Connect with us

Geral

Secretário nega fraude na contratação da OS Vitale e afirma que administração já estava se preparando para substituir o modelo de gestão do Hospital Ouro Verde

Publicado

em

O secretário municipal de Assuntos Jurídicos, Silvio Bernardin garantiu aos vereadores da Comissão de Representação da Câmara que está acompanhando em conjunto com a Comissão de Política Social e Saúde os acontecimentos que envolvem a gestão do Hospital Ouro Verde, que o processo de chamamento público que resultou na contração da Organização Social Vitale para administrar o hospital foi realizado com total lisura e dentro da lei.
Bernardin respondeu na tarde desta quarta-feira (24) aos diversos questionamentos que envolveram todo o processo administrativo – já que na época da contratação da OS ele é secretário de Administração – e também as questões jurídicas do caso. O presidente da Comissão de Representação, vereador Rodrigo da Farmadic (PP) questionou ao secretário os motivos que levaram à Prefeitura a chegar a suspender o processo do chamamento público que contrataria a empresa na época.
O secretário explicou que o processo sofreu várias impugnações das empresas participantes e que depois ele foi revisto, ampliando inclusive a capacidade da participação de mais empresas no chamamento. “Como gestor público somos cobrados pelos órgãos de controle a sempre garantir que o máximo de empresas possam participar de um processo de licitação ou chamamento público e daí, quando fazemos isso, somos acusados de termos direcionado o processo?”, questionou o secretário.
O vereador Jorge da Farmácia (PSDB) perguntou a Bernardim sobre qual o conhecimento que a prefeitura tinha dos fatos em todo o processo que culminou na operação do Ministério Público. “Nós vereadores e toda a população queremos saber se caso não tivéssemos a operação do MP como estaríamos hoje”. O secretário explicou que há tempos a administração pública já tinha constata problemas de má gestão e que vinha tentando minimizar os efeitos dessa má gestão das formas legais em que era possível. “Entretanto, em nenhum momento tínhamos conhecimento de desvio de dinheiro, da prática de crimes”. Ele explica ainda que “a Vitale sempre usou como bengala para justificar seus problemas de gestão o fato do passivo trabalhista deixado pela gestão anterior do hospital, buscando aditamentos que não foram autorizados já que o que eles apresentavam não se comprovava nos papeis”, garante ele que complementa “vínhamos observando e paralelo a tudo isso elaboramos o projeto de lei Rede Mario Gatti que será um novo modelo de gestão”, revela.
O projeto foi protocolado na Câmara no dia 19 de dezembro, mas em virtude do recesso parlamentar ele será apresentado em plenário no dia 5 de fevereiro e depois segue sua tramitação normal: com duas votações e também uma audiência pública obrigatória para esse tipo de matéria.
O relator da comissão, Paulo Haddad (PPS) saiu satisfeito do encontro e certo de que as razões apresentadas pelo secretário vão contribuir para o seu relatório. “O secretário respondeu os nossos questionamentos, não se negou a falar sobre nenhum assunto e ficou muito claro que de fato os gestores da Vitale são os mentores de todos os crimes que foram cometidos contra a saúde de nossa cidade”, afirma.
Por fim, Farmadic revela que o próximo passo da comissão será o de ouvir o secretário de Saúde, Cármino de Souza. “Já no início de fevereiro vamos marcar uma reunião com o Cármino, pois muita coisa que envolve esse processo diz respeito à pasta da Saúde, como por exemplo, como explicou o próprio Bernadin, a manutenção do funcionário Anésio Curat no cargo em que ele ocupava desde outras gestões”.
Estiveram presentes também os vereadores Cidão Santos (PROS), Ailton da Farmácia (PSD), Edison Ribeiro (PSL), Carmo Luiz (PSC) e Pastor Elias Azevedo (PSB).
Texto e Foto: Central de Comunicação Institucional da CMC

Geral

Taça das Favelas volta no fim de semana com 12 partidas de futebol

Publicado

em

Por

Fim de semana é dia de torcer para os times que estão disputando a Taça das Favelas. Serão seis partidas no sábado, 1º de julho, e domingo, 2 de julho, a partir das 8h, na Praça de Esportes Argemiro Roque, no São Bernardo. O evento é uma realização da Cufa (Central Única das Favelas) em parceria com a Prefeitura de Campinas e apoio da EPTV.

 

 

Os jogos começam com as equipes masculinas. Às 8h, jogam São Pedro/Formigueiro e São José; às 9h30 é a vez do Carlos Lourenço enfrentar o Florence. Os dois últimos jogos masculinos serão às 11h e às 15h30, com Satélite Íris x Buraco do Sapo e São Bernardo contra Nilópolis.

 

Publicidade

 

Ainda no sábado, duas equipes femininas se enfrentam. Às 12h30, as meninas do Padre Anchieta jogam contra o Flamboyant; e às 14h é a vez do Santo Antônio e do Campo Belo entrarem em campo.

 

 

Domingo

Publicidade

 

 

A competição volta no domingo, às 8h, com o feminino do São Marcos enfrentando o Vida Nova. O outro jogo será às 9h30, entre Shangai e Paranapanema.

 

 

Publicidade

Na sequência, os meninos entram em campo. Às 11h, jogam Brandina contra Santa Barbara; Costa e Silva e Campo Belo se enfrentam às 12h30. Ainda na programação, Puccamp e Rosália às 14h e Paranapanema e Vila Boa Vista às 15h30.

 

 

Taça das Favelas 2022

 

Publicidade

 

A 2ª edição da Taça das Favelas de Campinas tem 3.012 inscritos. São 2.137 inscrições para os times masculinos e 875 para os femininos.

 

 

Organizada pela Cufa e Prefeitura de Campinas, com apoio da EPTV, o torneio tem como objetivo promover a conscientização e a inclusão por meio do esporte; a integração das comunidades e a ressignificação do território e fortalecimento da autoestima da juventude das favelas e núcleos residenciais.

Publicidade

 

 

A Taça das Favelas faz parte do calendário oficial de eventos de Campinas, desde 2021, por meio da Lei Municipal 16.100.

 

 

Publicidade

Na primeira edição do campeonato, em 2019, a Vila Brandina foi campeã no masculino, enquanto São José ficou com o título no feminino.

Continue Lendo

Geral

Evento marca a recepção de 94 jovens aprendizes que vão atuar na PMC

Publicado

em

Por

Com nome de craque, Cristiano Ronaldo Rodrigues, de 16 anos, é um dos 94 jovens aprendizes recepcionados na Prefeitura, na manhã desta terça-feira, 28 de junho. Assim como os demais, os sentimentos eram uma mistura de medo e de alegria. “Estou com uma expectativa muito alta. Tenho certeza que vou trabalhar com pessoas ótimas, que vou crescer e adquirir muita experiência”. 

 

Os jovens vão fazer parte do Vibe (Vivências, Integração, Bem-Estar e Educação Profissional), um programa criado em 2021 pela Secretaria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas que visa promover ações que estimulem o desenvolvimento humano e contribuam na formação efetiva profissional e no acesso ao mercado de trabalho.

 

Eduardo Felipe, 16, também está cheio de expectativas com a nova experiência e já tem uma área favorita para atuar. “Tenho tido muita afinidade e gostado muito da área de administração. Sobre o futuro, espero me efetivar aqui, porque a Prefeitura é um bom lugar para trabalhar”, completou. 

Publicidade

 

Aprendizagem, troca de experiência, crescimento profissional e pessoal, trabalho em equipe e transformação foram algumas das palavras citadas durante o evento. 

 

A secretária de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas, Eliane Jocelaine Pereira, contou um pouco da sua história e deu vários conselhos para os jovens que estão chegando. “É uma alegria imensa recebê-los aqui hoje. Iniciar a semana com carinhas novas, cheias de medo e também de muita coragem, é muito gratificante”, disse. “Esforcem-se bastante, aproveitem as oportunidades, não tenham medo de errar e, principalmente, tenha em nós amigos, companheiros de jornada”, completou. 

 

Publicidade

O presidente dos Patrulheiros ( Centro de Aprendizagem e Mobilização pela Cidadania “Patrulheiros de Campinas), Adailton Santos, relembrou como as vagas para o programa são disputadas e que, por terem sido selecionados, esses jovens já podem se considerar vencedores. “Que vocês possam contribuir, colaborar, aprender e ensinar neste período que estarão aqui na Prefeitura”, completou. 

 

Outro membro da mesa, Cleber Rodrigues, coordenador do programa, já foi um Jovem Aprendiz e isso o deixou à vontade para falar com uma plateia formada, em sua maioria, por jovens de 16 anos. “Eu tinha os mesmos pontos de interrogação que vocês têm hoje, a diferença é que agora existe um Vibe, um programa muito importante, onde vocês terão muitas oportunidades de aprender, se aprimorar, crescer e uma equipe para apoiá-los”, disse. 

 

Na sequência das falas de abertura, o psicólogo do Patrulheiros, Aslan Panicaci, conversou com os jovens sobre os desafios que vêm pela frente e principalmente a rede de apoio que eles terão. Oscar Fonsechi Neto, da equipe do Vibe, encerrou o evento com uma explicação detalhada sobre o programa e informações sobre as atribuições dos jovens durante a permanência na Prefeitura. 

Publicidade

 

Vibe

O programa Vibe está sendo desenvolvido em quatro pilares: – Direitos Humanos e Respeito às Diferenças; – Valorização da integração interpessoal no trabalho; – valorização das atribuições e tarefas que serão exercidas; e – Busca pelo aprendizado e qualificação.

 

Participam jovens aprendizes com idade a partir de 16 anos, que permanecem no programa por 1 ano e 5 meses. 

Publicidade

 

Para os jovens, o Vibe visa promover a valorização das aptidões e interesses; maior integração; capacitações, cursos e palestras; serviço de acolhimento e escuta qualificada; e o selo “Vibe Aprendizado”, certificando a passagem do jovem pelo programa.

 

O Vibe também tem ações voltadas para os orientadores e para as empresas, que receberão o selo “Vibe Parceiros” quando promoverem algum tipo de incentivo aos jovens – como concessão de bolsas de estudos – e também para as que os contratarem depois que saírem do programa.

 

Publicidade

 

Continue Lendo

Geral

Menezes é eleito presidente da Associação de Municípios e Meio Ambiente

Publicado

em

Por

O secretário do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SVDS) de Campinas, Rogério Menezes, foi eleito presidente da Associação Nacional de Municípios e Meio Ambiente (Anamma) de São Paulo, nesta segunda-feira, 27 de junho, para o biênio 2022-2023. A eleição ocorreu de maneira online. A diretora do Departamento de Licenciamento Ambiental da Secretaria do Verde, Andréa Struchel, ocupava o cargo de vice-presidente e foi eleita diretora jurídica da Anamma. O novo vice-presidente é Cláudio Scalli, secretário-executivo do Consórcio Público Agência Ambiental do Vale do Paraíba. Também foram eleitos os diretores de Bacias Hidrográficas do Estado e as diretorias temáticas. 

 

Rogério Menezes agradeceu a confiança dos gestores de meio ambiente do Estado de São Paulo pela escolha. “Com muito senso de responsabilidade me comprometo a prosseguir com conquistas no governo do Estado, bem como representar os secretários e demais gestores ambientais municipais no Conselho Estadual de Meio Ambiente”, afirmou.

 

Ao assumir a presidência da Anamma, o secretário do Verde lembrou que os resultados da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP-26), realizada em novembro de 2021, e dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), “reforçam a responsabilidade de todos os entes para atingir o novo modelo de desenvolvimento com sustentabilidade e a importância do esforço compartilhado entre os governos federal, estadual e municipal, entidades da sociedade civil e o setor privado”, ressaltou.

Publicidade

 

Anamma 

 

A Anamma é uma entidade do terceiro setor, fundada em 1988, que presta relevante serviço de interesse coletivo ao agregar gestores municipais em prol de uma gestão ambiental local sustentável.

 

Publicidade

Conheça a nova composição da diretoria da Anamma SP:

 

▪️ Rogério Menezes, Secretário do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Campinas – Presidente 

▪️ Cláudio Scalli, Consórcio Ambiental do Vale do Paraíba – Vice-presidente

▪️ Andréa Struchel, Diretora de Licenciamento Ambiental da Secretaria do Verde de Campinas – Diretora Jurídica

Publicidade

▪️ Flávio Lamas, AAAC Campinas, Diretor de Proteção e Bem Estar Animal

▪️ Marcelo Marcondes, Aparecida – Diretor de Educação Ambiental, Ciência e Tecnologia

▪️ Moacir Arruda, São Paulo – Diretor de Unidades de Conservação

▪️ Jean Marcicano, Ibiúna – Diretoria de Articulação Institucional

 

Publicidade

Diretoria de Bacias Hidrográficas:

 

▪️ PCJ: Geraldo Luiz Nalon, Pedreira; Tamires Artuzi, Artur Nogueira

▪️ Alto Tietê: Solange Franco, Suzano; Claudete Bezerra, Poá

▪️ Paraíba do Sul: Marcelo Manara, São José dos Campos; Maria Eduarda, Pindamonhangaba

Publicidade

▪️ Ribeira do Iguape: Raul, Itaperaí; Daniela Batista, Registro

▪️ Mogi-Guaçu: Júlio Galdino, Conchal; Tiago Sartori, Socorro

▪️ Médio Tietê-Sorocaba: Mauricio Mota, Salto de Pirapora; Ricardo, Votorantim

▪️ Alto Paranapanema: Luiz Godinho, Itaberá. 

 

Publicidade
Continue Lendo

Populares