppler que tem hoje como principal acionista o governo federal alemão. A empresa é especializada em projetos técnicos de cooperação e de desenvolvimento sustentável em escala mundial.

Programação
13h – Recepção e boas vindas
13h30 – Abertura – com a presença de
Celso Toshito Matsuda, secretário Nacional de Habitação – Ministério do Desenvolvimento Regional (SNH/MDR); Vinicius Issa Lima Riverete, secretário de Habitação e presidente da Companhia de Habitação de Campinas (Cohab Campinas); Angélica Djenane Philippe Correa, gerente nacional da Gerência de Padrões e Empreendimentos Caixa Econômica Federal; Arly de Lara Romeo, presidente da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (SANASA); Daniel Wagner, da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ).

14h – Painel 1 – “Situação da habitação social: Oportunidades e desafios para o futuro” – Moderadora: Jessica Gama
– “Demanda por habitação no Estado e situação atual”, por Maria Claudia Pereira de Souza, superintendente de Planejamento e Programas Habitacionais da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU).
– “Desafios na habitação social pela ótica da Cohab Campinas”, Vinicius Issa Lima Riverete, secretário de Habitação e presidente da Companhia de Habitação de Campinas (Cohab Campinas)
– “Desafios na habitação social pela ótica da Cohapar”, Jocely Maria Thomazoni Loyola, engenheira da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar)
– “Desafios na habitação social pela ótica do Cohab São Paulo” (a confirmar), Alexsandro Peixe Campos, presidente da Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (Cohab- SP)
– “Iniciativas do projeto EEDUS para promover a Eficiência Energética na habitação social”, Daniel Wagner da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ)

Debate
15h30 – “Os benefícios de medidas de eficiência energética na habitação”, Lothar Hoppe – Coordenador da GOPA a serviço da GIZ
16h – Coffee break
16h20 – Mesa Redonda – “Como promover inovações em programas habitacionais” – Moderador: Daniel Wagner da Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ). Participam Vinicius Issa Lima Riverete, secretário de Habitação e presidente da Companhia de Habitação de Campinas (Cohab Campinas); Angélica Djeane Philippe Correa, gerente Nacional da Gerência de Padrões e Empreendimentos da Caixa Econômica Federal (GPAD); Marcio Benvenutti, diretor Regional do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Campinas (SindusCon-SP); Felipe Henrique Zaia, gerente de Eficiência Energética da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL Paulista); Maurício André Garcia, coordenador de Micromedição e Pesquisas Tecnológica da SANASA; Vanessa Gomes da Silva, professora doutora da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Campinas (UNICAMP); Julia Spinelli, coordenadora de Cooperação Técnica – substituta da Secretaria Nacional de Habitação do MDR.
17h50 – Conclusões e Encerramento, participação de
Daniel Wagner da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ); Julia Spinelli, coordenadora de Cooperação Técnica – substituta da Secretaria Nacional de Habitação do MDR; Vinicius Issa Lima Riverete, secretário de Habitação e Presidente da Companhia de Habitação de Campinas (Cohab Campinas).

Geral

Campinas dispersa 2.261 pessoas na 2ª noite da Operação Aglomeração Zero

Published

on

By

No segundo dia da Operação Aglomeração Zero em Campinas, entre a noite de sábado, 19/06, e a madrugada de domingo, 20/06, equipes de fiscalização da Prefeitura dispersaram 2.261 pessoas que se encontravam em situação de desobediência às medidas de distanciamento social e sem uso de máscaras, em festas e bares da cidade. Três estabelecimentos foram fechados e os proprietários de outros 136 foram orientados pelos fiscais.

 

Festa clandestina

 

A Guarda Municipal também autuou e multou o organizador de uma festa clandestina numa chácara no Jardim Novo Sol, no Distrito do Ouro Verde. A Guarda Municipal foi acionada por meio de uma denúncia anônima para verificar a ocorrência de aglomeração e desobediência às normas de distanciamento e de descumprimento das medidas sanitárias. Os agentes chegaram às 23h ao local, onde acontecia a festa com 150 pessoas sem máscaras e consumindo bebidas alcoólicas. O organizador foi multado em R4 18.943,00.

 

A Operação Aglomeração Zero teve início na sexta-feira, 18/06, em Campinas e visa evitar e dispersar qualquer agrupamento com 10 ou mais pessoas na cidade. É coordenada pela Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública. O foco das ações são os locais com maior número de chamados de aglomerações, bairros com mais casos de Covid-19 e onde há mais denúncias pelo 156 e 153.

 

A medida amplia as iniciativas da Administração no combate à pandemia de Covid-19. Também para conter o avanço do coronavírus, a partir desta segunda-feira, 21/06, Campinas terá novo horário do Toque de Recolher, das 19h01 às 4h59. O consumo de bebidas alcoólicas em vias e espaços públicos e também em dependências de postos de combustíveis está proibido desde sábado.

 

Foragido e traficante preso

 

 

Também na noite de sábado, em ronda pela cidade, os agentes da Guarda Municipal desconfiaram das atitudes de um homem com uma bolsa a tiracolo. Ao sentir a aproximação dos agentes, o suspeito dispensou a bolsa e saiu correndo, mas foi alcançado e detido. Na bolsa foram encontrados vários pinos de crack. Conduzido ao Primeiro Distrito Policial apurou-se que o homem era foragido da Justiça.

Continue Reading

Geral

Campinas vacina 27.870 e alcança marca de 100 mil doses feitas em Dias D

Published

on

By

Campinas aplicou 27.870 doses de vacina contra a Covid-19 neste sábado, 19/06, no quarto Dia D contra a doença na cidade. Com o resultado de hoje, o município alcançou 100.104 doses aplicadas em quatro edições da estratégia. Também neste sábado foi a maior quantidade de doses aplicadas  em um único dia na cidade desde o início da campanha.

 

No primeiro Dia D, em 22 de maio, foram vacinadas 23.612 pessoas. Na segunda edição, 4 de junho, foram 23.104. Na terceira estratégia, em 12 de junho, foram aplicadas 25.518 doses de vacinas, até então o maior número de imunizados em um único dia.

 

Com os dados vacinais deste sábado, 457.778 pessoas já receberam a primeira dose contra a Covid em Campinas e 169.311 a segunda dose. No total, já foram aplicadas 627.089 doses desde o início da campanha, em janeiro, em residentes no município. Com isso, a cidade segue na liderança entre os municípios com mais de 500 mil habitantes que mais vacinaram no Estado de São Paulo.

 

A diretora da Secretaria de Saúde de Campinas, Deise Hadich, avaliou o Dia D como um sucesso. “Atingimos um recorde de vacinados, sem aglomeração, sem filas, sem espera, tudo com tranquilidade, as equipes de saúde com muita dedicação e excelente adesão da comunidade”, disse Deise.

 

A diretora de saúde alerta que cuidados básicos como uso de máscara, distanciamento social e higiene das mãos devem ser mantidos mesmo após a aplicação das duas doses do imunizante, uma vez que nenhuma vacina garante 100% de proteção contra a doença.

 

O agendamento da vacina contra a Covid para pessoas com mais de 50 anos e para aquelas incluídas em outros grupos prioritários segue aberto para a próxima semana em Campinas no site vacina.campinas.sp.gov.br

 

O Dia D é organizado pela Secretaria de Saúde em conjunto pelo Departamento de Vigilância em Saúde e Departamento de Saúde.  A Guarda Municipal dá apoio no transporte seguro das doses.

Continue Reading

Geral

Operação Aglomeração Zero verifica 139 comércios, fecha 20 e lacra dois

Published

on

By

Na primeira noite da Operação Aglomeração Zero em Campinas, entre as 21 horas da sexta-feira e as 5 horas da madrugada do sábado, a Prefeitura fiscalizou 139 estabelecimentos comerciais na cidade, fechou vinte e lacrou dois por não estarem cumprindo as medidas sanitárias e de isolamento social.

 

Durante as ações, 1.268 pessoas foram dispersadas e orientadas sobre as medidas sanitárias para a prevenção da Covid-19, como evitar aglomerações, usar máscaras e fazer constante higienização das mãos.

 

A Operação é coordenada pela Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública e endurece ainda mais as medidas da Administração para dispersar agrupamentos de pessoas na cidade. O objetivo é conter a propagação do novo coronavírus.

 

Também durante a ação, as barreiras do Toque de Recolher abordaram 297 veículos e orientaram 403 pessoas a retornarem para suas casas. As equipes de fiscalização partiram de frente ao Estádio Moises Lucarelli, na Ponte Preta, e visaram prioritariamente os locais e estabelecimentos mapeados com histórico de desobediência às medidas prevenção e, como consequência, classificadas como atividades de maior contaminação pelo vírus.

 

A Operação Aglomeração Zero estenderá por todas as noites e madrugadas até pelo menos o final do mês de junho, como medida de combate a pandemia. A partir da próxima segunda feira (21/06) o Toque de Recolher passa a vigorar a partir das 19 horas, horário que os estabelecimentos comerciais não essenciais também devem encerrar as atividades. As denúncias pelo não cumprimento das medidas podem ser feitas pelo 156 e 153.

Continue Reading

Populares