Connect with us

Geral

Campanha pelo fim da violência contra a mulher começou nesta segunda-feira

Publicado

em

Um dia intenso… muito gratificante!” Foi com esta frase que a responsável pela Coordenadoria da Mulher da Prefeitura de Campinas, Elza Fratini Montali, resumiu a abertura da Campanha dos “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher” que ocorreu nesta segunda-feira, dia 26 de novembro, na Praça Rui Barbosa, no centro da cidade. Aproximadamente 500 pessoas participaram das atividades.
Esse evento é sempre muito gratificante, pois percebemos que muitas pessoas que passam pela praça têm acesso à informação e conhecimento sobre a legislação e a rede de atendimento às mulheres que sofrem violência.
A ação visa também alertar os homens sobre a gravidade da violência doméstica. É bom perceber que as pessoas estão abertas para falar desse assunto tão íntimo e que foi, por tanto tempo, velado na nossa sociedade. Só assim podemos ter expectativas de quebrar o silêncio e superar a violência”, ressaltou Elza.
O evento contou com atrações artísticas e sociais no período da manhã e da tarde. Foram apresentadas atrações como a dança do ventre, pelo grupo Ranya do CEU Florence, e houve uma interação com o público conduzida pelo Movimento Vital Expressivo, que utiliza como instrumentos de ação o movimento, a massagem, expressão e liberação da voz, respiração, entre outras propostas.
Teve também a apresentação, pela Guarda Municipal, da peça “Até quando, Maria? Até quando?” que, segundo a coordenadora da Mulher, chamou muito a atenção do público e foi importante para as mulheres perceberem, através da encenação, tudo o que passam dentro de suas casas, como forma de alerta.
Além da parte cultural, houve orientação jurídica oferecida por representantes da Comissão da Mulher da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil, que participa da Rede da Mulher. O CAISM – Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher distribuiu preservativos e uma cartilha sobre o uso do DIU – Dispositivo Intra-Uterino.
Os demais serviços da rede, em especial o CEAMO, SARA-M, SOS Ação Mulher e Família, Conselho da Mulher, Guarda Amigo da Mulher, AFASCOM, Polícia Militar, CREAS – Centro de Referência de Assistência Social, dentre outros, foram representados por profissionais que distribuíram mais de três mil folhetos informativos para as pessoas que passaram pelo local. 
Para as crianças, a diversão, gratuita, ficou por conta da pintura no rosto, cama elástica, pipoca e algodão-doce.
Campanha
16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” é uma campanha internacional de combate à violência contra mulheres e meninas. A campanha acontece todos os anos, entre 25 de novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, e 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Teve início em 1991, durante encontro de mulheres de diferentes países no Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL). No Brasil, a Campanha ocorre desde 2003. Cerca de 150 países participam do movimento.

Geral

Liberadas mais vagas para vacinar gestantes da área da saúde contra Covid

Publicado

em

Por

A Secretaria de Saúde de Campinas vai reabrir, a partir das 19h desta quarta-feira, 5 de maio, o agendamento para a vacinação de trabalhadoras de saúde
No grupo de trabalhadoras de saúde estão incluídas as profissionais que têm graduação ou curso técnico na área e as mulheres que trabalham no setor, incluindo recepcionistas de serviços de saúde, trabalhadoras da limpeza e lavanderias de serviços de saúde, cozinheiras de serviços de saúde, balconistas de farmácias, drogarias, entre outras que trabalham em estabelecimentos como hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios, drogarias, farmácias entre outros, além de cuidadoras de idosas registradas por empresas da área.
Profissionais de saúde devem apresentar o registro no Conselho de Classe e/ou outro comprovante, além de comprovante de trabalho no setor, que pode ser contrato de trabalho, contrato de prestação de serviços, holerite, crachá (desde que contenha minimamente as informações: nome do estabelecimento, nome e sobrenome da pessoa, cargo ou função) ou declaração emitida pelo serviço de saúde que comprove o vínculo empregatício da pessoa.
Grávidas e puérperas terão que levar o cartão pré-natal (caderneta da gestante). As lactantes devem apresentar a certidão de nascimento do bebê.
Todas as agendadas terão que apresentar o comprovante de agendamento impresso ou salvo como imagem em seu celular, documento oficial com foto e comprovante de residência no município em seu nome.

Continue Lendo

Geral

Aberto agendamento para vacinação de pessoas a partir dos 60 anos

Publicado

em

Por

Continue Lendo

Geral

Campinas zera fila de espera por leitos de enfermaria e UTI-Covid

Publicado

em

Por

Continue Lendo







Populares