Connect with us

Geral

Danças marcam concertos da Sinfônica de Campinas sábado e domingo

Publicado

em

Para os próximos concertos deste fim de semana –  sábado, 9, às 20h, e  domingo, 10, às 11h, no Teatro Castro Mendes –, a Sinfônica de Campinas convida o público para “bailar” movido por um repertório vibrante formado por danças de vários países do mundo. 

Sob a batuta do maestro Victor Hugo Toro, os músicos interpretam, na primeira parte do programa, uma série de elegantes danças barrocas francesas, seguidas de uma Suíte de Coppélia (um dos mais famosos balés da história), além de apaixonadas danças húngaras de Brahms, cheias de virtuosismo e influência cigana.

A “América Latina é sempre uma festa e por isso, na segunda parte, a Orquestra apresentará obras que são referências desta forma de arte”, adianta o regente Toro. Do tango argentino a uma valsa mexicana, de uma seleção de danças brasileiras de Ernesto Nazareth a uma suíte de mambos de Perez Prado, “a Sinfônica de Campinas quer terminar a temporada oficial em grande estilo”, frisa, entusiasmado.

 

 

Abaixo, considerações das obras do pesquisador Leonardo A.C. de Oliveira.

 

Jean-Philippe Rameau (1683-1764)

Orquestração de Felix Mottl (1856-1911)

Suíte de Balés

 

 

Rameau foi, ao lado de Couperin, um dos compositores mais importantes da música francesa de seu tempo. Ficou conhecido pela publicação de um tratado de harmonia em 1722. Suas obras ficaram esquecidas por muito tempo e apenas no início do século XX foram relembradas. Mottl foi um dos defensores de suas composições. A primeira dança apresentada hoje é de sua ópera Platée, que conta a história de uma proposta de casamento feito à ninfa de um pântano para curar o ciúme de Juno por Júpiter. Os movimentos que seguem remetem a instrumentos musicais – uma gaita de fole e um pequeno tambor – e são de sua ópera Fêtes d’Hébé, que tem como temática movimentos independentes que envolvem a poesia, música e dança.

 

 

Léo Delibes (1836-1891)

Suíte de Coppélia

 

 

Swanilda e Franz, um casal que está prestes a se casar, vivem em uma aldeia onde o Doutor Coppélius cria bonecos de tamanho real. Entre eles, Coppélia. Seu desejo é fazer com que a boneca transforme-se em um ser vivo e para que isso aconteça, necessita de um sacrifício humano. Coppélius tenta matar Franz. Swanilda, ao perceber, engana o doutor que nota apenas depois o ocorrido. O matrimônio, assim como a reconciliação de todos, se realiza ao final. Léo Delibes utiliza danças nacionais difundidas no cenário da época e incorpora o caráter impressionista de cores e imagens em sua obra.

 

 

Johannes Brahms (1833-1897)

Danças Húngaras

 

 

Desde muito cedo, o compositor teria tido contato com a música húngara e se encantado com seu estilo. Não tinha uma afinidade com a revolução política que ocorria na Hungria naquele momento e seu interesse se restringia ao estilo musical. As danças não são de caráter exclusivamente étnico húngaro, mas de influências dos ciganos daquele país. A orquestra apresenta transcrições das obras escritas pelo compositor para piano a quatro mãos que ganharam posteriormente sua versão para orquestra. A primeira teve como motivo a canção folclórica Isteni Csárdás e a quinta, Batfai Emlek.

 

 

Astor Piazzolla (1921-1992)

Orquestração de Rodrigo Morte (1976)

Bordel 1900 

 

 

A música de Piazzolla é apaixonada, cheia de saudade e, ao mesmo tempo, atual. O compositor conseguiu elevar o tango a um nível nunca antes alcançado, incorporando em sua obra influências das cidades onde viveu: Buenos Aires, Paris, Nova Iorque. Sua variação na formação instrumental é uma preocupação contemporânea e sua voz serve como inspiração para outros compositores. Bordel 1900 é primeiro movimento de uma suíte do compositor: Histoire du Tango. O compositor procurou fazer uma síntese desse estilo musical desde o surgimento em bordéis em Buenos Aires até conquistar as salas de concerto. 

 

 

Ángel Villoldo (1864-1919)

Orquestração de Rodrigo Morte (1976)

El Choclo

 

 

Villoldo foi um dos principais músicos da primeira fase do tango argentino e considerado por muitos historiadores o pai do gênero. El Choclo foi apresentado em um restaurante como dança crioula, já que os tangos eram proibidos pela elite. Traduzida livremente como O Milho, o compositor usou seu ingrediente favorito do puchero – ensopado a base de carne e legumes muito comum em casas humildes argentinas – para o nome da obra. Estava certo de que o sucesso do tango traria comida e prosperidade a sua mesa. O uso desse referencial denota forte significado social.

 

 

Juventino Rosas (1868-1894)

Sobre las Olas

 

 

Juventino Rosas foi um dos compositores mexicanos mais famosos do século XIX. Desde muito cedo tocava pelas ruas da cidade para sua própria sobrevivência e a de sua família. Chegou a entrar para o conservatório da Cidade do México, mas acabou abandonando a instituição. Sobre las Olas foi sua obra mais conhecida, mesmo tendo escrito muitas outras valsas, mazurcas e danças. A melodia inicial nos cativa e seduz, além de trazer do imaginário coletivo o caráter encantador e envolvente das valsas. Certamente existe uma influência européia em sua música, mas não podemos deixar de recorrer às valsas dos bailes de quinceañera.

 

 

Ernesto Nazareth (1863-1934)

Três Danças

 

 

Nazareth é o reflexo de seu tempo e traz em sua trajetória alguns pontos significativos para o contexto da música carioca; o olhar para as cenas do cotidiano na música; o nacionalismo na produção cultural do período; e a função social da música. O compositor caminhava entre os estilos erudito e popular e sua produção híbrida é um reflexo dessa característica. Foi um grande difusor dos tangos nacionais e também compôs sambas, canções, quadrilhas, choros e outras. Turbilhão de Beijos é dedicada ao seu amigo Dr. Benevenuto de Paula Fonseca e uma de suas valsas mais conhecidas. Bambino faz referência ao caricaturista Arthur Lucas, que também fez algumas capas das músicas do compositor. Odeon é um dos choros mais conhecidos no país e está ligado ao Cine Odeon, onde o compositor tocava na sala de espera antes do início dos filmes.

 

 

 

 

Perez Prado (1916-1989)

Suíte de Mambos

 

 

Perez Prado é um ícone da música cubana. Por volta das décadas de 1940, seus mambos foram amplamente divulgados no cinema hollywoodiano e dançados por atores como Marlon Brando ou interpretados por músicos como Nat King Cole. O mambo foi uma mistura da música afro-cubana e a instrumentação das big bands dos Estados Unidos, popularizada pelo compositor. Suas obras eram sucintas e procurava usar poucas palavras de caráter proverbial nas letras das músicas, destacando seu minimalismo. A natureza do estilo, portanto, não está nas letras, mas sim em sua música.

 

 

 

Programa

 

JEAN-PHILIPPE RAMEAU (1683-1764)

Orquestração de Felix Mottl (1856-1911)

Suíte de Balés – 7’

Minueto de “Platée”

Musette de “Fêtes d’Hébé”

Tambourin de “Fêtes d’Hébé”

 

 

LÉO DELIBES (1836-1891)

Suíte de Coppélia – 13’

Valsa

Czardas

Prelúdio – Mazurca

 

 

JOHANNES BRAHMS (1833-1897)

Danças Húngaras – 14’

N.º 1 – Allegro molto

Nº5 – Allegro

 

 

ASTOR PIAZZOLLA (1921-1992)

Orquestração de Rodrigo Morte (1976)

Bordel 1900 – 3’

 

 

ÁNGEL VILLOLDO (1864-1919)

Orquestração de Rodrigo Morte (1976)

El Choclo – 3’

 

 

JUVENTINO ROSAS (1868-1894)

Sobre las Olas – 7’

 

 

ERNESTO NAZARETH (1863-1934)

Três Danças – 12’

Turbilhão de Beijos

Bambino

Odeón

 

 

PEREZ PRADO (1916-1989)

Suíte de Mambos – 12’

Peanut Vendor

Patrícia, 

Quizás, quizás, quizás

História de um Amor

 

 

 

Serviço

Orquestra Sinfônica de Campinas

Victor Hugo Toro, regente

Quando: sábado, 9 de dezembro, 20h; 

domingo, 10 de dezembro, 11h

Onde: Teatro Castro Mendes (Praça Correa de Lemos, s/n. Vila Industrial. Campinas).

Ingressos: sábado – R$30,00 (inteira), R$ 15,00 (estudantes, aposentados), R$ 10,00 (professores das escolas públicas e privadas de Campinas e das cidades da Região Metropolitana, pessoas com mobilidade reduzida e portadores de deficiências), R$ 5,00 (estudantes das redes municipal e estadual). 

domingo – valor promocional: R$ 6,00 (inteira), R$ 3,00 (meia entrada); R$ 2,00 (professores das escolas públicas e privadas de Campinas e das cidades da Região Metropolitana, pessoas com mobilidade reduzida e portadores de deficiências); R$ 1,00 (estudantes das redes municipal e estadual). 

Geral

Projeto com ações afirmativas de Campinas é finalista em concurso

Publicado

em

Por

A secretária municipal de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas, Eliane Jocelaine Pereira, está entre os cinco finalistas do projeto Desafio Lideranças Públicas Negras, promovido em parceria pelo Instituto Arapyaú, Humanize, Fundação Lemann e República.org e que visa evidenciar as iniciativas no País que estão gerando oportunidades em posições de lideranças para profissionais negros no setor público.
Ela concorre com o projeto “Ações Afirmativas no Serviço Público: Uma Urgência”, desenvolvido com a participação de várias secretarias e parcerias. O projeto engloba uma série de programas e políticas implementadas na Prefeitura de Campinas nos últimos anos.

A iniciativa vencedora será definida por voto popular – o processo termina em 31 de janeiro. No endereço https://www.catalise.social/desafio-liderancas-publicas-negras é possível conhecer as propostas concorrentes e votar.

Uma das iniciativas incluídas no projeto de Eliane Jocelaine é a implementação de políticas afirmativas, a chamada Lei de Cotas, que prevê a destinação de 20% das vagas em concurso público e processos seletivos para negros no setor público municipal. As cotas estavam previstas para serem aplicadas em 2020, mas isso não ocorreu por causa da pandemia que suspendeu os concursos. A Lei de Cotas será aplicada em 2021.

A lei é um marco importante porque quanto mais negros acessando vagas diversas, mais possibilidade de essas pessoas chegarem à posições de lideranças”, afirmou a secretária.

Outra ação desenvolvida em Campinas foi a criação do Centro de Referência em Direitos Humanos na Prevenção e Combate ao Racismo e Discriminação Religiosa, espaço em que profissionais de diversas áreas acolhem, acompanham e encaminham denúncias da prática de discriminação racial e religiosa. O Centro de Referência também realiza ações voltadas para a promoção da igualdade e combate ao preconceito racial e religioso, junto a escolas, universidades, empresas e demais órgãos.

A política antirracista ampliou, ainda, a participação social no Conselho Municipal de Desenvolvimento da Comunidade Negra, que teve papel importante na construção do Plano Municipal de Igualdade Racional. O plano traz estratégias e políticas públicas a serem desenvolvidas para ampliar a igualdade racial.

Além disso, foi criado o Museu da Paz, no Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim, para produção de conhecimento, valorização da cultura afro-brasileira e também espaço para concretizar a lei que estabelece ensino da história afro-brasileira nas escolas. O museu, criado em parceria com a Unesco, está em fase de construção de seu acervo, e auxiliará no processo de avanço na política de educação.

Continue Lendo

Geral

Bolsa Atleta do governo federal tem inscrições abertas, por meio digital

Publicado

em

Por

Atletas que participam de esportes de alto rendimento e obtêm bons resultados em competições nacionais e internacionais de sua modalidade podem se inscrever para o novo edital do Bolsa Atleta a partir desta terça-feira, dia 26 de janeiro. O prazo para inscrições vai até 15 de fevereiro e o resultado está previsto para 15 de abril.

O programa, realizado pelo governo federal desde 2005, passa a ser realizado por uma plataforma digital. O objetivo é facilitar as inscrições e o acompanhamento dos processos de análise e concessão do benefício.

O secretário municipal de Esportes e Lazer de Campinas, Fernando Vanin, acredita ser importante divulgar o Bolsa Atleta na cidade para que os esportistas que são elegíveis fiquem atentos e não deixem de se inscrever. “Neste momento de incertezas, é fundamental a tranquilidade proporcionada pelo Bolsa Atleta, pois, diante das dificuldades, sem competições sendo realizadas, os atletas acabam sobrevivendo do valor que é pago, inclusive para alimentação da família e despesas gerais”, avalia.

No ambiente virtual, os atletas candidatos poderão realizar a inscrição e enviar documentos pelo sistema, como declarações de clube e de patrocinadores. O candidato à bolsa deverá preencher o plano esportivo, acompanhar o andamento da análise da inscrição e verificar periodicamente a existência de pendências. Não será preciso enviar novos documentos pelos Correios.

Para o técnico de atletismo Evandro Lázari, do Instituto Vanderlei Cordeiro de Lima e da Orcampi (Organização Funilense de Atletismo de Campinas), que treina nove atletas elegíveis para a Bolsa, hoje a renda pessoal para que se mantenham no esporte vem do benefício. Ele conta que nos últimos anos houve redução dos patrocínios das empresas nos clubes, e as equipes têm conseguido oferecer a estrutura básica que garante os treinamentos. “Mas o salário do atleta, a fonte de receita, vem do Bolsa Atleta”, explica o técnico.

Evandro Lázari, que orienta atletas em provas de velocidade e barreira, estima que apenas no atletismo existam hoje cerca de 220 esportistas treinando em Campinas. Desses, pelo menos 45 seriam possíveis candidatos ao Bolsa Atleta neste ano.
A expectativa é que, em 2021, o programa supere os números do último edital, que contemplou 6.357 atletas de modalidades olímpicas e paralímpicas.

O Programa Bolsa Atleta concede o benefício em cinco diferentes categorias (além da Pódio): Base, Estudantil, Nacional, Internacional e Olímpica/Paralímpica, com valores mensais que variam de R$ 370,00 a R$ 3.100,00. Cada uma delas tem pré-requisitos, como ter no mínimo 14 anos de idade, estar vinculado a um clube e filiado a uma federação e a uma confederação, além de ter participado de uma competição elegível e obtido até a terceira colocação (modalidades individuais) ou sido eleito entre os melhores atletas (modalidades coletivas).

Inscrições
O novo sistema do Bolsa Atleta está ativo a partir deste 26 de janeiro. Os candidatos elegíveis devem se cadastrar e criar senha no site do governo federal para depois ter acesso ao sistema do programa, por meio da área de Inscrições da página do Bolsa Atleta, no portal do Ministério da Cidadania, no endereço https://www.gov.br/cidadania/pt-br/acoes-e-programas/bolsa-atleta/inscricoes.
O cadastro deve ser feito em https://sso.acesso.gov.br/login?client_id=contas.acesso.gov.br&authorization_id=177400d3238 . É necessário acionar o portal do governo federal para ter acesso aos sistemas, quando será preciso inserir o CPF e a senha cadastrados. Já na área restrita, o atleta poderá efetuar a inscrição e enviar a documentação necessária.

O recurso para o Bolsa Atleta já está inserido na Lei Orçamentária Anual (LOA) do ano vigente. A previsão orçamentária para o Bolsa Atleta em 2021 é de R$ 145 milhões, a maior desde 2014 e superior, inclusive, ao investimento no programa em 2016, ano dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio, que foi de R$ 143 milhões.

Continue Lendo

Geral

Campinas inicia vacinação contra Covid-19 para outras categorias da Saúde

Publicado

em

Por

A Secretaria Municipal de Saúde vai iniciar, na próxima quinta-feira, dia 28 de janeiro, a vacinação de novas categorias de profissionais da Saúde, que não estão na assistência direta a pacientes com Covid-19. O anúncio foi feito pelo prefeito Dário Saadi nesta terça-feira, dia 26, durante transmissão ao vivo.
Essas novas categorias incluem médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem, cirurgiões dentistas, técnicos de análises clínicas e motoristas de ambulância. A vacinação será iniciada com as 12 mil doses da vacina Oxford/Astrazeneca que Campinas recebeu na manhã desta terça-feira, dia 26 de janeiro.

Para se vacinar, os profissionais de saúde deverão fazer um agendamento, que será liberado hoje, dia 26, a partir das 17h, pelo site www.vacina.campinas.sp.gov.br Só será possível agendar enquanto houver doses disponíveis.

Foi um processo complexo a definição de quais profissionais devem ser imunizados neste momento. Fizemos uma discussão criteriosa, que levou em conta parâmetros estabelecidos pelo Departamento de Vigilância em Saúde”, disse o prefeito. “Esses profissionais, segundo dados do Devisa, foram os mais afetados, os que mais adoeceram durante a pandemia”, completou.

O prefeito também fez um destaque sobre a segurança da campanha, para que a vacinação seja feita para os públicos prioritários. “No agendamento, tem um alerta onde a pessoa terá que garantir a veracidade das informações declaradas. Quem cometer alguma fraude será responsabilizado civil e criminalmente. Além disso, no momento da vacinação, o profissional terá que apresentar os documentos que comprovam suas informações”, completou.

A vacina será aplicada em duas doses, sendo a segunda 12 semanas após a primeira. “Na primeira fase, tinham que ser vacinados os profissionais da linha de frente e, assim como já fazemos na campanha de influenza, as doses foram enviadas diretamente para as unidades de saúde, tanto públicas como privadas”, explicou a diretora do Devisa, Andrea von Zuben. “Os demais profissionais que atuam em unidades de saúde, mas que não fazem parte da linha de frente, terão que fazer o agendamento em nosso hotsite”, completou.

Ainda segundo a diretora, todos os profissionais de saúde serão imunizados, de acordo com a chegada de novas doses na cidade.

Só pode tomará tomar a vacina quem tiver agendado. No dia marcado, é preciso levar documento de identificação com foto e carteira de registro profissional ou comprovante de vínculo com estabelecimento de saúde, como holerite, carteira de trabalho assinada ou declaração do empregador.
Serão dois centros de imunização:

– Centro de Vivência do Idoso – Lagoa do Taquaral – Portão 5 (região leste);

– Caic Sudoeste (Zeferino Vaz) – Rua José augusto de Mattos, s/nº, Vila União (Região Sudoeste).
Vacina Campinas

O hotsite www.vacina.campinas.sp.gov.br também esclarece dúvidas sobre vacinas e a atual campanha de vacinação na cidade. Além disso, divulga a opinião de especialistas, notícias relacionadas ao assunto, cuidados com a doença, entre outros tópicos.

Até o momento, o hotsite já recebeu mais de 6,1 mil acessos.
A primeira etapa da vacinação será dividida da seguinte maneira:

1º – profissionais de saúde, indígenas e quilombolas – cerca de 63 mil pessoas em campinas;

2º – pessoas com 75 anos ou mais – 40.383 pessoas;

3º – 70 a 74 anos – 26.309 pessoas;

4º – 65 a 69 anos – 33.507 pessoas;

5° – 60 a 64 anos – 46.169 pessoas.
Das mortes por Covid em Campinas, 87% correspondem a esse público da primeira etapa.
Balanço de vacinação até as 12h30 de hoje

A Secretaria de Saúde de Campinas já vacinou 13.325 profissionais que atuam diretamente na assistência a pacientes com Covid-19. O balanço foi atualizado às 12h30 desta terça-feira, dia 26 de janeiro, e refere-se a doses aplicadas da vacina Coronavac, do Butantan.

Estão inclusos os trabalhadores vacinados nos hospitais públicos, particulares e Centros de Saúde. Não estão englobados os profissionais vacinados no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp.

Continue Lendo









<





Populares