Geral

Campinas alcança PIB de R$ 72 bilhões e está em 12º lugar no Brasil

Campinas alcançou Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 72,9 bilhões em 2021 e está na 12ª posição do ranking nacional divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, 15 de dezembro. O resultado reflete a importância da série de investimentos e ações aplicadas pela Administração no período mais crítico da pandemia.

O PIB é uma medida do valor dos bens e serviços que determinada área produz num período de tempo e inclui setores como agropecuária, indústria e serviços. Na prática, ele mede o nível de riqueza e mostra se há produção, consumo, novos recursos e vendas.

A participação de Campinas representa 0,81% do total. Em 2020, a metrópole ocupava a 10ª posição, entretanto, o IBGE destaca neste novo levantamento que a tendência de desconcentração da economia no país tem se repetido, e que a metrópole deixou o 10º lugar somente em virtude do desempenho excepcional de Maricá (RJ), que passou da 26ª para a 8ª colocação entre 2020 e 2021 por conta do trabalho de extração de petróleo e gás.

Em 2002, Campinas também ocupava o 10º lugar, enquanto Maricá estava na 354ª posição.

Campinas é uma das cidades mais importantes do ponto de vista econômico dentro do cenário brasileiro. Além de ser uma das cidades de crescimento e de economia forte, é centro de uma Região Metropolitana de mais de 3,3 milhões de habitantes e uma das regiões que mais cresce no país”, destacou o prefeito de Campinas, Dário Saadi.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, Adriana Flosi, também comemorou o resultado. “Campinas cresce a cada dia e o levantamento do IBGE mostra a importância econômica da cidade para o país. Referência em educação e pesquisa, com universidades de ponta e CNPEM, destaque em logística e turismo com Viracopos, e cada vez mais é um exemplo para outros municípios com uma economia diversificada, legislações modernas e investimentos em obras que tornam a cidade mais moderna e atrativa. Tudo isso associado a políticas de assistência social e qualificação de áreas importantes para a qualidade de vida da população, como saúde, ao planejar estruturas inovadoras como o Hospital da Mulher, e transporte, ao colocar em prática o funcionamento do BRT”, disse.

Economia fortalecida

Assim como outros municípios brasileiros, Campinas também sofreu impactos financeiros severos decorrentes da covid-19 e, por isso, a Prefeitura lançou diversas estratégias para aquecer a economia, além de estimular a geração de oportunidades de trabalho. 

A principal foi o Programa de Ativação Econômica e Social (Paes), lançado em 2021 com foco no estímulo à retomada da atividade econômica, consumo das famílias, proteção social e geração de empregos, capacitação/qualificação, e melhora do ambiente de negócios.

A iniciativa se reflete, por exemplo, no Mapa de Obras que reúne 169 trabalhos em andamento e concluídos, com movimentação de R$ 1 bilhão e abertura de empregos.

“Constam uma nova Lei de Incentivos que tem dado resultados concretos na cidade e programas como a implantação do Sistema de Inspeção Municipal para produtos de origem animal. Temos também qualificação e cursos profissionalizantes para oferecer mão de obra especializada para as empresas, diminuímos impostos como o IPTU, de galpões logísticos, para estimular o mercado e todo o setor de logística, e reformulamos a nossa lei de eventos para desburocratizar e facilitar o turismo de negócios. Uma série de ações do Poder Público de Campinas estão sendo e já foram feitas para fazer com que a cidade se torne cada vez mais referência em crescimento econômico e na macroeconomia do país”, ressaltou Dário.

Como funcionam as ações de destaque?

– Programa Recomeça: beneficia microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas com a concessão de empréstimos;

– Sistema de Inovação: estimula, organiza e apoia uma rede qualificada de ambientes de inovação, com a missão de potencializar o desenvolvimento de startups;

– Lei de Investimentos em Infraestrutura: financiamento junto ao Banco do Brasil para obras de infraestrutura, saúde, trânsito/transporte, cultura, assistência social, esporte/lazer.

– Lei de Incentivos Fiscais: estabelece mecanismos de incentivo para atração de novos negócios e expansão de empresas já instaladas

– Serviço de Inspeção Municipal: visa regularizar produtos de origem animal feitos por produtores rurais e empreendedores da cidade, entre eles, leite, carnes, pescados, ovos, produtos de abelha e os derivados de cada um destes tipos de alimentos.

– Capacitações: ofertas de vagas para cursos profissionalizantes, oferecidas em parceria com Sebrae, Senai, Softex, Microlins, entre outras instituições.

– Incentivo para os galpões industriais e logísticos: reduziu a alíquota de IPTU de 2,9% para valores que variaram entre 1,1% e 1,8% (dependendo das características do imóvel).

– Lei de eventos: alterou as regras e simplificou os trâmites para a realização de eventos.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS
Compartilhar no Facebook

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor desabilite o AdBlock