Connect with us

Geral

Dia Mundial da Alimentação discute segurança alimentar e nutricional

Publicado

em

 

Alertar a sociedade sobre a importância de uma alimentação saudável é o foco das atividades do Dia Mundial da Alimentação, comemorado em 16 de outubro. A ideia central é sensibilizar a sociedade para a importância de ações de combate à fome e ao desperdício de alimentos, além da necessidade de desenvolvimento de uma agricultura mais sustentável. A Unicamp sediará o seminário sobre o tema. O evento é gratuito e aberto ao público em geral.

 

 

 

 

Em Campinas, as ações têm o apoio da Prefeitura por intermédio do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (DSAN) da Secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (SMASDH) e da Rede de Segurança Alimentar e Nutricional – REDESAN de Campinas. Este ano, o tema proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Alimentação e a Agricultura (FAO) é “Um mundo #fomezero para 2030 é possível”. A FAO é uma das agências da ONU que lidera esforços para a erradicação da fome e combate à pobreza no mundo.

 

 

 

 

A comemoração do Dia Mundial da Alimentação teve início em 1981. Atualmente é celebrada em mais de 150 países como uma importante data para conscientizar a opinião pública sobre questões relativas à nutrição e à alimentação.

 

 

 

 

A coordenadora do Departamento de Segurança Alimentar, Ana Cláudia da Silva Reis explica que todo ano o Departamento e a Rede de Segurança Alimentar e Nutricional do município (Rede SAN) promovem alguma ação para comemorar a data. Neste ano, além do Seminário no Dia Mundial da Alimentação, ocorrerão, durante a semana, outras ações como visita à Ceasa, atividades nas escolas, oficinas de culinária, arrecadação de alimentos dentre outras propostas.

 

 

 

 

Ana Cláudia frisou ainda que a proposta do Seminário é mostrar aos participantes quais são as políticas regulatórias e intersetoriais e como elas interferem para o acesso aos alimentos. “À tarde, com a presença de representantes do MDS – Ministério do Desenvolvimento Social e de membros de Conselhos de Segurança Alimentar vamos abordar a importância e o fortalecimento do Sistema de Segurança Alimentar para o município de Campinas”, comentou.

 

 

 

 

Veja abaixo a programação completa preparada pela Rede SAN que é composta pela DSAN, Banco Municipal de Alimentos, Unicamp, PUC, Unip, UniMetrocamp, Ceasa Campinas, Nepa, Programa de Educação Alimentar e Departamento de Alimentação Escolar.

 

 

 

Programação

 

16 de outubro – Dia Mundial da Alimentação

 

8h – Recepção

 

9h – Abertura

 

9h30 – Palestra “Acesso a Alimentos e Políticas Públicas Intersetoriais”

 

Dra. Ana Clara Duran (Unicamp)

 

10h30 – Intervalo

 

11h – Palestra “Políticas regulatórias na área de publicidade de alimentos”

 

Ekaterine Karageorgiadis (Instituto Alana) e Profa. Dra. Paula Horta (Universidade Federal de Minas Gerais

 

12h – Almoço

 

14h – Palestra “Políticas públicas de alimentação e nutrição no âmbito local”

 

Rafael Rioja Arantes (Instituto de Defesa do Consumidor)

 

15h – Mesa Redonda

 

Palestra “Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN”

 

Élcio Magalhães (CAISAN Nacional)

 

Cases: “Experiências do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional nos Municípios de Limeira e São Paulo”

 

Profa. Dra. JuliCristie M. de Oliveira (Unicamp) e Leandro Cuerbas (Comusan)

 

Responsáveis: RedeSAN.

 

Local: Anfiteatro do Instituto de Economia/UNICAMP

 

 

 

 

8h – Plano de Ação com as Crianças com o Tema Semana Mundial da Alimentação

 

“Desperdício de Alimentos“

 

Responsável: Profa. Regina Jordão (PUC Campinas)

 

Local: Escola Estadual Professor André Fort

 

 

 

 

 

17 de outubro

 

 

8h30 – Visita à Ceasa Campinas

 

Responsáveis: Pedagoga Júlia Pallandi (Secretaria de Educação/PMC) e Eng. Agrônomo Ricardo Munhoz (Ceasa Campinas).

 

Local: Ceasa Campinas-SP.

 

14h – Oficina Culinária “Aproveitamento Integral de Alimentos”

 

Responsáveis: Nutricionista Gabriela Castanho (DSAN/SMASDH/PMC) e Profa. Rosemeire Dejavitte (UniMetrocamp Wyden).

 

Local: UniMetrocamp Wyden – Campinas-SP

 

 

19h – Arrecadação de Doação de Alimentos e Ilha da Alimentação

 

Responsáveis: Nutricionistas Bruna de Angelis (Banco de Alimentos), Gabriela Castanho (DSAN/SMASDH/PMC) e Renata Marques (Unip)

 

Local: Unip

 

 

 

 

18 de outubro

 

9h – Arrecadação de doação de Alimentos e Ilha da Alimentação

 

19h – Arrecadação de doação de Alimentos e Ilha da Alimentação

 

Responsáveis: Nutricionistas Bruna de Angelis (Banco de Alimentos), Gabriela Castanho (DSAN/SMASDH/PMC) e Renata Marques (Unip).

 

Local: Unip

 

 

 

 

9h – Oficina “Culinária Saudável & Substituições Inteligentes”

 

13h – Oficina “Culinária Saudável & Substituições Inteligentes”

 

Responsáveis: Nutricionistas Bruna de Angelis (Banco de Alimentos) e Jomara Machado (Alimentação Escolar Ceasa Campinas).

 

Local: Cozinha Experimental USF- Ceasa Campinas

 

 

 

 

19 de outubro

 

8h – Ilha da alimentação na entrega de cartões do Programa NutrirCampinas

 

Responsáveis: Socióloga Mariana Maia e Nutricionista Gabriela Castanho (DSAN/SMASDH/PMC) e Profa. Rosemeire Dejavitte (UniMetrocamp Wyden).

 

Local: Estação Cultura

 

 

 

 

9h – Oficina “Compostagem Orgânica”

 

Responsáveis: Eng. Agrônomo Dag Mendonça Lima (NEPA/UNICAMP) e Pedagoga Júlia Pallandi (Secretaria de Educação/PMC)

 

Local: CIS Guanabara

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Geral

Campinas entra na Fase de Transição do Plano São Paulo neste domingo, 19

Publicado

em

Por

A partir deste domingo, dia 19 de abril, Campinas entra na Fase de Transição do Plano São Paulo. O anúncio foi feito em coletiva do Governo do Estado e em transmissão ao vivo do prefeito Dário Saadi. O decreto municipal será publicado em edição extraordinária do Diário Oficial (www.campinas.sp.gov.br/diario-oficial/).

“Precisamos manter a atenção especial e todos os cuidados possíveis, mesmo com essa flexibilização. Campinas, graças à adesão da população, está em uma situação mais controlada, mas não é hora de baixar a guarda”, disse Saadi.

A Fase de Transição, válida para todos os municípios, terá duração de duas semanas. Durante esse período, o atendimento presencial será retomado para algumas atividades com 25% da capacidade e entre 11h e 19h.

Na primeira semana – 19 a 23 de abril – estão autorizadas as atividades comerciais e religiosas.

Entre os dias 24 e 30, também os restaurantes e salões de belezas e barbearias poderão atender presencialmente. Nessa semana, estará autorizada a retomada das atividades culturais.

As academias e centros de treinamento também poderão funcionar entre 24 e 30 de abril; para este segmento, o horário permitido será das 7h às 11h e das 15h às 19h.

O Estado fará uma nova atualização da Fase São Paulo no dia 1º de maio.

Segundo o secretário de Justiça, Peter Panutto, Campinas seguirá integralmente as medidas anunciadas pelo Estado. “No nosso decreto, além do que determina o Estado, vamos manter as restrições da Fase Emergencial e da Fase Vermelha, entre elas o uso das áreas comuns dos condomínios e a de festas clandestinas e reuniões familiares com mais de 10 pessoas”, explicou. “Também manteremos a entrada de apenas uma pessoa por família em estabelecimentos comerciais”, completou.

No decreto municipal, a partir do dia 24 de abril, os parques públicos e os clubes sociais poderão reabrir, mantendo o limite de 25% de capacidade e o horário entre 11h e 19h.

Continue Lendo

Geral

Prefeitura de Campinas participa da Conexão Solidária neste sábado, 17

Publicado

em

Por

A Prefeitura de Campinas participa da 3ª edição da Campanha Regional de Arrecadação do Conexão Solidária, da EPTV Campinas. A ação ocorre neste sábado, dia 17 de abril, das 8h às 17h.

arrecadação de alimentos não perecíveis será feita pelo sistema drive-thru, no Paço Municipal, em dois pontos de coleta na Rua Barreto Leme. Os donativos serão destinados às famílias em situação de vulnerabilidade social e nutricional.

Para respeitar os protocolos sanitários estabelecidos pelas autoridades locais e garantir segurança a todos os participantes, não será necessário descer do carro. Basta parar num dos pontos de coleta, os voluntários irão retirar os produtos e encaminhá-los para o Banco Municipal de Alimentos.

O primeiro posto para recolhimento das doações será instalado próximo à entrada do arruamento do Paço Municipal. O outro ficará na entrada do estacionamento externo

O Conexão Solidária é uma iniciativa da EPTV que conta com apoio das cidades que recebem o sinal da emissora. A ideia é mobilizar os 317 municípios da área de cobertura da emissora, em São Paulo e em Minas Gerais. Tudo que for arrecadado irá para o Banco de Alimentos, onde é feita a triagem, pesagem e armazenamento adequado.

As doações serão destinadas às organizações da sociedade civil, parceiras do poder público que atuam nas comunidades. A entrega para as mais de 38 mil famílias inscritas no aplicativo Viva Vida acontecerá com data e hora marcada, via agendamento pelo próprio aplicativo.

A ação tem o apoio das secretarias municipais, da Sanasa, Guarda Municipal, Ceasa, Emdec, Defesa Civil, Transurc e Higa Atacado. A Prefeitura irá disponibilizar álcool em gel, máscaras e luvas para os mais de 50 voluntários, inscritos na plataforma Transforma Campinas. Eles serão orientados por um profissional da área de saúde sobre os cuidados sanitários que devem ser observados.

O Exército também auxiliará na ação, disponibilizando duas equipes. Uma ficará no Paço Municipal e a outra na sede do Banco de Alimentos.

Campinas sem Fome

A Campanha Campinas Sem Fome, lançada pela Prefeitura no último dia 22 de março, arrecadou, até esta sexta-feira, dia 16 de abril, quase 300 toneladas de alimentos.

Desse total, o Banco de Alimentos já entregou 11.661 cestas básicas para as entidades parceiras que atuam nas comunidades e são responsáveis pela entrega direta às famílias. Mais de 46 mil pessoas foram beneficiadas até o momento.

Continue Lendo

Geral

Gripe: Saúde reforça importância da vacinação e pede adesão da população

Publicado

em

Por

A campanha de vacinação contra a gripe deste ano, que começou na última segunda-feira, 12 de abril, registrou baixa adesão nos primeiros dias em Campinas. Do público inicial, estimado em 145 mil pessoas, apenas 3.148 (2,17%) foram vacinadas até a tarde de quinta-feira, 15 de abril. A expectativa era vacinar, nesta primeira semana, 20% deste público. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, dia 16, pelo prefeito Dário Saadi, durante transmissão ao vivo na internet.
Nesta fase atual, devem ser vacinadas crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após dar à luz), trabalhadores da Saúde e povos indígenas. Idosos serão vacinados na segunda etapa, a partir de 11 de maio. A meta é vacinar 90% deste público.
Estamos preocupados com a adesão desses primeiros dias de vacinação. A influenza é uma síndrome respiratória que pode ser grave. Quando as pessoas procuram os centros de saúde, os quadros de covid e gripe são muito semelhantes e, por isso, fica difícil fazer o diagnóstico. Além disso, a influenza pode levar à necessidade de internação em um sistema hospitalar que já está muito comprometido”, afirmou o secretário de Saúde, Lair Zambon.
Ele ressaltou que a criança é o maior vetor da gripe. “Ela pode contaminar as pessoas por até 14 dias. É muito importante que os pais levem as crianças para receber a vacina. Dessa forma, elas serão menor vetor para os adultos e, com isso, haverá uma diminuição de casos de síndromes gripais, com redução nas internações, complicações e mortes das crianças. Se houver uma epidemia de síndromes gripais em crianças, teremos que achar um espaço infantil para fazer essas internações e isso será muito complicado, pois estamos usando quase toda a área física e recursos humanos para a Covid”, alertou.
Zambon garantiu que os Centros de Saúde do município estão abastecidos com as vacinas e preparados para receber os públicos-alvo da campanha de maneira segura. Também reforçou a importância de que a população esteja imunizada contra os vírus da gripe para reduzir a pressão no sistema de Saúde com novas internações.
O prefeito confirmou: “é muito importante que as pessoas se vacinem contra a gripe. Parece uma doença simples, sem complicações, mas não é. A gripe causa muitas mortes e internações todos os anos”.
Onde se vacinar
Para receber a vacina, as pessoas devem procurar o Centro de Saúde mais próximo de sua casa. É preciso levar documento com foto e, se tiver, a carteira de vacinação. Para saber o endereço, é só ligar no 156 ou acessar https://zoneamento.campinas.sp.gov.br/saude.php?nome_campanha=Campanha%20Influenza%202021. O site mostra a unidade mais próxima, os horários de aplicação de doses e a disponibilidade da vacina.
Os profissionais da Saúde dos hospitais públicos e privados, dos Centros de Saúde e da Rede Mário Gatti estão sendo vacinados em seus locais de trabalho. Outros profissionais da Saúde, como os que trabalham em clínicas e os autônomos, também serão vacinados nos Centros de Saúde e em postos volantes específicos, ainda em abril. Os locais serão divulgados em breve.
Neste ano, por conta da Campanha de Vacinação contra a Covid-19, que também está sendo realizada, idosos acima de 60 anos e professores serão vacinados na segunda etapa, prevista para começar em 11 de maio.
Já as pessoas com comorbidades (doenças crônicas e outras), com deficiência permanente, e outros públicos serão vacinados na terceira etapa, programada para a partir de 9 de junho.
Outras informações sobre a Campanha de Vacinação contra a gripe estão disponíveis em vacina.campinas.sp.gov.br .

Continue Lendo







Populares