Connect with us

Geral

Instituto Wilson Mello e Change Academia se unem para expansão do wellness em Campinas

Publicado

em

O Instituto Wilson Mello e a Change Academia acabam de anunciar uma parceria para a gestão do setor de treinamento físico do Instituto, localizado no Condomínio Praça Capital, em Campinas.  O objetivo das duas empresas com o lançamento do projeto – IWM Together We Can Change – é ampliar o atendimento a clientes que buscam saúde e qualidade de vida por meio da prática bem orientada da atividade física. A ideia é olhar com carinho para o maior agente de transformação do mundo: o corpo humano.

O Instituto Wilson Mello é um centro multidisciplinar que reúne Clínica de Ortopedia e Medicina Esportiva, Centro Avançado de Fisioterapia Ortopédica e Esportiva e Núcleo de Estudos. Já a Change Academia se destaca no setor por propor novos métodos de planejamento e acompanhamento de treino aliado a ambientes aconchegantes e acolhedores, diferentes de qualquer outra do ramo. A união das duas empresas se baseia em um valor em comum entre os proprietários: o conceito de wellness, no qual o objetivo não é um corpo necessariamente esculpido, mas saudável, supervisionado por médicos, fisioterapeutas, nutrólogos e educadores físicos.

Cuidar é a essência do profissional da saúde. Dr. Wilson Mello, líder da equipe do Instituto, formado pela Unicamp há 40 anos e um dos mais renomados cirurgiões de joelho do País, sempre encarou seu trabalho dessa forma. “Muitas vezes, o paciente chega ao consultório com uma dor no joelho, mas ao examinar e conhecer sua história clínica e de vida, descobrimos que ele precisa muito mais do que um tratamento para seu joelho, ele precisa de atenção”, afirma o médico.

Cuidando do todo

Essa atenção a que Dr. Mello se refere envolve, em muitos casos, uma mudança de estilo de vida que, junto ao tratamento clínico indicado, pode devolver ao paciente o prazer em realizar atividades que o fazem feliz, mas que tinha abandonado.  “Esse é o conceito de wellness, de bem-estar. Quando unimos profissionais de diferentes áreas podemos oferecer essa abordagem aos nossos clientes”, explica o idealizador do Instituto Wilson Mello, inaugurado em 2010 com base nesses valores.

Publicidade

Foi por também pensar dessa forma, e não encontrar um espaço que atendesse ao seu ideal de atividade física, que o administrador de empresas Luís Antônio Calicchio trocou a roupa social de executivo do mercado financeiro por tênis e regatas e começou, em 2008, um projeto para transformar a vida de muitas pessoas. “O exercício deve focar além da estética. Precisa ser transformador, levar saúde, eliminar dores e ser formado por atividades motivadoras, que façam sentido para quem pratica”, defende o empresário. Hoje, a Change Academia conta com mais de 1,2 mil alunos em suas duas unidades de Campinas, no Gramado e no Alphaville.

A experiência de Calicchio se une agora à filosofia do Instituto Wilson Mello de forma bem alinhada no propósito de cuidar do corpo enquanto agente de transformação. “Existe uma sinergia entre os objetivos que nós buscamos para nosso setor de atividade física com o que a Change Academia vislumbra para a saúde e bem-estar de seus clientes e isso fez com que buscássemos essa parceria. Esperamos, assim, atender a um universo de pessoas muito maior, porque unimos a expertise das duas empresas num processo de divulgação e atendimento mais amplo”, comemora Dr. Mello.

Tendência de mercado entre todas as gerações

O projeto IWM Together We Can Change implantado na terceira unidade da Change Academia foi estruturado com base em pesquisas de entidades internacionais (Euromonitor International e Global Wellness Institute) que demonstram a crescente tendência do modelo proposto pela dupla que, diferentemente do fitness, em que o foco é o corpo, se preocupa com o bem-estar geral. “O mercado global de wellness, que tem diversos segmentos, movimentou US$ 3,7 trilhões em 2015, sendo que apenas o fitness e mind-body representam sozinhos US$ 542 bilhões”, esclarece o empresário.

As pesquisas foram encomendadas para que Calicchio e Dr. Mello entendessem melhor esse movimento e desenvolvessem o negócio ideal para o setor. O estudo analisou o impacto do conceito em diferentes gerações e percebeu que a tecnologia tem sido utilizada a favor do bem-estar, começando já pelas crianças, na chamada geração alpha. Já no caso dos millennials, os nascidos entre 1980 e 2000, os especialistas observaram uma busca por essa sensação em atividades ao ar livre.

Publicidade

O ponto em que todas as gerações se encontram é na busca pela conectividade, pelo conhecimento do corpo e por uma experiência real. A combinação desses três fatores resulta no que se chama de “wellness” hoje em dia. “A conclusão foi que, na verdade, não existem fronteiras entre as gerações. Todas elas estão em busca de uma consciência corporal e uma busca constante por experiências que promovam esse bem-estar”, contam os pioneiros de Campinas, que comprovaram pela pesquisa que esporte e atividade física nunca estiveram tão conectados com a medicina como nesse momento e é por isso que sabem que estão no caminho certo.

Geral

Novo tomógrafo do Hospital Mário Gatti entra em operação e agiliza exames

Publicado

em

Por

O Hospital Municipal Dr. Mário Gatti iniciou a operação de mais um tomógrafo nesta sexta-feira, 1 de julho. O equipamento, modelo “Somaton Go Up” de 64 canais, da fabricante Siemens Healthineers, incorpora novas tecnologias, agiliza e traz mais qualidade para os exames realizados na rede municipal.
A entrega do tomógrafo marca o início das comemorações dos 248 anos de Campinas.
O novo equipamento ampliará a capacidade de tomografias da atual média mensal de 2,4 mil para 4 mil. É um grande ganho para o hospital e para os pacientes. É um equipamento de excelente qualidade, que dará celeridade nos atendimentos e ajudará a melhorar os diagnósticos”, disse o prefeito Dário Saadi na manhã desta sexta-feira, durante visita à unidade, acompanhado do presidente da Rede Mário Gatti, Sérgio Bisogni, e do diretor técnico do hospital, Carlos Arca
O Mário Gatti recebeu o equipamento do Ministério Saúde, após ser selecionado em um chamamento de estabelecimentos públicos ou privados sem fins lucrativos (filantrópicos) integrantes do SUS no segundo semestre de 2020. Com a aquisição, o hospital passa a dispor a partir de agora de dois tomógrafos.
A tomografia computadorizada é uma espécie de raio-x que enxerga em 360 graus. Por isso, o exame gera imagens em fatias, que podem ser analisadas de qualquer ângulo. Ela capta imagens detalhadas que reconstroem tridimensionalmente partes do corpo e dão aos médicos uma visão fiel do esqueleto, dos pulmões, das vias aéreas, além de outros órgãos internos.
O Somatom Go Up funciona com 64 canais, com maior qualidade nas imagens capturadas, garantindo mais precisão no diagnóstico, independente da área do corpo investigada no exame. O novo equipamento, mais tecnológico, permite resultados em diversos campos clínicos, identificando alterações que poderiam passar despercebidas em exames mais antigos.

Continue Lendo

Geral

16ª Feverestival vai agitar o Parque Taquaral neste domingo, 3 de julho

Publicado

em

Por

O Feverestival – Festival Internacional de Teatro de Campinas – abre sua 16ª edição, neste domingo, 3 de julho, com uma grande ocupação do Parque Taquaral. A programação terá oficinas, ações formativas, cortejo e diversas atrações culturais para todas as idades. As atividades terão início às 9h, na Lagoa do Taquaral.
Com o tema “Cultivar convívios”, a 16ª edição do Feverestival convida nossa sociedade a refletir sobre uma questão essencial: de quais maneiras queremos nos relacionar com a vida e com o território que habitamos? Toda a programação e espetáculos foram planejados partindo deste questionamento. (Veja a programação abaixo)
A abertura do Feverestival esse ano vai ser uma ocupação do Taquaral com diversas atividades culturais, formativas, atrações, e vai ser bem bonito para todas as famílias. Queremos encontrar um público bem diverso, por isso teremos ações focadas em acessibilidade, ações para jovens, crianças e como um todo uma programação para a família campineira”, explica Bruna Schroeder, membro do Núcleo Feverestival.
Abre-alas
Para contemplar este primeiro dia de programação, o Feverestival leva ao público atrações diversas. Entre elas, está a contação de histórias “A Flor do Curupira”, da Cia. Benedita na Estrada, que marca o reencontro da dupla de artistas Mirna Rolim e Bruno Dutra com uma grande plateia após o período de maior isolamento social.
No mesmo dia, o público também poderá ter contato com duas ações realizadas pelo Coletivo Mão Dupla, que realiza ações de acessibilidade por meio da Língua Brasileira de Sinais.
A primeira delas será uma oficina de “Poesia Bilíngue (Libras-Português)” e a segunda, o “Sarau Sinaliza”, no qual artistas do coletivo Mão Dupla e convidados, incluindo participantes da oficina, apresentarão suas performances e poesias.
Para encerrar o primeiro dia de programação, o 16º Feverestival recebe a participação do Lume Teatro, apoiador desta edição e um dos responsáveis pela concepção do Festival há quase 20 anos. Junto com alguns grupos convidados – Família Burg, Circo da Silva, Nanocirco, Bloco Cupinzeiro e Renata Oliveira –, o Lume levará ao Taquaral o “Cortejo Abre-alas”, resultado da oficina que foi realizada no período pré-Festival com mais de 50 pessoas.
O Abre-alas será um espetáculo itinerante de rua que falará sobre as dores do planeta, a política atual, o capitalismo e o quanto o dinheiro movimenta toda essa engrenagem. “Como o espetáculo é construído ao longo de uma semana, ele nunca é igual. Temos uma estrutura conhecida que se repete, mas cada vez é diferente. Criamos ali um roteiro novo e as pessoas que fazem são diferentes também”, aponta Raquel Scotti Hirson, membro do Lume Teatro.
Realização
A 16ª edição é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa; produção da Território Produções Culturais e Núcleo Feverestival; correalização da Universidade Estadual de Campinas, Cocen (Coordenadoria de Centros e Núcleos Interdisciplinares de Pesquisa), Lume Teatro (Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp) e Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura de Campinas.
O Núcleo Feverestival é composto por Bruna Schroeder, Cauê Moreira, Dandara Lequi, Dudu Ferraz, Francisco Barganian, Lucas Michelani e Vini Silveira.
Serviço
16º Feverestival
Quando: 3 a 10 de julho de 2022
Onde: Campinas
Programação completa disponível em http://feverestival.com.br
Redes sociais: @feverestival (Instagram) e /feverestival.campinas (Facebook)
Programação completa
Dança de Salão: descobrindo conexões outras
Carolina Polezi
Ação pedagógica
Horário: 9h, Local: Lagoa do Taquaral – Próximo ao Planetário (Portão 7)
Número de vagas: Ilimitado – sem necessidade de inscrições.
Sinopse: A oficina busca apresentar ao público uma abordagem diferente para o forró, em que os participantes poderão conhecer melhor suas origens histórico culturais a partir de práticas das danças populares nordestinas e da condução compartilhada.
Ministrantes: Carolina Polezi
Oricina de Poesia Bilíngue (Libras-Português)
Coletivo Mão Dupla
Ação pedagógica
Horário: 10h, Local: Lagoa do Taquaral – Área para PicNic (Portão 1)
Número de vagas: 20 – sem necessidade de inscrições
Sinopse: A oficina tem a intenção de unir poetas surdos e ouvintes, mostrando as possibilidades de expressão poética usando elementos das literaturas Surda e Ouvinte. Os participantes podem trazer poesias prontas a serem transformadas pela metodologia oferecida ou elaborarão novas poesias, de forma que, ao final, todas que aconteçam nas línguas Português e Libras ao mesmo tempo, numa interação entre as identidades de artistas surdos e ouvintes.
Ministrantes: Bruno Vital, João Pedro Acciari, Isa Santos e Letícia Navero
Danças Afro-Brasileiras: Diálogos entre tradição e o contemporâneo
Ação pedagógica
Horário: 10h, Local: Praça Arautos da Paz
Número de vagas: 35, semem necessidade de inscrições
Sinopse: A oficina “Danças Afro-Brasileiras: diálogos entre tradição e contemporâneo”, pretende levar aos participantes um pouco do universo da dança afro, através dos elementos da natureza, de variados ritmos, movimentos e coreografias; partindo de uma oralidade e corporeidade baseadas na ancestralidade negra na diáspora.
Ministrantes: Renata de Oliveira, Otávio Andrade e Yandara Pimentel
A flor do Curupira
CIA Benedita na Estrada
Contação de histórias
Horário: 11h, Local: Lagoa do Taquaral – Playground (Portão 1)
Duração: 50 minutos
Classificação etária: Livre
Sinopse: É preciso ser grande pra se ter coragem? Essa história inspirada no livro “Tampinha” de Angela Lago mostra que às vezes, quanto menor a gente é, mais coragem temos! Haja coragem pra sairmos de onde nascemos e enfrentarmos os desafios que a vida trás. Convidamos a todos para viver essa aventura de sabedoria popular, muita música e brincadeiras.
Texto: Cia Benedita na Estrada (livremente inspirado no livro “Tampinha de Angela Lago). Direção: Cia Benedita na Estrada. Elenco: Bruno Dutra e Mirna Rolim. Figurino: Graciete Mary Santos. Preparação musical: Aline Marques. Fotografia: Tereza Saci. Registro de vídeo: Tobias Rezende. Designer gráfico: Mirna Rolim. Produção: Cia Benedita na Estrada
Sarau Sinaliza
Coletivo Mão Dupla
Sarau
Horário: 13h, Local: Lagoa do Taquaral – Área para PicNic (Portão 1)
Duração: 2h
Classificação etária: Livre
Acessibilidade: Libras
Sinopse: Ao unir a poesia oral e a poesia do corpo, o evento traz surdos e ouvintes à Lagoa do Taquaral. O Sinaliza busca fomentar a cultura do Slam Bilíngue (Libras-Purtuguês) na região de Campinas e reformular os lugares que ocupamos através da poesia sinalizada. Neste Sarau, duplas formadas por um poeta surdo e um ouvinte, apresentarão poesias com elementos da Cultura Surda. É para ouvintes e surdos, para quem é poeta e quem não é, para adultos e crianças, é para todos!
Poetas Surdos: Bruno Vital, Elivelton Silva e João Pedro Acciari | Poetas ouvintes: Gabriel Nardi, Isa Santos, Leticia Navero
Cortejo “Abre-Alas”
Lume Teatro, Família Burg, Circo da Silva, Nanocirco, Bloco Cupinzeiro e Renata Oliviera
Cortejo
Horário: 15h, Local: Lagoa do Taquaral (Portão 1)
Duração: 1h30
Classificação etária: Livre
Sinopse: Uma procissão ou desfile carnavalesco que toma de assalto ruas e avenidas, este é o Cortejo Abre-Alas, interferindo no tráfego de carros e de gente, propondo relações com o entorno cotidiano e com o outro, o estranho, o inusitado. O Cortejo Abre-Alas é resultado da oficina-montagem ministrada pelo LUME Teatro, que envolve cerca de 80 artistas e profissionais de várias áreas que, juntos, incorporam elementos do tempo e do espaço da rua às cenas construídas para a intervenção.

Continue Lendo

Geral

Campanha do Agasalho de Campinas ultrapassa 9,4 toneladas de doações

Publicado

em

Por

A Campanha do Agasalho de Campinas alcançou nesta sexta-feira, dia 1º, a marca de 9.441 quilos de doações, entre roupas e cobertores. O número representa um avanço de 23,7% em relação ao último balanço, divulgado em 22 de junho. “É com muita satisfação e espírito solidário que celebramos esse novo patamar de doações. O povo de Campinas está de parabéns”, afirmou Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.
No dia 6 de julho, será feita uma operação conjunta com o Exército para triar a grande quantidade de doações na quadra esportiva dos Patrulheiros Campinas. Esse ano, a campanha continua priorizando roupas masculinas, pois são as que menos chegam por meio de doações.
As doações podem ser feitas até o dia 31 de julho. Um hotsite foi criado especificamente para a campanha: https://campinas.sp.gov.br/doeagasalho.
A Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos destaca, ainda, para a importância de as peças estarem em bom estado de conservação.
O propósito da Campanha do Agasalho é a distribuição de roupas de inverno e cobertores à população socialmente vulnerável. A Campanha irá até o dia 30 de julho, podendo ser prorrogada em caso de necessidade.
Operação inverno
Desde 1º de maio, a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos lançou a Operação Inverno, serviço de acolhimento a pessoas em situação de rua no município por meio do SOS Rua. A Operação Inverno se estende até o dia 30 de setembro.
Desde que começou, já foram registrados 3.570 atendimentos, foram distribuídos 6.013 cobertores e realizados 716 encaminhamentos a abrigos municipais.
Durante a Operação Inverno, o período de acolhimento do serviço SOS Rua passa a ser das 8h à 0h. O objetivo é acolher essas pessoas e, se elas aceitarem, as encaminhar aos serviços da rede de proteção, de assistência social e de saúde do município. O SOS Rua conta com equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos e educadores que atuam diretamente nas ruas.
Desde a primeira semana do mês, reforçando a ação da Operação Inverno, o Bagageiro Municipal ampliou em mais duas horas o horário de atendimento à população socialmente vulnerável. O serviço está localizado na Rua José Cruz Ferreira Jorge, 32, na Vila Industrial, e funciona, agora, de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h. Antes da mudança, o horário de atendimento era até 17h.
A Secretaria também, em 5 de maio, ampliou o número de vagas em abrigos para pessoas em situação de rua. Além das 120 vagas já existentes no Samim, foram criadas mais 100 vagas na Casa da Cidadania.
Além da Operação Inverno, por meio do SOS Rua, a Prefeitura de Campinas mantém outras políticas públicas voltadas à população em situação de rua.
Mão amiga
Tendo como objetivo promover a reinserção social por meio da qualificação profissional de pessoas em situação de rua, o Mão Amiga oferece, durante o curso, uma bolsa de 277 UFICs, o que equivale a R$ 1.165,73, e dura de 12 a 24 meses. Desde 2016, quando foi criado, já foram certificados 166 bolsistas: 130 homens e 36 mulheres, que frequentaram aulas de hidráulica, elétrica e música. Mais de 20 ex-egressos do curso já entraram para o mercado de trabalho formal.
Operação “Amigos no trecho”
Iniciada em 1º de julho de 2021, o projeto envolve a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, a Polícia Militar Rodoviária e as concessionárias que administram as estradas que passam pelo município de Campinas. Trata-se de um serviço 24 horas que, ao identificar um morador em situação de rua nas estradas, aborda, identifica-o e oferece acolhimento no albergue municipal.
Recâmbio
O Recâmbio de Migrantes é um programa da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos cujo propósito é garantir o retorno seguro de pessoas socialmente vulneráveis a seus locais de origem.
Centros POP Sares unidade 1 e unidade 2
São equipamentos públicos que ofertam atendimento especializado para pessoas em situação de rua. As ações desenvolvidas são: acolhida; escuta qualificada e compreensão do contexto familiar e social dos (as) usuários (as); orientação sobre documentação pessoal; compreensão da complexidade e da dimensão social que perpassa a situação de rua; incentivo à participação social dos (as) usuários (as) e a defesa de direitos e oferta de cuidados de higiene, vestuário e alimentação.
Casas de passagem
As duas casas de passagem em Campinas acolhem pessoas em situação de rua, oferecendo espaço transitório de moradia para a construção do processo de saída das ruas. Oferece cuidados de higiene, saúde, alimentação, vestuário, documentação e convivência.
Abrigos
A Prefeitura conta com três abrigos masculinos, um feminino e um albergue municipal (Samim).
Consultório na rua
A Secretaria Municipal de Saúde mantém o Consultório na Rua, que visa atender a essa população. Por meio de um veículo adaptado que percorre diversas áreas da cidade, o Consultório na Rua oferece cuidados em saúde a essas pessoas em seus próprios contextos de vida. É composto por duas equipes multidisciplinares que contam com médicos, psicólogos, assistentes sociais, auxiliares de enfermagem, enfermeiros e redutores (pessoas que trabalham com a política de redução dos danos causados pelas drogas).
O foco do atendimento é voltado para doenças ou condições que mais atingem os moradores em situação de rua, como tuberculose, alcoolismo e combate ao crack e outras drogas. Orienta essa população sobre doenças, como as sexualmente transmissíveis e hepatites. Realiza curativos, testes de diabetes e medição de pressão.

Continue Lendo

Populares