Connect with us

Geral

Zoonoses e Defesa Civil integram informações sobre riscos com animais

Publicado

em

O que fazer quando um morcego invade a sua casa? Ou quando um enxame de abelhas ameça a vizinhança? E pior ainda: quando isso acontece no fim de semana ou feriado?

 

 

A Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) da Prefeitura, setor encarregado de dar atendimento a essas demandas atua em esquema de plantão e a maioria das pessoas tem a resposta pronta: ligar para o 199 da Defesa Civil.

 

Publicidade

 

Mas os agentes desse serviço precisam estar plenamente capacitados para lidar com ameaças que, ao invés de se concretizarem em tempestades ou enchentes, se traduzem em, por exemplo, insetos.

 

 

Foi para equacionar questões como essas, e aprimorar o atendimento à população, que a UVZ ministrou treinamento para os técnicos da Defesa Civil na tarde desta quarta-feira, dia 29. A fim de capacitá-los para o atendimento imediato das solicitações, orientando quem está do outro lado do telefone, geralmente com medo e muitas dúvidas, enquanto providencia o contato com a Zoonoses.

Publicidade

 

 

A coordenadora da UVZ, Elen Fagundes Costa, destacou que é fundamental esse diálogo entre os serviços, uma vez que eles funcionam de maneira integrada. “Essa troca de informações é muito importante, muitas situações surgem e os fluxos de atendimento devem ser ajustados de acordo”, explicou.

 

 

Publicidade

Segundo o diretor da Defesa Civil, Sidnei Furtado, essa parceria é importante para a prevenção de futuras pandemias. “Uma simples ocorrência relacionada a um animal pode representar o indício de um problema de saúde pública”, ressaltou.

 

 

Temas do treinamento

 

Publicidade

 

O Sistema de Informação em Saúde Silvestre (SISS-Geo) da Fundação Oswaldo Cruz foi um dos temas abordados na capacitação. A plataforma é utilizada por técnicos de diversas áreas da saúde, Defesa Civil e meio ambiente para registro do encontro de animais silvestres.

 

 

Outra pauta do treinamento foi o recolhimento de animais mortos, como os primatas não-humanos, como saguis, além de gambás, ouriços, cachorros do mato, entre outros. Segundo a apresentação do médico veterinário da UVZ, Celino Simões de Lima, somente de janeiro a maio de 2022 foram recolhidos 21 desses animais. Por meio de uma parceria com o Instituto Adolfo Lutz, as amostras são direcionadas para análise. “É muito importante que o recolhimento e o posterior diagnóstico sejam feitom”, disse o técnico em agropecuária da UVZ, Vladson Barbi de Mello.

Publicidade

 

 

A orientação aos munícipes quanto ao que fazer ao encontrar animais peçonhentos ou se deparar com um enxame também foi abordada. Neste último caso, por exemplo, a Zoonoses enfatizou que deve ser levada em conta a situação relatada, a existência de vítimas e até a eventual necessidade de acionar os Bombeiros. O caso também deve ser passado aos plantonistas da UVZ para que façam a avaliação sobre a necessidade de intervenção, de acordo com o risco.

 

 

Publicidade

Morcegos 

 

O treinamento incluiu orientações sobre morcegos, no âmbito do Programa de Vigilância, Prevenção e Controle da Raiva. A médica veterinária da UVZ, Aline Nitsche, incluive mostrou espécimes preservadas, para que a equipe pudesse conhecer e entender melhor esses animais.

 

 

Publicidade

Aline destacou a importância de preservar os morcegos, que são “importantes polinizadores, os maiores reflorestadores naturais do planeta, além de realizarem controle de insetos e serem importantes para estudos na área médica”. Mas ela também lembrou que os morcegos podem transmitir o vírus da raiva aos humanos e a outros animais. “É fundamental que a população esteja bem informada sobre isso”, disse a veterinária.

 

 

Durante o curso desta quarta, os agentes da Defesa Civil ouviram que a transmissão da raiva ocorre por contato direto, com uma mordida ou uma lambedura do morcego, por exemplo. Por isso, ao encontrar um animal em condições suspeitas – caídos ou expostos à luz do sol – é preciso imobilizá-lo, se for possível, colocando um balde sobre ele, por exemplo. Depois, afastar crianças e animais domésticos e acionar a UVZ (3245-1219). Ou, aos finais de semana, ligar para a Defesa Civil (199).

 

Publicidade

Contatos

 

Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) – telefone 3245-1219

 

Defesa Civil – telefone 199

Publicidade

Geral

Prefeitura aumenta valor do prêmio produtividade de profissionais de saúde

Publicado

em

Por

A Prefeitura de Campinas aumentou o valor do prêmio produtividade para os profissionais da Saúde e da Rede Mário Gatti de Urgência e Emergência. A medida foi publicada no Diário Oficial do Município desta sexta-feira, 12 de agosto, e o pagamento será feito na folha de pagamento deste mês. O ajuste foi feito durante negociação do dissídio dos servidores. A Administração Municipal levou em conta o empenho destes trabalhadores durante o enfrentamento da pandemia.

Com relação aos médicos, a produtividade está em discussão e uma definição será divulgada em breve.

Para os demais profissionais da área da saúde, o valor mínimo da produtividade, que era de R$ 14,00 no decreto de 2012, subiu para R$ 100,00; o valor máximo passa para R$ 683,81. Os valores não eram reajustados desde 2012.

O prêmio é definido de acordo com alguns fatores já estabelecidos, como a localização, a vulnerabilidade do local de trabalho e a complexidade do atendimento. Ele foi calculado com base na jornada semanal de 36 horas e será pago proporcionalmente para jornadas menores.

Outra mudança foi a divisão dos profissionais por níveis, que possibilitou a ampliação da quantidade de pessoas que recebem os valores mais altos.

Publicidade

Outra novidade do decreto é que o prêmio será reajustado anualmente, seguindo o índice de reajuste salarial.

“É um reconhecimento da administração à dedicação destes profissionais, que trabalharam incansavelmente, muitas vezes deixando a vida pessoal em segundo plano para atender a população durante a pandemia”, afirmou o secretário de Saúde Lair Zambon.

Continue Lendo

Geral

Com A Vida Canta II, Coral de Jovens se apresenta no Bosque neste sábado

Publicado

em

Por

O Bosque dos Jequitibás recebe neste sábado, 13 de agosto, às 11h, a 2ª edição do coral de Jovens – A Vida Canta. A apresentação é gratuita e será em frente ao chafariz. A apresentação é acessível em libras e o local tem fácil acesso para cadeirantes, idosos ou pessoas com mobilidade reduzida. 

 

Esta será a primeira apresentação de três, ainda este ano. Serão cantadas as músicas: Joyful, Joyful; Kyrie (Missa Festiva); Benedictus; O Trenzinho do Caipira (Heitor Villa-Lobos), Anunciação (Alceu Valença), Trevo (Ana Vitória), Aquarela do Brasil (Ary Barroso) e Velha Infância (Tribalistas). 

 

O projeto a Vida Canta II oferece oficinas gratuitas de canto/coral a jovens adolescentes, de 13 a 18 anos, abordando principalmente a música erudita, além da folclórica e popular, preparando os alunos para apresentações públicas. Tem como objetivo fornecer para os jovens uma nova prática de atividade cultural, incentivando-os à vivência e formação musical, de uma forma transformadora e atrativa, utilizando o canto como um meio de expressar a arte, contribuindo com a qualidade de vida, podendo torná-los protagonistas de uma transformação pessoal, familiar e no local onde moram, demonstrando disciplina e trabalho em equipe, trabalhando um repertório variado de música popular, folclórica e principalmente erudita. 

Publicidade

 

 Visa também estimular a descoberta de novos talentos, ampliando o interesse dos mesmos pela arte, através do canto coral, podendo motivar novos participantes, reforçando a questão do protagonismo social e democratização cultural para o desenvolvimento dos jovens. 

 

É uma realização do Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O maestro e regente é Rafael Leandro Gouveia, a preparadora vocal Thaís Costalonga, a pianista Natália Spostes, a coordenadora pedagógica Luciane Augusta, coordenação geral e produção executiva da Madia Produções, apoio da Associação Vida e Prefeitura de Campinas e patrocínio da Fertilizantes Heringer. 

 

Publicidade

Serviço

 

A Vida Canta II- Coral de Jovens

 

Dia: 13 de agosto 

Publicidade

 

Hora: às 11h 

 

Local: Bosque dos Jequitibás (em frente ao chafariz) na Rua Coronel Quirino, 2 – Bosque – Campinas/SP 

 

Publicidade

A entrada é gratuita. 

 

 

 

 

Publicidade

 

Continue Lendo

Geral

Mata de Santa Genebra está com inscrições abertas para Visita Autoguiada

Publicado

em

Por

A Fundação José Pedro de Oliveira (FJPO) está com inscrições abertas para a Visita Autoguiada pela Mata de Santa Genebra, projeto em os visitantes caminham sem o acompanhamento de um condutor por trilhas e roteiros pré-determinados. Monitores ficam à disposição para esclarecimento de dúvida na sede da fundação. O participante poderá permanecer na unidade de conservação por um período de duas horas. Os inscritos deverão assistir um vídeo explicativo sobre a atividade.

 

Os visitantes poderão fazer a caminhada para o Laguinho da Sanã e para a Trilha do Jatobá. A visita autoguiada é gratuita e recomendada para visitas individuais ou em pequenos grupos. As datas e horários disponíveis para visitação são sempre às quintas e sextas (manhã e tarde), e aos sábados (manhã). Para conferir, preencher o formulário e realizar as inscrições, é preciso entrar no link https://www.fjposantagenebra.sp.gov.br/visita-autoguiada. Deverá ser feita uma inscrição para cada participante, inclusive crianças. 

 

Para grupos com mais de 10 pessoas a FJPO orienta que se verifique a possibilidade de contratação de um condutor de visitantes no https://www.fjposantagenebra.sp.gov.br/visita-monitorada-para-grupos no projeto Visita Monitorada. As inscrições para visitas monitoradas gratuitas já estão com todas as vagas preenchidas para a atividade em 2022. 

Publicidade

 

O que levar e vestir

 

Para a proteção dos participantes, é necessário trajar calça comprida e calçado fechado, evitando acidentes com plantas e animais. Há muitos mosquitos no ambiente de floresta e portanto o uso de repelente para insetos é fundamental para aumentar o conforto na atividade. A atividade poderá ser cancelada em caso de chuva ou ventos fortes. Os visitantes deverão trazer garrafinha d’água que poderá ser reabastecida em no bebedouro da FJPO.

 

Publicidade

Roteiros

 

Caminhada para o Laguinho da Sanã

Extensão completa do roteiro: 1.600 m

Classificação: Leve

Publicidade

Duração aproximada do roteiro: 1h

O roteiro envolve uma caminhada agradável pela estrada que contorna a floresta.

O Laguinho da Sanã fica a 800m da sede da fundação e é um local propício para o avistamento de aves e contemplação da natureza. O local conta com uma pequena lagoa artificial e, nas épocas mais secas do ano, é possível ter acesso ao riacho.

Trilha do Jatobá

Extensão da Trilha do Jatobá: 500 m

Publicidade

Extensão completa do roteiro: 900 m

Classificação: Leve

Duração aproximada do roteiro: 30 min

O roteiro envolve caminhada em trilha e pela estrada que contorna a floresta. Durante a caminhada os visitantes poderão fazer paradas para contemplar o gigante Jatobá com quase 30 metros de altura.

 

Publicidade

Mais informações sobre as ações da Fundação José Pedro de Oliveira podem ser obtidas no site http://fjposantagenebra.sp.gov.br ou pelo e-mail contato.fundacao@fjposantagenebra.sp.gov.br . 

 

Sobre a Mata de Santa Genebra

 

A Mata de Santa Genebra é considerada a maior floresta urbana da Região Metropolitana de Campinas. A reserva ecológica possui 251,7 hectares de Mata Atlântica, totalizando um perímetro de nove quilômetros. É uma Unidade de Conservação Federal com grande diversidade de fauna e flora nativa. Caracteriza-se como um importante remanescente preservado em meio urbano, utilizado para educação, pesquisa e conscientização ambiental.

Publicidade
Continue Lendo

Populares