Connect with us

Geral

Mata Santa Genebra passa a sediar o primeiro Centro de Educação Ambiental

Publicado

em

A Mata Santa Genebra passa a oferecer a toda a população de Campinas atividades permanentes sobre meio ambiente, com destaque para a fauna e a flora do local. A área verde é remanescente da Mata Atlântica, bioma que será abordado nas atividades, assim como os corredores ecológicos, contribuindo para a preservação da biodiversidade local.
As atividades serão realizadas pelo Centro de Educação Ambiental (CEA), que foi entregue na tarde desta quinta-feira, 12 de abril pelo prefeito de Campinas, Jonas Donizette. O prefeito deu início às atividades e, no mesmo evento, inaugurou o refeitório e o vestiário para os funcionários.
O evento integra o programa Campinas em Movimento – 50 Dias de Entregas. Na Mata, o prefeito foi recebido por um grupo de crianças da ONG Núcleo de Ação Social do Real Parque, um bairro do Distrito de Barão Geraldo. “Estamos fazendo todo o esforço para que a Mata Santa Genebra seja cada vez mais pertencente ao povo de Campinas. Por isso a Prefeitura, na nossa gestão, criou as leis de preservação, e agora estamos entregando o primeiro Centro de Educação Ambiental”, disse o prefeito.
Segundo Jonas Donizette, outros seis CEAs serão implantados na cidade até 2020, de acordo com o Plano de Educação Ambiental proposto pela lei 15.440, de junho de 2017. Os próximos dois Centros, previstos para serem inaugurados ainda este ano, ficarão localizados no Bosque dos Jequitibás e na Estação Ambiental de Joaquim Egídio.
Os Centros de Educação Ambiental (CEA) têm por objetivo construir uma cultura da sustentabilidade com a participação de jovens e crianças, alunos das escolas públicas e particulares. Também estarão envolvidos os professores e a população em geral. A Mata teve um projeto de educação ambiental desenvolvido especificamente para o local, no qual haverá uma equipe formada por responsável técnico e educadores.
O CEA é um trabalho conjunto da Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável com a Fundação José Pedro de Oliveira, envolvendo as Secretarias de Educação; Cultura; Serviços Públicos; Desenvolvimento Econômico e Turismo; Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos; e a diretoria estadual de Ensino.
Sinval Dorigon, presidente da Fundação José Pedro de Oliveira, gestora da Mata de Santa Genebra, disse que vai ampliar o número de visitas das escolas à Mata Santa Genebra. “Queremos mostrar aos jovens e crianças, alunos das escolas, a importância da biodiversidade que temos na Mata, para todas possam crescer com isso no coração”, afirmou.
A Mata já desenvolve, desde 1997, outras atividades de educação ambiental como visita monitorada aberta à comunidade, visita monitorada de escolas e entidades, Ecoférias e Fotógrafos da Mata de Santa Genebra.
Segundo Sinval Dorigon, a Mata Santa Genebra recebeu a visita de 11 mil pessoas em 2017. Para agendamento de visitas, as pessoas devem entrar em contato com a Fundação pelo telefone 3749-7200.
Sobre a Mata Santa Genebra
Com 251 hectares, a Mata Santa Genebra é uma das maiores reservas de floresta tropical em área urbana do Brasil e o maior fragmento florestal de Campinas e da Região Metropolitana. De grande importância para a conservação da biodiversidade, a Mata Santa Genebra é administrada de acordo com o termo de doação da área, que restringe seu uso a atividades educativas, de pesquisa científica e de conservação.
A região da Mata se localizava na Fazenda Santa Genebra, de propriedade do Barão Geraldo de Resende. Parte do patrimônio do Barão ficou para a família José Pedro de Oliveira, que preservou, intactos, cerca de 100 alqueires da Mata.
Em 1981, a área foi doada para Campinas com a condição de que se criasse uma Fundação para mantê-la. Outra exigência foi que a Mata só pertenceria à cidade enquanto se mantivesse de pé, como área verde.
A Mata Santa Genebra foi tombada em 1983 como patrimônio natural pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat). Em 1985 foi declarada Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie).
Foi tombada novamente como patrimônio natural pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural de Campinas (Condepacc), em 1992. É subordinada ao Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

Geral

Saúde abre às 17h agendamento de vacina para pessoas entre 12 e 17 anos

Publicado

em

Por

A Secretaria de Saúde abre nesta segunda-feira, 18 de outubro, às 17h, novas vagas para agendamento da primeira dose da vacina contra a covid-19 para pessoas de 12 a 17 anos, incluindo gestantes e puérperas desta faixa etária. Também serão abertas novas oportunidades de agendamento de dose adicional para idosos a partir de 60 anos, que receberam a segunda dose há pelo menos seis meses, profissionais de saúde que completaram a imunização em janeiro, fevereiro ou março e pessoas com alto grau de imunossupressão que receberam a segunda dose há 28 dias. 

 

No total, serão disponibilizadas 14 mil vagas em 64 centros de saúde de Campinas (apenas os CSs Boa Esperança, Carlos Gomes e Campina Grande não fazem a vacinação contra a covid-19).  

 

A escolha do local, dia e horário poderá ser feita no site https://vacina.campinas.sp.gov.br ou pelo telefone 160. Quem tiver dificuldades deve procurar o centro de saúde mais próximo. 

 

É importante que as pessoas cheguem, no máximo, com 10 minutos de antecedência para evitar aglomerações. 

 

O agendamento continua aberto para pessoas a partir de 18 anos, inclusive gestantes e puérperas, receberem a primeira dose. 

 

As orientações e documentos necessários para cada grupo podem ser consultadas no site https://vacina.campinas.sp.gov.br. 

 

Adolescentes

 

No dia da vacinação, os menores de idade deverão estar acompanhados do pai, mãe ou responsável legal. Se estiverem sozinhos, precisarão apresentar um termo de consentimento assinado por eles. O modelo será disponibilizado no site https://vacina.campinas.sp.gov.br.

 

Os adolescentes de até 17 anos serão imunizados com a vacina da Pfizer, única aprovada pela Anvisa para a faixa etária. 

 

No dia marcado, a pessoa que vai receber a dose deve levar RG, CPF (se tiver), comprovantes do agendamento (que pode ser mostrado no celular) e de endereço em Campinas (pode ser em nome dos pais ou responsável desde que o parentesco seja comprovado por meio de documentos).

 

Vacinação

 

Até a tarde desta segunda-feira, 18 de outubro, foram aplicadas 1.756.712 doses da vacina contra a covid-19 em Campinas, sendo 935.337 primeiras doses, 782.804 segundas doses ou doses únicas e 38.571 doses adicionais.

Continue Lendo

Geral

Ruas de Barão Geraldo terão bloqueios sábado para Caminhada Outubro Rosa

Publicado

em

Por

O distrito de Barão Geraldo receberá neste sábado, dia 23 de outubro, das 8h30 às 10h30, a 2ª Caminhada Outubro Rosa, organizada pelo Centro de Oncologia Campinas. Os participantes caminharão por ruas entre o Centro de Oncologia e a rotatória de acesso à Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com impactos na circulação de veículos. 
 
Para garantir a segurança e fluidez do trânsito, agentes da mobilidade urbana da Secretaria Municipal de Transportes (Setransp)/Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) prestarão apoio operacional, fazendo interdições de trânsito temporárias, à medida em que os manifestantes passarem pelas vias. 
Em alguns trechos, os quatro agentes envolvidos no evento poderão fazer a canalização, ou seja, separar uma faixa de rolamento para os ciclistas e motoristas, enquanto os participantes da caminhada utilizam a outra faixa. 
A concentração da passeata será às 7h30, no estacionamento do Centro de Oncologia, na Rua Alberto de Salvo, 311. A partir das 8h30, os inscritos – no máximo 150 pessoas – seguirão pelas ruas Cecília Feres Zogbi, Salomão Mussi, Antônio Zaine e Dr. Eurico Wanderley Moraes Carvalho, retornando pela Rua Dr. Ruberlei Boaretto da Silva. Na sequência, passarão pelas ruas Dr. Tácito Monteiro de Carvalho e Silva, Catharina Signori Vicentin, Antônio Zaine, Edele Próspero Píccoli, Salomão Mussi e Leonina Marinelli Leonardi, retornando ao Centro de Oncologia. 
O transporte público coletivo municipal não será afetado. Não há pontos de ônibus nos 3 km do percurso. 
Fale Conosco 
Para acionar os agentes da mobilidade urbana da Setransp/Emdec, a população pode ligar no 118, na opção 1. Ligações de outra cidade ou DDD devem ser feitas no (19) 3731-2910.
Outubro Rosa 
O Outubro Rosa é um movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama. A 2ª Caminhada Outubro Rosa tem o apoio da Prefeitura Municipal de Campinas por meio das Secretarias Municipais de Esportes e Lazer e de Saúde. Para mais informações, acesse bit.ly/2_Caminhada_Outubro_Rosa. 

Continue Lendo

Geral

Centro da cidade ganha mural em prédio para exaltar a figura feminina

Publicado

em

Por

O artista Fabiano Carriero Eiras, de Campinas, realiza sua primeira pintura em uma empena – a lateral livre de um prédio – no centro da cidade. A obra pode ser vista no edifício Dona Othilia, cruzamento das avenidas Dr. Moraes Sales com Júlio de Mesquita. Trata-se do projeto “Carne de Caju – Fabiano Carriero Eiras”, premiado pelo edital ProAc Expresso da Lei Aldir Blanc n° 51/2020. A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo apoia a iniciativa. O artista terminou a pintura neste sábado, 16 de outubro, e agora está na fase de retirar os andaimes. 
A pintura tem 30m x 6.5m e a concepção poética da obra, intitulada “Carne de Caju”, tem inspiração na música “Morena Tropicana”, composta por Alceu Valença e Vicente Barreto, presente no disco Cavalo de Pau (1982). “Assim como nesta composição, a obra tem a intenção de exaltar a força, a beleza e a importância da figura feminina, sem deixar de lado a necessidade de reiterar o respeito devido a todas as mulheres, em um sentido amplo, rompendo com padrões de beleza e uniformizações estéticas”, explica o artista.
Neste projeto, premiado pelo histórico de realização em artes visuais, Carriero deu um passo à frente em sua carreira de muralista, por meio da realização de seu primeiro trabalho em uma empena. O resultado foi uma obra original com grandes proporções, que terá destaque e impacto visual na paisagem urbana. Valendo-se de técnicas de pintura com pincel, com rolo de pintura e, eventualmente, com o stencil, o artista utillizou tintas próprias para pintura de paredes externas, conferindo maior durabilidade à obra.
De maneira geral, o projeto ‘Carne de Caju’ busca ampliar o acesso à cultura, construindo com a população o entendimento de que a pintura de empena e o muralismo ressignificam a urbanização, transformando a paisagem formada pelos prédios em uma exposição a céu aberto que reúne uma arte viva e genuinamente pública”, disse o artista.
Sobre o artista
Fabiano Carriero nasceu em Campinas em 1981 e passou parte da infância e adolescência em em Araruama-RJ, onde aprendeu muito com a vivência de moleque descalço. De volta à cidade em 2003, fez cursos de HQ e caricatura na Escola Pandora, com os cartunistas Bira Dantas e Paulo Branco.
A partir de 2007, Carriero manteve assiduamente o seu “cantinho” na Praça Imprensa Fluminense, o Centro de Convivência de Campinas, onde todo fim de semana é realizada a Feira Hippie. Até pouco antes da pandemia, o artista expunha seus trabalhos no local, divulgando a produção para um enorme número de pessoas interessadas em artes, artesanato, quitutes e antiguidades. Começou nesta feira como caricaturista, mas nos últimos tempos focou mais na venda de quadros e gravuras, conquistando, assim, não só um viver da arte, mas também a possibilidade de espalhar a reflexão de uma obra.
Em 2011, Carriero inaugurou seu primeiro ateliê, localizado na Av. Barão de Itapura, espaço em que realizou inúmeros debates artísticos, nove exposições, muitos encontros e feiras, e onde ficou até meados de 2014. Um ano antes, em 2013, havia ingressado na PUC-Campinas, graduando-se em Artes Visuais após alguns semestres aperfeiçoando sua técnica em gravuras, sob influência do artista e mestre Paulo Cheida Sans. Adquiriu, então, intimidade com as diferentes linguagens das artes plásticas.
Em 2016, após se formar, Carriero continuou dedicando seu tempo à pintura, à gravura e às diferentes vertentes das artes urbanas – ou públicas, como gosta de chamar – tais como “lambe-lambe”, stickers e o próprio muralismo. No mesmo ano, inaugurou um novo espaço criativo, o Ateliê Folha, localizado na Vila Industrial, local em que continuou realizando encontros, exposições e feiras até o início de 2020. 

Continue Lendo

Populares