Connect with us

Geral

Prefeitura assina convênio para ampliar ações de saneamento rural

Publicado

em

A Prefeitura de Campinas, por meio da Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SVDS), assina nesta sexta-feira, 13 de abril, um convênio de cooperação técnica com a Embrapa Instrumentação (São Carlos) com a finalidade de ampliar e fortalecer as ações de transferência de tecnologias sociais destinadas ao saneamento básico rural da região.

 

 

O evento acontece a partir das 9h30, no Centro de Conhecimento de Água, durante a “Reunião técnica com stakeholders – Parcerias em Saneamento Básico Rural da Região de Campinas”, que reunirá de lideranças do setor público, iniciativa privada e terceiro setor para troca de experiências e informações sobre saneamento.

 

Publicidade

 

O convênio prevê a capacitação de agentes multiplicadores e de técnicos da SVDS, além de instalação de unidades demonstrativas das tecnologias sociais. Essas tecnologias são a fossa séptica biodigestora e o jardim filtrante, sistemas para tratamento do esgoto sanitário e não sanitário, respectivamente.

 

O objetivo da Prefeitura é universalizar o esgotamento sanitário na área rural do município, onde cerca de 35% dos 18 mil habitantes não têm saneamento adequado.

 

Publicidade

A parceria entre a Embrapa e a SVDS resultará em ações para a adequação do esgotamento sanitário principalmente nas regiões do município situadas em Zona de Proteção e Recuperação de Mananciais (ZPRM) dos Rios Capivari e Atibaia, onde 80% dos moradores não têm saneamento básico adequado. Ás áreas rurais que serão favorecidas são Descampado, Pedra Branca, Reforma Agrária e Joaquim Egídio.

 

 

O trabalho conjunto teve início em 2017, no âmbito dos Planos Municipais de Saneamento Básico e Recursos Hídricos, coordenados pela SVDS. As primeiras etapas do programa já adequaram o esgotamento sanitário de 59 domicílios situados em áreas rurais de Campinas, contemplando a doação de 34 unidades da fossa séptica biodigestora modelo Embrapa, 15 biodigestores, e 10 unidades do jardim filtrante; e a capacitação de mais de 50 produtores rurais. O número de beneficiados será ampliado com a aquisição, pela SVDS, de mais 100 unidades de equipamentos para tratamento sanitário rural. Os recursos serão provenientes do Fundo de Recuperação, Manutenção e Preservação do Meio Ambiente (Proamb).

 

Publicidade

 

“O convênio  com a Embrapa Instrumentação é fundamental para o êxito das ações de adequação do saneamento básico nas áreas rurais de Campinas, previstos nos Planos Municipais de Saneamento Básico, de 2013, e de Recursos Hídricos, de 2016, contribuindo assim com a universalização do esgotamento sanitário”, ressalta o secretário do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Campinas, Rogério Menezes.

 

 

Evento

Publicidade

 

No encontro, a SVDS e o Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema) do Ministério Público (MP) vão abordar os trabalhos que estão sendo desenvolvidos por cada instituição para promover a adequação ambiental da região.

 

Na sequência, a Embrapa Instrumentação, vai apresentar as oportunidades para ampliação de sistemas de saneamento básico rural nos municípios da região de Campinas, a exemplo do que já vem ocorrendo em Holambra, que também atua para zerar o déficit de esgotamento sanitário nas áreas rurais. Já o Instituto Trata Brasil, organização do terceiro setor, vai apresentar um diagnóstico regional do saneamento básico.

 

Publicidade

No início da tarde, deverá ser realizada visita a uma unidade demonstrativa da fossa séptica biodigestora e jardim filtrante instalados em área rural de Campinas.

 

 

Tecnologias sociais

 

Publicidade

De acordo com dados de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município de Campinas tem um pouco mais de 18 mil habitantes na área rural. Cerca de 35% desses habitantes, ou seja, 6.319 não possuem esgotamento sanitário adequado, 29,3% utilizam as chamadas “fossas negras” e 5% lançam seus esgotos direto no ambiente – valas, rios e lagos.

 

A Fossa Séptica Biodigestora trata o esgoto do vaso sanitário de forma eficiente e o efluente do sistema, rico em nitrogênio e outros nutrientes, pode ser utilizado no solo como fertilizante. Com mais de 11 mil unidades instaladas em todo o Brasil, não produz odores desagradáveis, não procria ratos e baratas, não contamina o meio ambiente, além de gerar produtividade saudável e economia em insumos na agricultura familiar.

 

A montagem de um conjunto básico da tecnologia, projetado para uma residência com cinco moradores, é feita com três caixas d´água de 1000 litros (fibrocimento, fibra de vidro, alvenaria, ou outro material que não deforme), tubos, conexões, válvulas e registros. A tubulação do vaso sanitário é desviada para a Fossa Séptica Biodigestora, onde o esgoto doméstico, com o auxílio de um pouco de esterco bovino fresco, é tratado e transformado em adubo orgânico pelo processo de biodigestão anaeróbia.

Publicidade

 

Já o Jardim Filtrante é uma alternativa para dar destino adequado ao esgoto proveniente de pias, tanques e chuveiros, ricos em sabões, detergentes, restos de alimentos e gorduras (a chamada “água cinza”). A escassez de recursos hídricos demonstra a importância da reutilização dessa água, que possui diversas aplicações: irrigação de lavouras, lavagem de pisos e janelas, uso no vaso sanitário, entre outras.

 

 

 

Publicidade

SERVIÇO

 

 

Reunião técnica com stakeholders – Parcerias em Saneamento Básico Rural da Região de Campinas/SP

 

Publicidade

Data: 13 de abril de 2018

Horário: 9h30 às 12h

Local: Centro de Conhecimento da Água – SANASA

Rua Visconde de Congonhas do Campo, 567 – Pq. São Martinho, Campinas

Informações: 19-2116-8487 (Geraldo Andrade)

Publicidade

 

 

Programação

 

9h30 – Abertura – boas vindas da Prefeitura de Campinas

Publicidade

9h40 – Assinatura de Convênio de Cooperação Técnica –

Embrapa Instrumentação e Prefeitura de Campinas/ Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SVDS

9h50 – Apresentação do Programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) da Prefeitura – SVDS, Modelo de parceria com a Embrapa

10h10 – Apresentação Ministério Público Estadual – GAEMA

10h20 – Apresentação Embrapa Instrumentação – Oportunidades para espacialização do Saneamento na Área Rural dos Municípios da Região de Campinas & Políticas Públicas

Publicidade

10h35 – Apresentação Instituto Trata Brasil – Diagnóstico Regional de Saneamento Básico

10h45 – Intervalo

11h – Troca de Experiências – Palavra aberta

11h45 – Encaminhamentos Finais

11h55 – Encerramento

Publicidade

 

Tarde

 

14h às 16h30: Visita à Unidade Demonstrativa da Fossa Séptica Biodigestora e Jardim Filtrante executada na Zona Rural de Campinas

Publicidade

Geral

Virada traz música autoral e cultura underground para o MIS neste sábado

Publicado

em

Por

O Museu de Imagem e do Som (MIS) participa da Virada SP 2022 Campinas com uma programação no sábado, dia 20 de agosto, apresentando três atrações musicais, artistas de destaque na música autoral da região de Campinas: Cidadão José, Linguachula e Brunno Mariante. A entrada é gratuita e as apresentações começam às 18h.


A curadoria é da Associação Cultural Central do Rock, uma associação cultural de Campinas que, desde 2009, promove a difusão do rock autoral. A entidade organiza eventos culturais que buscam fomentar a música independente e a cultura underground.


Entre os eventos criados e produzidos pela Central do Rock, destacam-se os Festivais Grito Rock, CarnaRock e Rock na Concha.


Serviço
MIS na Virada Cultural
Sábado, 20 de agosto
18h – Cidadão José
19h30 – Língua Chula
21h – Brunno Mariante
Museu da Imagem e do Som (MIS)
Rua Regente Feijó, 859, Centro, Campinas

Continue Lendo

Geral

Novas rotatórias ampliam segurança nas vilas Aeroporto e 31 de Março

Publicado

em

Por

Organizar os fluxos viários, reduzir a velocidade praticada pelos veículos e ampliar a segurança no trânsito. Com estes objetivos, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) está implantando novas rotatórias na Vila Aeroporto e na Vila 31 de Março.
Na Vila Aeroporto, a rotatória foi sinalizada no cruzamento das avenidas Itamarati e Jacaúna. Na Vila 31 de Março, está em processo de implantação na confluência das vias Dr. Frederico Marcondes Machado, Miguel Arnaldo Anderson e Antônio Maurício Ladeira. Os dispositivos reduzem os conflitos de tráfego e previnem acidentes.


Chamados de “minirrotatórias”, os equipamentos são sinalizados com pintura do solo e tachões, possuem baixo custo e dispensam a necessidade de estruturas de concreto. A Emdec implantou sinalização vertical de regulamentação e advertência: Parada Obrigatória, Dê a Preferência e sentido de circulação. A sinalização de solo também foi reforçada no entorno das rotatórias (faixas de pedestres, linhas de retenção, canalização).


Outras três regiões receberão as novas rotatórias – Jardim do Trevo (Rua Piracaia x Avenida São Luíz do Paraitinga); região do Aeroporto Internacional de Viracopos, junto aos polos geradores de tráfego; e Satélite Íris (Rua Ana Monteiro Erbetta x Rua Chrispim Gomes).
Esse é um recurso de engenharia de tráfego que apresenta resultados positivos em cruzamentos que não possuem semáforos e apresentam potencial risco de acidentes. As minirrotatórias são ferramentas de simples execução que podem salvar vidas, fazendo o trânsito fluir de maneira ordenada e segura”, analisa o presidente da Emdec, Vinicius Riverete.

Projeto já provou bons resultados em outros cruzamentos
Iniciado neste ano, o projeto foi implantado de forma experimental no Jardim Guanabara (Rua Dr. Albano de Almeida Lima x Rua Dr. Barros Monteiro), na Vila União (Rua Maria Helena Cesarino Rodrigues x Rua Dona Esmeralda Oliveira Mathias) e no Parque Shalon, na Rua Geraldo Gonçalves Dias, próximo à linha férrea.


Entre os meses de fevereiro e julho, a iniciativa foi estendida para o Jardim Maracanã (Rua Edson Luiz Rigonatto x Rua Inês Bassi Bueno); Jardim Santa Eudóxia (Rua Elias de Oliveira Sabóia x Rua Dona Henedina de Oliveira Bresler); e Barão Geraldo (Rua José Martins x Rua Carlos Martins).

Publicidade


A implantação das rotatórias geralmente é precedida de testes realizados por técnicos da Emdec. A rotatória é simulada com cones e as equipes observam os impactos no trânsito.


Sinalização
A Emdec mantém diversas frentes de manutenção e revitalização da sinalização viária, que ampliam a segurança em diversas regiões da cidade, incluindo o entorno de pontos de interesse, como instituições de ensino.


Entre os meses de janeiro e julho de 2022, mais de 105 km de vias receberam reforço da sinalização de solo, quase quatro mil novas placas (sinalização vertical) e 140 novas rampas de acessibilidade foram implantadas em diversas regiões da cidade.

Continue Lendo

Geral

Campinas volta a sediar a Virada e se torna a capital cultural do Estado

Publicado

em

Por

Campinas será a Capital Cultural do Estado de São Paulo neste final de semana, quando a cidade vai sediar a Virada SP, neste sábado, dia 20, e domingo, 21 de agosto, com cerca de 60 apresentações distribuídas por 18 locais da cidade. O título é concedido aos municípios selecionados por chamamento público pelo governo do Estado de São Paulo para receber o evento.


Campinas é uma das 22 cidades indicadas para sediar a Virada SP, um programa criado pelo governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa em 2007. A gestora da Virada SP é a entidade Amigos da Arte.


Participando por vídeo, o diretor-artístico da Amigos da Arte, Zé Mauro Gnaspin, explica o título: “as cidades selecionadas recebem, junto com a programação, esse título, em reconhecimento à escolha do município como capital cultural do Estado de SP levando em consideração vários parâmetros, em especial as políticas culturais que o município mantém e o apoio oferecido para as ações culturais, aos equipamentos, aos artistas, etc”.


Pujança cultural
Desde 2015, a Virada SP não era realizada na cidade. Em Campinas, a Virada é realizada pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo em parceria com o governo do Estado de SP, e desempenha a função de um grande evento de incentivo à arte local.


A secretária municipal de Cultura e Turismo, Alexandra Caprioli, explica que o título vem coroar a política da Pasta de se candidatar aos vários programas do governo estadual. Ela destaca que Campinas foi contemplada também nos programas Revelando SP, considerado o maior evento de cultura paulista do Estado, e no Retomada SP, no projeto Festival Internacional de Teatro de Campinas (Feverestival).

Publicidade


A Virada SP edição Campinas vem coroar um plano muito bem estruturado visando transformar a cidade na Capital da Cultura do Estado de SP. Abraçamos esse título e tenho certeza que as pessoas perceberão, neste final de semana, a pujança cultural de Campinas”, acrescentou a secretária.


24 horas de lazer gratuito
Toda a programação da Virada SP 2022 Campinas é gratuita e aberta ao público. Serão 24 horas consecutivas de arte e cultura em espaços públicos e privados. A programação completa pode ser conferida no site http://viradasp.com/campinas/.


A Virada vai reunir diversas linguagens artísticas, como música, teatro, literatura, arte urbana, entretenimento e shows realizados por artistas locais e grupos consagrados regional, nacional e internacionalmente.

As atividades serão descentralizadas, ocorrendo em locais como Estação Cultura, Teatro Castro Mendes, Praça Corrêa de Lemos, Praça Bento Quirino, Biblioteca Zynk, Museu da Imagem e do Som (MIS), Arautos da Paz/Lagoa do Taquaral, Observatório Municipal e Cemitério da Saudade, Praça do Centro de Convivência, entre outros.


Também haverá atividades no Centro da cidade, com olhar para a revitalização da região, em alguns pontos como casas de cultura, CEUS, museus e bibliotecas.

Publicidade
Continue Lendo

Populares