Connect with us

Geral

Empresas oferecem vagas, mas não conseguem preenchê-las

Publicado

em

carteira Trabalho

Falta de qualificação é um dos principais fatores que dificultam o reposicionamento de trabalhadores no mercado de trabalho

Há vagas, mas falta qualificação. Competências básicas como fazer cálculos simples, se expressar de maneira correta e adequada, falta de conhecimentos básicos em informática e inglês, estão faltando aos muitos desempregados que buscam uma oportunidade no mercado de trabalho, que oferece poucas vagas, e mesmo estas, muitas vezes não conseguem ser preenchidas satisfatoriamente pelo empregador. Outro forte motivo é a baixa escolaridade aliada à inserção cada vez maior da tecnologia, o que faz com que os contratantes aumentem sua régua de exigências e se tornem mais seletivos.

Do contingente de 13,4 milhões de desempregados no primeiro trimestre deste ano, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), mais de 600 mil são considerados de difícil recolocação por recrutadores, de acordo com cálculos do economista Cosmo Donato, da LCA consultores. Esse volume é o dobro do registrado no mesmo período de 2014.

Para se ter uma ideia, no início deste ano, uma grande empresa de telemarketing, segmento conhecido pela alta rotatividade, divulgou 1,2 mil vagas em um mutirão de emprego na Capital. Cerca de 600 pessoas compareceram ao chamado, fazendo uma megafila no local da seleção. No entanto, foram contratados apenas sete operadores de telemarketing, menos de 1% do que o empregador necessitava.

De acordo com as consultorias de recrutamento, a recolocação fica mais difícil para quem tem até o Ensino Fundamental, menos de 20 e mais de 45 anos e está há mais de um ano fora do mercado. Segundo dados do Sindicato e da União Geral do Trabalhadores (UGT, em um mutirão de ofertas de emprego foram oferecidas 2 mil vagas para caixa de supermercado, com salário aproximado de R$ 1.100. Apenas 50% das vagas foi preenchida.

Em Campinas, o Centro Público de Apoio ao Trabalhador (CPAT) oferecia no início desta semana 25 vagas de emprego para moradores da região, com salários até R$ 2,5 mil, sendo a maior remuneração destinada ao cargo de instrutor de motoristas de caminhão e subgerente de loja. São funções que exigem qualificação e experiência. 

Na outra ponta, levantamento feito pela ACIC, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, aponta que em Campinas foram gerados em abril de 2019, 659 postos, total 58,92% menor que em abril do ano passado, quando foram criadas 1.604 vagas. No acumulado do ano, de janeiro a abril, foram gerados 2.025 postos de trabalho, volume 52,44% menor que o acumulado no mesmo período do ano passado, 4.258. 

“Com um contingente tão grande de desempregados e poucas vagas abertas, o mercado de trabalho fica mais exigente e a qualificação profissional se torna um importante diferencial para a contratação. As empresas buscam pessoas que já tenham as competências necessárias para atuar nas funções, porque nem sempre há tempo para desenvolver programas internos de treinamento e capacitação logo de início”, afirma Adriana Flosi, vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC).

Adriana lembra ainda a importância de oportunizar treinamentos de qualificação para os funcionários. “Estudos apontam que entre as empresas brasileiras, 48% delas não investem em treinamentos de qualificação. É um número expressivo, mas, acredito, tende a ser reduzido, já que a capacitação de profissionais da empresa gera ainda a retenção de talentos”, completa Adriana. Para ela, a capacitação também abre portas àqueles que estão em busca de uma recolocação no mercado de trabalho. “Às vezes, a pessoa não tem experiência em determinada área, mas buscou capacitação e isso pode ser determinante em uma entrevista de emprego”, afirma.

AC Qualifica

A Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC) oferece desde 2017 um programa de capacitação com conteúdo diversificado, como vendas, atendimento, comportamento, estoques, financeiro e operacional. Somente neste ano, de fevereiro a maio, 1 mil pessoas passaram pelo programa, cerca de 240 horas de qualificação. Para a coach e facilitadora do AC Qualifica, Elaine Matuo, o sucesso de uma empresa é de responsabilidade de todos, mas a conscientização da importância da capacitação de seus colaboradores está relacionada diretamente aos seus gestores. 

“Quando seus colaboradores são capacitados você recebe dois benefícios: gratidão e competência. O colaborador se sente grato por saber que está sendo confiado a ele momentos de aprendizagem, nisso ele se desenvolve no lado pessoal e profissional. No caso da competência, ela é gerada por meio do conhecimento. O conhecimento desperta a habilidade que ele tem ou que não sabia que tinha. E por último, a atitude, consequentemente, ele vai ter uma nova atitude”, conclui.

Os cursos são realizados diariamente, das 8h às 9h, na sede da entidade (Rua José Paulino, 1111, Centro), para que o funcionário participante não perca o dia de trabalho. Informações pelo site: https://www.acicampinas.com.br/.

Geral

CS do Oziel promove campanha sobre o Dia Mundial da Tuberculose

Publicado

em

Por

O Centro de Saúde do Parque Oziel fará uma campanha de sensibilização, conscientização e prevenção contra a tuberculose, entre os usuários da unidade, para marcar o Dia Mundial da Tuberculose, em 24 de março. A partir do dia 20, usuários e funcionários do centro de saúde receberão bótons com a imagem de um pulmão. Cartazes estarão afixados na unidade, alertando que tosse por mais de duas semanas é um sinal da doença, que o médico deve ser procurado para avaliação e o tratamento precisa ser seguido até o final.

A proposta de dedicar a semana a orientar os pacientes, e a confecção dos bótons surgiu da técnica de enfermagem Ana Paula e foi encampada pela equipe. Esse centro de saúde tem atualmente oito pacientes com tuberculose em tratamento, mas o número de pessoas com a doença pode ser maior na área de abrangência da unidade. A pandemia, que obriga ao isolamento social, impediu que a equipe fizesse busca ativa na comunidade. “Os pacientes que estamos acompanhando procuraram o centro de saúde com sintomas”, disse a coordenadora da unidade, Madalena Conceição da Silva Araújo.

Durante a semana, informou, os funcionários aproveitarão o tempo que os pacientes do centro de saúde ficam no local aguardando o atendimento, para orientar em relação às formas de transmissão, os sintomas, e os tratamentos. “Uma pessoa infectada pelo bacilo que causa a tuberculose pode transmitir a doença para 10 a 15 pessoas por ano. Quem faz o tratamento corretamente, que dura seis meses, deixa de transmitir o bacilo entre 15 a 20 dias após o início da medicação”, disse. Interrupções no tratamento tornam o bacilo mais resistente, alertou a coordenadora.

Por isso, a necessidade de procurar o médico após duas semanas com tosse, mesmo que outros sintomas, como cansaço e sudorese noturna, não estejam presentes. Os pacientes do centro de saúde passam por monitoramento diário para garantir que estão tomando a medicação corretamente. Em alguns casos, a medicação é levada na casa do paciente, para terem certeza que o tratamento não foi interrompido.

Infecciosa e transmissível, a tuberculose matou 1,2 milhão de pessoas e outras 10 milhões adquiriram a doença em todo o mundo, segundo dados do Relatório Global 2020. O Brasil está entre os 30 países que concentram 90% de todos os casos no mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o país registrou 96 mil novos casos e 6,7 mil mortes em 2019, ano de referência do relatório global.

A tuberculose é uma doença contagiosa, causada pelo “Mycobacterium tuberculosis”. Geralmente afeta os pulmões, mas pode atingir também outros órgãos como rins, ossos, gânglios e cérebro. Isso acontece quando o organismo está enfraquecido e as defesas imunológicas são vencidas.

A doença é transmitida de uma pessoa para outra. Quando o doente não tratado tosse, espirra ou escarra, lança para o ar grande número de bacilos que podem infectar outras pessoas através da respiração. Objetos pessoais como roupas, pratos, copos e talheres não transmitem a doença.

Os sintomas são tosse persistente por mais de duas semanas, com escarro e, às vezes, também com sangue; falta de apetite, emagrecimento, dor no peito, suores noturnos, fraqueza, febre baixa, principalmente à tarde.

Continue Lendo

Geral

Sanasa informa fornecimento de água no domingo (07)

Publicado

em

Por

A Sanasa informa que, em continuidade aos trabalhos de melhoria na oferta e distribuição de água da cidade, fará o serviço de capeamento de redes.

Para isso, será necessário interromper o fornecimento de água no domingo, dia 7 de março, das 8h às 17h, para os seguintes bairros: Parque Imperatriz Leopoldina, Vila Nova, Vila Del, Chácara João Hermann, Arruamento Rossi e Borghi, Jardim Dom Bosco e Jardim Brasil. Parte dos bairros Guanabara, Jardim Chapadão, Botafogo e Jardim Nossa Senhora Auxiliadora também será afetada.

A Sanasa recomenda aos moradores que façam a reserva antecipada ao período, para que não falte água.

Continue Lendo

Geral

Campinas recebe mais doses e reabre agendamento para idosos com mais de 77

Publicado

em

Por

A Prefeitura de Campinas reabriu nesta quinta-feira, dia 4 de março, o agendamento para vacinação contra a Covid-19 para pessoas de 77 a 79 anos de idade que residem no município. O agendamento é obrigatório e deve ser feito prioritariamente pelo site www.vacina.campinas.sp.gov.br ou pelo telefone 160.

A reabertura do agendamento foi possível porque o município recebeu novas doses, que foram entregues pela Secretaria Estadual de Saúde. As doses são destinadas para aplicação nessa faixa etária.

Só receberá vacina quem tiver agendado previamente. Os idosos com boas condições de saúde devem optar, no momento do agendamento, pela vacinação nos centros de imunização. Há opção de receber a dose no carro, porém o Departamento de Vigilância em Saúde adverte que o número de vagas é controlado e é destinado exclusivamente para quem já fez o agendamento com essa opção.

No dia marcado, é obrigatório apresentar um documento de identidade com foto e um comprovante de endereço.

Esclarecimento

O pré-cadastro feito no Governo do Estado não garante um agendamento no Centro de Imunização de Campinas e não é uma reserva de doses. Mas é importante para adiantar o preenchimento de dados e tornar o atendimento mais rápido nos locais de vacinação. Para mais informações acesse: www.https://vacina.campinas.sp.gov.br/vacinas/covid-19/pre-cadastro.

Campinas tem cinco Centros de Imunização, sendo que quatro já estão funcionando e o último será aberto no sábado, dia 6 de março. O local já está liberado para receber agendamento.

Confira os endereços dos Centros de Imunização:

Centro de Vivência do Idoso

Endereço: Avenida Dr. Heitor Penteado, s/n – Portão 5 da Lagoa do Taquaral

Emef Caic Zeferino Vaz

Endereço: Rua José Augusto de Mattos, s/n – Parque Residencial Vila União

Casa da Criança Paralítica

Endereço: Rua Pedro Domingos Vitali, 160 – Parque Itália

Clube Círculo Militar

Endereço: Avenida Getúlio Vargas, 200 – Jardim Chapadão

Centro de Imunização Noroeste (antigo prédio da NAED Noroeste) – Rua Augusta Parreira Belintani, s/nº – Vila Castelo Branco (funcionará a partir do próximo sábado, dia 6).

Continue Lendo









<





Populares