Connect with us

Geral

Estado implanta central de regulação regional em Campinas

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde lançou nesta quarta-feira, dia 3 de setembro, em Campinas, um projeto-piloto de regionalização da Cross (Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde). As equipes ficarão sediadas no prédio do Departamento Regional de Saúde (DRS) VII em Campinas, na Orosimbo Maia,75. O secretário de Estado da Saúde, Marco Antonio Zago, e o secretário Municipal de Saúde, Carmino de Souza, participaram do evento.

 

 

 

Para o projeto, o Estado fez um aditamento no contrato com o Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci-SP) que administra a Cross São Paulo para que possa gerir também a unidade regional. O presidente do Seconci, Haruo Ishikawa, assinou o acordo junto ao secretário Zago. 

 

 

 

A implantação do primeiro núcleo regional atenderá a 42 municípios da DRS VII que necessitarem de atendimentos de urgência e emergência, oncologia e hemodiálise. Os processos de regulação vão ser embasados em pactuação e protocolos assistenciais para dar assistência em serviços de referência em locais mais próximos e de acordo com cada caso.

 

 

 

O secretário estadual de Saúde, Marco Antonio Zago, ressaltou a relevância da criação do núcleo, que oferecerá assistência descentralizada e unificação das redes locais. “O SUS é a mais importante política pública do País. São Paulo é o estado mais desenvolvido economicamente, mas tem uma característica que é a distribuição heterogênea dos municípios e regiões. O acesso do paciente à saúde deve ser igual, independente do município em que mora”. 

 

 

 

Campinas já conta com uma Central Municipal de Regulação que funciona diariamente, das 7h às 22h. No mesmo local, na sede da DRS VII, também atua uma equipe de regulação do Estado para casos eletivos e exames. Na central municipal, são 15 médicos reguladores, 10 na regulação de urgência e leitos e cinco no ambulatório de exames e procedimentos de alta complexidade. Com a novidade, a DRS VII passará a ter um complexo regulador regional que permitirá a realização de ações integradas. 

 

 

 

 

O secretário Municipal de Saúde, Carmino de Souza, destacou que esse projeto já vinha sendo discutido há muito tempo, mas ainda não havia ferramentas para colocá-lo em prática. “Essa central permite trabalhar de maneira a garantir o acesso e a qualidade de acesso”. A central também auxiliará a assegurar a equidade na oferta de vagas e a priorização dos casos, segundo ele. “Com a hierarquização se faz muito mais com o mesmo”. 

 

 

 

A Cross tem um sistema online que busca vaga disponível em várias unidades (e não somente em estaduais) na região em que o paciente mora e, se necessário, em todo o estado de São Paulo. A base da Central fica em São Paulo.

 

 

 

Para a unidade descentralizada em Campinas, o Estado investiu R$ 838,6 mil para adequações estruturais e mensalmente disponibilizará R$ 530,9 mil para manutenção do serviço. De acordo com a diretora do DRS VII, Mirella Povinelli, a regional regulará em média 6 mil solicitações mensais em urgência, emergência e leitos e mais 200 regulações de ofertas da rede de oncologia. A regional funcionará 24 horas por dia, a princípio com 16 profissionais e com o recurso de telemedicina que possibilitará discutir casos entre hospitais e a central.

Geral

Saúde atualiza dados da pandemia do coronavírus nesta terça-feira, 11

Publicado

em

Por

A Secretaria de Saúde atualizou, nesta segunda-feira, 11 de maio, dados sobre a pandemia do novo coronavírus em Campinas. Foram registrados 434 novos casos de Covid-19 e mais 32 mortes. Com os novos dados, Campinas totaliza 96.193 casos e 3.154 óbitos causados pelo novo coronavírus.

 

 

 

 

 

Dos novos casos fatais, 15 eram mulheres e 17 eram homens; 28 tinham outras doenças e quatro não tinham comorbidades. Da faixa etária, 24 tinham mais de 60 anos, um tinha 28 e outro, 58 anos.

 

 

 

 

 

No balanço consta que já foram aplicadas 366.457 doses da vacina contra a Covid-19. Desse total, 227.678 pessoas receberam a primeira dose e 138.779, a segunda.

 

 

 

 

 

Sobre as vítimas

 

 

– Mulher de 28 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 1 de maio.

 

– Homem de 58 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de abril.

 

– Homem de 78 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 2 de maio.

 

– Mulher de 62 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 3 de maio.

 

– Homem de 66 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 4 de maio.

 

– Homem de 69 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 5 de abril.

 

– Homem de 56 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de abril.

 

– Mulher de 60 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de maio.

 

– Mulher de 61 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de maio.

 

– Mulher de 54 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 7 de maio.

 

– Mulher de 62 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de maio.

 

– Homem de 65 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de maio.

 

– Mulher de 69 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de maio.

 

– Homem de 69 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 7 de maio.

 

– Homem de 66 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de janeiro.

 

– Mulher de 47 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de abril.

 

– Homem de 38 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de maio.

 

– Homem de 61 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de maio.

 

– Mulher de 63 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de maio.

 

– Mulher de 64 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de maio.

 

– Mulher de 72 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de maio.

 

– Homem de 72 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 8 de maio.

 

– Homem de 38 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 9 de maio.

 

– Mulher de 48 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de maio.

 

– Mulher de 66 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de maio.

 

– Homem de 68 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de maio.

 

– Homem de 72 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 9 de maio.

 

– Homem de 64 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 10 de maio.

 

– Mulher de 72 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 15 de abril.

 

– Homem de 85 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 19 de fevereiro.

 

– Mulher de 73 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 20 de abril.

 

– Homem de 84 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 26 de abril.

Continue Lendo

Geral

Reunião marca início da implantação do Plano Municipal de Igualdade Racial

Publicado

em

Por

A secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas, Vandecleya Moro, abriu oficialmente na tarde desta terça-feira, 11 de maio, a reunião inicial do Comitê de Implantação do Plano Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

 

 

 

 

A solenidade aconteceu no Salão Vermelho do Paço Municipal. “Faço votos que os trabalhos que se iniciam agora sejam produtivos e consigam alcançar resultados que promovam os direitos e reparem injustiças”, afirmou Vandecleya Moro.

 

 

 

 

O ato antecipa também a celebração do Dia de Luta pela Reparação para o Povo Negro do Brasil, celebrado em 13 de maio em Campinas e estabelecido pela Lei 14.053, de 27/04/2011. A reunião deu início a uma série de discussões sobre normas e protocolos para assegurar a promoção da igualdade racial na Prefeitura de Campinas.

 

 

 

 

O Plano Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial pode ser consultado no site da Prefeitura (http://www.campinas.sp.gov.br/arquivos/direitos-deficiencia/plano%20igualdade%20racial_%20compl.pdf). 

Continue Lendo

Geral

Novo alerta de dengue traz dez bairros com risco de transmissão

Publicado

em

Por

A Secretaria de Saúde divulgou nesta terça-feira, 11 de maio, o Alerta 18 de Dengue na cidade. O documento traz novas áreas com risco de transmissão da doença. São dez bairros: Jardim Novo Campos Elíseos, Parque Vista Alegre, Jardim Telesp, Jardim San Diego, Jardim Proença, Jardim Itatiaia, Vila Padre Anchieta, Núcleo Residencial Boa Vista, Vila Régio e Cidade Universitária II (Barão Geraldo).

 

 

  

 

Conforme a coordenadora do Programa de Arboviroses de Campinas, Heloísa Malavasi, o objetivo dos boletins é alertar a população sobre novas áreas de transmissão da dengue e mobilizar as pessoas para que contribuam com o controle de criadouros do mosquito.

 

 

  

“É essencial que as pessoas verifiquem seus quintais, vasos de plantas e outros possíveis criadouros, e nos ajudem no controle da doença em nossa cidade. É muito importante que a população assuma sua responsabilidade no controle dos criadouros”, falou Heloísa.

 

  

 

O trabalho de controle da dengue continua sendo realizado pelas equipes da Secretaria de Saúde, mas os cidadãos precisam tomar os cuidados necessários para evitar o ciclo de vida e reprodução do mosquito Aedes aegypti. Isso porque 80% dos criadouros estão nos quintais e dentro de casa.

 

 

 

Entre os cuidados, os moradores devem manter caixa d’água fechada ou telada; limpar as calhas e, caso necessário, desentupi-las; trocar a água de vasos de plantas e lavar o recipiente com bucha e sabão para remover os ovos do mosquito.

 

 

 

As pessoas que têm bromélia devem regar a planta com mangueira de pressão uma vez por semana e limpar a face interna de todas as folhas (onde a água fica acumulada, o que favorece a proliferação de ovos e larvas do mosquito).

 

 

 

Outra recomendação é evitar o acúmulo de entulho e recicláveis. Quem precisa descartar este material, deve levar até um dos 16 ecopontos da cidade. Os endereços podem ser consultados na página http://www.campinas.sp.gov.br/governo/servicos-publicos/ecopontos/index.php.

Continue Lendo







Populares