Connect with us

Geral

GM inicia temporada do projeto “Maria da Penha vai à escola”

Published

on

Os guardas municipais do Projeto Integração (Proin) estrearam na tarde desta terça-feira, 19 de julho, a peça “Até quando, Maria? Até quando?”, parte do projeto “Maria da Penha vai à escola”. A iniciativa vai levar para alunos, professores e comunidade, informação e conscientização sobre a violência doméstica contra a mulher, o alcance da Lei Maria da Penha e o trabalho que a Guarda Municipal de Campinas (GMC) realiza em apoio às vítimas.
A apresentação, no Teatro IMA Cultural, reuniu convidados e alunos de onze turmas de oito escolas da rede municipal que fazem parte dos programas de Educação de Jovens e Adultos (EJA), Consolidando a Escolaridade, e Educação Ampliada ao Longo da Vida, da Fundação Municipal para Educação Comunitária (Fumec). Na plateia, cerca de 250 alunos de diversas regiões da cidade se reuniram a autoridades convidadas.
O vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira esteve presente e se disse emocionado com a iniciativa, e com o envolvimento dos guardas municipais, que tiveram sensibilidade para criar a atmosfera necessária. “A criatividade é um poderoso instrumento quando precisamos passar uma mensagem para alguém”, afirmou, lembrando que a arte tem o poder de transformar a realidade ao tocar as pessoas em suas emoções.
Entre as várias autoridades presentes, estavam representantes das Secretarias de Educação e de Cultura, parceiras da Guarda Municipal e da Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança de Campinas na iniciativa, e autoridades policiais e do Legislativo da cidade.
O secretário de Cooperação nos Assuntos de Segurança de Campinas, Luiz Augusto Baggio, destacou que, acima de tudo, a peça quer tratar da importância do respeito entre as pessoas e do risco de, por omissão, aceitar a agressão. “Nosso foco é a prevenção para que isso não aconteça, que o respeito se dê pela consciência das pessoas”, disse, ao agradecer o engajamento dos guardas municipais no projeto para levar essa mensagem à comunidade.
A vida no palco
Os guardas municipais envolvidos na peça são da equipe do Programa de Integração (Proin), que leva o trabalho preventivo da Guarda Municipal para a comunidade, abordando assuntos como uso de drogas, de álcool e violência doméstica. A peça foi criada, montada e encenada por nove guardas que se voluntariaram a partir do projeto idealizado pela assessora da Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança, Teresinha de Carvalho. A supervisão do trabalho foi do Comandante da GMC, Márcio Frizarin, com colaboração da Inspetora Marilza Alves Rodrigues.
A dramaturgia foi desenvolvida com a colaboração da Companhia Teatral Sia Santa, com o diretor Jorge Fantini assumindo a criação, com a equipe do Proin. A apresentação da Lei Maria da Penha, a lei nº 11.340/06, e um pouco da história da mulher que dá nome à lei marcam o início do espetáculo,
com a assessora Teresinha de Carvalho e o diretor Fantini em cena.
No palco, em “Até quando, Maria? Até quando?”, os guardas municipais Cleir, Do Nascimento, Edson Lopes, Friaça, Leandro, Nogueira Martins, Sílvia Carvalho, Sueli e Vanessa mostram cenas do cotidiano de muitas famílias que nem sempre são vistas como violência. A relutância em denunciar, o impacto na vida dos filhos e na autoestima da mulher agredida e a importância de uma estrutura de apoio às vítimas trazem ao público uma realidade cotidiana. A situação vivida pelos guardas municipais, que muitas vezes são acionados mas não conseguem efetivar a ocorrência por receio das mulheres agredidas em denunciar a violência, também é mostrada.
Peça percorrerá bairros e escolas
A partir de agora, a peça será apresentada em escolas da rede municipal de educação de Campinas, por meio da parceria com a Secretaria de Educação. No futuro, as apresentações poderão ser ampliadas para as redes estadual e particular.
Representantes das guardas municipais de Paulínia, Itatiba e Monte Mor estavam na plateia e demonstraram interesse em levar a experiência para as cidades vizinhas.
A Lei Maria da Penha entrou em vigor em 2006 e representa um grande avanço contra as várias formas de violência no âmbito familiar. Com base nesta legislação, o juiz pode aplicar ao agressor medidas restritivas para afastá-lo do convívio doméstico. O descumprimento das medidas protetivas às vítimas passou a ser crime punível com prisão.
A Guarda Municipal de Campinas possui o programa Guarda Amigo da Mulher (Gama), que acompanha famílias em situação de violência e que tenham medidas protetivas definidas pela Justiça. Criado pelo prefeito Jonas Donizette, em 2016, o Gama tem uma equipe preparada para a abordagem, acompanhamento das vítimas e colaboração no cumprimento das medidas de proteção.

Geral

Estabelecimentos poderão funcionar até meia-noite a partir de 1º de agosto

Published

on

By

A Prefeitura de Campinas informou que seguirá as medidas anunciadas nesta quarta-feira, dia 28 de julho, pelo Governo do Estado referentes ao Plano São Paulo de combate à pandemia de coronavírus. As regras de flexibilização serão publicadas em decreto no Diário Oficial do Município de sexta-feira, dia 30 de julho.

 

A partir de domingo, dia 1º de agosto, o limite de horário de funcionamento de comércios, serviços em geral e espaços religiosos será estendido de 23h para meia-noite.

 

A capacidade de ocupação nos estabelecimentos, atualmente em 60%, passará para 80%. As novas regras da fase de transição terão validade de 1º até 16 de agosto.

 

O município mantém o respeito aos protocolos, uso obrigatório de máscaras em ambientes de acesso público e passa a seguir o distanciamento mínimo de pelo menos um metro entre os alunos nas salas de aula das escolas públicas e particulares.

 

A partir do início do próximo mês, também não haverá mais toque de recolher durante as madrugadas.

 

O acesso de clientes a shoppings, galerias, lojas de rua, bares e restaurantes deverá ser interrompido às 23h, com atendimento permitido até meia-noite. Todas as atividades econômicas devem obedecer aos protocolos de segurança sanitária.

 

Os eventos que geram aglomerações – casas noturnas, shows de médio e grande porte, competições esportivas com público, etc.– continuam proibidos.

 

Fica mantida a recomendação de escalonamento de horários de entrada e saída para trabalhadores dos setores de comércio, serviços e indústrias. Também seguem liberadas as celebrações individuais e coletivas em igrejas, templos e espaços religiosos, sob rígido cumprimento de protocolos de higiene e distanciamento social.

Continue Reading

Geral

Parceria entre Saúde Municipal e empresas inicia vacinação em Campinas

Published

on

By

A vacinação contra a Covid-19 na Arcor do Brasil, primeira empresa parceira da Prefeitura de Campinas no projeto criado para acelerar a aplicação de doses no município, foi iniciada na manhã desta quarta-feira, dia 28 de julho. Até as 17h, foram vacinados 32 dos 445 funcionários que fazem parte de grupos contemplados na campanha (pessoas a partir de 30 anos; com comorbidades a partir dos 18 anos, entre outros).

 

A imunização destes públicos será realizado até sexta-feira, 30 de julho, nos três turnos de trabalho da empresa (manhã, tarde e noite).

 

“A importância para nós é poder contribuir de forma integral nas comunidades que atuamos e na sociedade em geral, proporcionando um ambiente seguro e saudável para nossos colaboradores e familiares”, diz Geraldo Netto, diretor de Capital Humano da Arcor do Brasil.

 

Desde 20 de julho, data da publicação do chamamento público, 26 empresas aderiram à parceria. Juntas, as organizações representam 71.890 trabalhadores, sendo que 22.767 fazem parte dos grupos que estão sendo vacinados nos centros de saúde do município. 

 

Para a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), Andrea von Zuben, a parceria com as organizações é muito importante. “A Saúde Pública agradece a cooperação das empresas para acelerar a vacinação dos campineiros”, afirma.   

 

As empresas que aderem à parceria são avaliadas pelo Devisa. Se aprovadas, recebem treinamento, vacinas e insumos para aplicação. Em contrapartida, se responsabilizam por vacinar os funcionários dos grupos que estão sendo imunizados pela Secretaria de Saúde. 

 

Para serem aprovadas, as empresas precisam cumprir alguns requisitos. Entre eles, ter um profissional de enfermagem para a aplicar as doses e duas pessoas para cuidar da digitação dos dados exigidos pelo sistema.

 

 

Ampliação

 

 

Nesta quarta-feira, a Prefeitura de Campinas ampliou as parcerias para acelerar a vacinação. Com isso, além das empresas, estabelecimentos de ensino situados no município também poderão aderir à estratégia para vacinar seus alunos. Até então, apenas os funcionários destas instituições poderiam ser vacinados. Importante lembrar que a medida contempla os grupos atendidos atualmente no programa de vacinação da cidade.

 

As empresas e instituições de ensino que tiverem interesse devem fazer a adesão pelo site https://vacina.campinas.sp.gov.br/vacinas/covid-19.

Continue Reading

Geral

São Caetano do Sul busca em Campinas modelo para cuidados com animais

Published

on

By

 

 

 

 

O Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal (DPBEA) de Campinas, órgão vinculado à Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente de Desenvolvimento Sustentável (SVDS), recebeu nesta semana a visita do vereador de São Caetano do Sul, município do interior de São Paulo, Ubiratan Figueiredo, que trabalha pelo ativismo animal. 

 

 

Acompanhado de sua comitiva e assessores, o vereador conheceu as políticas públicas relacionadas à causa animal praticadas por Campinas e que são consideradas referência para todo o País. A DPBEA já recebeu mais de 50 visitas de parlamentares de outras cidades que vieram conhecer o trabalho realizado na cidade.

 

 

O parlamentar foi recebido pelo diretor do departamento, Vagner Bellini, que apresentou o trabalho desenvolvido no departamento. “Normalmente, a preocupação de quem visita o departamento é entender como nós fazemos funcionar nosso serviço de castração, que é exemplar”, explicou Bellini.

 

 

O diretor do DPBEA explicou que muitas prefeituras têm dificuldades em usar os recursos públicos para ações na causa animal, mas Campinas consegue avançar nesse sentido. “O segredo é a utilização do Fundo de Recuperação, Manutenção e Preservação do Meio Ambiente (PROAMB), que começou a operacionalizar financeiramente, de forma expressiva, a partir de 2013, quando o secretário do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Campinas, Rogério Menezes, potencializou as operações considerando sua importância institucional em relação às demandas ambientais prioritárias do município”, detalhou Bellini.

 

 

Ele acrescentou que é fundamental manter a transparência e a participação da sociedade por meio de sua representação, que em Campinas acontece com a parceria do COMDEMA (Conselho Municipal de Meio Ambiente). 

Continue Reading

Populares