Connect with us

Geral

Campinas cria projeto Primeiro Emprego/Aprendiz para Campinas

Published

on

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, apresentou na tarde desta segunda-feira, 17 de julho, o projeto de lei que institui o programa Primeiro Emprego/Aprendiz Campinas, que tem como objetivo tornar a Administração Municipal protagonista na criação de programas de aprendizagem profissional e no encaminhamento correto dos jovens ao mercado de trabalho, por meio de uma parceria firmada entre a Secretaria Municipal de Trabalho e Renda e a Fumec. A proposta agora será votada pela Câmara Municipal.
O projeto prevê que o Ceprocamp, que hoje já oferece cursos técnicos e de qualificação profissional, passe a atuar também na formação de jovens aprendizes. A relação de cursos oferecidos pelo Ceprocamp já foi encaminhada ao Ministério do Trabalho, para avaliação e possível autorização para que se tornem também programas de aprendizagem. Em uma avaliação prévia, os técnicos do Ceprocamp estimam que cerca de 400 vagas de aprendizagem já poderão ser ofertadas a partir de 2018. Os aprendizes do Ceprocamp teriam direito aos mesmo benefícios que os participantes dos demais cursos, como uniforme, lanche e vale-transporte.
Durante a apresentação do programa, o prefeito Jonas Donizette destacou que uma das maiores prioridades de seu governo é a de gerar oportunidade de emprego e renda para as pessoas, principalmente para os jovens. “Nós temos feito um trabalho muito grande no sentido de gerar oportunidade na vida das pessoas. A oportunidade é como um raio de sol que ilumina um quarto escuro. Quando você abre uma janela, a luz do sol entra e ilumina o quarto todo. As oportunidades em nossas vidas são como a luz do sol”, disse o prefeito.
A proposta permite ainda que a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Trabalho e Renda, estabeleça parcerias com entidades que já atuam hoje na formação de aprendizes para a criação e manutenção de cursos.
Sobre isso, o prefeito destacou o trabalho das entidades que já atuam com aprendizagem na cidade. “Quando a gente lança um programa novo, é comum deixar de valorizar quem já está trabalhando há muito tempo no mesmo segmento. Essas entidades já fizeram e ainda fazem muito pela nossa cidade. Muitos profissionais que ajudaram a construir Campinas, que acabou de completar 243 anos, foram formados por essas entidades, disse o prefeito.
O desembargador do TRT 15 e coordenador do Comitê de Erradicação do Trabalho Infantil, João Batista Cesar, elogiou a iniciativa do lançamento do programa e sugeriu a formalização de convênios que possibilitem a cessão de jovens aprendizes para atuar nos fóruns trabalhistas da cidade. “Cidades como Sorocaba e Ribeirão Preto já têm convênios como esse e quem sabe no futuro podemos também fazer um semelhante em Campinas, firmando parcerias entre as empresas, o município e o Poder Judiciário”, disse João Batista.
Paralelamente, o CPAT (Centro Público de Apoio ao Trabalhador) iniciará um trabalho de captação de vagas para aprendizes junto às empresas, que serão incluídas no cadastro do Sine (Sistema Nacional de Emprego). A inscrição e o encaminhamento dos jovens às empresas também serão feitas através dessa parceria. As vagas incluídas no cadastro do Sine poderão ser preenchidas tanto por jovens inscritos nos programas de aprendizagem do Ceprocamp, quanto por aprendizes de outras entidades.
O secretário municipal de Trabalho e Renda, Luis Yabíku, ressaltou que nesse momento, em que o país e o município passam por uma grave crise econômica, será possível implementar esse programa quase sem nenhum custo adicional à Administração, utilizando e adaptando equipamentos públicos já existentes. “Esse projeto é o primeiro passo no sentido de colocar a prefeitura como protagonista no estímulo e aplicação da aprendizagem profissional como instrumento de inclusão e qualificação dos jovens para o mundo do trabalho”, afirmou Yabíku.
Dados do Ministério do Trabalho e Emprego indicam que das 15.419 vagas potenciais de aprendizagem profissional em Campinas, apenas 3.140 estão preenchidas.
De acordo com a diretora da Fumec, Darci da Silva, a implantação dos programas de aprendizagem reforçará ainda mais o papel social desempenhado pelo Ceprocamp na cidade. “Nossa intenção é abranger todas as etapas da formação dos jovens para o mercado de trabalho”, disse.
A Lei Federal 10.097/2000, que regulamenta os programas de aprendizagem profissional, determina que todas as empresas de médio e grande porte devem contratar de 5% a 15% de adolescentes e jovens entre 14 e 24 anos como aprendizes. A legislação possibilita que a formação dos adolescentes seja feita pelos serviços nacionais de aprendizagem (SENAI, SENAT, SENAC, SENAR e SESCOOP), por escolas técnicas e por organizações sem fins lucrativos devidamente autorizadas pelos conselhos municipais de defesa da criança e do adolescente.

Geral

Associações do Terceiro Setor de Campinas recebem R$ 1,450 milhão do Fiec

Published

on

By

Associações do Terceiro Setor do município foram contempladas nesta sexta feira, dia 11  de junho, pela Secretaria de Esportes e Lazer de Campinas,  com verba de aproximadamente R$ 1,450 milhão do Fundo de Investimentos Esportivo de Campinas (Fiec) .

 

 

 

O repasse do Fiec é destinado à todas as associações  que trabalham com  fomentos de projetos esportivos e paradesportivo. Esses recursos irão auxiliar o Terceiro Setor em várias ações destinadas a formação, massificação e alto rendimento nas mais variadas modalidades.

 

 

 

O Fundo Fiec é fruto da Lei Municipal 12.352/2005 criada para incrementar as agremiações e ao mesmo tempo aproximar a população de projetos esportivos que contribuem na formação e na qualidade de vida das pessoas. A cada ano amplia sua abrangência e proporciona um crescimento significativo no número de participantes.

 

 

 

Para o secretário de Esportes e Lazer, Fernando Vanin, o projeto ganha robustez a cada ano. “É motivo de enorme satisfação esta pareceria que temos com as associações esportivas. O  nosso grande objetivo é o trabalho sério realizado pelas partes, que beneficia a população”, afirmou o secretário.

 

 

 

A verba repassada é fundamental para a continuidade e criação de novos projetos. O presidente e professor da associação campineira de judô, Claúdio Tateama, ressalta o significativo apoio que recebe do Fiec: “É um recurso importante porque nos permite trabalhar com planejamento. A ideia é crescer, ter espaço e cuidar do desenvolvimento de todos. O esporte é um agente transformador”, concluiu Tateama.

Continue Reading

Geral

Prefeito doa sangue em hemocentro e incentiva população

Published

on

By

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, doou sangue na manhã desta segunda-feira, dia 14 de junho, no posto Mário Gatti do Hemocentro da Unicamp e incentivou a população a contribuir também. No “Junho Vermelho”, mês que marca a importância da doação de sangue para salvar vidas, o Hemocentro tem sofrido com estoques próximos de situação crítica. A quantidade atual é suficiente para dois ou três dias.

 

De acordo com o Hemocentro, por conta da pandemia e da vacinação, o mês de maio foi um dos piores dos últimos anos, levando à suspensão de procedimentos importantes como transplantes. As doações também são extremamente importantes para os procedimentos de urgência ou emergência, como por exemplo, para pessoas que sofreram acidentes.

 

 

O prefeito ressaltou o quanto a doação é fundamental para salvar vidas: “Precisamos sempre da conscientização de todos para colaborar com o Hemocentro e melhorar o estoque de sangue, principalmente nesse momento difícil que estamos atravessando”, disse.

 

 

No posto do Mário Gatti, o prefeito foi recebido pelo coordenador do Hemocentro Unicamp, Erich de Paula e também foi acompanhado pelo presidente da Rede Mário Gatti, Sérgio Bisogni, que também aproveitou para fazer sua doação de sangue.

 

 

O que é preciso para ser um doador de sangue?

 

– Ter entre 16 e 69 anos;

 

– Pesar no mínimo 50 quilos;

 

– Não estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos e, após o almoço, aguardar 3 horas;

 

– Estar descansado;

 

– Não fumar até 2 horas antes e 2 horas depois da doação.

 

Confira os locais de doação e mais informações no portal do Hemocentro da Unicamp.

 

 

Intervalo vacina contra Covid-19 e doação de sangue

 

 

Dependendo da vacina recebida, há necessidade de ficar sem doar sangue por períodos distintos – a CoronaVac impede a doação por 48 horas (após cada dose) e as vacinas AstraZeneca, Pfizer e Jannsen impedem por 7 dias (também após cada dose). Dessa forma, o Hemocentro da Unicamp solicita a apresentação do comprovante para os candidatos que forem vacinados a fim de garantir segurança aos pacientes que recebem o sangue.

Continue Reading

Geral

Covid: Saúde abre agendamento da vacina para quem tem mais de 50 anos

Published

on

By

A Secretaria Municipal de Saúde inicia, às 14h, desta segunda-feira, 14 de junho, o agendamento da vacina contra a Covid para pessoas com mais de 50 anos, moradoras de Campinas e sem doenças preexistentes (comorbidades). O agendamento deve ser feito preferencialmente pelo site http://vacina.campinas.sp.gov.br ou pelo telefone 160. Pessoas que tiverem dificuldade em marcar o horário podem procurar seu Centro de Saúde de referência para ajuda.

 

 

As vacinas serão aplicadas em Centros de Saúde do município apenas com o horário marcado. São 63 unidades de saúde disponíveis para a vacinação. Cada unidade abre em um dia da semana exclusivamente para a vacinação, sendo terça-feira ou quinta-feira ou sexta-feira. Ficam de fora apenas os CSs Boa Esperança, Carlos Gomes, Campina Grande e Bassoli.

 

 

É necessário levar CPF e documento de identidade com foto, comprovante de endereço e comprovante emitido no final do agendamento (pode ser no celular). Para comprovar o endereço é possível levar, por exemplo: contas de água, energia elétrica, telefone, gás, serviços de internet, conta de banco, conta de cartão de crédito, carnê de IPTU, etc.

 

 

 

Intervalo entre a vacina da gripe e a da Covid

 

 

Quem tomou a vacina contra a gripe precisa esperar 14 dias para tomar a vacina contra a Covid. O mesmo vale se for o contrário: só depois de 14 dias de ter tomado a vacina contra Covid é que a pessoa pode tomar a da gripe.

Continue Reading

Populares