Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Emdec encerra 2ª rodada de visitas monitoradas às obras do BRT

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) finalizou na manhã desta sexta-feira, 15 de março, a 2ª rodada de visitas monitoradas às obras de implantação dos três corredores BRT (Bus Rapid Transit – Ônibus de Trânsito Rápido) – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral – no município. O objetivo foi mostrar o atual estágio de andamento dos trabalhos, além de dar transparência e visibilidade ao projeto.
O secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, recebeu os convidados nas manhãs de terça e quinta-feira, 12 e 14 de março, na sede da Emdec, e apresentou os dados do projeto a todos os participantes que, em seguida, seguiram para a visita.
Barreiro destacou que “o BRT trará para a cidade diversos benefícios que vão além da mobilidade urbana, como troca de tubulações de água e esgoto, cabeamentos de energia, revitalização do entorno e também valorização dos imóveis das regiões dos corredores”.
Uma das autoridades presentes à visita desta sexta foi o vice-prefeito, Henrique Magalhães Teixeira. Para ele, “é visível que as obras estão adiantadas, a paisagem da cidade tem sido mudada com as obras do BRT e essa visita é muito importante, porque diversos públicos estão sendo convidados e podem repassar para a população todas as informações necessárias”.
A primeira visita da 2ª rodada ocorreu em 25 de fevereiro, para funcionários da Emdec. Em 12 de março, a visita foi voltada para funcionários de secretarias municipais e membros do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT), e nesta sexta, dia 15, para vereadores e imprensa. A 1ª rodada de visitas monitoradas às obras do BRT ocorreu no final de setembro do ano passado (2018), dentro das ações da Semana Municipal do Trânsito (Semutran).
BRT
O BRT campineiro contempla estações de transferência e infraestrutura adequada; veículos articulados ou biarticulados; corredores exclusivos com espaços para ultrapassagens; embarque e desembarque pela esquerda (junto ao canteiro central das avenidas); embarque em nível; e pagamento desembarcado. O sistema será mais seguro, rápido, eficiente e confiável.
O BRT Campo Grande tem 17,9 km de extensão, saindo da região central, ao lado do Terminal Mercado, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, Avenida John Boyd Dunlop, passando pelo Terminal Campo Grande e chegando ao Terminal Itajaí. Serão construídas 12 obras de arte (pontes e viadutos).
O BRT Ouro Verde tem 14,6 km de extensão, saindo do Terminal Central, seguindo pelas avenidas João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, passando pelo Terminal Ouro Verde, Rua Camucim até o Terminal Vida Nova. Nesse trajeto serão construídas quatro obras de arte (pontes e viadutos).
Entre os dois corredores há um corredor, chamado de BRT Perimetral, com 4,1 km de extensão, ligando a Vila Aurocan até o Campos Elíseos, seguindo pelo leito desativado do VLT.
Os três corredores BRT do município – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral – têm custo total de R$ 451,5 milhões. Serão 36,6 km de corredores, com tempo total de obras de três anos, e entrega em meados de 2020.