Connect with us

Geral

MACC recebe a exposição “Eu Vi o Mundo…”, de José Barbosa da Silva

Publicado

em

O Museu de Arte Contemporânea de Campinas (MACC) recebe a exposição “Eu Vi o Mundo…”, uma mostra de José Barbosa da Silva, um artista brasileiro de carreira internacional. Ele utiliza múltiplos meios de expressão: é pintor, desenhista, entalhador, escultor, ilustrador e gravador. A abertura será no dia 5 de março, às 19h, e o público poderá visitá-la de 6 de março até 29 de maio, com entrada gratuita. A exposição é inédita em Campinas.

 

 

A realização é da Facamp, que completa 20 anos de atividades e, como presente para Campinas, traz esta exposição para o MACC. A iniciativa também marca os 55 anos do museu municipal e conta com o apoio da Prefeitura de Campinas. A exposição tem ainda o patrocínio de Jeep Dahruj e Construtora Plaenge e apoio da AMZ, Azul, Camelo, Symetria Barbearia, Hotéis Vitória e Braspor – Gráfica e Editora.

 

José Barbosa da Silva tem 72 anos e já marcou a história das artes brasileiras: participou do início da Tropicália, do Cinema Novo e do movimento Nova Figuração, de artes plásticas. A mostra reúne mais de 60 obras – esculturas, talhas e telas.

 

 

José Barbosa é de Olinda, Pernambuco, aprendeu a entalhar ainda menino com o seu pai, marceneiro, e a pintura, que descobriu mais tarde, quando foi viver em Paris na década de 1970. O título da exposição “Eu Vi o Mundo…”, remete à obra do pintor pernambucano Cícero Dias, “Eu Vi O Mundo… Ele Começava no Recife”. “A monumental tela do modernista pernambucano, realizada em 1929 e considerada como um dos marcos fundadores do Modernismo no Brasil, pertence ao mesmo universo onírico e aventuroso de Barbosa”, diz a curadora da exposição, Maria Hirszman, que escreveu o texto de apresentação.

 

 

Nele, a curadora descreve como José Barbosa da Silva sabe combinar, como poucos, um profundo interesse pelo mundo a sua volta com um fascínio permanente por elementos alegóricos, carregados de potência simbólica. “Suas telas e talhas são povoadas por seres místicos, que o acompanham há décadas, como o pássaro branco de asas abertas e bico perfurante, os peixes arredondados que nadam por toda a parte, as figuras femininas ao mesmo tempo sensuais e maternas, ou os buquês de flores que deslumbram por suas formas e cores. São composições complexas, cuidadosamente simétricas num equilíbrio elegante. Uma de suas qualidades é a capacidade de aventurar-se por diferentes caminhos em busca de uma expressão ao mesmo tempo autoral e universal. A capacidade de aliar diferentes referências, temáticas e gêneros dão liberdade à obra do artista”.

 

 

Perfil

 

José Barbosa (Olinda 1948)

 

1964

 

Individual de entalhes na Galeria de arte do Recife

 

Cria com Guita Charifker, Adão Pinheiro, João Camara, Vicente do Rego Monteiro e outros artistas o Movimento de Arte da Ribeira (Olinda)

 

1965

 

Organiza o 1º Salão de Arte Popular com Janete Costa (Natal)

 

Individual na Galeria Goeldi (Rio de Janeiro)

 

1966

 

Primeiro Salão de Abril da Petit Galerie – MAM (RJ)

 

Arte Brasileira em Coleções Americanas. Galeria IBEU (RJ)

 

Individual. Galeria IBEU. Rio de Janeiro. (Itaú)

 

Galeria Goeldi (RJ)

 

Festival Wagner – Bayreuth. Alemanha.

 

Exposição com Grassmann, Babinsky e Darel. H. Stern (RJ)

 

1967

 

1º Salão Esso de artistas jovens. MAM (RJ)

 

Salão de Abril. Petite Galerie (RJ)

 

23º Salão de Belas Artes da Cidade de Belo Horizonte

 

“Primitivos Actuales de América”, no Instituto de Cultura Hispânica (Madrid, Espanha)

 

3ª Bienal Americana de Gravura, no Museo de Arte Contemporáneo – Prêmio Pablo Neruda (Santiago, Chile)

 

1968

 

XVII Salão Nacional de Arte Moderna (RJ)

 

II Salão Esso de Artistas Jovens, no MAM (RJ)

 

Arte no Aterro: um mês de arte pública, no Aterro do Flamengo e Pavilhão Japonês (RJ)

 

Salão de Belas Artes de Belo Horizonte

 

1969

 

“Três Aspectos del Grabado Brasileno” – Mostra Itinerante para América Latina.

 

Individual na Galeria Irlandini (RJ)

 

1970

 

XIX Salão Nacional de Arte Moderna, MAM (RJ) – 1º prêmio em escultura

 

1971

 

XX Salão Nacional de Arte Moderna (RJ)

 

“Brazilian Artists”. Manheim Gallery (Londres, Inglaterra)

 

Gravura Brasileira em Washington (Washington DC, EUA)

 

“50 anos de Arte Brasileira”. MAM (RJ)

 

Individual na Galeria Irlandini (RJ)

 

1972

 

“La Gravure Contemporaine” (Paris, França)

 

Individual na Elvaston Gallery (Londres, Inglaterra)

 

Individual na Anne Friebe Gallerie (Colônia, Alemanha)

 

“Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois”, Galeria da Collectio (SP)

 

1973

 

Biblioteca Nacional de Paris adquire uma gravura sua

 

“L’Estampe Contemporaine”. Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris (França)

 

Individual Gallerie Debret (Paris, França)

 

“Dix Artistes Brésiliens”. Gallerie Pró-Artkasper (Suiça)

 

12ª Bienal Internacional de São Paulo

 

1974

 

“Interiorité/Naiveté”. Galerie L’Oeil de Boeuf (Paris)

 

“Formes et Couleurs du Brésil” (Paris e Marseille)

 

Salon International de Beaux Arts (Paris)

 

Brasilianischegeneralkonsulat (Munique, Alemanha)

 

1975

 

Individual. Ibero-Klub (Bonn, Alemanha)

 

1976

 

Atelier em Meudon, com Roseline Granet, Jean-Paul Riopelle

 

“Formes et Couleurs du Brésil”. Credit Commercial de France. (Marselha, França)

 

1977

 

Retorna ao Brasil

 

Individual na Galeria Gatsby (Recife)

 

1978

 

Artistas exclusivos no Recife. Gatsby Arte

 

35º Salão Paranaense (Curitiba)

 

Guaianazes I – Abelardo Rodrigues Galeria de Arte (Recife)

 

1979

 

Individual Galeria Sergio Milliet – Funarte (RJ)

 

II Mostra Anual de Gravura (Curitiba)

 

2º Salão Nacional de Artes Plásticas (RJ)

 

Escultura Brasileira. Galeria Artespaço (Recife)

 

XXXII Salão Oficial de Arte. Museu do Estado (Recife)

 

1980

 

Individual. Galeria Artespaço (Recife)

 

“Atelier José Barbosa”. Museu de Arte Contemporânea (Olinda)

 

Coletiva. Galeria Lautréamont (Olinda)

 

33º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco (Recife)

 

1981

 

Coletiva de Inverno. Galeria Lautréamont (Olinda)

 

4º Salão Nacional de Artes Plásticas (RJ)

 

Individual. Renato Magalhães Escritório de Arte (SP)

 

5ª Mostra de Desenho Brasileiro como artista convidado (Curitiba)

 

1982

 

Panorâmica da Arte Atual de Pernambuco (Recife)

 

Aquarelas. Galeria Estampa (RJ)

 

5º Salão Nacional de Artes Plásticas. MAM (RJ)

 

35º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco. (Recife)

 

4 Cantos de Olinda (Belo Horizonte)

 

1983

 

Coleção Abelardo Rodrigues de Artes Plásticas. MAC (Olinda)

 

Escultores de Pernambuco. MAC (Olinda)

 

36º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco (Recife)

 

VI Salão Nacional de Artes Plásticas MAM (RJ)

 

1984

 

“Tradição e Ruptura”. Fundação Bienal de São Paulo

 

Esculturas, Entalhes e Pinturas. Galeria Artespaço (Recife)

 

Bienal de Cuba (Havana, Cuba)

 

Organiza com Madalena Arraes amostra Dix Artistes de recife. Centre Latino-Americain (Paris)

 

Individual na Galeria Bonino (RJ)

 

37º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco (Recife)

 

“A Xilogravura na História da Arte Brasileira”. (Rio de Janeiro e Curitiba)

 

1985

 

Quadros Premiados do Museu do Estado do Pernambuco de 1940 a 1985 (Recife)

 

Coletiva na Galeria Futuro 25 (Recife)

 

Individual no Centre Latino-Americain (Paris)

 

38º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco (Recife).

 

1986

 

Coletiva Lautréamont (Olinda)

 

Individual Galeria Gamela (João Pessoa)

 

9º Salão Nacional de Artes Plásticas (Recife)

 

Recife 450 anos. Galeria Futuro 25 (Recife)

 

Leilão Campanha Pró-Arraes (Recife)

 

1987

 

“L’Art Fantastique du Brésil” (Paris)

 

Individual Galeria Montesanti-Roesler (SP)

 

Individual na Artespaço Galeria de Arte (Recife)

 

44º Salão Paranaense (Curitiba)

 

1988

 

“A Mão Afro Brasileira”. MAM (SP)

 

“Brasiliana: o Homem e a Terra”na Pinacoteca do Estado (SP)

 

1989

 

8ª Mostra do Desenho Brasileiro (Curitiba)

 

Individual na Galeria Artespaço (Recife)

 

“Viva Olinda Viva” (Olinda)

 

1990

 

Arte Sobre Papel. Galeria Gamela (João Pessoa)

 

“Corpo, Luz e Cor”. Prefeitura de Maringá

 

1991

 

“A Mulher”. Mostra temática organizada pela Futuro 25 (Recife)

 

Complexo Cultural MAC (Olinda)

 

Arte Catarinense na OEA (Washington, EUA)

 

Exposição Casa Cultura Caçador (SC)

 

Galeria da Caixa Econômica. Caçador (SC)

 

Feira do Verde – PROERB. Blumenau

 

1992

 

“Visões de Fernando de Noronha”, MAC (Olinda)

 

Individual Galeria Bonino (RJ)

 

1993

 

Coletiva Galeria Tina Zappoli (Porto Alegre)

 

1994

 

“Um olhar Sobre os Trópicos”. Projeto Cumplicidades. Museu do Teixeira (Vila Nova de Gaia, Portugal)

 

1995

 

Individual na Artespaço Galeria de Arte (Recife)

 

1996

 

Individual na Galeria Futuro 25. (Recife)

 

Individual na Galeria Irlandini (RJ)

 

1997

 

Individual no Espaço Cultural Bandepe (Recife)

 

Individual na Galeria Candido Mendes (RJ)

 

“Os 4 Zés”. Galeria Artespaço (Recife)

 

1998

 

Individual na Reitoria da Furb (Blumenau)

 

José Barbosa: 20 ans après, na Chez Sophie et Fred Bazin (Paris)

 

Accrochage. Galerie L’Oeil de Boeuf (Paris)

 

1999

 

Individual na Galeria Jaques Ardies (SP)

 

2003

 

“A Torre e o Tempo”. 45º Salão do Estado do Pernambuco (Recife)

 

“Arquétipos da Natureza”, na Galeria Jacques Ardies (SP)

 

2005

 

Recife 468 anos. Galeria Ranulpho (Recife)

 

2007

 

Novíssimos de Pernambuco. Galeria Ranulpho (Recife)

 

2008

 

Coletiva de outono. Galeria Ranulpho (Recife)

 

Reabertura da Galeria Lautréamont (Olinda)

 

Oficina de Madeira. Facamp (Campinas)

 

2009

 

Individual Galeria Jacques Ardies (SP)

 

2010

 

“Naturezas Vivas – Pinturas, Entalhes e Esculturas” (Pernambuco)

 

2011

 

“Naturezas Vivas – Pinturas, Entalhes e Esculturas”. Galerie Bansard (Paris)

 

2013

 

“Paraísos”. Galeria Arte Plural (Recife)

 

2016

 

“Ateliês Pernambucanos, 1964-1982”. Museu do Estado de Pernambuco (Recife)

 

 

Serviço

 

Exposição “Eu Vi o Mundo” do artista José Barbosa da Silva

 

Abertura: Dia 5/3, às 19h

 

Visitação ao público: Dia 6/3 a 29 de maio

 

Local: MACC – Av. Benjamin Constant, 1633 – Centro.

 

Horário: Terça a Sexta: 9h às 17h

Sábado: 9h às 16h

Fechado segundas, domingos e feriados.

 

Entrada Gratuita.

 

Serviço

 

Exposição “Eu Vi o Mundo” do artista José Barbosa da Silva

 

Abertura: Dia 5/3, às 19h

 

Visitação ao público: Dia 6/3 a 29 de maio

 

Local: MACC – Av. Benjamin Constant, 1633 – Centro.

 

Horário: Terça a Sexta: 9h às 17h

Sábado: 9h às 16h

Fechado segundas, domingos e feriados.

 

Entrada Gratuita.

 

Geral

Ação autua estabelecimentos por descumprirem medidas sanitárias

Publicado

em

Por

Dois estabelecimentos foram autuados pela Vigilância Sanitária na noite de ontem (sábado, 10 de abril) por descumprimento das medidas sanitárias, como falta de máscaras por funcionários e por não haver controle de fluxo de pessoas no interior.

A ação vistoriou 22 estabelecimentos comerciais nos bairros Vila Pompéia, Jardim Novo Campos Elíseos e Jardim Santa Lúcia, entre eles padarias, bares, restaurantes, lanchonetes, comércios de bebidas, lojas de variedades, lojas de conveniência, drogarias, lojas de departamento, supermercados, pizzarias e sorveterias.


A fiscalização é realizada com base em denúncias recebidas pela população por meio do 156 e baseada nas regiões da cidade com mais casos de Covid-19. Segundo mapeamento da Prefeitura, a região do Novo Campos Elíseos é a que apresenta maior taxa de letalidade por Covid-19 desde o início da pandemia. Em seguida, aparece a região do Jardim Eulina.
A multa prevista no decreto é de R$ 3.030,88 para o descumprimento dos protocolos sanitários.


A Vigilância pede a colaboração da população para denunciar irregularidades pelo 156 (telefone ou Portal do Cidadão no endereço https://cidadao.campinas.sp.gov.br) e também pelo número 0800-771-3541, do sistema Estadual.

Continue Lendo

Geral

Campinas Sem Fome: 12,8 mil quilos de alimentos apenas no 1º dia

Publicado

em

Por

O primeiro dia de mobilização no “Dia D” da Campanha Campinas sem Fome, ontem, sábado, 10 de abril, arrecadou 12,8 mil quilos de alimentos não perecíveis, o que corresponde a 656 cestas básicas e quase 1,2 mil quilos de alimentos avulsos. Além disso, foram doados pela população 700 quilos de produtos de higiene e limpeza. A ação continua hoje (domingo, 11 de abril) até às 17h. Entre 8h e 14h30 deste domingo foram 4.051 quilos de alimentos e 109,5 quilos de produtos de higiene e limpeza entregues pela população.

O Banco de Alimentos estima que desde o começo da campanha, em 22 de março, até a manhã deste domingo, mais de 250 toneladas de alimentos perecíveis já foram doados pelos campineiros.

A doação é no sistema de drive-thru no Paço Municipal, com acesso pela Rua Barreto Leme. Para evitar aglomeração, não é necessário descer do veículo para entregar os produtos. Basta parar num dos pontos de coleta, sendo o primeiro próximo à entrada do arruamento do Paço Municipal e o outro na entrada do estacionamento externo. Os voluntários retiram os produtos e direcionam para serem transportados em vans até o Banco de Alimentos.


Os donativos vão para o Banco de Alimentos, que repassa para 145 entidades cadastradas na rede assistencial da Prefeitura. As instituições distribuem para as famílias em situação de vulnerabilidade social e nutricional e que estão cadastradas no aplicativo Viva Vida.

A ação tem apoio das secretarias e autarquias municipais, da Guarda Municipal, Ceasa, Sanasa, Emdec e da Transurc. O Exército também apoia com duas equipes, uma no Paço e a outra na sede do Banco de Alimentos, onde será feita a triagem, pesagem e armazenamento adequado.

Continue Lendo

Geral

Ação da Vigilância Sanitária interdita um estabelecimento e autua quatro

Publicado

em

Por

A Coordenadoria da Vigilância Sanitária autuou quatro estabelecimentos e interditou um em ações de fiscalização ontem, sexta-feira, dia 9 de abril. A interdição se deu em um estabelecimento não essencial que estava funcionando e as autuações por serviços essenciais, que descumpriam os protocolos sanitários.


Com o objetivo de atender denúncias recebidas via 156, as equipes da Vigilância vistoriaram academias, salões de beleza, clínicas médicas, consultórios, supermercados, hortifrutis, padarias, açougues, sorveterias, lojas de suplementos, drogarias, comércios de vestuário, lanchonetes, bares, restaurantes e adegas. Os proprietários e responsáveis pelos estabelecimentos foram orientados sobre as medidas sanitárias obrigatórias previstas nos decretos municipais vigentes.


Durante a operação, houve colaboração da população, que abordou os fiscais para tirar dúvidas e fazer denúncias de estabelecimentos funcionando irregularmente.
Uma equipe de técnicos inspecionou uma instituição de longa permanência para idosos (ILPI), na Vila Industrial, para avaliação das medidas adotadas para a prevenção da Covid-19. Os fiscais constataram irregularidades sanitárias e abriram processo administrativo para apurar os fatos.


A Coordenadoria da Vigilância Sanitária reforça que a população pode denunciar situações em desacordo com os decretos municipais e demais medidas de controle para prevenção da Covid-19 pelo Portal do Cidadão – 156 (por telefone ou site) ou pelo Canal de Denúncias Estadual, tel: 0800-771 3541. O órgão também pede a colaboração dos cidadãos, com relação ao uso de máscara em locais públicos, higienização das mãos e para evitar aglomerações, principalmente festas clandestinas.

Continue Lendo







Populares