Geral

Campinas pode decretar estado de emergência para a dengue ainda hoje

O decreto de estado de emergência para dengue emitido pelo governo do estado de São Paulo ontem, 5 de março, será discutido hoje, dia 6, pela Secretaria de Saúde de Campinas. Assim como as demais secretarias municipais paulistas, Campinas tem autonomia para decretar seu próprio estado de emergência, aderindo ou rejeitando as diretrizes da Secretaria de Saúde estadual.

A reunião está agendada para às 10h30 entre os gestores do DS (Departamento de Saúde) e do Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde), que irão definir os próximos passos das políticas de enfrentamento à epidemia de dengue na cidade.

“Andrea Von Zuben, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde de Campinas, afirmou: “Temos parâmetros técnicos bem estabelecidos que estão relacionados à situação epidemiológica e à capacidade de resposta da assistência em saúde. Estamos avaliando diariamente. Se for necessário, não hesitaremos em declarar emergência.”

Campinas atingiu nesta quarta-feira o total de 13.842 mil casos de dengue na cidade.

O decreto estadual propõe um plano de emergência que permitirá ao Palácio dos Bandeirantes enviar recursos com mais agilidade para combater a dengue. A verba será destinada principalmente para aquisição de máquinas de nebulização e insumos, além da contratação e capacitação de agentes de saúde.

“Regiane de Paula, coordenadora em saúde da CCD (Coordenadoria de Controle de Doenças), afirmou: “O plano foi elaborado de forma técnica e seguindo critérios epidemiológicos, sempre embasado na ciência.

Ele guiará as ações dos principais eixos envolvidos no controle das arboviroses: vigilâncias epidemiológica, laboratorial e sanitária, controle vetorial, assistência à saúde, educação/comunicação e mobilização social, para os diversos cenários de transmissão, tanto municipal quanto regional e estadual.”

Por que decretar estado de emergência?

O governo estadual, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, anunciou o decreto de emergência porque o COE (Centro de Operações de Emergências) recomendou a medida, devido ao estado de epidemia que atingiu a porcentagem de 300 casos confirmados da doença a cada 100 mil habitantes.

Dados atualizados até 4 de março apontam que 131 municípios paulistas registraram mais de 300 casos por 100 mil habitantes. Destes 131, 22 decretaram emergência.

“A secretária de Saúde em exercício no Estado, Priscilla Perdicaris, afirmou: “No Estado como um todo já atingimos os dados de uma epidemia, que é de 311 casos por 100 mil habitantes. Na região de Campinas, temos municípios com mais de 1 mil casos para cada 100 mil habitantes.

Campinas registra 1.095 casos por 100 mil habitantes, Jaguariúna 1.142 casos por 100 mil habitantes e Valinhos mais de 700 casos por 100 mil habitantes. Agora os municípios precisam fazer seu próprio decreto de emergência.”

Situação de alerta em Campinas

Segundo a secretaria Municipal de Saúde, estamos entrando em um período mais crítico para novos casos da doença, já que as temperaturas variam entre 25ºC e 30ºC, com maior volume de chuvas, o que é mais propício para as larvas do mosquito.

De acordo com os dados, entre março e maio é quando são registrados 80% dos casos da doença. “A fêmea fica mais ativa. Ela bota mais ovos em mais criadouros e ela pica mais gente. Então toda essa combinação faz um aumento da transmissão da dengue.

Então, independente se vai parar de chover, nem é a chuva tão importante. O importante é não ter água parada no pratinho, na caixa de água, no vaso. Isso é o mais importante porque a temperatura já está colaborando bastante”, afirmou Andrea.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS
Compartilhar no Facebook

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor desabilite o AdBlock