Geral

Multas em aberto podem ser parceladas para evitar protesto em cartório

Em janeiro, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) deu início ao protesto de multas em aberto, a partir de um convênio firmado com os Cartórios de Protestos locais. Até o dia 31 de janeiro, um total de 45.994 multas resultaram em notificação ou protesto e cerca de 1,9% (860) destes motoristas inadimplentes realizaram o pagamento. Para evitar a cobrança em cartório, os motoristas inadimplentes têm a opção de parcelar a dívida, diretamente no site da Emdec. É possível parcelar em até 18 vezes, no cartão de crédito com as operadoras credenciadas.

O objetivo é a gestão responsável e eficiente dos recursos públicos. Até o momento, a ação recuperou R$ 229,6 mil aos cofres públicos.

Na fase inicial do projeto, de forma excepcional, a Emdec adotou a notificação dos devedores, para as multas vencidas em 2019. Essa notificação prévia estimulava o parcelamento dos débitos, contendo um QR Code que direcionava para a página www.emdec.com.br/parcelamentomultas. Até o dia 31 de janeiro, foram emitidas 19.188 notificações prévias aos motoristas inadimplentes e 388 efetivaram o pagamento antes da etapa de protesto, uma taxa de retorno de 2%.

O valor arrecadado com os pagamentos realizados na fase de notificação foi de R$ 109,6 mil. Já entre as 26.806 multas efetivamente protestadas em cartório, 472 foram pagas, resultando na arrecadação de R$ 119,9 mil e uma taxa de retorno de cerca de 1,8%. As cobranças começaram pelas dívidas de infratores de outras cidades e, a partir de 15 de janeiro, se estenderam para as dívidas de motoristas de Campinas.

“Estamos estimulando que as pessoas sanem a dívida antes do protesto em cartório, parcelando os débitos diretamente no site da Emdec. O objetivo não é punir os motoristas inadimplentes, mas sim garantir a gestão responsável dos recursos públicos”, explica o presidente da Emdec, Vinicius Riverete.

A arrecadação com multas de trânsito se reverte em ações de fiscalização, sinalização, planejamento da mobilidade urbana e educação de trânsito. O valor recuperado de R$ 229,6 mil custearia, por exemplo, a implantação de um conjunto semafórico.

Como funciona a cobrança

O motorista inadimplente recebe, por correspondência, um boleto de pagamento, com o valor do débito principal protestado e das taxas próprias do cartório (emolumentos e despesas da intimação). Persistindo a dívida, o débito poderá ser objeto de cobrança judicial, com aplicação de juros e correção monetária, além da incidência de honorários advocatícios. Assim, ao regularizar a dívida diretamente no cartório, a pessoa inadimplente evita os custos que envolvem a contratação de advogado, na fase judicial de cobrança.

Parcelamento prévio da multa evita protesto em cartório

Para evitar o protesto em cartório, os motoristas com multas em aberto têm a opção de parcelar a dívida diretamente no site da Emdec, no endereço www.emdec.com.br/parcelamentomultas. É possível parcelar em até 18 vezes, no cartão de crédito. As operadoras credenciadas e as respectivas condições podem ser consultadas no mesmo endereço.

Para pagamento integral, a segunda via do boleto de pagamento pode ser emitida no site da Emdec, na seção “Consulta de Multas” (www.emdec.com.br/consultamultas). Também é possível baixar o boleto pelo aplicativo da Emdec, no ícone “Multas de trânsito”.

Medida foi recomendada pelos órgãos regulatórios

A ação de protesto de multas inadimplentes foi adotada pela Emdec a partir de uma recomendação do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. Além disso, o Ministério Público instaurou inquérito que determina que sejam adotadas medidas efetivas de recebimento de dívidas antigas, sob pena de responsabilização dos administradores por renúncia de receita.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS
Compartilhar no Facebook

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor desabilite o AdBlock