Connect with us

Geral

Obras do BRT Campo Grande avançam para o Jardim Nova Esperança

Publicado

em

As obras de implantação do Corredor BRT (Bus Rapid Transit – Ônibus de Trânsito Rápido) Campo Grande na Avenida John Boyd Dunlop (JBD) chegam à região do Jardim Nova Esperança nesta terça-feira, 12 de março. A partir das 10h, os trabalhos avançam para trecho de cerca de 1,3 quilômetros da via, desde a altura da Rua Benedito Franco até o Ribeirão do Piçarrão. O novo trecho corta os bairros Jardim Nova Esperança e Jardim Rossin.

 

 

 

As obras consistem na construção de pavimento para os veículos do BRT, novas pistas de rolamento e execução da estação Nova Esperança. Ao final dos trabalhos, esse trecho da Avenida John Boyd Dunlop terá seis faixas de rolamento, sendo duas no sentido Centro, duas no sentido bairro e uma por sentido para os veículos do BRT, no centro da avenida.

 

 

 

“A Avenida John Boyd Dunlop será totalmente reconfigurada pelas obras do Corredor BRT, beneficiando não somente os usuários do transporte público, mas também os motoristas que circulam pela região, já que o trânsito terá mais fluidez e segurança”, destaca o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro.

 

 

 

A interdição neste trecho da avenida será gradativa. Na primeira etapa, somente as duas faixas da pista no sentido Centro serão bloqueadas para a circulação de veículos. As duas faixas no sentido bairro funcionarão temporariamente como uma via de mão dupla. A faixa da direita deverá ser utilizada pelos motoristas para o tráfego no sentido bairro. Já a faixa da esquerda será invertida, devendo ser utilizada pelos motoristas no sentido contrário, para desviar o trânsito no sentido Centro.

 

 

 

Ao chegar no trecho em obras, os motoristas que trafegam no sentido Centro deverão desviar pela pista oposta, na altura da Rua Benedito Franco, retornando ao sentido Centro alguns metros antes da Ponte do Piçarrão.

 

 

 

Após a conclusão dos trabalhos no sentido Centro, serão interditadas para as obras as duas faixas da pista no sentido bairro, entre o Ribeirão do Piçarrão e o Jardim Nova Esperança. Nesta segunda etapa, a pista no sentido Centro é que funcionará como via de mão dupla. O tráfego de veículos será desviado do sentido bairro para a pista no sentido Centro, alguns metros após a Ponte do Piçarrão, na altura da Rua Benedito Franco. Assista ao vídeo e visualize com mais detalhes as alterações no trânsito.

 

 

 

Para minimizar os impactos à população e garantir a segurança e fluidez viária, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) adotou plano operacional de trânsito, transporte e comunicação.

 

 

 

A velocidade máxima permitida no trecho impactado será reduzida de 60 para 40 km/h. Os pontos de ônibus existentes na região em obras funcionarão provisoriamente no canteiro central da avenida, na mesma altura dos atuais.

 

 

 

Agentes da Mobilidade Urbana circulam pela região em obras, monitorando o trânsito e auxiliando na segurança e fluidez da circulação viária. A população pode esclarecer dúvidas pelo telefone 118, o “Fale Conosco Emdec”.

 

 

 

BRT Campo Grande

 

 

A nova frente de obras está dentro do Lote 2, Trecho 3, da implantação do BRT, que compreende o Viaduto da Rodovia dos Bandeirantes até o Terminal Campo Grande, totalizando 6,4 quilômetros. A responsável pela execução das obras é a empresa Construcap – CCPS Engenharia e Comércio.

 

 

 

As obras do Corredor BRT chegaram à Avenida JBD em agosto de 2018, entre a região do Satélite Íris até após o viaduto da linha férrea, no Jardim Florence, onde ocorre implantação de pavimento e construção das estações Florence e Rossin. Em setembro, os trabalhos avançaram a partir do viaduto da Rodovia dos Bandeirantes até a região do Satélite Íris, onde está em andamento a implantação de novo pavimento, construção do Terminal Satélite Íris e de outras três estações.

 

 

 

Também estão em andamento na Avenida JBD os trabalhos do Trecho 2 do BRT campineiro, na região do Jardim Londres, desde a PUCC II até a altura da Avenida Transamazônica; e na região do Jardim Aurélia, desde a altura do viaduto da Anhanguera até o cruzamento com a Rua Lucas Pereira de Castro, próximo ao Atacadão.

 

 

 

O BRT Campo Grande terá 17,9 km de extensão, saindo da região central, ao lado do Terminal Mercado, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, Avenida JBD, passando pelo Terminal Campo Grande e chegando ao Terminal Itajaí. Os três corredores BRT do município – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral – têm custo total de R$ 451,5 milhões. São 36,6 km de corredores, com previsão de conclusão total em meados de 2020.

 

 

 

Geral

Prefeito divulga ações de combate à pandemia nos 100 dias de governo

Publicado

em

Por

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, divulgou nesta segunda-feira, 12 de abril, as ações em relação à pandemia de Covid-19 nos primeiros 100 dias de governo. A divulgação foi feita durante transmissão ao vivo na internet.  

 

Uma das medidas adotadas foi a ampliação de 125% de leitos de UTI Covid na rede municipal, que inclui os hospitais Mário Gatti, Ouro Verde e conveniados. No início do governo eram 74 leitos e, atualmente, 162.

 

Apenas na Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar, que inclui os dois hospitais municipais e as UPAs Carlos Lourenço, São José, Campo Grande e Anchieta Metropolitana, o aumento foi de 96% nos leitos de UTI (de 55 em janeiro para 108 em abril) e 85% nos leitos de enfermaria (de 92 em janeiro para 171 em abril). 

 

O prefeito também destacou que, para otimizar os leitos de enfermaria, foram disponibilizados 200 concentradores de oxigênio para que as pessoas pudessem se recuperar em casa e, dessa forma, liberar as estruturas hospitalares.  

 

“Infelizmente, a segunda onda da pandemia foi avassaladora e nós precisamos aumentar os leitos”, disse o prefeito. De acordo com ele, os números da pandemia estavam mais controlados na época em que assumiu o governo, de forma que os 74 leitos de UTI Covid no SUS Municipal eram suficientes para atender à demanda. 

 

Atendimentos no gripário

 

Um dos números que reflete esse aumento de casos é o de  atendimentos nos gripários da Rede Mário Gatti, locais exclusivos para consultas de pacientes com algum tipo de queixa respiratória, que subiram 26% (de 10.438 em janeiro para 14.148 em março). Em toda a rede municipal de saúde, foram atendidas mais de 133 mil pessoas com síndromes gripais nos primeiros cem dias de governo. Para reforçar esse atendimento e desafogar os prontos-socorros e pronto atendimentos, alguns centros de saúde têm ficado abertos aos finais de semanas e feriados.   

 

A Secretaria de Saúde também deu continuidade ao atendimento em domicílio com a medição por oxímetro. Com isso, a hipóxia silenciosa (queda do oxigênio) é identificada e o paciente encaminhado para o atendimento necessário.  

 

Durante a pandemia, a Prefeitura de Campinas também regulamentou e ampliou para dez categorias o programa Mais Saúde Campinas, que qualifica profissionais para atuar no Programa de Saúde da Família e, dessa forma, colaborar com o enfrentamento da pandemia. Outra medida foi a capacitação em boas práticas em limpeza e higiene de 1,5 mil agentes de saúde e representantes de escolas e condomínios com o objetivo de evitar a contaminação pelo novo coronavírus.  

 

As ações de fiscalização também foram ampliadas, como medida para conter a pandemia. Entre janeiro e abril, mais de 1,1 mil estabelecimentos foram inspecionados pelos órgãos competentes. 

 

Vacinação 

 

A vacina contra a Covid 19 está sendo aplicada nos cinco centros de imunização criados pela Prefeitura. Os CIs têm capacidade para atender 5 mil pessoas por dia. “Os centros de imunização foram muito importantes, pois tiramos as pessoas que seriam imunizadas dos centros de saúde. Mais do que isso, a vacinação está acontecendo por meio de agendamento, sem filas e aglomerações”, afirmou o prefeito. 

 

No total, foram aplicadas 222.881 doses, sendo 149.021 primeiras doses e 73.860 segundas doses; mais de 2 mil pessoas que vivem em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) foram vacinadas e outras 4,7 mil receberam a vacina em casa.   

Continue Lendo

Geral

Plano de 100 dias de governo tem R$ 100 milhões em investimentos

Publicado

em

Por

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, apresentou na tarde desta segunda-feira, 12 de abril, as ações realizadas dentro do Plano dos 100 primeiros dias de governo. As iniciativas totalizam R$ 100 milhões em investimentos.
 

O anúncio foi feito durante transmissão ao vivo e contou com a participação do vice-prefeito e secretário de Relações Institucionais, Wanderley Almeida; do secretário da Chefia de Gabinete, Aderval Fernandes; e do presidente da Câmara, vereador Zé Carlos.

 

“Quero agradecer à toda equipe que se empenhou em atender às demandas da pandemia e ao mesmo tempo dar continuidade à gestão das outras áreas “, disse o prefeito.

 

Saadi atualizou a situação de importantes obras, entre elas o BRT, o Hospital da Mulher, a unidade de Oncologia do Mário Gatti, a pavimentação de bairros; a construção de Centros de Saúde e creches, além da abertura de licitação Ginásio do Cear.

 

Ações como a regularização fundiária de imóveis, a implantação da Sala de Negócios, o Programa de Aprovação Online, a aprovação da nova Lei de Comissionados, a prorrogação do Cartão Nutrir e a ampliação de licença paternidade também foram destacadas.

 

No meio ambiente, o prefeito citou, além do plantio de mudas, a instalação das estufas para compostagem da usina verde e a entrega de novas praças por meio de contrapartida.

 

“Nós temos certeza que essa pandemia vai passar e nós temos que deixar a cidade de Campinas em condições de voltar ao seu máximo desenvolvimento e crescimento, porque é isso que vai diminuir a desigualdade social, que vai dar mais oportunidade para as pessoas que mais precisam”, completou.


A apresentação completa, com todas as ações, ficará disponível no portal da Prefeitura, no banner do Plano de 100 Dias.

Continue Lendo

Geral

Campinas 37 óbitos e chega a 2.655 mortes por Covid-19

Publicado

em

Por

A Prefeitura atualizou, na tarde desta segunda-feira, 12 de abril, os dados da pandemia do novo coronavírus na cidade. Foram confirmados mais 672 casos da doença; com isso, Campinas chega a 85.367 pessoas que se contaminaram pelo vírus desde o ano passado.


 
A cidade também registrou mais 37 óbitos e chega a 2.655 mortes por Covid-19. Foram 24 homens e 13 mulheres; 28 pessoas tinham comorbidades e outras nove não tinham. Com relação à faixa etária, 23 tinham mais de 60 anos e 14 tinham menos de 60.


 
O boletim epidemiológico também traz o número de doses da vacina aplicadas. Até o momento, de primeira dose, a Saúde vacinou 149.021 pessoas; já os que tomaram as duas doses somam 73.860 pessoas. A cidade já aplicou 222.881 doses no total.

 
Mais informações estão disponíveis no hotsite do coronavírus, no endereço covid-19.campinas.sp.gov.br/
 
Sobre as vítimas

 
– Homem de 34 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 38 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril.
 
– Mulher de 39 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 43 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 25 de março.
 
– Mulher de 44 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 3 de abril.
 
– Homem de 44 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril.
 
– Mulher de 48 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril
 
– Homem de 50 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 51 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 1 de abril.
 
– Homem de 51 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de abril.
 
– Homem de 52 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Homem de 56 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Homem de 57 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de abril.
 
– Homem de 59 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril.
 
– Homem de 61 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 12 de março.
 
– Homem de 63 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 64 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 5 de abril.
 
– Homem de 66 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.
 
– Homem de 66 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 5 de abril.
 
– Mulher de 66 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de abril.
 
– Mulher de 67 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Mulher de 68 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.
 
– Mulher de 69 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril.
 
– Homem de 69 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Mulher de 72 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Homem de 73 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 73 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Mulher de 75 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de abril.
 
– Homem de 79 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 10 de abril.
 
– Mulher de 80 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 1 de abril.
 
– Mulher de 80 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 4 de abril.
 
– Mulher de 81 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.
 
– Homem de 81 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 10 de abril.
 
– Homem de 84 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.
 
– Homem de 85 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Homem de 87 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 3 de abril.
 
– Mulher de 90 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.

Continue Lendo







Populares