Connect with us

Geral

Rede de Campinas terá reforço de mais 60 médicos

Publicado

em

Após sete meses da sanção da lei que instituiu o Mais Médicos Campineiro, as primeiras 60 contratações do programa, de um total de 120 previstas, começam na primeira semana de março. Além disso, 244 profissionais da saúde, dos quais 85 médicos sendo 65 na área de saúde da família, aprovados em concurso público, serão contratados pela Prefeitura e, com isso, afirmou o secretário de Saúde, Carmino de Souza, Campinas vai zerar o déficit de médicos nas unidades de atenção básica.

Na próxima terça-feira, o prefeito Jonas Donizette (PSB) assina convênio com faculdades de Medicina da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), PUC-Campinas e São Leopoldo Mandic e com a Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar, parceiras no programa.

Inicialmente o programa, que tem caráter educacional para apoiar a formação, estimular pesquisas e ampliar o atendimento nas unidades básicas, previa contratações para vagas de residência e especialização, mas a Prefeitura decidiu centralizar em residência (R1 e R2) na área de saúde da família e comunidade. O programa selecionou 47 residentes e as universidades aguardam autorização do Ministério da Educação para aumento de vagas em residência.

O contrato será de dois anos. Os demais 60 previstos no programa serão contratados em 2021. Os profissionais receberão bolsa mensal de até R$ 11 mil, que será custeada pela Prefeitura. Eles atuarão em unidades de saúde da rede pública e cumprirão 60 horas semanais, observadas as proporcionalidades estipuladas pela Comissão Nacional de Residência Médica para estudo e trabalho. De acordo com o secretário, 70% dos contratados pelo Mais Médicos Campineiros atuarão na atenção básica. Os outros 30% atuarão em rodízio nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), em laboratórios e darão plantão nas unidades de urgência e emergência da Unicamp, PUC-Campinas e Prefeitura.

O esquema de trabalho será de dez horas diárias de segunda a quinta-feira e da noite de sexta-feira até domingo, plantão de 12 horas. Às quintas-feiras, os residentes dedicarão oito horas ao programa teórico. A distribuição dos residentes ocorrerá em todas as áreas da cidade, utilizando a rede de saúde mais próxima da sede deles, no caso, as parceiras do programa. “Isso permitirá que não haja sobreposição de profissionais em unidades”, disse Carmino.

De acordo com o decreto de outubro do ano passado, que regulamentou a lei que criou o Mais Médicos Campineiro, as faculdades tiveram que criar, em parceria com a Prefeitura, um programa único que foi aberto para profissionais com registro no Conselho Regional de Medicina (CRM).

Pelas regras, coube às instituições de ensino parceiras designar um tutor acadêmico para as vagas de Residência em Medicina da Família e Comunidade de cada uma das instituições. Na semana passada a Secretaria de Saúde abriu inscrições para o processo seletivo interno de profissionais médicos interessados em atuar como preceptores dos residentes de Medicina de Família e Comunidade. As inscrições terminam em 4 de fevereiro.

O programa municipal surgiu para suprir o déficit de médicos com a saída dos cubanos do programa Mais Médicos federal, em novembro de 2018. O prefeito Jonas Donizette optou por um programa municipal, nos mesmos moldes do federal, por a contração ser mais rápida do que com concurso e ser uma oferta a mais.

Cubanos

Campinas ainda tem 75 médicos na rede, do programa federal Mais Médicos e a expectativa é que os contratos vencidos em outubro do ano passado sejam prorrogados e há expectativa de reinserção de médicos cubanos. “Não sabemos ainda o número, mas esperamos receber 14 do governo federal”, disse o secretário de Saúde, Cármino de Souza.

Lei sancionada em novembro pelo presidente Jair Bolsonaro criou o Programa Médicos pelo Brasil que substituirá, gradativamente, o Mais Médicos. Serão 18 mil vagas em todo o Brasil, principalmente em municípios pequenos e distantes dos grandes centros urbanos. O texto permite o retorno dos médicos cubanos que atuaram no Mais Médicos por dois anos, desde que estivessem no exercício de suas atividades no Programa Mais Médicos no dia 13 de novembro de 2018, quando o acordo de cooperação foi reincidido pelo governo cubano; e ter permanecido no Brasil até a data da publicação da Medida Provisória nº 890, que cria o Médicos pelo Brasil, na condição de naturalizado, residente ou com pedido de refúgio.

Geral

Campinas entra na Fase de Transição do Plano São Paulo neste domingo, 19

Publicado

em

Por

A partir deste domingo, dia 19 de abril, Campinas entra na Fase de Transição do Plano São Paulo. O anúncio foi feito em coletiva do Governo do Estado e em transmissão ao vivo do prefeito Dário Saadi. O decreto municipal será publicado em edição extraordinária do Diário Oficial (www.campinas.sp.gov.br/diario-oficial/).

“Precisamos manter a atenção especial e todos os cuidados possíveis, mesmo com essa flexibilização. Campinas, graças à adesão da população, está em uma situação mais controlada, mas não é hora de baixar a guarda”, disse Saadi.

A Fase de Transição, válida para todos os municípios, terá duração de duas semanas. Durante esse período, o atendimento presencial será retomado para algumas atividades com 25% da capacidade e entre 11h e 19h.

Na primeira semana – 19 a 23 de abril – estão autorizadas as atividades comerciais e religiosas.

Entre os dias 24 e 30, também os restaurantes e salões de belezas e barbearias poderão atender presencialmente. Nessa semana, estará autorizada a retomada das atividades culturais.

As academias e centros de treinamento também poderão funcionar entre 24 e 30 de abril; para este segmento, o horário permitido será das 7h às 11h e das 15h às 19h.

O Estado fará uma nova atualização da Fase São Paulo no dia 1º de maio.

Segundo o secretário de Justiça, Peter Panutto, Campinas seguirá integralmente as medidas anunciadas pelo Estado. “No nosso decreto, além do que determina o Estado, vamos manter as restrições da Fase Emergencial e da Fase Vermelha, entre elas o uso das áreas comuns dos condomínios e a de festas clandestinas e reuniões familiares com mais de 10 pessoas”, explicou. “Também manteremos a entrada de apenas uma pessoa por família em estabelecimentos comerciais”, completou.

No decreto municipal, a partir do dia 24 de abril, os parques públicos e os clubes sociais poderão reabrir, mantendo o limite de 25% de capacidade e o horário entre 11h e 19h.

Continue Lendo

Geral

Prefeitura de Campinas participa da Conexão Solidária neste sábado, 17

Publicado

em

Por

A Prefeitura de Campinas participa da 3ª edição da Campanha Regional de Arrecadação do Conexão Solidária, da EPTV Campinas. A ação ocorre neste sábado, dia 17 de abril, das 8h às 17h.

arrecadação de alimentos não perecíveis será feita pelo sistema drive-thru, no Paço Municipal, em dois pontos de coleta na Rua Barreto Leme. Os donativos serão destinados às famílias em situação de vulnerabilidade social e nutricional.

Para respeitar os protocolos sanitários estabelecidos pelas autoridades locais e garantir segurança a todos os participantes, não será necessário descer do carro. Basta parar num dos pontos de coleta, os voluntários irão retirar os produtos e encaminhá-los para o Banco Municipal de Alimentos.

O primeiro posto para recolhimento das doações será instalado próximo à entrada do arruamento do Paço Municipal. O outro ficará na entrada do estacionamento externo

O Conexão Solidária é uma iniciativa da EPTV que conta com apoio das cidades que recebem o sinal da emissora. A ideia é mobilizar os 317 municípios da área de cobertura da emissora, em São Paulo e em Minas Gerais. Tudo que for arrecadado irá para o Banco de Alimentos, onde é feita a triagem, pesagem e armazenamento adequado.

As doações serão destinadas às organizações da sociedade civil, parceiras do poder público que atuam nas comunidades. A entrega para as mais de 38 mil famílias inscritas no aplicativo Viva Vida acontecerá com data e hora marcada, via agendamento pelo próprio aplicativo.

A ação tem o apoio das secretarias municipais, da Sanasa, Guarda Municipal, Ceasa, Emdec, Defesa Civil, Transurc e Higa Atacado. A Prefeitura irá disponibilizar álcool em gel, máscaras e luvas para os mais de 50 voluntários, inscritos na plataforma Transforma Campinas. Eles serão orientados por um profissional da área de saúde sobre os cuidados sanitários que devem ser observados.

O Exército também auxiliará na ação, disponibilizando duas equipes. Uma ficará no Paço Municipal e a outra na sede do Banco de Alimentos.

Campinas sem Fome

A Campanha Campinas Sem Fome, lançada pela Prefeitura no último dia 22 de março, arrecadou, até esta sexta-feira, dia 16 de abril, quase 300 toneladas de alimentos.

Desse total, o Banco de Alimentos já entregou 11.661 cestas básicas para as entidades parceiras que atuam nas comunidades e são responsáveis pela entrega direta às famílias. Mais de 46 mil pessoas foram beneficiadas até o momento.

Continue Lendo

Geral

Gripe: Saúde reforça importância da vacinação e pede adesão da população

Publicado

em

Por

A campanha de vacinação contra a gripe deste ano, que começou na última segunda-feira, 12 de abril, registrou baixa adesão nos primeiros dias em Campinas. Do público inicial, estimado em 145 mil pessoas, apenas 3.148 (2,17%) foram vacinadas até a tarde de quinta-feira, 15 de abril. A expectativa era vacinar, nesta primeira semana, 20% deste público. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, dia 16, pelo prefeito Dário Saadi, durante transmissão ao vivo na internet.
Nesta fase atual, devem ser vacinadas crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após dar à luz), trabalhadores da Saúde e povos indígenas. Idosos serão vacinados na segunda etapa, a partir de 11 de maio. A meta é vacinar 90% deste público.
Estamos preocupados com a adesão desses primeiros dias de vacinação. A influenza é uma síndrome respiratória que pode ser grave. Quando as pessoas procuram os centros de saúde, os quadros de covid e gripe são muito semelhantes e, por isso, fica difícil fazer o diagnóstico. Além disso, a influenza pode levar à necessidade de internação em um sistema hospitalar que já está muito comprometido”, afirmou o secretário de Saúde, Lair Zambon.
Ele ressaltou que a criança é o maior vetor da gripe. “Ela pode contaminar as pessoas por até 14 dias. É muito importante que os pais levem as crianças para receber a vacina. Dessa forma, elas serão menor vetor para os adultos e, com isso, haverá uma diminuição de casos de síndromes gripais, com redução nas internações, complicações e mortes das crianças. Se houver uma epidemia de síndromes gripais em crianças, teremos que achar um espaço infantil para fazer essas internações e isso será muito complicado, pois estamos usando quase toda a área física e recursos humanos para a Covid”, alertou.
Zambon garantiu que os Centros de Saúde do município estão abastecidos com as vacinas e preparados para receber os públicos-alvo da campanha de maneira segura. Também reforçou a importância de que a população esteja imunizada contra os vírus da gripe para reduzir a pressão no sistema de Saúde com novas internações.
O prefeito confirmou: “é muito importante que as pessoas se vacinem contra a gripe. Parece uma doença simples, sem complicações, mas não é. A gripe causa muitas mortes e internações todos os anos”.
Onde se vacinar
Para receber a vacina, as pessoas devem procurar o Centro de Saúde mais próximo de sua casa. É preciso levar documento com foto e, se tiver, a carteira de vacinação. Para saber o endereço, é só ligar no 156 ou acessar https://zoneamento.campinas.sp.gov.br/saude.php?nome_campanha=Campanha%20Influenza%202021. O site mostra a unidade mais próxima, os horários de aplicação de doses e a disponibilidade da vacina.
Os profissionais da Saúde dos hospitais públicos e privados, dos Centros de Saúde e da Rede Mário Gatti estão sendo vacinados em seus locais de trabalho. Outros profissionais da Saúde, como os que trabalham em clínicas e os autônomos, também serão vacinados nos Centros de Saúde e em postos volantes específicos, ainda em abril. Os locais serão divulgados em breve.
Neste ano, por conta da Campanha de Vacinação contra a Covid-19, que também está sendo realizada, idosos acima de 60 anos e professores serão vacinados na segunda etapa, prevista para começar em 11 de maio.
Já as pessoas com comorbidades (doenças crônicas e outras), com deficiência permanente, e outros públicos serão vacinados na terceira etapa, programada para a partir de 9 de junho.
Outras informações sobre a Campanha de Vacinação contra a gripe estão disponíveis em vacina.campinas.sp.gov.br .

Continue Lendo







Populares