Connect with us

Geral

Escola do Parque Oziel inaugura biblioteca para a comunidade

Publicado

em

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Oziel Alves Pereira, localizada no Parque Oziel, inaugurou nesta sexta-feira, 1º de dezembro, a Biblioteca Comunitária “João Antônio Nascimento da Silva”. A iniciativa se deu por meio do apoio da Prefeitura de Campinas ao projeto “Biblioteca Comunitária”, parceria da CPFL Energia com o Instituto Ecofuturo. A implantação foi executada pelo Instituto Ecofuturo, com investimento da CPFL Energia, por meio do uso dos recursos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
O vice-prefeito de Campinas, Henrique Magalhães Teixeira, prestigiou a cerimônia de inauguração e ressaltou a importância de contar com um ambiente como a biblioteca para incentivar a prática da leitura nos alunos e na comunidade em geral. “A leitura é uma viagem, ela te leva a lugares, abre seus horizontes, aprofunda seus pensamentos e muda nosso ser por dentro. A biblioteca é um ambiente que nos leva a fazer uma reflexão, aproveitem essa oportunidade”, aconselhou Henrique.
Atualmente, a escola atende mais de 1.100 alunos do Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA). A Biblioteca Comunitária será a primeira, dentro de uma escola municipal, aberta para uso da comunidade – uma das maiores ocupações urbanas da América Latina, com cerca de 30 mil habitantes. Ela será uma das cinco unidades de referência do projeto da Secretaria Municipal de Educação para implantação de bibliotecas em cada região da cidade.
Esta é a primeira biblioteca comunitária da rede municipal de Campinas. Todas as nossas escolas possuem bibliotecas e nós sabemos que muitas crianças têm acesso à leitura e o primeiro contato com livros em bibliotecas escolares”, afirmou Solange Villon Kohn Pelicer, secretária municipal de Educação. “Esta biblioteca é diferenciada. Foi possível acontecer com a parceria da iniciativa privada com o poder público, todos em prol da Educação”, continuou Solange.
A nova biblioteca complementa o acervo que já existia na escola, com mais mil livros novos de literatura, sendo 70% selecionados por especialistas da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. O restante dos títulos foi escolhido pela própria comunidade do bairro. Há novos mobiliários e equipamentos eletrônicos, como televisão, blue-ray e computadores, disponíveis para utilização do público.
Durante a implantação da biblioteca do Oziel, cerca de 30 educadores, professores e moradores da região participaram de uma oficina sobre educação socioambiental e de cursos de formação sobre Promoção de Leitura e Gestão de Biblioteca, oferecidos gratuitamente pelo Ecofuturo e pela CPFL Energia. “A CPFL tem como obrigação distribuir energia. Mas temos que fazer isso com bastante responsabilidade social e de forma sustentável”, disse Carlos Zamboni, presidente da CPFL Paulista.
Homenagem a ex-aluno
A comunidade foi envolvida desde o início do processo para garantir que a biblioteca atenda às necessidades da região, além de imprimir nela sua identidade e se apropriar do novo espaço. “Acreditamos que são ações como esta, com articulação intersetorial, envolvimento da comunidade e investimento em educação, que levam a grandes transformações sociais”, afirmou Marcela Porto, superintendente do Instituto Ecofuturo.
Reforçando o vínculo da comunidade com o projeto, a nova biblioteca ganhou o nome de João Antônio Nascimento da Silva, uma homenagem feita por estudantes e moradores do Parque Oziel a um ex-aluno da escola, falecido em 2016. Com paralisia cerebral, João ingressou na Emef Oziel Alves Pereira, sua primeira escola, em 2011, e sempre é lembrado por alunos, professores e funcionários com muitas saudades e carinho por seu carisma e dedicação aos estudos.
Os pais de João, presentes na inauguração vestidos com uma camiseta estampada com a foto do menino e com a frase “sou pai e mãe de anjo”, emocionaram os convidados com um discurso que contou a trajetória de João Henrique, desde seu nascimento, em outubro de 2002, até seu falecimento, em agosto de 2016.

Geral

Caixa paga abono salarial para nascidos em janeiro e fevereiro

Publicado

em

Por

Cerca de 3,4 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro começam a receber, nesta terça-feira (19), R$ 2,75 bilhões referentes ao abono salarial do calendário 2020/2021 – ano-base 2019. A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial, para quem não é cliente do banco.

As poupanças digitais podem ser movimentadas pelo aplicativo Caixa Tem. Disponível para telefones celulares, o aplicativo permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), boletos bancários, compras com cartão de débito virtual pela internet e compras com código QR (versão avançada do código de barras) em estabelecimentos parceiros.

Para os funcionários públicos ou trabalhadores de empresas estatais, vale o dígito final do número de inscrição do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). A partir de amanhã, fica disponível o crédito para inscritos com final 5. O Pasep é pago pelo Banco do Brasil.

Os trabalhadores que nasceram entre julho e dezembro receberam o abono salarial do PIS em 2020. Os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2021.

Os servidores públicos com final de inscrição do Pasep entre 0 e 4 também receberam em 2020. Já as inscrições com final entre 5 e 9 ficaram para 2021. O fechamento do calendário de pagamento do exercício 2020/2021 ocorre em 30 de junho.

Quem tem direito

Tem direito ao abono salarial 2020/2021 o trabalhador inscrito no Programa de Integração Social (PIS) há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2019, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos. Também é necessário que os dados tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) ou e-Social, conforme categoria da empresa.

Recebem o benefício na Caixa os trabalhadores vinculados a entidades e empresas privadas. Em todo o calendário 2020/2021, a Caixa deve disponibilizar R$ 15,8 bilhões para 20,5 milhões trabalhadores.

As pessoas que trabalham no setor público têm inscrição no Pasep e recebem o benefício no Banco do Brasil (BB). Nesse caso, o beneficiário pode optar por realizar transferência (TED) para conta de mesma titularidade em outras instituições financeiras, nos terminais de autoatendimento do BB ou no portal www.bb.com.br/pasep, ou ainda efetuar o saque nos caixas das agências.

Para o exercício atual, o BB identificou abono salarial para 2,7 milhões trabalhadores vinculados ao Pasep, totalizando R$ 2,57 bilhões. Desse montante, aproximadamente 1,2 milhão são correntistas ou poupadores do BB, e aqueles com final de inscrição de 0 a 4 receberam seus créditos em conta antecipadamente no dia 30 de junho, no total de R$ 580 milhões, segundo a instituição financeira.

Abono salarial anterior

Os trabalhadores que não sacaram o abono salarial do calendário anterior (2019/2020), finalizado em 29 de maio deste ano, ainda podem retirar os valores. O prazo vai até 30 de junho de 2021. O saque pode ser feito nos canais de atendimento com cartão e senha Cidadão, ou nas agências da Caixa.

A consulta sobre o direito ao benefício, bem como ao valor à disposição, pode ser feita por meio do aplicativo Caixa Trabalhador, pelo atendimento Caixa ao Cidadão (0800-726-0207) e no site http://www.caixa.gov.br/abonosalarial/.

No caso do Pasep, os recursos ficam disponíveis para saque por cinco anos, contados do encerramento do exercício, de acordo com resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Os abonos não sacados são transferidos automaticamente para o próximo exercício, sem necessidade de solicitação do trabalhador.

fonte ebc

Continue Lendo

Geral

Reajuste dos pedágios altera a tarifa de 10 linhas intermunicipais de Campinas

Publicado

em

Por

Acréscimos em 34 linhas serão de R$ 0,05 a R$ 0,10 e começam a valer a partir deste domingo (17) 

Em razão do reajuste de pedágios pela Artesp, em vigor desde o dia 1º de dezembro de 2020, 34 linhas metropolitanas gerenciadas pela EMTU/SP terão acréscimos de R$ 0,05 a R$ 0,10 nas tarifas a partir deste domingo (17). 

Os reajustes ocorrerão apenas em parte das 852 linhas gerenciadas e fiscalizadas pela EMTU/SP na Grande São Paulo, Campinas, Vale do Paraíba/Litoral Norte e Sorocaba. As linhas que terão alteração nessas quatro regiões metropolitanas são aquelas que passam por pedágios. 

O custo do pedágio é acrescido nos valores das passagens das linhas metropolitanas, conforme o artigo nº 32, parágrafo 4º do decreto estadual nº 24.675/86. O cálculo é feito pela divisão do valor pago na praça de pedágio pelo número médio de passageiros por viagem. O objetivo é ressarcir as empresas concessionárias e permissionárias dessa despesa sobre a operação. 

Os passageiros estão sendo informados sobre as linhas que terão reajuste por meio de avisos afixados nos ônibus, mídias sociais e pelo site emtu.sp.gov.br. 
Abaixo estão dados gerais por região. Os novos valores das tarifas das linhas com reajuste na parcela do pedágio estão disponíveis no link https://www.emtu.sp.gov.br/emtu/itinerarios-e-tarifas/tarifas-em-formato-pdf.fss.


Região Metropolitana de São Paulo Consórcio Anhanguera e Unileste – Oito linhas e serviços terão reajuste de um total de 224 que circulam nas áreas 2 e 4 de concessão (regiões de Osasco e Mogi das Cruzes): 524, 116, 378, 818, 827, 838, 819 e 206 

Região Metropolitana de Campinas Consórcio Bus+ – 10 linhas e serviços de um total de 150 que operam na região: 612, 612DV1, 614, 616, 618, 633, 693, 714, 715 e 734

Região Metropolitana do Vale do Paraíba/Litoral Norte Empresas Jacareí e Litorânea – 5 linhas de um total de 84 que operam na região: 5151, 5501,5503, 5504 e 5508 

Região Metropolitana de Sorocaba Empresas Rápido Luxo, VB e Expresso Amarelinho – 11 linhas de um total de 87 que operam na região: 6214, 6215, 6219, 6224, 6225, 6226, 6115, 6113, 6114, 6213 e 6213EX1.

Continue Lendo

Geral

Técnica de enfermagem do HC é a 1ª vacinada contra Covid em Campinas

Publicado

em

Por

O início da imunização contra a Covid-19 em Campinas aconteceu na tarde desta segunda-feira, 18 de janeiro, no Hospital de Clínicas da Unicamp. A primeira pessoa a ser vacinada foi a técnica de enfermagem do HC Liane Tinoco, de 48 anos. O prefeito de Campinas, Dário Saadi, e o governador do Estado de São Paulo, João Doria, participaram do evento.

 

“Campinas é o primeiro momento de vacinação fora da cidade de São Paulo. Campinas abriga brasileiros de todas as partes. Hoje temos o privilégio de vacinar a primeira funcionária do HC. Ela está na linha de frente ajudando a salvar vidas. Queria agradecer, em nome da Liane, todos os profissionais de saúde e também os que trabalham na área, embora não sejam formados em saúde, mas que também ajudam a salvar vidas: motoristas de ambulância, equipes de limpeza, de segurança, de manutenção…Estamos muito orgulhosos de termos uma vacina do Brasil, a Coronavac, a vacina do Butantan. Agora a vacinação segue aqui com outros profissionais desta unidade do HC da Unicamp”, afirmou o governador.    

 

A técnica de enfermagem é baiana e tem 14 anos de profissão. “Estou muito grata e me sinto honrada em ser a primeira pessoa a ser vacinada no interior de São Paulo”, afirmou Liane.  

 

Distribuição

 

A distribuição das vacinas e insumos para imunização contra a Covid-19 para os cinco hospitais-escola do Interior do Estado começou também nesta segunda. Além do Hospital de Clínicas de Campinas, que recebeu 4 mil vacinas do Butantan, receberam as doses os hospitais de Clínicas de Botucatu, Ribeirão Preto, Marília e o Hospital de Base de São José do Rio Preto.

 

No total, cerca de 60 mil profissionais que atuam nesses cinco hospitais serão imunizados contra a Covid-19.

 

Vacinas em Campinas

 

A partir desta terça-feira,19 de janeiro, grades de vacinas e insumos serão enviadas aos polos regionais para distribuição às prefeituras.

 

“Assim que as vacinas chegarem, vamos distribuir aos hospitais públicos e privados, que farão a vacinação. Nós já cadastramos todos os hospitais de Campinas e cerca de 15 mil pessoas receberão a vacina. As informações extra oficiais é que as vacinas chegam amanhã. Não temos o número exato de doses, mas pelas contas que fizemos, 15 mil chegam. Ainda não temos o horário, mas estamos com toda a logística de distribuição preparada”, disse o prefeito Dário Saadi.

 

De acordo com ele, a abertura do agendamento para os outros grupos previstos na primeira fase vai depender da quantidade de doses que a cidade irá receber. A prioridade é quem está atuando na linha de frente.

 

O agendamento será feito por meio do portal da Prefeitura de Campinas, pelo telefone 160 ou pelo centro de saúde de referência. Quem optar pela internet, deverá acessar o endereço www.campinas.sp.gov.br e clicar em um banner sobre a campanha de vacinação.

 

Será necessário preencher um cadastro e as opções de horário serão disponibilizadas. A pessoa poderá escolher dia e horário. No fim do processo de agendamento será emitido um comprovante com todos os dados, que pode ser impresso ou armazenado no celular.

 

A ida ao centro de saúde só é recomendada em último caso, pois há um grande volume de atendimentos de saúde nas unidades.

 

No dia da vacinação, as pessoas devem levar documento com foto.

 

 

Centros de Imunização

Em Campinas, as vacinas serão aplicadas em pelo menos cinco centros de vacinação (há possibilidade de ampliação), um por região da cidade: 

 

– Casa da Criança Paralítica – Rua Pedro Domingos Vitali, 160 – Parque Italia (região Sul) 

– Naed Noroeste – Avenida Ibirapuera, s/nº, Jardim Londres (região noroeste);

– Centro de Vivência do Idoso – Lagoa do Taquaral – portão 5 (região leste);

– Círculo Militar- Avenida Getúlio Vargas, 200. Jardim Chapadão (região norte);

– CAIC Sudoeste – Rua José Augusto de Mattos, s/nº, Vila União (região sudoeste).

 

O público-alvo da primeira etapa inclui profissionais de saúde, pessoas a partir de 60 anos de idade, indígenas e quilombolas.

 

A primeira etapa será dividida da seguinte maneira:

 

1º – profissionais de saúde, indígenas e quilombolas – cerca de 63 mil pessoas em Campinas

2º – pessoas com 75 anos ou mais – 40.383 pessoas

3º – 70 a 74 anos – 26.309 pessoas

4º – 65 a 69 anos – 33.507 pessoas

5° – 60 a 64 anos – 46.169 pessoas

 

Das mortes por Covid em Campinas, 87% correspondem a esse público da primeira etapa.

Continue Lendo









<





Populares