Connect with us

Geral

RMC é escolhida para receber projeto de sustentabilidade cooperativa com financiamento alemão

Publicado

em

A Região Metropolitana de Campinas foi escolhida, juntamente com as cidades de Londrina e Belo Horizonte, para uma parceria internacional com o Interact Bio (Ação Integrada pela Biodiversidade financiada pelo Ministério Federal Alemão do Meio Ambiente, Conservação da Natureza, Construção e Segurança Nuclear), instituição que financia projetos cujo objetivo seja a sustentabilidade cooperativa com outros municípios de regiões metropolitanas.
A declaração foi dada pela supervisora departamental Andréa Strudel, da secretaria municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, durante a reunião desta terça-feira (03/10) da Comissão de Assuntos da Região Metropolitana de Campinas, presidida pelo vereador Campos Filho (DEM). Andréa explicou que Campinas foi escolhida para receber o patrocínio em virtude de um outro projeto desenvolvido na cidade, o Reconecta RMC, que tem como objetivo fazer a recuperação e a conservação da fauna e da flora, por meio de corredores ecológicos. “Os corredores são porções de ecossistemas seminaturais ou naturais, que ligam Unidades de Conservação. Eles possibilitam a movimentação da biota e a dispersão de espécies, facilitando o fluxo gênico e a recuperação da fauna das áreas degradadas”, explicou a supervisora.
O vereador Campos Filho (DEM) destacou a importância do Reconecta RMC, afirmando que vai acrescentar muito no trabalho que estão fazendo na RMC: “O projeto está contido no Plano Diretor, que contempla a preservação do meio ambiente. Além disso ele atua no mote do nosso trabalho, que é o progresso, a preservação da natureza e o desenvolvimento sustentável”.
Além do Brasil, a Interact Bio investiu em outros 2 países: Índia e Tanzânia. Juntos, os três receberão até 2020 um investimento de 6 milhões de euros (R$ 22 milhões), sendo cerca de R$ 125 mil por ano para cada região.
Texto e Foto: Central de Comunicação Institucional da CMC

Geral

Depois de 50 anos, moradores do J. Palmares são agora oficialmente donos

Publicado

em

Por

A primeira fase da regularização do Núcleo Residencial Jardim Palmares, localizado na região sudoeste do município, área do Jardim Campos Elíseos, foi encerrada na noite desta quinta-feira, dia 30 de junho, com a entrega de 200 títulos de propriedade aos moradores. O evento, realizado no Salão Paroquial da Comunidade Nossa Senhora de Fátima, na Vila Perseu Leite de Bairros, contou com a presença do prefeito Dário Saadi que, junto com autoridades e equipe da Secretaria Municipal de Habitação (Sehab), passou as escrituras dos imóveis às mãos dos agora oficialmente proprietários. 
A infraestrutura do núcleo já compreende rede de água e esgoto, energia elétrica domiciliar e iluminação pública, assim como entrega de correspondência, coleta de lixo e transporte coletivo. A próxima etapa é dotar o bairro de drenagem e asfalto, cujos projetos estão sendo encaminhados.
Os moradores agora possuem a matrícula do imóvel, que equivale ao título de propriedade, emitida pelo cartório de registro de imóveis. Com o documento, a família torna-se oficialmente proprietária, passa a ter segurança jurídica e a poder fazer melhorias, vender ou transferir o bem, agora legitimamente seu.
O prefeito de Campinas, Dário Saadi, afirmou que sua gestão tem buscado acelerar a regularização, proporcionando tranquilidade aos moradores. “Gostaria de parabenizá-los pela luta. Sem a escritura, há sempre uma preocupação, e hoje isso acaba”. Ele também salientou que a equipe da Cohab tem se empenhado muito e agradeceu o trabalho da Câmara Municipal e dos líderes comunitários.
Já o secretário de Habitação e presidente da Companhia de Habitação Popular (Cohab) de Campinas, Arly de Lara Rômeo, disse que é motivo de muita honra poder fazer essa entrega a moradores do núcleo que começou há 51 anos. Ele também falou do eseforço da Cohab: “Temos trabalhado muito para aumentar as entregas. Como dizia uma famoso cartorário, quem não registra, não é dono”.
Também presente no evento, o presidente da Câmara Municipal de Campinas, vereador Zé Carlos, disse saber do sofrimento dos moradores e de não terem perdido a esperança ao longo dos anos. “Hoje vemos a alegria estampada no rosto de cada um de vocês”, comemorou. Já o vereador Jorge Schneider fez questão de enfatizar a agilidade do governo Dário na entrega dos títulos, enquanto o também vereador Edison Ribeiro reforçou a importância de que as pessoas tenham garantido o seu imóvel para morar. 
O coordenador geral da Comunidade Nossa Senhora de Fátima, entidade que cedeu o espaço para o evento, também compôs a mesa.
Desde o início, a gestão Dário Saadi já entregou 4.540 escrituras de imóveis.
Sonho de uma vida
Moradoras do Jardim Palmares há quase 40 anos, as vizinhas Maria Regina Moreira da Silva e Maria Aparecida Zago viam a escritura como a concretização de um sonho. “Significa tudo pra mim. É uma vida de espera”, disse Maria Regina, mãe de duas filhas, uma das quais tinha apenas oito meses quando ela se mudou para o bairro. Já para Maria Aparecida, a noite desta quinta foi uma satisfação. “A gente estava esperando há tanto tempo para esse sonho ser realizado. É uma alegria.” Para ela, a casa é também uma conquista para toda a família: “deixarei de herança para os filhos”.
Outra moradora do bairro, Ana Toscano, ilustrou o que significa ter a tranquilidade e segurança de contar com a escritura da casa registrada em cartório. Ela relatou que esperava ter o documento com o seu nome para poder fazer melhorias no imóvel. “Agora vou poder arrumar a casa. Estou muito feliz”. 
Histórico
A ocupação Núcleo Residencial Jardim Palmares originou-se na década de 70, formada por famílias oriundas do Estado do Paraná, que migraram para Campinas em busca de melhores condições de vida. Os lotes foram instalados em uma área pública municipal, denominada Praça 1 do Jardim Campos Elíseos.
Em uma fala emocionada, a líder comunitária do núcleo, Vera Lucia Mariano da Conceição, relatou que “o primeiro barraquinho” feito na ocupação foi construído pelo seu pai, José Mariano. “Sou da época do querosene, da lamparina”, disse ela, que chegou ao núcleo com apenas um ano de vida. Vera lembrou que muitos dos que começaram a luta já faleceram, mas estavam representados por suas famílias. ” Não tenho palavras para agradecer a Deus por ter chamado a nossa ‘senha’. Nosso bairro é a nossa casa”.

Continue Lendo

Geral

Bosque dos Jequitibás recebe exposição de obra com 40 bichos metálicos

Publicado

em

Por

O Bosque dos Jequitibás recebe, a partir desta sexta-feira, 1º de julho, a exposição Vivarium, do artista visual Genivaldo Amorim, no Centro de Educação Ambiental “Professora Egle Carneiro de Oliveira Passadore”. A obra exposta é uma instalação composta por 40 peças que retratam bichos vermelhos, estranhos e indefinidos, repousando em ninhos metálicos flutuantes. A exposição ficará aberta até o dia 24 de julho, de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, com entrada gratuita.
Para o artista Genivaldo Amorim, a obra dialoga com o contexto onde está instalada. “Para mim é muito importante que a obra faça sentido em estar em um determinado lugar, que o espaço não seja apenas um receptáculo, um abrigo, mas que seja capaz de se fundirem, obra e espaço, de tal forma que nos dê a impressão de um não existir sem o outro, ou mesmo, por mais estranho que pareça, daquilo parecer sempre ter estado ali”, diz o artista.
Essa instalação é derivada de uma exposição realizada em 2017 em um museu de Santa Catarina. Depois da temporada no Bosque dos Jequitibás, as peças serão reutilizadas para outra instalação. Essa prática, de reaproveitar o material e transformar em outra obra, é recorrente na produção do artista.
Genivaldo Amorim nasceu em Umuarama (PR), em 1973, mas vive e trabalha em Valinhos desde 1991. Atua com instalações, pintura, desenho, objetos e outras mídias. Premiado em diversos salões, editais e programas de exposições, tendo exposto em museus como Macc (Campinas SP), Casa das Onze Janelas (Belém, PA), Marco (Campo Grande, MS), MuBE (São Paulo, SP), entre outros.
Suas obras também já estiveram em exposições individuais e coletivas em museus e galerias de países como Alemanha, Camboja, Namíbia, Uruguai e Moçambique.
Serviço
Exposição “Vivarium”
Data: de 1º a 24 de julho
Horário: das 9h às 17h
Endereço: Centro de Educação Ambiental do Bosque dos Jequitibás, Rua Coronel Quirino, 2, Bosque.
Entrada gratuita

Continue Lendo

Geral

Teatro do Bosque apresenta Os Três Porquinhos em todo o mês de julho

Publicado

em

Por

O que fazer com a criançada nas férias? Ir ao Teatro Infantil “Carlito Maia”, no Bosque dos Jequitibás, que está com uma programação especial a partir deste sábado, dia 2 de julho, até 31 de julho, com a apresentação de Os Três Porquinhos. O Teatro do Bosque, como é conhecido, terá sessões de terça a sábado, às 15h30, e domingos, às 11h e 16h.
A realização é do Teatro Sotac, que está com os ingressos à venda no http://teatrosotac.com.br/. O valor é de R$ 20,00 mediante a entrega de um cupom que está no site e deve ser apresentado na bilheteria do teatro. Sem o cupom, o valor é de R$ 40,00.
Os Três Porquinhos é um dos mais famosos clássicos infantis e conta a história dos irmãos Prático, Cícero e Heitor, que decidem construir, cada qual à sua maneira, uma casinha para morar. A confusão é armada quando o Lobo Mau, com seus memoráveis e ridículos disfarces, começa a rondar a floresta. E cada porquinho passa a perceber a consequência do resultado de suas escolhas.
Serviço
Os Três Porquinhos
Dia: 2 de julho a 31 de julho
Horário:de terça a sábado às 15h30, e aos domingos às 11h e 16h.
Local: Teatro Infantil “Carlito Maia”, no Bosque dos Jequitibás – Rua Coronel Quirino, 2 – Bosque, Campinas.

Continue Lendo

Populares