Connect with us

Geral

Castro Mendes recebe B.r.U.s, espetáculo de percussão e sapateado

Published

on

O Teatro Castro Mendes recebe nesta sexta-feira, 23 de julho, e sábado, 24 de julho, às 19h, o espetáculo B.r.U.s., um show de percussão e tap dance (sapateado). A apresentação é gratuita, com capacidade para até 120 pessoas por noite, por conta da pandemia do Covid-19. Os ingressos devem ser retirados no local, com antecedência de 30 minutos. A TV Câmara também vai transmitir ao vivo. O evento tem apoio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. 

 

O público verá um espetáculo de uma hora de duração com  música é tocada ao vivo e por meio da dança o tempo todo. A bailarina, tap dancer (sapateadora) e instrumentista Chris Matallo toca sax tenor e sapateia simultaneamente, ao lado do ritmista norte-americano e tap dancer Jim Hamilton, que também toca pandeiro e sapateia.

 

“B.r.U.s. é um espetáculo completamente diferente e interdisciplinar, no qual quem dança toca e quem toca dança”, comenta Chris Matallo. Segundo ela, esse trabalho já esteve em turnê 2 anos consecutivos pela Europa e Estados Unidos e, será apresentado pela primeira vez em Campinas. “Estamos felizes e ansiosos para levar nosso maior tesouro, nossa arte com muito carinho para toda a cidade”. 

 

Chris Matallo é campineira e, desde 1993, pesquisa possibilidades da fusão entre movimento e som. Por meio deste processo, mistura as linguagens ao tocar sax tenor e sapatear simultaneamente. Formada em Dança pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), desenvolveu projetos multidisciplinares na universidade ao longo de dez anos, tornando-se pesquisadora do Núcleo Interdisciplinar de Comunicação Sonora.

 

Como coreógrafa, dirigiu e produziu shows internacionais. Como educadora, ministrou oficinas em todo o Brasil e diversos países. Como atriz e cantora, atuou no elenco de New York, New York – O Musical, dirigido por José Possi Neto, entre 2011 e 2013, e participou da turnê nacional.

 

Ocupou a cadeira de sapateado americano no departamento técnico de teatro musical do Sesi-SP em 2014 e 2015. Foi preparadora e supervisora de tap dance no musical Crazy for You no Brasil, dirigido por José Possi Neto e estrelado por Claudia Raia e Jarbas Homem de Mello em 2014. Coreografou o musical Singing In the Rain em São Paulo, ganhando diversos prêmios em 2017.

 

Neste mesmo ano, foi convidada para coreografar House of Murals (Casa dos Murais), resultado de um processo de pesquisa de grafites, murais e comunidades, ao lado da sapateadora Corinne Karon e da Dra. Leslie Elkins no Departamento de Dança e Teatro da Rowan University em New Jersey, nos Estados Unidos.

 

É diretora artística e organizadora do Brasil International Tap Festival desde 1999 e criou e realizou durante seis anos o Sapateia São Paulo, em celebração ao Dia Internacional da Tap (25 de maio). Fez turnê pelo Brasil, Estados Unidos e Alemanha ao lado do baixista Gilberto de Syllos, com o espetáculo Da Corda pro Pé, que une contrabaixo acústico e elétrico com sapateado.

 

Jim Hamilton

 

Nasceu e cresceu em um estúdio de dança na Pensilvânia, nos Estados Unidos, junto aos pais, que eram bailarinos e sapateadores, entusiastas da arte corporal e percussiva.

 

Dirigiu Tension Rod, importante estúdio de gravação com diversos trabalhos como percussionista. Projetos envolvendo sua pesquisa incluem The Patch Ensemble, Trio Globo, The Prism Saxophone Quartet e The Pandeiro Repique Duo Mais. Tocou no Festival de Jazz de Montreal em 2002 e no Grammy Awards com Boyz II Men em 1995 e 96.

 

Percorreu a Europa e Japão com Ursula Rucker, Sound Sculptor e Tim Motzer, com quem gravou três álbuns. Tocou com artistas em diversos continentes e durante 25 anos se dedicou a pesquisar a cultura e ritmos no Brasil.

 

Sua pesquisa envolve os sons por meio do corpo, uma linguagem própria de fundir movimento e som, em sincronia entre dança e música. Performático, trabalha no cenário da música¸ dança e teatro, focando a percussão por meio dos pés e mãos.

 

O espetáculo B.r.U.s. conta com patrocínio da MB Engenharia. 

Geral

Fiscalização coíbe aglomerações com 2.238 pessoas e fecha cinco comércios

Published

on

By

A Guarda Municipal de Campinas dispersou 2.238 pessoas entre o final da noite de sábado, dia 24/7, e a madrugada deste domingo, 25/7, durante a Operação Aglomeração Zero, coordenada pela Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública. 

 

A ação constatou que estas pessoas encontravam-se aglomeradas em grupos de mais dez em praças, vias públicas e nas proximidades de bares e restaurantes.

 

A Operação Aglomeração Zero visa coibir ou dispersar concentração de indivíduos nas ruas para conter a transmissão do coronavírus em Campinas. Viaturas e efetivo da GM são empregados durante a ação, realizada no período em que vigora o Toque de Recolher na cidade, entre 23h e 5h.

 

A corporação intensifica o patrulhamento em locais mapeados a partir de dados estatísticos de onde a Guarda Municipal registra maior número de denúncias recebidas pelo 156 e 153 e também nos bairros com mais casos de transmissão da Covid-19.

 

Fiscalizações

 

O balanço aponta também o resultado das fiscalizações. No sábado, as equipes de fiscalização da Prefeitura vistoriaram 134 estabelecimentos. Destes, 5 foram fechados.

 

As equipes de fiscalização contam com agentes municipais das secretarias de Saúde (por meio da Coordenadoria de Vigilância Sanitária) e Planejamento e Urbanismo, Setec e Procon.

 

A Prefeitura ressalta que a colaboração da população é muito importante no controle da pandemia em Campinas. Mesmo com o avanço da vacinação, os cidadãos precisam manter o uso correto da máscara, fazer higienização das mãos e manter o distanciamento social.

Continue Reading

Geral

GM dispersa 1.680 pessoas na Operação Aglomeração Zero desta madrugada

Published

on

By

A Guarda Municipal de Campinas dispersou 1.680 pessoas entre o final da noite de sexta-feira, 23 de julho, e a madrugada deste sábado, 24, durante as ações da Operação Aglomeração Zero, coordenada pela Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública.

 

Com o objetivo de coibir ou dispersar grupos com mais de dez pessoas em vias públicas, viaturas e efetivo da GM realizam a ação no período em que vigora o Toque de Recolher na cidade, entre 23h e 5h.

 

A corporação intensifica o patrulhamento em locais mapeados a partir de dados estatísticos de onde a Guarda Municipal registra maior número de denúncias recebidas pelo 156 e 153 e também nos bairros com mais casos de transmissão de Covid-19.

 

Fiscalizações

 

O balanço aponta também o resultado das fiscalizações. Ontem, as equipes de fiscalização da Prefeitura vistoriaram 92 estabelecimentos. Destes, 7 foram fechados.

 

A fiscalização envolve servidores das secretarias de Saúde (por meio da Coordenadoria de Vigilância Sanitária) e Planejamento e Urbanismo, Setec e Procon.

 

A Prefeitura ressalta que a colaboração da população é muito importante no controle da pandemia em Campinas. Mesmo com o avanço da vacinação, os cidadãos devem fazer o uso correto da máscara, a higienização das mãos e manter o distanciamento social.

Continue Reading

Geral

Prefeito recebe ministro em cerimônia na EPAR Boa Vista nesta sexta, 23

Published

on

By

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, e o presidente da Sanasa, Manuelito Magalhães, participaram na manhã desta sexta-feira, 23 de julho, da cerimônia de apresentação da Estação Produtora de Água de Reúso – EPAR Boa Vista. O evento contou com a presença do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e do secretário nacional de Saneamento, Pedro Maranhão.

 

 

 

 

A obra beneficia uma população de aproximadamente 55 mil moradores de 30 bairros de Campinas. A EPAR tem capacidade para tratar 180 litros de efluentes por segundo. O esgoto, tratado por meio de membranas ultrafiltrantes, resulta em água de excelente qualidade, que pode ser aproveitada como água de reúso com 99% de grau de pureza. Com a operação dessa unidade, a Estação de Tratamento de Esgoto Vó Pureza será desativada.

 

 

 

 

A EPAR Boa Vista faz de Campinas o primeiro município com mais de 500 mil habitantes a atingir 100% da capacidade instalada para o tratamento de esgoto. “Esta estação é inovadora, um exemplo de ação que gostaríamos que fosse multiplicada em outras cidades brasileiras. Além de tratar o esgoto de forma adequada, está produzindo uma água de qualidade que poderá desde retornar aos rios até ser usada na agricultura ou em aplicações mais nobres. Estou bem impressionado”, elogiou o ministro.

 

 

 

De acordo com o prefeito Dário Saadi, a obra impacta, principalmente, no desenvolvimento sustentável. “Podemos tratar o esgoto, que é fundamental para o meio ambiente, e produzir água de reúso que, além de ser destinada ao Ribeirão Boa Vista mais limpa, pode ser usada na indústria e em outros lugares”, comemorou.

 

 

 

 

De acordo com o presidente da Sanasa, Manuelito Magalhães, a EPAR representa um avanço no tratamento terciário de esgoto. “Devolvemos aos rios água de muito melhor qualidade do que aquela que nós captamos para abastecer a nossa cidade. Recentemente, assinamos outro contrato de financiamento com a Caixa para a modernização da ETE Anhumas, que será transformada em estação produtora de água de reúso. Quando esse empreendimento estiver pronto, Campinas tratará, em caráter terciário, cerca de 70 por cento do esgoto produzido na cidade”, anunciou.

 

 

 

 

O investimento total da obra na Boa Vista foi de R$ 68.458.591,90, sendo R$ 45.998.479,18 financiados pelo PAC FIN/FGTS, e R$ 22.460.112,72 como contrapartida da Sanasa. O trabalho foi executado pelo consórcio formado pelas empresas Enfil e Augusto Velloso, escolhido por meio de licitação internacional. A obra teve início em 1º de março de 2016 em uma área de 90 mil metros quadrados. A EPAR Boa Vista leva o nome do córrego que margeia a estação.

 

 

 

Liberação de recursos

 

Durante o evento, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, assinou a liberação de recursos nos valores de R$ 126 milhões para obra de melhorias e modernização da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Anhumas.

 

 

Também foram liberados R$ 129,5 milhões para a implantação do sistema de esgotamento sanitário que ligará a bacia do Samambaia, em Campinas, à Estação Produtora de Água de Reúso (EPAR) Capuava, em Valinhos.

Continue Reading

Populares