Connect with us

Geral

Mercado reage e dá sinais positivos com a transição de governo

Publicado

em

Nível de otimismo entre os empresários é o maior dos últimos quatro anos e, agora, eles tiram o pé do freio e aceleram os investimentos na RMC; um exemplo é a abertura da maior loja da grife RECCO lingerie em Campinas 

                Dias melhores para um ano que promete superar positivamente 2018. Essa é a esperança dos empresários que, embalados pela nova conjuntura política, estão voltando a apostar as fichas no Brasil.

         Nessa retomada do aquecimento de mercado, a Região Metropolitana de Campinas (RMC) já começa a receber novos empreendimentos. É o caso da rede brasileira Recco Lingerie, que acaba de abrir a maior e mais completa loja no Iguatemi Shopping, com 290 m² de área e investimento de R$ 1 milhão, de acordo com Marcelo Recco, diretor de exportação da marca. A iniciativa marca as celebrações dos 40 anos de história da grife, traçando mais um passo nesta trajetória e emplacando o projeto de expansão.

         Entre as motivações desse investimento estão dados como o da IEMI Inteligência de Mercado, que apontam a moda íntima como o nicho de melhor recuperação no ramo de lingeries, moda praia e fitness, retomando os níveis de produção pré-crise. “Estamos investindo em novas lojas próprias e reformulando o modelo de franquias para oferecer aos clientes experiências únicas”, comemora Antonio Recco, presidente da Recco, que estima abrir 16 franquias em 2019.

         E esse otimismo para os negócios tem o maior nível dos últimos quatro anos, de acordo com um relatório feito do IHS Markit. As empresas que esperavam melhora em seus negócios passaram de 44% em julho, para 67% em outubro. E, agora, já com o quadro político definido, o comércio dá ainda mais sinais de recuperação.

Franquias estão em alta

         As franquias e as lojas em shoppings centers atraem cada vez mais os empresários. O escritório de Direito especializado nesta área, E.Faigle e Maggioni, já registrou um aumento de 30% na procura por quem deseja investir. A reação é muito em função da decisão nas urnas. “Antes das eleições fomos procurados por mais de 30 lojas para o encerramento das atividades e a renovação de contrato tinha praticamente desaparecido. Após a definição do Presidente da República houve a retomada de processos e procedimentos financeiros que estavam parados”, explica o advogado Gustavo Maggioni.

         “É tão real que o brasileiro está confiante em dias melhores, que muitos clientes que buscavam assessoria jurídica para mudar com suas famílias para o Exterior, agora nos procuram para traçar uma estratégia de investimento por aqui mesmo”, conclui Maggioni. 

Sobre a Recco Lingerie

Do começo simples no fundo da garagem a uma marca consolidada com valores, objetivos e missões e 20 lojas espalhadas pelo Brasil. Essa é a história da Recco Lingerie, marca reconhecida internacionalmente por seus produtos de qualidade ímpar, aliando beleza, moda e tecnologia.

Inaugurada oficialmente em 1986, após 10 anos da criação do primeiro laboratório de produção, a Recco nasceu de uma visão empreendedora de um representante de vendas. Os resultados foram rápidos e, com o crescimento da empresa aumentando vertiginosamente, a marca se tornou uma potência, contando hoje com quase 900 pessoas envolvidas nos processos de produção e vendas.

Desde sua fundação, o grupo Recco passou por transformações e vem ampliando seus investimentos, direcionando suas forças em tecnologia, criatividade e design. E para atender todos os tipos de gostos, corpos e objetivos e fortalecer a marca, a empresa criou novas linhas; agora roupas femininas, pijamas, lingeries femininas básicas e masculinas fazem parte do mix de produtos oferecido. 

A Recco vem conquistando novos mercados e conta com clientes em diversos países da América do Sul, América Central, América do Norte, Europa, Ásia e África.

O Grupo Recco criou o projeto Jaimashi, que a cada coleção ajuda um país através de uma ONG parceira e missionários voluntários, que levam comida e alento aos que mais precisam. Desta vez o Nepal foi escolhido: as vendas dos pijamas Jaimashi ajudarão a salvar crianças nepalesas do tráfico humano.

A marca se consolidou como “A Lingerie Que Te Entende”, reforçando sua presença em todos os momentos da vida da mulher, além de trazer uma modelagem perfeita, desenvolvida e aperfeiçoada ao longo da história.

Sobre E. Faigle e Maggioni

O escritório foi criado em 2013 com o foco nas especificidades legais do ecossistema de franquias, empresas e shopping centers. Amparado em uma experiência de mais de dez anos dos sócios na área empresarial e na área de varejo – tanto no campo do direito como no comercial – o E. Faigle e Maggioni tem como proposta possibilitar um desenvolvimento sustentável de negócios. A especialidade é o desenho de soluções jurídicas sob medida para atender aos segmentos, indo desde a formulação de acordos societários à solução de conflitos e cobrança de créditos.

Serviço

Recco Lingerie – Shopping Iguatemi Campinas – 1º piso

Instagram: @reccolingerie.oficial

Facebook: Recco

www.recco.com.br

E.Faigle e Maggioni – Rua dos Alecrins, 914 sala 1.002, Cambuí, Campinas – SP

(19) 3203-4864

Facebook: E. Faigle e Maggioni Advogados

www.efmag.com.br

Geral

Prefeito divulga ações de combate à pandemia nos 100 dias de governo

Publicado

em

Por

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, divulgou nesta segunda-feira, 12 de abril, as ações em relação à pandemia de Covid-19 nos primeiros 100 dias de governo. A divulgação foi feita durante transmissão ao vivo na internet.  

 

Uma das medidas adotadas foi a ampliação de 125% de leitos de UTI Covid na rede municipal, que inclui os hospitais Mário Gatti, Ouro Verde e conveniados. No início do governo eram 74 leitos e, atualmente, 162.

 

Apenas na Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar, que inclui os dois hospitais municipais e as UPAs Carlos Lourenço, São José, Campo Grande e Anchieta Metropolitana, o aumento foi de 96% nos leitos de UTI (de 55 em janeiro para 108 em abril) e 85% nos leitos de enfermaria (de 92 em janeiro para 171 em abril). 

 

O prefeito também destacou que, para otimizar os leitos de enfermaria, foram disponibilizados 200 concentradores de oxigênio para que as pessoas pudessem se recuperar em casa e, dessa forma, liberar as estruturas hospitalares.  

 

“Infelizmente, a segunda onda da pandemia foi avassaladora e nós precisamos aumentar os leitos”, disse o prefeito. De acordo com ele, os números da pandemia estavam mais controlados na época em que assumiu o governo, de forma que os 74 leitos de UTI Covid no SUS Municipal eram suficientes para atender à demanda. 

 

Atendimentos no gripário

 

Um dos números que reflete esse aumento de casos é o de  atendimentos nos gripários da Rede Mário Gatti, locais exclusivos para consultas de pacientes com algum tipo de queixa respiratória, que subiram 26% (de 10.438 em janeiro para 14.148 em março). Em toda a rede municipal de saúde, foram atendidas mais de 133 mil pessoas com síndromes gripais nos primeiros cem dias de governo. Para reforçar esse atendimento e desafogar os prontos-socorros e pronto atendimentos, alguns centros de saúde têm ficado abertos aos finais de semanas e feriados.   

 

A Secretaria de Saúde também deu continuidade ao atendimento em domicílio com a medição por oxímetro. Com isso, a hipóxia silenciosa (queda do oxigênio) é identificada e o paciente encaminhado para o atendimento necessário.  

 

Durante a pandemia, a Prefeitura de Campinas também regulamentou e ampliou para dez categorias o programa Mais Saúde Campinas, que qualifica profissionais para atuar no Programa de Saúde da Família e, dessa forma, colaborar com o enfrentamento da pandemia. Outra medida foi a capacitação em boas práticas em limpeza e higiene de 1,5 mil agentes de saúde e representantes de escolas e condomínios com o objetivo de evitar a contaminação pelo novo coronavírus.  

 

As ações de fiscalização também foram ampliadas, como medida para conter a pandemia. Entre janeiro e abril, mais de 1,1 mil estabelecimentos foram inspecionados pelos órgãos competentes. 

 

Vacinação 

 

A vacina contra a Covid 19 está sendo aplicada nos cinco centros de imunização criados pela Prefeitura. Os CIs têm capacidade para atender 5 mil pessoas por dia. “Os centros de imunização foram muito importantes, pois tiramos as pessoas que seriam imunizadas dos centros de saúde. Mais do que isso, a vacinação está acontecendo por meio de agendamento, sem filas e aglomerações”, afirmou o prefeito. 

 

No total, foram aplicadas 222.881 doses, sendo 149.021 primeiras doses e 73.860 segundas doses; mais de 2 mil pessoas que vivem em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) foram vacinadas e outras 4,7 mil receberam a vacina em casa.   

Continue Lendo

Geral

Plano de 100 dias de governo tem R$ 100 milhões em investimentos

Publicado

em

Por

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, apresentou na tarde desta segunda-feira, 12 de abril, as ações realizadas dentro do Plano dos 100 primeiros dias de governo. As iniciativas totalizam R$ 100 milhões em investimentos.
 

O anúncio foi feito durante transmissão ao vivo e contou com a participação do vice-prefeito e secretário de Relações Institucionais, Wanderley Almeida; do secretário da Chefia de Gabinete, Aderval Fernandes; e do presidente da Câmara, vereador Zé Carlos.

 

“Quero agradecer à toda equipe que se empenhou em atender às demandas da pandemia e ao mesmo tempo dar continuidade à gestão das outras áreas “, disse o prefeito.

 

Saadi atualizou a situação de importantes obras, entre elas o BRT, o Hospital da Mulher, a unidade de Oncologia do Mário Gatti, a pavimentação de bairros; a construção de Centros de Saúde e creches, além da abertura de licitação Ginásio do Cear.

 

Ações como a regularização fundiária de imóveis, a implantação da Sala de Negócios, o Programa de Aprovação Online, a aprovação da nova Lei de Comissionados, a prorrogação do Cartão Nutrir e a ampliação de licença paternidade também foram destacadas.

 

No meio ambiente, o prefeito citou, além do plantio de mudas, a instalação das estufas para compostagem da usina verde e a entrega de novas praças por meio de contrapartida.

 

“Nós temos certeza que essa pandemia vai passar e nós temos que deixar a cidade de Campinas em condições de voltar ao seu máximo desenvolvimento e crescimento, porque é isso que vai diminuir a desigualdade social, que vai dar mais oportunidade para as pessoas que mais precisam”, completou.


A apresentação completa, com todas as ações, ficará disponível no portal da Prefeitura, no banner do Plano de 100 Dias.

Continue Lendo

Geral

Campinas 37 óbitos e chega a 2.655 mortes por Covid-19

Publicado

em

Por

A Prefeitura atualizou, na tarde desta segunda-feira, 12 de abril, os dados da pandemia do novo coronavírus na cidade. Foram confirmados mais 672 casos da doença; com isso, Campinas chega a 85.367 pessoas que se contaminaram pelo vírus desde o ano passado.


 
A cidade também registrou mais 37 óbitos e chega a 2.655 mortes por Covid-19. Foram 24 homens e 13 mulheres; 28 pessoas tinham comorbidades e outras nove não tinham. Com relação à faixa etária, 23 tinham mais de 60 anos e 14 tinham menos de 60.


 
O boletim epidemiológico também traz o número de doses da vacina aplicadas. Até o momento, de primeira dose, a Saúde vacinou 149.021 pessoas; já os que tomaram as duas doses somam 73.860 pessoas. A cidade já aplicou 222.881 doses no total.

 
Mais informações estão disponíveis no hotsite do coronavírus, no endereço covid-19.campinas.sp.gov.br/
 
Sobre as vítimas

 
– Homem de 34 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 38 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril.
 
– Mulher de 39 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 43 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 25 de março.
 
– Mulher de 44 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 3 de abril.
 
– Homem de 44 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril.
 
– Mulher de 48 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril
 
– Homem de 50 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 51 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 1 de abril.
 
– Homem de 51 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de abril.
 
– Homem de 52 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Homem de 56 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Homem de 57 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de abril.
 
– Homem de 59 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril.
 
– Homem de 61 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 12 de março.
 
– Homem de 63 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 64 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 5 de abril.
 
– Homem de 66 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.
 
– Homem de 66 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 5 de abril.
 
– Mulher de 66 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de abril.
 
– Mulher de 67 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Mulher de 68 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.
 
– Mulher de 69 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril.
 
– Homem de 69 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Mulher de 72 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Homem de 73 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de abril.
 
– Homem de 73 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Mulher de 75 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de abril.
 
– Homem de 79 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 10 de abril.
 
– Mulher de 80 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 1 de abril.
 
– Mulher de 80 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 4 de abril.
 
– Mulher de 81 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.
 
– Homem de 81 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 10 de abril.
 
– Homem de 84 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.
 
– Homem de 85 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de abril.
 
– Homem de 87 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 3 de abril.
 
– Mulher de 90 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.

Continue Lendo







Populares