Connect with us

Geral

Campanha de Vacinação contra a Gripe é prorrogada até dia 15 de junho

Publicado

em

A Secretaria de Saúde de Campinas informa que a Campanha de Vacinação contra a Gripe 2018 foi prorrogada até dia 22 de junho para o grupo prioritário (crianças, idosos, gestantes, puérperas, indígenas, professores, pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional e pacientes com doenças crônicas não transmissíveis e em condições clínicas especiais). A imunização começou em 23 de abril e terminaria nesta sexta-feira, dia 15 de junho.

 

 

 

O trabalho de imunização contra a gripe foi prorrogado em todo país pela segunda vez, conforme determina ofício do Ministério da Saúde. De acordo com o órgão, a ampliação da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza ocorre devido às baixas coberturas vacinais registradas em todo o país.

 

 

 

Na última sexta-feira, dia 8 de junho, a Secretaria de Saúde de Campinas divulgou balanço parcial da Campanha de Vacinação contra a Gripe de 2018. Desde o começo da Campanha, em 23 de abril, foram aplicadas 190.248 doses da vacina contra influenza, o que corresponde a 73,75% da cobertura vacinal do público-alvo, que abrange crianças, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), idosos e professores.

 

 

 

Os grupos de crianças e de gestantes são os que menos se imunizaram contra a gripe neste período da campanha. A avaliação da Secretaria de Saúde é que as grávidas e os pais dos pequenos ainda têm medo da vacina.

 

 

 

A coordenadora do Programa de Imunização, Gabriela Marchesi, explica que ainda existe um mito de que a vacina pode ser prejudicial aos pequenos e aos bebês que ainda estão na barriga da mãe, e, assim, este público acaba optando por não tomar a vacina. Mas ela garante que é justamente o contrário. “A vacina é 100% segura, feita de fragmentos do vírus. Gestantes e crianças têm a imunidade mais baixa e, diferente do pensam os pais, a vacina vai, sim, proteger os menores e os recém-nascidos da influenza”, explica Gabriela.

 

 

 

Ainda segundo a coordenadora, o efeito da vacina dura de nove meses a um ano e quanto mais cedo a pessoa tomar, mais protegida ela estará durante o Inverno, que é quando a população fica mais suscetível a pegar a gripe. “Depois de tomada, a vacina demora 15 dias para ter o efeito desejado, por isso a importância de procurar o mais breve possível o CS para receber a dose”, reforça Gabriela.

 

 

 

Campanha

 

 

A vacina protege contra as gripes A (H1N1 e H3N2) e B. A composição muda todo ano, de acordo com as cepas do vírus da gripe que estão em circulação no período. Por isso, as pessoas precisam se vacinar anualmente para evitar complicações causadas pela gripe e doenças graves, como pneumonia.

 

Pessoas com doenças agudas graves e febre (moderada ou alta) devem esperar a melhora do quadro clínico para receber a dose.

 

Para tomar a vacina, o paciente deve levar carteira de vacinação ou documento de identidade. Os doentes crônicos devem apresentar receita ou prescrição médica.

 

Os pacientes acamados que fazem parte do grupo que deve ser vacinado receberão a dose em casa, de acordo com a programação dos centros de saúde. Os que são assistidos pelas unidades de saúde serão avisados por telefone sobre a data da aplicação da vacina.

 

Importante ressaltar que só os casos mais graves de gripe, que evoluem para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) são notificados à Vigilância em Saúde.

 

 

 

Influenza

 

 

A gripe, ou influenza, é uma infecção causada por vírus que afeta o sistema respiratório, mais precisamente o nariz, garganta e brônquios. O contágio ocorre de forma direta através das secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar ou de forma indireta, por meio das mãos que, após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias, pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz. A doença pode se apresentar desde uma forma leve e de curta duração, até formas clinicamente graves e complicadas. A gripe é responsável por elevada taxa de adoecimento e morte em grupos de maior vulnerabilidade, principalmente no inverno.

 

 

Geral

Reajuste dos pedágios altera a tarifa de 10 linhas intermunicipais de Campinas

Publicado

em

Por

Acréscimos em 34 linhas serão de R$ 0,05 a R$ 0,10 e começam a valer a partir deste domingo (17) 

Em razão do reajuste de pedágios pela Artesp, em vigor desde o dia 1º de dezembro de 2020, 34 linhas metropolitanas gerenciadas pela EMTU/SP terão acréscimos de R$ 0,05 a R$ 0,10 nas tarifas a partir deste domingo (17). 

Os reajustes ocorrerão apenas em parte das 852 linhas gerenciadas e fiscalizadas pela EMTU/SP na Grande São Paulo, Campinas, Vale do Paraíba/Litoral Norte e Sorocaba. As linhas que terão alteração nessas quatro regiões metropolitanas são aquelas que passam por pedágios. 

O custo do pedágio é acrescido nos valores das passagens das linhas metropolitanas, conforme o artigo nº 32, parágrafo 4º do decreto estadual nº 24.675/86. O cálculo é feito pela divisão do valor pago na praça de pedágio pelo número médio de passageiros por viagem. O objetivo é ressarcir as empresas concessionárias e permissionárias dessa despesa sobre a operação. 

Os passageiros estão sendo informados sobre as linhas que terão reajuste por meio de avisos afixados nos ônibus, mídias sociais e pelo site emtu.sp.gov.br. 
Abaixo estão dados gerais por região. Os novos valores das tarifas das linhas com reajuste na parcela do pedágio estão disponíveis no link https://www.emtu.sp.gov.br/emtu/itinerarios-e-tarifas/tarifas-em-formato-pdf.fss.


Região Metropolitana de São Paulo Consórcio Anhanguera e Unileste – Oito linhas e serviços terão reajuste de um total de 224 que circulam nas áreas 2 e 4 de concessão (regiões de Osasco e Mogi das Cruzes): 524, 116, 378, 818, 827, 838, 819 e 206 

Região Metropolitana de Campinas Consórcio Bus+ – 10 linhas e serviços de um total de 150 que operam na região: 612, 612DV1, 614, 616, 618, 633, 693, 714, 715 e 734

Região Metropolitana do Vale do Paraíba/Litoral Norte Empresas Jacareí e Litorânea – 5 linhas de um total de 84 que operam na região: 5151, 5501,5503, 5504 e 5508 

Região Metropolitana de Sorocaba Empresas Rápido Luxo, VB e Expresso Amarelinho – 11 linhas de um total de 87 que operam na região: 6214, 6215, 6219, 6224, 6225, 6226, 6115, 6113, 6114, 6213 e 6213EX1.

Continue Lendo

Geral

Técnica de enfermagem do HC é a 1ª vacinada contra Covid em Campinas

Publicado

em

Por

O início da imunização contra a Covid-19 em Campinas aconteceu na tarde desta segunda-feira, 18 de janeiro, no Hospital de Clínicas da Unicamp. A primeira pessoa a ser vacinada foi a técnica de enfermagem do HC Liane Tinoco, de 48 anos. O prefeito de Campinas, Dário Saadi, e o governador do Estado de São Paulo, João Doria, participaram do evento.

 

“Campinas é o primeiro momento de vacinação fora da cidade de São Paulo. Campinas abriga brasileiros de todas as partes. Hoje temos o privilégio de vacinar a primeira funcionária do HC. Ela está na linha de frente ajudando a salvar vidas. Queria agradecer, em nome da Liane, todos os profissionais de saúde e também os que trabalham na área, embora não sejam formados em saúde, mas que também ajudam a salvar vidas: motoristas de ambulância, equipes de limpeza, de segurança, de manutenção…Estamos muito orgulhosos de termos uma vacina do Brasil, a Coronavac, a vacina do Butantan. Agora a vacinação segue aqui com outros profissionais desta unidade do HC da Unicamp”, afirmou o governador.    

 

A técnica de enfermagem é baiana e tem 14 anos de profissão. “Estou muito grata e me sinto honrada em ser a primeira pessoa a ser vacinada no interior de São Paulo”, afirmou Liane.  

 

Distribuição

 

A distribuição das vacinas e insumos para imunização contra a Covid-19 para os cinco hospitais-escola do Interior do Estado começou também nesta segunda. Além do Hospital de Clínicas de Campinas, que recebeu 4 mil vacinas do Butantan, receberam as doses os hospitais de Clínicas de Botucatu, Ribeirão Preto, Marília e o Hospital de Base de São José do Rio Preto.

 

No total, cerca de 60 mil profissionais que atuam nesses cinco hospitais serão imunizados contra a Covid-19.

 

Vacinas em Campinas

 

A partir desta terça-feira,19 de janeiro, grades de vacinas e insumos serão enviadas aos polos regionais para distribuição às prefeituras.

 

“Assim que as vacinas chegarem, vamos distribuir aos hospitais públicos e privados, que farão a vacinação. Nós já cadastramos todos os hospitais de Campinas e cerca de 15 mil pessoas receberão a vacina. As informações extra oficiais é que as vacinas chegam amanhã. Não temos o número exato de doses, mas pelas contas que fizemos, 15 mil chegam. Ainda não temos o horário, mas estamos com toda a logística de distribuição preparada”, disse o prefeito Dário Saadi.

 

De acordo com ele, a abertura do agendamento para os outros grupos previstos na primeira fase vai depender da quantidade de doses que a cidade irá receber. A prioridade é quem está atuando na linha de frente.

 

O agendamento será feito por meio do portal da Prefeitura de Campinas, pelo telefone 160 ou pelo centro de saúde de referência. Quem optar pela internet, deverá acessar o endereço www.campinas.sp.gov.br e clicar em um banner sobre a campanha de vacinação.

 

Será necessário preencher um cadastro e as opções de horário serão disponibilizadas. A pessoa poderá escolher dia e horário. No fim do processo de agendamento será emitido um comprovante com todos os dados, que pode ser impresso ou armazenado no celular.

 

A ida ao centro de saúde só é recomendada em último caso, pois há um grande volume de atendimentos de saúde nas unidades.

 

No dia da vacinação, as pessoas devem levar documento com foto.

 

 

Centros de Imunização

Em Campinas, as vacinas serão aplicadas em pelo menos cinco centros de vacinação (há possibilidade de ampliação), um por região da cidade: 

 

– Casa da Criança Paralítica – Rua Pedro Domingos Vitali, 160 – Parque Italia (região Sul) 

– Naed Noroeste – Avenida Ibirapuera, s/nº, Jardim Londres (região noroeste);

– Centro de Vivência do Idoso – Lagoa do Taquaral – portão 5 (região leste);

– Círculo Militar- Avenida Getúlio Vargas, 200. Jardim Chapadão (região norte);

– CAIC Sudoeste – Rua José Augusto de Mattos, s/nº, Vila União (região sudoeste).

 

O público-alvo da primeira etapa inclui profissionais de saúde, pessoas a partir de 60 anos de idade, indígenas e quilombolas.

 

A primeira etapa será dividida da seguinte maneira:

 

1º – profissionais de saúde, indígenas e quilombolas – cerca de 63 mil pessoas em Campinas

2º – pessoas com 75 anos ou mais – 40.383 pessoas

3º – 70 a 74 anos – 26.309 pessoas

4º – 65 a 69 anos – 33.507 pessoas

5° – 60 a 64 anos – 46.169 pessoas

 

Das mortes por Covid em Campinas, 87% correspondem a esse público da primeira etapa.

Continue Lendo

Geral

Trechos das ruas Padre Vieira e Regente Feijó serão interditados para obra

Publicado

em

Por

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) interditará totalmente o tráfego de veículos em trechos das vias Padre Vieira e Regente Feijó, na região central. O fechamento é necessário para viabilizar obras distintas.

Nesta terça-feira, 19 de janeiro, a interdição será em trecho da Rua Padre Vieira, no Cambuí. O bloqueio prossegue até a próxima sexta-feira, 22 de janeiro, sempre no período das 8h até as 17h. Após as 17h, o tráfego de veículos será liberado, voltando a ser bloqueado no dia seguinte.

O fechamento da Padre Vieira será no trecho entre a Rua General Marcondes Salgado e a Avenida Aquidaban. O local recebe uma operação de realinhamento de paralelepípedos que ocorre em empreendimento imobiliário, sob responsabilidade da Construtora Patriani. A Emdec programou desvio pelas vias General Marcondes Salgado, Antônio Cesarino e Aquidaban.

Já a Rua Regente Feijó, no Centro, será interditada somente na próxima quarta-feira, dia 20 de janeiro, no período das 8h30 até as 12h. O fechamento será na altura do numeral 926, no trecho entre as vias Ferreira Penteado e Dr. Costa Aguiar.

A medida atende a uma solicitação da Sanasa, que realiza ligação de rede de esgoto no local. Esse trecho da Regente Feijó permite apenas acesso local, que será garantido pela Emdec ao longo da interdição.
Agentes da Mobilidade Urbana monitoram os locais das interdições, visando preservar a segurança viária. Para informações de trânsito e sugestões, acesse os canais do Fale Conosco Emdec, pelo telefone 118, site (www.portal.emdec.com.br/faleconosco) ou baixe o aplicativo “Emdec”, disponível para download no Google Play (sistema operacional Android) e App Store (sistemas operacionais iOS).

Continue Lendo









<





Populares