Connect with us

Geral

Orquestra Sinfônica Municipal abre temporada e comemorações de 90 anos

Publicado

em

A abertura da temporada 2019 da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas e o início das celebrações do aniversário de 90 anos, comemorado em outubro, foram anunciadas na tarde desta quinta-feira, 14 de março, pelo prefeito Jonas Donizette, na sala Azul da Prefeitura.
Os detalhes foram apresentados pelo maestro titular e diretor artístico da OSMC, Victor Hugo Toro. A abertura da temporada será neste fim de semana, com concertos gratuitos e abertos ao público, no Teatro Municipal “José de Castro Mendes”, sob regência do maestro Toro.
O prefeito Jonas Donizette enalteceu a Orquestra, e destacou o valioso papel desempenhado pela Sinfônica campineira. “Há 90 anos nasceu a Orquestra Sinfônica de Campinas, que se mantém viva e em plena atividade. Poucas instituições conseguem isso. É importante e uma honra ter um símbolo tão valioso, como a nossa Orquestra”, testemunhou.
Um dos destaques da comemoração destes 90 anos da Orquestra Sinfônica é o registro como Patrimônio Cultural Imaterial pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas (Condepacc), formalizado nesta quinta-feira. O registro como patrimônio imaterial equivale ao do tombamento de um patrimônio físico.
Estamos trabalhando para fazer uma temporada de 90 anos inesquecível. Queremos uma grande festa, que a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas reafirme sua importância nos cenários regional e nacional. Que ao olhar tudo que foi construído nesses 90 anos, possamos imaginar o futuro e redefinir o espaço da Orquestra, para que seja cada vez mais viva e atuante”, disse o maestro titular e diretor administrativo, Victor Hugo Toro.
Temporada começa no fim de semana
Os concertos deste sábado, 16 de março, às 20h, e domingo, às 17h, abrem a temporada para o público. Os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência na bilheteria do teatro.
Na sexta-feira, 15 de março, às 20h, o concerto é para convidados. No repertório de todas as apresentações haverá obras do maestro e compositor campineiro Antonio Carlos Gomes e a versão concertante da ópera “Cavalleria Rusticana”, de Pietro Mascagni.
Nos concertos de abertura haverá participações especiais dos solistas cantores Tati Helene, Mere Oliveira, Juliana Taino, Eric Herrero e Marcelo Ferreira. Também estarão no palco os corais Coro Contemporâneo de Campinas, Collegium Vocale Campinas e Madrigal Vivace de Jundiaí.
Programação deste ano
A programação 2019 está dividida em duas séries: uma de 26 concertos (13 programas) da temporada oficial e outra de concertos especiais, que serão apresentados em datas importantes. Os concertos oficiais são aos sábados às 20h e aos domingos às 11h, no Teatro Castro Mendes.
A temporada também inclui uma série de 11 concertos didáticos, que já foi apresentada entre fevereiro e início de março deste ano e levou mais de seis mil crianças da rede pública ao Castro Mendes. A outra série está prevista para agosto de 2019.
O maestro Toro destacou algumas das atividades deste ano, como três exposições no Museu da Imagem e do Som de Campinas, sobre a Orquestra; formação de um galeria de maestros no hall do Teatro Castro Mendes; ampliação do acervo da Orquestra com contribuição dos cidadãos; elaboração de uma base de dados dos 90 anos em conjunto com o Centro de Memória da Unicamp.
Outras ações citadas por Toro foram o lançamento do livro da pesquisadora em música, Lenita Nogueira, com programas da OSMC; criação da moeda “90 anos da OSMC” a ser entregue a pessoas e instituições da cidade; concurso de composição, cujas vencedoras serão executadas pela Orquestra.
Especiais da temporada
A Orquestra terá três programas especiais focados na sua história. Em abril serão duas apresentações em lembrança aos 35 anos da participação nas “Diretas Já!” de 1984, com o mesmo repertório que foi tocado na época.
Em outubro haverá duas apresentações especiais com antigos músicos da OSMC. Será executado, na íntegra, o primeiro programa da orquestra, do dia 15 de novembro de 1929, e o primeiro programa da OSMC quando foi oficialmente municipalizada, em 19 de março de 1968.
A agenda das apresentações especiais ao ar livre incluem concerto em junho, na semana de Dia dos Namorados; em julho, no aniversário de Campinas e no Festival de Campos do Jordão; em setembro, no mês Carlos Gomes.
O calendário continua em outubro, no Dia da Criança; em novembro, no mês da Consciência Negra, e em dezembro, no tradicional Concerto de Natal. Também estão programadas duas apresentações lembrando um ano da tragédia da Catedral de Campinas.
Histórico
Reconhecida como a orquestra em atividade mais antiga do país, a Sinfônica de Campinas começa sua trajetória na década de 1920, com a criação da Sociedade Symphonica Campineira, pelos maestros Mário di Tullio e Salvador Bove, Reynaldo Prestes e Mário Castrese. A ata de fundação data de 6 de outubro de 1929.
A primeira apresentação da Orquestra aconteceu em 15 de novembro de 1929, sob a regência do maestro Salvador Bove, no Teatro São Carlos.
Em 29 de dezembro de 1965, o prefeito Ruy Novaes municipalizou oficialmente a Orquestra Sinfônica de Campinas. Em 1966, o grupo recebeu o nome de Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas – a primeira orquestra sinfônica brasileira do interior do Estado de São Paulo a ser mantida pelo poder público.
A Sinfônica de Campinas possui como registro fonográfico cinco CDs, com obras dos compositores Almeida Prado, Carlos Gomes, Villa-Lobos, Radamés Gnattali, entre outros.
Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas – Temporada oficial 2019
Programa Sinfônico 1 (23 e 24 de março)
Regente: Victor Hugo Toro
Solista: Winston Ramalho (Violino, Brasil)
PROGRAMA
Jules Massenet: Le Cid, Música de balé
Edouard Lalo: Symphonie espagnole, op. 21
Camille Saint-Saëns: Sinfonia No.3, op. 78 (sinfonia com órgão)
Programa Sinfônico 2 (13 e 14 de abril)
Regente: Victor Hugo Toro
Solistas: Ana Lucia Benedetti (Mezzo-soprano, Brasil)
Paulo Mandarino (Tenor, Brasil)
PROGRAMA
Richard Wagner: Parsifal, WWV 111: Preludio ato I
Richard Wagner: Parsifal, WWV 111: Encantamento de Sexta Feira Santa
Gustav Mahler: A Canção da Terra
Programa Sinfônico 3 (11 e 12 de maio)
Regente e Solista: Bruno Borralilho (Violoncelo, Portugal)
PROGRAMA
Marcos Portugal: “Il Duca di Foix”, abertura
Franz Joseph Haydn: Concerto para Violoncelo N° 1, Hob.VIIb:1
Johannes Brahms: Sinfonia N° 4, op. 98
Programa Sinfônico 4 (25 e 26 de maio)
Regente: Lee Mills (USA)
Solista: Sonia Rubinsky (Piano, Brasil)
PROGRAMA
Johann Sebastian Bach: Concerto para piano N° 5, BWV 1056
José de Antonio Almeida prado: “Concerto Fribourgeois”
Robert Schumann: Sinfonia N° 2, op. 61
Programa Sinfônico 5 (8 e 9 de junho)
Regente: Linus Lerner (Brasil)
Solista: Claudia Nascimento (Flauta, Brasil)
PROGRAMA
Franz Von Suppé: A Cavalaria Ligeira, abertura
Wolfgang Amadeus Mozart: Andante para flauta e orquestra, K.315 (285e)
Wolfgang Amadeus Mozart: Concerto para flauta e orquestra N° 1, K.313 (285c)
Piotr Iltch Tchaikovsky: Sinfonia No.6, op.74, TH 30 “Patética”
Programa Sinfônico 6 (29 e 30 de junho)
Regente: Victor Hugo Toro
Solista: Patrício Alvarez (Baixo-barítono, Chile)
PROGRAMA
Erik Satie: Gymnopédies (Orq: Claude Debussy)
Modest Mussorgsky: Canções e danças da morte (Orq: Dmitri Shostakovitch)
Paul Dukas: O Aprendiz de Feiticeiro
Ottorino Respighi: Pinheiros de Roma, P.141
Programa Sinfônico 7 (19 e 20 de julho)
Regente: Victor Hugo Toro
Solista: Simone Leitão (Piano, Brasil)
PROGRAMA
Heitor Villa-Lobos: Alvorada na Floresta Tropical
Heitor Villa-Lobos: “Momoprecoce”, W259
Claudio Santoro: Brasiliana
Claudio Santoro: Sinfonia N° 6
Programa Sinfônico 8 (10 e 11 de agosto)
Regente: Victor Hugo Toro
Solista: Nicolas Koeckert (Violino, Brasil)
PROGRAMA
Johannes Brahms: Concerto para violino, op. 77
Franz Schubert: Sinfonia N° 8, D.759, “Inacabada”
Programa Sinfônico 9 (28 e 29 de setembro)
Regente: Noam Zur (Israel)
Solista: Luiz Fernando Venturelli (Violoncelo, Brasil)
PROGRAMA
Leone Sinigaglia: Danse Piemontese, op. 31 N° 1
Antonin Dvorak: Concerto para Violoncelo, op. 104, B.191
Dinorá de Carvalho: Ouverture “Noite de São Paulo”
Georges Bizet: Sinfonia em Dó
Programa Sinfônico 10 (19 e 20 de outubro)
Regente: Victor Hugo Toro
Solista: Luciana Sayure Shimabuco (Piano, Brasil)
Homenagem a Cyro Pereira (1929 – 2011)
PROGRAMA
Fantasia para Piano e Orquestra – sobre Temas de Ernesto Nazareth (1963)
Obras a definir
Programa Sinfônico 11 (9 e 10 de novembro)
Regente: Rafael Piccolotto de Lima (Brasil)
PROGRAMA
Projeto “Forró sem palavras”
Programa Sinfônico 12 (30 de novembro, 1 de dezembro)
Regente: Victor Hugo Toro
Solistas: Daniel Guedes (Violino, Brasil)
Fabio Presgrave (Violoncelo, Brasil)
PROGRAMA
Johannes Brahms: Concerto para Violino e Violoncelo, op. 102 (Concerto Duplo)
Richard Strauss: Aus Italien, TrV 147, op. 16
Programa Sinfônico 13 (14 e 15 de dezembro)
Regente: Victor Hugo Toro
Solista: Fabio Zanon (Violão, Brasil)
Gerónimo Giménez: La Boda de Luis Alonso, intermezzo
Joaquin Rodrigo: Concierto de Aranjuez
Enrique Soro: Três aires chilenos
Aldemaro Romero: Fuga con Pajarillo
Alejandro García Caturla: Três danças cubanas
Astor Piazzolla: Adios Nonino – Libertango
Francisco Mignone: Congada
José Pablo Moncayo: Huapango

Geral

Emdec reforça sinalização de velocidade máxima na Av. Washington Luiz

Publicado

em

Por

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) reforçará nesta quarta-feira, 14 de abril, a sinalização da variação da velocidade máxima permitida na Avenida Washington Luiz, no trecho sentido Centro após o cruzamento com a Rua Agnaldo Macedo, no Parque Prado.

A velocidade máxima já é reduzida de 60 km/h para 50 km/h no local, contando com as devidas placas de regulamentação, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A nova placa que será instalada amplia a comunicação com os motoristas, trazendo o texto “A partir deste ponto” ao lado da indicação de “50 km/h”.

A variação da velocidade é justificada pelo maior fluxo de pedestres e veículos no entorno do Shopping Prado Boulevard, da Estação de Transferência Parque Prado, Escola Estadual Professora Neli Helena Assis de Andrade e próximo aos condomínios residenciais e estabelecimentos comerciais. Também há a Ciclovia Washington Luiz no canteiro central da avenida.

A Washington Luiz recebeu, em 2020, uma média diária de até 31 mil veículos, considerando os dois sentidos de circulação.

A nova placa abre a segunda etapa do reforço da sinalização em vias que possuem variações de velocidade, por características técnicas específicas”, explica o presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva. “A instalação deverá aumentar a segurança viária. O principal objetivo é evitar acidentes e preservar vidas. O projeto também promove maior transparência na fiscalização de trânsito”.

Vias já sinalizadas
A Washington Luiz é o oitavo eixo viário que tem a sinalização reforçada.
Outros trechos viários já foram contemplados no município:
– Avenida Lix da Cunha (24/02);
– Túnel Joá Penteado e Avenida Dr. Ruy de Almeida Barbosa (03/03);
– Avenida Cônego Antônio Roccato / Rua Sylvia da Silva Braga (10/03);
– Avenida Comendador Aladino Selmi (17/03);
– Rodovia Dr. Heitor Penteado / Avenida Dr. Antônio Carlos Couto de Barros (24/03);
– Avenida Antônio Carlos de Salles Júnior (31/03);
– Avenida Theodureto de Almeida Camargo (07/04).

Todos estes locais possuem equipamentos de fiscalização eletrônica de velocidade (radares) e grande fluxo de veículos.

A segunda fase do projeto alcançará, ainda, o eixo composto pela Avenida Prefeito Magalhães Teixeira e Rua Dr. Celso da Silveira Rezende.

Continue Lendo

Geral

Saúde divulga alerta de alta incidência de dengue em diversos bairros em Campinas

Publicado

em

Por

A Secretaria de Saúde de Campinas emitiu, nesta terça-feira, dia 13 de abril, um alerta para alta incidência de casos de dengue nas regiões Sudoeste (especialmente nos bairros Jardim Profilurb e Parque Universitário de Viracopos), Noroeste (Jardim Florence II e Jardim Satélite Iris I), Norte (Bosque das Palmeiras ,Vila Boa Vista e Jardim Campineiro) e Leste (Vila Costa e Silva).

Quem mora nesses bairros citados acima deve intensificar o controle dos criadouros em suas residências para evitar o ciclo de vida e reprodução do mosquito Aedes Aegypti, já que, segundo a Secretaria de Saúde, 80% dos focos estão nos quintais e dentro de casa.

Entre os cuidados, os moradores devem manter caixa d’água fechada ou telada; limpar as calhas e, caso necessário, desentupi-as; trocar a água de vasos de plantas e lavar o recipiente com bucha e sabão para remover os ovos do mosquito.

As pessoas que têm bromélia devem regar a planta com mangueira de pressão uma vez por semana e limpar a face interna de todas as folhas (onde a água fica acumulada, o que favorece a proliferação de ovos e larvas do mosquito).

Outra recomendação é evitar o acúmulo de entulho e recicláveis. Quem precisa descartar este material, deve levar até um dos 16 ecopontos da cidade. Os endereços podem ser consultados na página http://www.campinas.sp.gov.br/governo/servicos-publicos/ecopontos/index.php.

As equipes da Secretaria de Saúde realizam diariamente, de segunda a sábado, ações de nebulização para o controle do mosquito. No entanto, o combate à dengue depende também da colaboração da população.

Continue Lendo

Geral

Prefeitura publica decreto de combate contra a corrupção na Administração

Publicado

em

Por

Continue Lendo







Populares