Connect with us

Geral

Grupo de artesãs leva o mundo dos quadrinhos à arte do bordado

Publicado

em

Ao invés de canetas e papéis, agulhas e panos: um grupo de dez artesãs do distrito do Campo Grande está levando o mundo das histórias em quadrinhos para o universo do bordado. O resultado dessa experiência será uma história em quadrinhos em tecido, a ser exposta no dia 19 de fevereiro na mostra online “Dia do Quadrinho”, no site https://www.dqnzink.com.br/ , da Biblioteca Ernesto Zink. Trata-se do projeto “Bordadeiras fazendo arte”, fomentado pela Secretaria Municipal de Cultura e a Assistência Social e Segurança Alimentar. 

 

 

 

“Essa proposta, que surgiu de oficinas de artesanato, cria um diálogo interessante entre realidades distintas e o público certamente vai se encantar com o trabalho exposto“, afirmou  a secretária municipal de Cultura, Sandra Ciocci. 

 

 

 

A ideia nasceu da parceria entre um desenhista de 12 anos, Kaio Soares Miranda, que cria as formas que serão transpostas para os bordados, e as artesãs. Autodidata, o pequeno artista fez de sua vivência do universo dos quadrinhos a fonte de inspiração para criar. Depois de prontos, são copiados para os tecidos e aí começa o trabalho de bordar. 

 

 

 

O grupo já produziu até um livro em tecido, a “História de Rose”, que desenvolve uma narrativa sobre a formação da mulher negra. Segundo Maria Marinho, do projeto “Bordadeiras fazendo arte”, o trabalho entusiasmou a todas. “A gente precisa falar de mulher porque afinal de contas as mulheres ficam abandonadas, meio que desprotegidas”, afirmou.

 

 

 

Segundo Juliana Siqueira, da coordenadoria de ação cultural da Secretaria de Cultura, o grupo nasceu de uma iniciativa intersetorial, que começou a pedido do Cras (Centro de Referência da Assistência Social) Satélite Íris e vem sendo desenvolvida com a rede Novas Atitudes para oferecer oficinas de artesanato. “Por meio do bordado, queremos trabalhar e fomentar ações para elas cuidarem de si mesmas”, afirmou.

 

 

 

A rede intersetorial Novas Atitudes é composta por vários serviços que atendem à população da região. Dentre eles estão o Cras Satélite Íris;  as Escolas Estaduais Rosina Frazatto e São Judas Tadeu; o Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) Noroeste. Além das instituições Centro Educacional e de Assistência Social Coração de Maria (Ceascom); Centro Regional de Atenção Aos Maus Tratos na Infância (Crami); Casa Hosana e Projeto Gente Nova (Progen).

 

 

 

A exposição online Bordadeiras fazendo arte começa dia 19 de fevereiro e vai até 28 de fevereiro. 

Geral

Campinas tem 88,42% dos leitos de UTI-Covid ocupados nesta quarta, 24

Publicado

em

Por

Campinas conta nesta quarta-feira, 24/02, com 285 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19 nas redes pública e particular. Deste total, 252 estão ocupados, o que corresponde a 88,42%. Há 33 leitos livres somando as redes pública e particular.

Os leitos estão divididos da seguinte forma:

SUS Municipal: 118 leitos, dos quais 115 estão ocupados, o que equivale a 97,46%. Há 3 leitos livres.

SUS Estadual: 30 leitos, dos quais 22 estão ocupados, o que corresponde a 73,33%. Há 8 leitos livres.

Particular: 137 leitos, dos quais 115 estão ocupados, o que equivale a 83,94%. Há 22 leitos livres.

Continue Lendo

Geral

Prefeito participa de iniciativa da ONU sobre Cidades Resilientes

Publicado

em

Por

O prefeito Dário Saadi participou do lançamento da iniciativa Construindo Cidades Resilientes (MCR 2030), organizada pelo escritório das Nações Unidas (ONU) para Redução do Risco de Desastres para as Américas e Caribe, como representante de governo local.



A meta da MCR 2030 é criar e articular experiências entre as cidades que promovam, ao mesmo tempo, o desenvolvimento sustentável e a redução de risco de desastres, cumprindo o Marco de Sendai até 2030. O objetivo é garantir que as cidades sejam inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis até o início da próxima década.


O evento foi realizado por meio de uma videoconferência no início da tarde desta quarta-feira, 24 de fevereiro, na Sala Azul, com representantes de governos, entidades e terceiro setor dos países das Américas e Caribe.


O prefeito apresentou as estratégias que o município adotou nos últimos anos para diminuir os riscos de desastres naturais como a criação de um Sistema de Alerta de Desastres baseado em dados de radares, mapeamento de zonas de risco, capacitação dos servidores da Defesa Civil, entre outros.


Saadi também reiterou o compromisso de Campinas com a MCR30 e colocou a experiência do município à disposição das outras cidades da América Latina e Caribe para servir como modelo. “É fundamental para a construção das Cidades Resilientes e o cumprimento das metas do Marco de Sendai que estejam inseridos na legislação municipal das diversas políticas públicas da cidade e, principalmente, que haja o envolvimento de toda a sociedade”, afirmou. “Em Campinas, trabalhamos para o desenvolvimento urbano sustentável e envolvemos vários conselhos municipais na construção destas políticas para a população”, completou.


Para fechar a reunião, o chefe do escritório das Nações Unidas para Redução de Risco e Desastres para as Américas e Caribe, Raul Salazar, aposta no sucesso do MCR 2030. “Iniciamos a campanha com otimismo e visão de futuro”, destacou.



Prêmios

Campinas, junto com Santa Fé, na Argentina, é cidade modelo da Campanha Construindo Cidades Resilientes.


O município tem destaque na área e recebeu, em maio de 2019, o “Prêmio Sasakawa” das Nações Unidas para a Redução de Desastres, por suas iniciativas. Concorreu com 61 candidaturas de 31 países.


Foi a primeira cidade no Brasil certificada pela ONU, em 2013, como modelo da Campanha Construindo Cidades Resilientes. Neste contexto, ser uma cidade resiliente significa entender as situações de riscos de desastres, planejar ações e atuar para evitá-los.

Continue Lendo

Geral

Guarda Municipal flagra 50 galos em situação de maus tratos em residência

Publicado

em

Por

A Guarda Municipal de Campinas encontrou cerca de 50 galos em situação de maus tratos em uma residência na Vila Brandina na manhã desta quarta-feira, dia 24 de fevereiro. Os animais eram mantidos em cativeiro dentro de caixotes, em local precário e muitos deles machucados, sem comida e sem água. A suspeita da GM é que as aves eram usados para rinha.

A corporação chegou ao endereço em uma operação, em conjunto com o 13º Distrito Policial, que buscava por receptadores de fios e cabos de cobre e acabaram se deparando com o terreno com os animais.

Não havia ninguém no local quando a Guardar Municipal chegou.

A guarnição acionou o Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal (DPBEA), da Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, que foi até o local para fazer o laudo de comprovação de maus tratos e fornecer água e comida aos galos. O destino das aves ainda será avaliado pelo Departamento.

A ocorrência foi encaminhada para registro no 13º Distrito Policial.

Continue Lendo









<





Populares