Connect with us

Geral

Campinas terá projeto-piloto com oxímetro para paciente acima de 60 anos

Publicado

em

Campinas vai iniciar nesta terça-feira, 21 de julho, um projeto-piloto de monitoramento da taxa de oxigenação do sangue de pacientes com mais de 60 anos confirmados ou suspeitos de Covid-19. O anúncio foi feito pelo prefeito de Campinas, Jonas Donizette, em transmissão ao vivo na internet. Os pacientes serão avaliados em domicílio com um aparelho chamado oxímetro, que é colocado na ponta do dedo.

 

“É um projeto que está começando por Campinas, que tem como um dos objetivos esvaziar as UTIs. Não terá custos para a Prefeitura, pois se trata de uma parceria entre a Prefeitura de Campinas, o Instituto Estáter e a Sociedade Brasileira de Infectologia”, explicou o prefeito. O projeto é uma iniciativa inédita. 

 

“Lançamos na semana passada a campanha Alert(Ar). Faremos o trabalho em Campinas, uma plataforma interessante para servir de exemplo para todos os municípios do Brasil em razão da organização do sistema de saúde e engajamento do time. O objetivo deste piloto é acompanharmos de forma pró-ativa a oximetria da população acima de 60 anos, que é a mais impactada e que tem mais dificuldade de ir para os hospitais. O projeto pretende reduzir a mortalidade e diminuir a sobrecarga das UTIs, pois a experiência tem mostrado que muitos pacientes que vão para a enfermaria mais cedo, recebem o protocolo básico de medicação e apoio de oxigênio não precisam ir para as UTIs”, afirmou o engenheiro e sócio-fundador da Estáter, Percio de Souza.  

Publicidade

 

O projeto vai começar pelos centros de saúde do DIC 3 e DIC 6, na Região Sudoeste da cidade. Cada centro de saúde terá 20 oxímetros doados pelo Instituto Estáter. Todas as unidades da rede já possuem oxímetros.

 

O monitoramento será feito pelos Agentes Comunitários de Saúde, que irão monitorar diariamente, de manhã e à tarde, a saturação dos pacientes. Isso será feito do 5º ao 10º dia de sintomas.

“Escolhemos a região Sudoeste porque lá fica o Ouro Verde, hospital municipal de retaguarda Covid, e temos centros de saúde contíguos, com a estrutura que a gente precisava”, disse o secretário de Saúde, Carmino de Souza. 

Publicidade

 

A previsão é que 16 pacientes dos dois centros de saúde já comecem a receber as visitas no primeiro dia do projeto, na terça-feira, 21 de julho.  Se a taxa de oxigênio estiver abaixo de 95%, o que é um sinal de alerta, os pacientes serão orientados a ir até o centro de saúde para avaliação médica.

 

É comum o paciente com Covid apresentar falta de oxigênio no sangue sem se queixar de falta de ar – isso se chama hipóxia silenciosa. A medição da saturação de oxigênio nos pacientes ainda quando apresentam os primeiros sintomas, pode salvar a vida das pessoas e evitar internações em UTIs.

 

Publicidade

Os centros de saúde DIC 3 e DIC 6 são responsáveis por uma cobertura de cerca de 26 mil habitantes, sendo 2.302 (8,9%) pessoas maiores de 60 anos. A região fica próxima do Hospital Ouro Verde.

 

As duas unidades fazem o monitoramento por telefone dos pacientes com síndrome gripal. Os pacientes com mais de 60 anos e/ou comorbidades são monitorados por meio de ligação telefônica a cada 24 horas. Os não vulneráveis, a cada 48 horas.

 

Informações sobre os centros de saúde

Publicidade

A média de atendimento diário de sintomáticos gripais nos CSs DIC 3 e DIC 6 é de 35 pacientes presenciais e 50 por teleatendimentos.

 

Nas duas unidades, foram confirmados até agora 338 casos de Covid-19, com 16 óbitos. Destes, 11 (69%) foram em homens e nove (31%) em mulheres. A média de idade dos pacientes que morreram foi de 65 anos.

Todas as pessoas que morreram passaram por internação hospitalar, sendo que 56,3% foram direto para UTI.

 

Publicidade

O projeto também inclui ações de comunicação, pesquisa, informação e mobilização social, com distribuição de cartilhas e capacitação dos profissionais de saúde. 

Geral

Mata de Santa Genebra adia caminhada noturna devido às rajadas de vento

Publicado

em

Por

 

A Fundação José Pedro de Oliveira adiou a caminhada noturna “Procurando o Corpo Seco”, que seria realizada nesta sexta-feira, 19 de agosto, às 19h, na Mata de Santa Genebra. Os organizadores julgaram mais seguro cancelar o passeio desta sexta porque estão ocorrendo fortes rajadas de vento na região de Campinas, trazendo risco de queda de árvores e galhos. Segundo a Defesa Civil, a velocidade do vento ultrapassou os 40km/h às 12h de hoje, em medição feita no Aeroporto de Viracopos.

 

A organização informou os 50 participantes inscritos para o evento de hoje que a atividade foi transferida para a próxima sexta-feira, 26 de agosto.

 

Publicidade

Procurando o Corpo Seco 

 

O passeio noturno pela Mata, apelidado de “caminhada assustadora” por quem já participou, é gratuita e tem um roteiro de aproximadamente 5 km de trilha. Técnicos e biólogos acompanharão os participantes e ficarão encarregados tanto de apontar aspectos da vida da Mata à noite quanto de narrar histórias sobrenaturais.

 

O evento é uma realização da Fundação José Pedro de Oliveira, gestora da Mata, em parceria com o grupo criativo de Campinas “O que te Assombra?”. A Secretaria de Cultura e Turismo de Campinas apoia a ação.

Publicidade

 

O ponto de encontro será na sede da Fundação, localizada na Rua Mata Atlântica, nº 447, no Bosque de Barão Geraldo, Campinas. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pela internet em https://forms.gle/F4ARECJVFRGxjads9. Haverá arrecadação de mantimentos para o Banco de Alimentos de Campinas. Quem quiser, pode doar no dia da caminhada.

 

Além de ser o lar de milhares de espécies e possuir fauna e flora exuberantes, a Mata de Santa Genebra é celeiro de lendas e histórias sobrenaturais. “Procurando o Corpo Seco” é uma das lendas assustadoras da floresta que são contadas durante as caminhadas noturnas.

 

Publicidade

O passeio lembrará outros personagens do imaginário da cidade que, com o passar dos anos, foram esquecidos pelo tempo. Entre outros, os narradores contarão as sagas do Lobisomem de Campinas, do Boi Falou, do Anhangá e de outras figuras míticas da nossa floresta. Todas as histórias trarão, junto com as lendas, muitas lições socioambientais.

 

A caminhada é recomendada para crianças acompanhadas dos responsáveis e adultos que tenham muita coragem e disposição.

 

Publicidade
Continue Lendo

Geral

Virada: CPQD promove atrações para crianças e adultos na Lagoa do Taquaral

Publicado

em

Por

O CPQD, instituição de inovação em tecnologias da informação e comunicação, completa 46 anos no dia 31 de agosto e, como parte das comemorações de seu aniversário, dará um presente ao público da Virada Cultural Campinas no domingo, dia 21 de agosto, na Lagoa do Taquaral. A partir das 8 horas, adultos e crianças poderão participar das diversas atrações programadas pelo CPQD, que serão abertas a seus colaboradores e familiares e, também, ao público em geral. 

 

Profissionais da Ative Vida estarão lá logo cedo, orientando as pessoas interessadas em exercitar o corpo e acompanhando a Caminhada Cuidando de Mim, que terá início às 9 horas. A caminhada será realizada na área interna do parque e a duração prevista é de 45 minutos.

 

 

Publicidade

Às 10 horas, um show com bolhas gigantes deverá fazer a alegria de adultos e crianças. Um robô gigante e os simpáticos WeMovers – personagens que representam os valores do CPQD – também estarão lá animando a festa, que terá distribuição de pipoca, algodão doce e de brindes para quem participar das atividades realizadas.

 

 

Para os pequenos, as atividades incluem pintura, jogos de memória e dos 7 erros, cama elástica e outras brincadeiras. Já os adultos poderão conhecer melhor a história do CPQD e algumas das principais tecnologias desenvolvidas pela organização ao longo de seus 46 anos, no painel ilustrativo que será montado no local.

 

Publicidade

 

As atividades programadas pelo CPQD irão até as 13 horas e o acesso será pelo portão 5 da Lagoa do Taquaral.

 

 

 

Publicidade

Realizada pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, a Virada SP Campinas 2022 acontece neste final de semana em diversos pontos da cidade.

 

 

Serviço

 

Publicidade

CPQD na Virada Cultural Campinas

 

Data: domingo, dia 21 de agosto

 

Onde: Lagoa do Taquaral – entrada pelo portão 5

Publicidade
Continue Lendo

Geral

Dois novos viadutos do BRT serão construídos na Av. John Boyd Dunlop

Publicado

em

Por

A ordem de serviço para construção de dois viadutos do Lote 2 do BRT na Avenida John Boyd Dunlop foi assinada nesta sexta-feira, dia 19 de agosto, pelo prefeito Dário Saadi e pelo secretário de Infraestrutura Carlos José Barreiro. O investimento nas obras é de R$ 16,5 milhões com prazo de execução de 10 meses.

Serão edificados dois viadutos na Avenida: um na altura da avenida transamazônica (55 metros de extensão); e outro na altura da rodovia dos bandeirantes (150 metros de extensão). A empresa responsável é a mesma que realizou as demais obras do Lote 2: a Construcap CCPS.

“São duas obras imensas que fazem parte do BRT Campinas e para as quais tivemos que levantar recursos. Esses dois viadutos melhorarão a mobilidade urbana, o trânsito e a movimentação de pessoas nessas regiões”, afirmou o prefeito de Campinas, Dário Saadi.

Segundo o secretário Barreiro, a construção dos viadutos foi possível após muitas negociações e tratativas para adequação dos projetos executivos e aprovação junto aos órgãos de controle como a Caixa Econômica Federal, o Ministério de Desenvolvimento Regional, a Autoban e a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). “A empresa já está se mobilizando para as obras que terão início juntas”, informou.
Ele também contou que cada passo será feito cuidadosamente e com o acompanhamento da concessionária que administra a rodovia, no caso do segundo viaduto.

Com a finalização das duas estruturas, as obras do Lote 2, que compreendem os trechos 2, 3, e 4 do Corredor Campo Grande, da Vila Aurocan até o Terminal Itajaí, serão concluídas.

Publicidade

O trânsito no local será bloqueado somente em situações pontuais como içamento de vigas.

A cerimônia de assinatura também teve a presença dos vereadores Jorge Schneider e Marrom Cunha.

Sobre as Obras do BRT Campinas

As obras do BRT Campinas estão 96% concluídas, com 35,6 km entregues. Três terminais e uma estação estão ativos e sendo utilizados pelo sistema convencional de transporte público. São eles: Terminais Santa Lúcia, Satélite Íris e Campo Grande e Estação João Jorge. O investimento total no BRT Campinas é de R$ 490 milhões, incluindo ajustes.

A execução das obras foi dividida: O Lote 1 (trecho 1 do Corredor Campo Grande que liga a região central à Vila Aurocan) está finalizado; o Lote 2 será concluído com os dois viadutos cuja O.S. foi assinada nesta sexta, 19; o Lote 3 (trecho 1 do Corredor Ouro Verde, que liga a região central ao Terminal Campos Elíseos) será finalizado com as obras deste terminal até outubro deste ano. Já no Lote 4 (trechos 2 e 3 do Corredor Ouro Verde, entre o Terminal Campos Elíseos e o Terminal Vida Nova) faltam apenas 11% das obras, o que inclui três estações, um terminal, o CCO (Centro de Controle Operacional), alguns pequenos trechos viários, além da finalização dos Terminais Ouro Verde (60% concluído) e Vida Nova (70% pronto). Para este lote, será feita nova licitação, após a decisão da Prefeitura de rescindir contrato com o consórcio responsável pelas obras, após reiterados atrasos. Leia mais aqui:

Publicidade

O prazo para finalizar esta fase, e entrega de 100% das obras do BRT Campinas, é até o início de 2023.

Continue Lendo

Populares