Connect with us

Geral

Começam as obras do Projeto Piloto do Programa Reforma

Publicado

em

Os Moradores do núcleo residencial Jossiara, beneficiários do Projeto Piloto do Programa Reforma, começaram a vivenciar uma sensação diferente na semana passada. Depois de assinarem os contratos para realização das reformas em suas casas no final do mês passado, os moradores de sete residências experimentaram efetivamente a emoção pelo início das obras.

 

A Secretaria de Habitação (Sehab) e a Companhia de Habitação Popular de Campinas (Cohab-Campinas) trabalham em parceria na realização do Projeto Piloto, que atenderá inicialmente 20 famílias nos núcleos residenciais Jossiara, na região do Distrito do Ouro Verde e Bairro da Conquista, na região Sul. Esse projeto será fundamental para nortear novos programas de reforma através do Fundo de Apoio à População de Sub-habitação Urbana (Fundap).

 

Segundo a coordenadora setorial de Planejamento Físico Habitacional, da Secretaria Municipal de Habitação (Sehab), Taís Sineiro Herig, a motivação tem sido o combustível para a realização deste projeto.

 

“Estamos trabalhando na estruturação de um modelo de reforma para o Fundap oferecer à população que mais precisa. A equipe está bastante motivada e na expectativa dos resultados que estão por vir no Projeto Piloto das 20 unidades”, disse.

 

O coordenador técnico das obras, Anderson Rodrigo de Oliveira, conta que os trabalhos serão realizados em etapas.

 

“Nessa primeira etapa serão realizadas as demolições, bem como a remoção do entulho que for gerado. São cinco equipes trabalhando simultaneamente e, nesse ritmo, a finalização das reformas no Jossiara está prevista para o início do mês que vem”, adiantou.

 

Dona Maria Leoci Santos de Souza nem acreditou quando tocaram a campainha dela pedindo autorização para começar a reforma.

 

“Moço, eu moro aqui com mais seis pessoas e por inúmeras vezes a gente pensou em sair, ir embora mesmo por causa das dificuldades. Mas agora que a Cohab e a Sehab estão cumprindo o que prometeram pra gente, só nos resta esperar o final das obras. Aqui na minha casa vão trocar o telhado e refazer o piso; é tanta alegria que nem dá pra falar”, afirmou.

 

As obras estão sendo executadas pela Programa Vivenda Reformas para Baixa Renda Ltda. O diretor da empresa, Fernando Amiky Assad, ressaltou a parceria com a Sehab/Cohab, que partilham do mesmo interesse, e que está é uma ótima oportunidade para beneficiar mais pessoas.

 

“Estamos felizes com esse trabalho em conjunto. Os moradores também estão muito satisfeitos, primeiramente pela oportunidade criada pela Sehab/Cohab, algo bem inovador; segundo, pela positiva experiência de obra que estão passando, além de terem seus desejos considerados e debatidos junto a arquitetos. Os moradores não precisam se preocupar com referente à obra, pois nós fazemos a gestão integral do serviço, como o acompanhamento dos pedreiros, ou compra e entrega dos materiais. E por conta disso, os prazos vêm sendo cumpridos, o que é outra boa surpresa”, contou.

 

Assad destaca ainda que a Vivenda nasceu para oferecer acesso a todos a uma casa bonita e saudável.

 

“Não só prevemos utilizar materiais de qualidade, como também itens inovadores que façam a obra ficar melhor, mais barata e mais eficiente do ponto de vista ambiental. Nessas primeiras obras, por exemplo, já utilizaremos uma tecnologia nova que são as telhas de PVC, mais leves, mais duráveis, e com tecnologia para reduzir a temperatura de dentro das casas. Nossa relação com a Sehab/Cohab vem sendo pautada por muito respeito, transparência e profissionalismo, e com essas bases acreditamos que construiremos uma parceria de longo prazo que beneficie muitas pessoas”, completou.

 

Para o secretário de Habitação e presidente da Cohab-Campinas, Samuel Rossilho, o programa vai trazer alegria pra dezenas de famílias.

 

“Eu sempre digo que muita gente não acreditava quando anunciamos que este tipo de benefício seria implantado aqui em Campinas. Nesta primeira fase vamos começar com 20 famílias nos núcleos residenciais Jossiara e Bairro da Conquista. A partir de janeiro, nossas equipes vão trabalhar a todo vapor para atingir nossa meta final que é a entrega da escritura definitiva das moradias. Agradeço demais também ao empenho da Vivenda porque, sem a parceria dela, não daria pra fechar a conta. Sinceramente, eu fico emocionado ao ver a alegria estampada no rosto das pessoas”, completou.

 

Critérios

 

Para fazer parte do programa é necessário que os beneficiários se enquadrem nos seguintes critérios:

 

● Ter renda familiar bruta de até R$ 2.811,00;

 

● Possuir um único imóvel, em todo o território nacional;

 

● Ser maior de 18 anos ou emancipado;

 

● Ser proprietário, possuidor ou detentor e residir no imóvel a ser beneficiado.

 

 

 

 

 

Os imóveis também necessitam de enquadramento nos critérios:

 

● Ter estrutura estável, com paredes de alvenaria, madeira aparelhada ou equivalente;

 

● Apresentar, pelo menos, uma das seguintes situações de inadequação: ○* Possuir mais de três moradores do grupo familiar por dormitório;

 

○ Não possuir banheiro ou sanitário de uso exclusivo do grupo familiar;

 

○ Apresentar inadequação da cobertura;

 

○ Não possuir solução adequada de esgotamento sanitário;

 

○ Carecer de conclusão da unidade habitacional.

 

O projeto conta com os serviços das empresas credenciadas junto ao Fundap para a realização das reformas. Todas as fases de execução das obras terão acompanhamento de técnicos da Cohab-Campinas neste programa integra o projeto Habitar Campinas.

 

Quem quiser obter mais detalhes sobre o programa, plano de trabalho deve acessar o link: http://www.campinas.sp.gov.br/governo/habitacao.

 

 

 

Geral

Reitoria suspende atividades presenciais não essenciais nos campi a partir desta terça-feira (26) em virtude da piora da pandemia

Publicado

em

Por

unicamp

Dispõe sobre a suspensão das atividades presenciais não essenciais nos campi da UNICAMP a partir de 26/01/2021 em virtude da piora da pandemia do Coronavírus (Covid-19).

O Reitor da Universidade Estadual de Campinas, 

  • Considerando a piora da pandemia no estado indicadas pela alta de casos, internações e mortes.
  • Considerando a necessidade de se evitar aglomerações, principalmente as atividades que reúnam grande número de pessoas em locais fechados; 
  • Considerando a necessidade de manutenção do controle da transmissão da Covid-19, visando prevenir o contágio nas dependências da Unicamp;
  • Considerando que a prevenção por meio do afastamento social é uma das medidas eficazes no combate à pandemia; 
  • Considerando que é fundamental manter funcionando integralmente a área de saúde da Universidade, que integra a rede do Sistema Único da Saúde; 
  • Considerando o cumprimento dos protocolos estabelecidos pelo MS e pela Portaria Conjunta ME e MPT 20/2002, do Decreto Estadual 65.032, de 27/6/2020 e de Portarias e Resoluções publicadas pela UNICAMP;
  • Considerando que na reclassificação anunciada no dia 22/01/2021, 78% da população do estado está na Fase Vermelha e 22%, na Fase Laranja (incluindo a região de Campinas e Piracicaba), as duas mais restritas do Plano São Paulo.
  • Considerando o Plano de enfretamento da COVID-19 da Unicamp, em especial o previsto na Resolução GR nº. 93/2020, que alterou a Resolução GR n.º 87/2020, que orienta e disciplina a retomada gradual das atividades presenciais na Universidade,

Baixa a seguinte Resolução: 

Art. 1° – Nos termos do § 5º do artigo 1º da Resolução GR n.º 93/2020, ficam suspensas as atividades presenciais não essenciais (acadêmicas, administrativas e os eventos públicos da Unicamp) a partir de 26/01/2021 até a reclassificação das regiões de Campinas e Piracicaba (que inclui a cidade de Limeira) para a fase Amarela do Plano São Paulo e permanência destas regiões na fase Amarela por, pelo menos, 14 dias consecutivos, mantidas as atividades administrativas essenciais e as da área da saúde, na forma aqui definida.

Parágrafo Único – As atividades acadêmicas e administrativas da Universidade deverão continuar ocorrendo por modo remoto.

Art. 2º – As atividades administrativas essenciais de Unidades e Órgãos da Universidade poderão funcionar em regime de contingenciamento ou rodízio, permitido o tele-trabalho no período, conforme planejamento específico de cada local e, cabendo à direção de cada órgão a adoção das medidas que viabilizem esta prática.

§ 1º – A realização de tele-trabalho, sempre que possível, deverá ser priorizada nos órgãos administrativos,

§ 2º – No período de suspensão das atividades a frequência dos servidores será aferida conforme plano de contingenciamento previamente divulgado. 

§ 3º – Durante a vigência desta suspensão de atividades presenciais, os servidores poderão ser convocados a retornar ao trabalho a qualquer momento.

Art. 3º – Para fins desta Resolução, são atividades essenciais ao funcionamento da UNICAMP as previstas no §§ 1º e 2º do art. 1º da Resolução GR n.º 34/2020, conforme detalhadas abaixo:

I – as atividades assistenciais de saúde e hospitalares, inclusive as atividades do CEB;

II – as atividades administrativas de suporte às atividades assistenciais de saúde;

III – serviço de limpeza das áreas hospitalares e demais áreas em funcionamento presencial;

IV – serviço de vigilância;

V – serviço de alimentação;

VI – serviços administrativos necessários para a continuidade do funcionamento da Universidade;

VII – serviços de suporte de TI;

VIII – atividades que requerem cuidados pessoais, como biotérios, estufas, e equipamentos de grande porte que não podem ser desligados.

§ 1º – Os servidores que não exercem atividades essenciais deverão permanecer em quarentena e em tele-trabalho no período.  

§ 2º – Os dirigentes das áreas indicadas nesse artigo definirão a forma de realização de suas atividades, de forma a garantir o funcionamento das mesmas.

Art. 4º – Permanece vigente a Resolução 80/2020, que prevê que as Unidades de Ensino e Pesquisa, os Centros e Núcleos podem, excepcionalmente, dar continuidade às atividades de pesquisa, em caráter temporário e esporádico, que apresentem risco de comprometimento irreparável e que comprovadamente não tenham encontrado alternativa ao uso dos laboratórios.

Parágrafo único – Estas excepcionalidades deverão ser avaliadas e aprovadas previamente pelo Comitê de Crise COVID-19 da Unidade de Ensino e Pesquisa, do

Centro ou Núcleo, que analisará a proposta dos interessados, que deverá indicar os prejuízos para a pesquisa e o plano detalhado de retomada pontual da atividade. 

Art. 5º – Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Continue Lendo

Geral

Campinas informa mais sete mortes Covid-19 e já passa de 1600

Publicado

em

Por

A Secretaria Municipal de Saúde atualizou os dados da pandemia de Covid-19 em Campinas nesta segunda-feira, dia 25 de janeiro. O município tem 58.668 casos confirmados da doença (na sexta-feira, dia 22 de janeiro, eram 57.870, são 798 a mais) e mais sete mortes foram registrados, totalizando 1.602 óbitos pela Covid-19.

Das sete novas vítimas, três eram homens e quatro eram mulheres; seis tinham comorbidades e uma não apresentava outras doenças. Com relação à faixa etária, cinco eram maiores de 60 anos, sendo: uma maior de 90 anos; duas entre 80 e 89 anos; uma entre 70 e 79; e uma entre 60 e 69 anos. Duas eram menores de 60 anos, sendo uma entre 50 e 59 anos; e uma entre 20 e 29 anos.
 

Sobre as vítimas

– Homem de 84 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 24 de janeiro.

– Mulher de 80 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 22 de janeiro.

– Mulher de 24 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 21 de janeiro.

– Homem de 59 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 21 de janeiro.

– Mulher de 68 anos. Não tinha comorbidades. Morreu dia 21 de janeiro.

– Mulher de 74 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 13 de dezembro.

– Homem de 94 anos. Tinha comorbidades. Morreu dia 6 de janeiro.

Continue Lendo

Geral

Defesa Civil emite alerta para chuvas fortes na região

Publicado

em

Por

Nesta segunda-feira (25), a Defesa Civil emitiu um alerta para risco de chuvas fortes entre hoje e quinta-feira (28) em Campinas.

De acordo com o órgão, há condições para pancadas de chuva forte, com possibilidade de tempestade severa, com raios e ventos intensos na região. Por causa do acumulo de chuvas, a Defesa Civil alerta ainda para risco de deslizamentos, alagamentos e enchentes.

A Defesa Civil ainda informa que há risco de deslizamentos de terra em todo o Estado, devido aos acumulados elevados de chuva, nos últimos dias, e a previsão de continuação, nos próximos dias, com destaque para as regiões acima mencionadas.

Fique alerta aos seguintes sinais, típicos de deslizamento:

  • portas ou janelas que empenaram ou emperraram de repente;
  • rachaduras novas no reboco, concreto, tijolos e fundações ou se rachaduras antigas se alargarem;
  • paredes externas e calçadas que começaram a se afastar do prédio;
  • inclinação de cercas, muros, postes e árvores;
  • aparecimento de água e protuberâncias na base da encosta; e
  • sons incomuns, como árvores quebrando, que também indicam movimento do terreno.

Continue Lendo









<





Populares