Connect with us

Geral

Campinas reduz em cerca de 60% recém-nascidos acolhidos em abrigos

Publicado

em

Os serviços de acolhimento de Campinas têm recebido destaque no cenário nacional, sendo referência para outras regiões do País. Nos últimos anos, a atuação de Campinas no acolhimento das crianças com suas mães levou a uma queda de quase 60% no número de recém-nascidos acolhidos em abrigo, indo de 18 bebês em 2014 e 2015 para cinco em 2016 e oito em 2017.

 

 

A queda na retirada de bebês das mães é uma inovação em política pública e segue normativas internacionais que determinam que crianças de 0 a 3 anos não podem estar fora do convívio familiar. De acordo com a secretária municipal de Assistência Social e Segurança Alimentar, Eliane Jocelaine Pereira, o contato dos bebês e crianças de até 3 anos com seus pais e familiares, e principalmente com suas mães, propicia um maior desenvolvimento cognitivo, social e de autorregulação da criança. 

 

Publicidade

“O cuidado familiar protegido evitará impactos e estresses à criança e proporcionará que ela tenha um senso de equilíbrio emocional em fases posteriores de seu desenvolvimento. Esse cuidado e manutenção dos vínculos mãe com o bebê, que primamos em nossos serviços de acolhimento – especialmente na primeiríssima infância –, é que leva a essa redução do número de bebês em abrigos”, afirma Eliane. 

 

Segundo a secretária, esses cuidados propiciam um estímulo ao desenvolvimento da criança e são realizados conforme estratégias inovadoras e aperfeiçoadas para manutenção dos vínculos entre mãe e bebê. “É sobretudo uma necessidade de proteção à primeira infância para que o investimento no cuidado hoje resulte em um futuro mais promissor para essa criança”.

 

 

Publicidade

Campinas e as diretrizes da ONU

Campinas trabalha para cumprir integralmente as diretrizes da ONU com relação a crianças afastadas dos cuidados parentais, segundo a coordenadora do plano para a Primeira Infância Campineira (PIC), Jane Valente, que também é assistente social da Prefeitura. “O Brasil é signatário da organização e o modelo de cuidados alternativos praticado por Campinas serve de referência para o País”, afirmou.

 

 

 

Publicidade

Jane destacou que o trabalho em Campinas é classificado como uma inovação, realizado com um rigor de política pública e com um olhar para o cuidado com as crianças, prevenindo a judicialização. O município se preocupa em realizar ações curativas e preventivas de modo a manter a criança em família. 

 

 

 

Mesmo que haja necessidade de afastar temporariamente a criança do convívio com seus pais, há o encaminhamento para o serviço de família acolhedora que promoveu o acolhimento de 20 crianças de até 6 anos em 2015, 19 em 2016 e 25 em 2017. No período em que a criança está em família acolhedora, é realizado um trabalho em prol de sua reintegração à própria família, preservando o vínculo e a convivência entre irmãos e parentes.

Publicidade

 

 

 

O trabalho realizado pelos serviços de acolhimento tem sido ampliado ao longo dos anos, entre a Casa da Gestante, a Casa Lar e o Abrigo Feminino Santa Clara (para pessoas em situação de rua) foram acolhidas 13 mães grávidas ou com seus filhos em 2015, 36 em 2016 e 25 em 2017. O município segue na contramão de outros que aderiram a um movimento que promove a retirada compulsória de bebês de mães em situação de rua.

 

Publicidade

 

 

“Montamos o primeiro abrigo da Assistência Social, com a Caritas Campinas, para mulheres em situação de vulnerabilidade de risco, e a Casa Lar para adolescentes grávidas ou com bebês”, contou Jane. O abrigo da mulher adulta trabalha para a prevenção da separação da mãe e do bebê para que não chegue a fase de judicialização. Já a Casa Lar atua simultaneamente na atenção da mãe e da criança que já tem medida protetiva. 

 

 

Publicidade

 

A Assistência Social implantada como política pública em Campinas tem feito uso de uma das importantes diretrizes da política nacional de assistência social, que é a vigilância socioassistencial, salientou Jane, trabalhando intimamente com a gestão dos serviços. “Isso tem sido revelado na possibilidade da criação de um cinturão de proteção, em que ações curativas implantadas em um aspecto da política repercutem em ações preventivas em outras, ou seja, ao proteger a população em situação de vulnerabilidade e risco previne-se a retirada das crianças de suas famílias, o que já se pode comprovar pelos dados”. 

 

 

Outro destaque feito pela assistente social é com relação ao cuidado para os adolescentes que saem dos serviços de acolhimento. “Hoje Campinas tem duas repúblicas e três residências inclusivas evitando que esses adolescentes tenham a rua como porta de saída, por isso chamo de um cinturão de proteção”, afirmou Jane. 

Publicidade

 

 

 

Serviços municipais em destaque

 

Publicidade

 

A coordenadora do PIC representou Campinas em dois eventos na última semana, ambos com o objetivo de abordar o trabalho de Campinas na área de acolhimento. Na 11ª Conferência Nacional de Assistência Social, por exemplo, Jane ministrou uma oficina apresentando as ações de Campinas nos últimos dez anos sobre reordenamento dos serviços de acolhimento para crianças e adolescentes. “Essa boa prática aparece como um dos resultados que estamos colhendo como política pública de Estado”, disse. O evento foi realizado em Brasília, durante os dias 5 e 8 de dezembro, pelo Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) e pelo Ministério do Desenvolvimento Social.

 

 

 

Publicidade

A experiência de Campinas também foi ressaltada no V Seminário sobre a Qualidade dos Serviços de Acolhimento: o direito à convivência familiar e comunitária, realizado pela NECA – Associação dos Pesquisadores de Núcleos de Estudos e Pesquisas sobre a Criança e o Adolescente, entre os dias 4 e 5 de dezembro, em São Paulo. O evento foi promovido em parceria com a Federação de Comunidades Educativas (FICE) Brasil e Internacional e com o Movimento Nacional Pró-Convivência Familiar e Comunitária (MNPCFC), que reúne representantes de todos os estados brasileiros.

 

 

 

O secretário Nacional do MNPCFC, Patrick Reason, deu ênfase ao trabalho realizado pelo município de Campinas, por meio da Casa da Gestante da Secretaria Municipal de Saúde e Instituto Padre Haroldo, e aos abrigos de mulheres da Secretaria de Assistência. Reason fez uma projeção mostrando o número de mulheres atendidas e a queda do número de processos de retirada de bebês de suas mães, colocando Campinas como referência no cenário nacional.

Publicidade

 

 

Segundo ele, que também é presidente do Conselho Municipal da Assistência Social de Curitiba e da Associação Beneficente Encontro com Deus, a criança tem o direito à convivência familiar. “Lamentavelmente, em alguns territórios no Brasil, estão sendo feitas avaliações sob a capacidade da mãe cuidar do filho por ser dependente química ou estar em situação de rua, o que culmina com a retirada da criança. Há uma criminalização da pobreza com mulheres pobres sendo, muitas vezes, vistas como negligentes somente por sua condição financeira”.

 

 

Publicidade

 

Segundo ele, Campinas tem cumprido a demanda de prover espaços de proteção à criança e sua mãe. “Há impacto qualitativo, na percepção das mães sobre os serviços e a mudança de sua vida, e quantitativo na redução de quase 70% do número de recém-nascidos acolhidos em abrigo.

 

 

 

Publicidade

“Sempre haverá casos de acolhimento necessários e que precisam ser feitos com excelência, mas a manutenção da criança com sua mãe é importante para sua vida, sua história e para a formação do ser”, afirmou. De acordo com ele, a experiência de Campinas tem sido valiosa porque se preocupa em entender o que está ocorrendo com a mãe e promove um acolhimento conjunto de crianças com suas genitoras.

Geral

Piquenique do Centro de Saúde Bassoli alerta para hipertensão e diabetes

Publicado

em

Por

O Centro de Saúde Bassoli levará cerca de 40 pessoas dos grupos de hipertensão e diabetes para participarem de um piquenique na Lagoa do Taquaral na manhã desta quinta-feira, dia 19 de maio. O passeio encerra o trabalho do grupo atualmente em atividade, que será substituído com a seleção de novos integranes. O transporte foi fornecido gratuitamente pela empresa de ônibus Zanca.
Direcionado ao autocuidado e ao conhecimento sobre as patologias, o grupo se reúne sempre às quintas-feiras pela manhã. Segundo a coordenadora da unidade, Elaine Rampazzo, “atividades e palestras são ministradas aos participantes pela equipe multidisciplinar da unidade, que conta com profissionais de odontologia, farmácia, enfermagem, educação física, nutrição, fisioterapia, além dos agentes comunitários de saúde”.
Para o passeio, também foram convidados os participantes do grupo anterior, cuja programação já terminou. A coordenadora do CS contou que a unidade também tem outros grupos, como o de saúde da mulher e da caminhada, focados no bem-estar. Mesmo após o encerramento oficial dos grupos, os usuários podem continuar participando das ações voltadas ao autocuidado. 
Profissionais da residência multidisciplinar, uma técnica de enfermagem e uma agente de saúde vão monitorar o passeio.

Continue Lendo

Geral

VemSer leva diversos serviços gratuitos para a região do Vista Alegre

Publicado

em

Por

A Secretaria Municipal de Trabalho e Renda promove neste sábado, dia 21 de maio, o evento VemSer, que vai oferecer diversos serviços gratuitos nos bairros por meio do Centro Público de Apoio ao Trabalhador de Campinas (CPAT) em parceria com entidades públicas e privadas. A primeira edição do evento será realizada no CEI Senador João Medeiros Calmon, no bairro Vista Alegre.

 

 

Entre os serviços oferecidos estão o balcão de empregos do CPAT com cadastramento de trabalhadores no Sistema Nacional do Emprego (SINE), serviços estéticos (corte de cabelo, escova, manicure), inscrições para cursos de qualificação profissional, aferição de pressão cardíaca, orientações jurídicas, atendimento para Microempreendedor Individual (MEI), Sebrae Móvel, algodão doce para as crianças, entre outros. Ao todo são 14 parceiros públicos e privados envolvidos na ação.

 

Publicidade

 

O objetivo da Secretaria de Trabalho e Renda é promover o VemSer periodicamente em regiões estratégicas do município, preferencialmente em escolas por já possuírem infraestrutura adequada para receber o público.

 

 

Evento

Publicidade

 

 

VemSer

 

 

Publicidade

Data: 21 de maio de 2022

 

Horário: das 9h às 12h

 

Local: CEI Nave Mãe Senador João Medeiros Calmon

Publicidade

 

Endereço: rua Antônia Avelar Ridal, s/n. Parque Vista Alegre, Campinas (SP)

 

 

Parceiros e serviços gratuitos

Publicidade

 

 

Atendimento SINE

 

Cadastramento para vagas de emprego

Publicidade

 

 

CPAT

 

Inscrições para cursos de qualificação profissional

Publicidade

 

 

Casa do Empreendedor

 

Atendimento ao Microempreendedor Individual (MEI)

Publicidade

 

 

Senai

 

Divulgação e inscrições para cursos gratuitos

Publicidade

 

 

Sebrae Móvel

 

Atendimento ao Microempreendedor Individual e sorteios de livros

Publicidade

 

 

Guarda Municipal

 

Demonstração de cães adestrados

Publicidade

 

 

Sesi

 

Divulgação das ações do Sesi

Publicidade

 

 

Fumec

 

Divulgação de cursos profissionalizantes e trilhas de carreira para jovens

Publicidade

 

 

Embelleze

 

Manicure, corte de cabelo feminino e masculino

Publicidade

 

 

DG Cursos

 

Aferição de pressão e de oxigênio no sangue

Publicidade

 

 

EGDS Iracy

 

Workshop de reflexologia

Publicidade

 

 

Faculdade Anhanguera

 

Medição do índice de massa corporal e orientação nutricional

Publicidade

 

 

Senac

 

Massagem rápida, orientação sobre cuidados com os pés e com a pele

Publicidade

 

 

Universidade Presbiteriana Mackenzie

 

Orientação jurídica, preparação para entrevista de emprego, elaboração de currículo e atendimento fraterno com capelão

Publicidade

 

 

Emdec

 

Minicidade de educação para mobilidade

Publicidade

 

Algodão doce

Continue Lendo

Geral

‘Vamos correr, garotas’ promove qualidade de vida para mulheres

Publicado

em

Por

Campinas recebe neste domingo, 22 de maio, mais uma corrida de rua, a Let ‘s Run Girls, das 7h às 12h, no Kartódromo da Lagoa do Taquaral. Esta nova etapa tem o intuito de incentivar as mulheres a buscarem mais qualidade de vida por meio da corrida.
Esta fase em Campinas acontece após a realização, em 2021, de sete etapas presenciais e quatro on-line (devido à pandemia da Covid-19). O evento tem apoio das Secretarias de Cultura e Turismo, de Esportes e Lazer e Sanasa. 
O projeto nasceu das idealizadoras Marina Vidotti, Priscilla Mengate e Vanessa Agnelo, que tiveram suas vidas transformadas pela corrida. O objetivo é inserir cada vez mais mulheres no esporte, e o Let ‘s Run Girls vem sendo um espaço para quem sempre teve vontade de conhecer e praticar a corrida de rua, começando de uma forma sadia e muito divertida.
Além da corrida, haverá durante a manhã de domingo alongamento com Norton Mello, aula de zumba com Dance Raul, sorteios e tendas com produtos voltados para corrida e ações dos patrocinadores.
Mais informações podem ser obtidas no Instagram oficial do evento https://www.instagram.com/letsrungirlsbr.

Continue Lendo

Populares