Connect with us

Geral

Câmara aprova moção de apelo para a ANEEL e de protesto contra o presidente da República, Michel Temer

Publicado

em

A Câmara aprovou, por unanimidade, na sessão desta quarta-feira, 25/10, duas moções de autoria do vereador Ailton da Farmácia (PSD). Uma delas apela à diretoria colegiada da ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica, para que a autarquia não repasse o aumento de 42,8% da bandeira vermelha nas contas de luz. O atual valor é de R$ 3,50 e passará a R$ 5,00 a cada 100 quilowatts-hora consumido.
A outra é direcionada ao presidente da República repudiando a celebração dos supostos acordos políticos para que denúncias da Procuradoria-Geral de República (PGR), apresentadas contra Michel Temer (PMDB), não prosperem na Câmara dos Deputados.
“O mais grave de todos estes acordos diz respeito à portaria publicada pelo Ministério do Trabalho, que estabelece novas regras para a caracterização de trabalho análogo ao da escravidão, solicitação antiga de deputados que pertencem à bancada ruralista da Câmara”, escreveu o vereador na moção.
Ailton também afirmou que o brasileiro não pode viver à mercê das denúncias da PGR contra o presidente. “Direitos estão sendo violados, uma total falta de sintonia do presidente com a construção de uma sociedade justa e que privilegie as pessoas mais humildes”, completou.
Com relação à moção de apelo à ANEEL, o vereador enfatizou que seria mais sensato a agência realizar campanha maciça informativa em todo o país, conscientizando os consumidores para que tomem ciência de que, quanto mais houver consumo de energia, mais alto é o valor do kWh. “Nesta mesma campanha publicitária, que deve ser permanente, seria fornecido aos consumidores dicas de como fazer esta economia. Mas não: a agência prefere onerar os consumidores”, finalizou o vereador.

Geral

Campinas está preparada para campanha de imunização e aguarda vacinas

Publicado

em

Por

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, e a equipe da Secretaria de Saúde divulgaram nesta quinta-feira, 14 de janeiro, o esquema para a vacinação em Campinas. O anúncio foi feito durante transmissão ao vivo por meio digital.

É importante ressaltar que Campinas está preparada para a vacinação. A cidade vem se preparando há muito tempo e a equipe da Secretaria de Saúde tem feito um enorme esforço para que a vacinação possa ocorrer com tranquilidade. Não temos as datas exatas do início, pois estamos esperando a chegada das vacinas. No entanto, a parte que cabe ao município está sendo feita”, disse o prefeito.

Na primeira fase da campanha, a previsão é imunizar cerca de 210 mil pessoas. As vacinas serão aplicadas em pelo menos cinco centros de vacinação, um por região da cidade, havendo possibilidade de ampliação. Dos locais, quatro já foram definidos:

– Naed Noroeste – Avenida Ibirapuera, s/nº, Jardim Londres (região noroeste);
– Centro de Vivência do Idoso – Lagoa do Taquaral – portão 5 (região leste);
– Círculo Militar- Avenida Getúlio Vargas, 200. Jardim Chapadão (região norte);
– CAIC Sudoeste – Rua José Augusto de Mattos, s/nº, Vila União (região sudoeste).
O ponto de vacinação da região sul está sendo definido, mas a expectativa é que seja na região do Hospital Mário Gatti.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), Andrea von Zuben, explicou que “nós temos três objetivos com esses centros de imunização: a segurança da população, dos servidores e das vacinas. Lembrando que a gente está tirando as pessoas que serão vacinadas dos locais onde há atendimento, muitas vezes de sintomáticos respiratórios e suspeitos de Covid”.

De acordo com ela, a capacidade da estrutura é de aplicar cinco mil doses por dia. No entanto, a diretora ressaltou que ainda não há a informação de qual é o volume de vacinas que a Prefeitura de Campinas irá receber. “Nosso primeiro público-alvo será formado pelos profissionais dos hospitais que estão na linha de frente. Se chegar uma quantidade menor, eles serão contemplados, pois são os que estão mais expostos a riscos”, destacou.

Espaços
Para evitar aglomeração, todos os espaços serão amplos e arejados, além de contar com fácil acesso, estacionamento e segurança. Serão cerca de 300 funcionários trabalhando na imunização.
O horário de vacinação será de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h. Aos sábados, domingos e feriados, as vacinas serão aplicadas das 8h às 18h.

O público-alvo da primeira etapa inclui profissionais de saúde, pessoas a partir de 60 anos de idade, indígenas e quilombolas.
A equipe da Saúde prevê imunizar cerca de 210 mil pessoas na primeira etapa da campanha. Essa primeira fase será dividida da seguinte maneira:
1º – profissionais de saúde, indígenas e quilombolas – cerca de 63 mil pessoas em Campinas
2º – pessoas com 75 anos ou mais – 40.383 pessoas
3º – 70 a 74 anos – 26.309 pessoas
4º – 65 a 69 anos – 33.507 pessoas
5° – 60 a 64 anos – 46.169 pessoas

Das mortes por Covid em Campinas, 87% correspondem a esse público da primeira etapa.
Agendamento

Para evitar aglomeração, as pessoas que forem receber a vacina precisarão agendar o dia e o horário, e o agendamento será aberto depois que as doses chegarem. O número de horários que será aberto para a primeira fase estará de acordo com a quantidade de vacinas enviada à cidade.
O agendamento será feito por meio do portal da Prefeitura de Campinas, pelo telefone 160 ou pelo centro de saúde de referência.

Quem optar pela internet, deverá acessar o endereço www.campinas.sp.gov.br
e clicar no banner sobre a campanha de vacinação. O espaço está em destaque no alto da página.
Será necessário preencher um cadastro e as opções de horário serão disponibilizadas. A pessoa poderá escolher dia e horário. No fim do processo de agendamento, será emitido um comprovante com todos os dados, que pode ser impresso ou armazenado no celular.

A ida ao centro de saúde só é recomendada em último caso, pois há um grande volume de atendimentos médicos nas unidades.
No dia da vacinação, as pessoas devem levar documento com foto. Não é necessário possuir o Cartão SUS.

Continue Lendo

Geral

Escolas municipais retomam aulas presenciais no dia 8 de fevereiro

Publicado

em

Por

As 207 escolas municipais de Campinas estão preparadas para receber, a partir de 8 de fevereiro, os 47,6 mil alunos que retornam às aulas presenciais. São estudantes que estão matriculados na pré-escola, Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos (EJA), Profissionalizante e de Qualificação Profissional.

As aulas presenciais estão suspensas desde março de 2020 por causa da pandemia de coronavírus e agora serão retomadas com regras de proteção contra a Covid-19. Haverá redução de horário e revezamento de turmas, para garantir o distanciamento social, e rigorosos protocolos sanitários, seguindo orientação das autoridades de saúde.

Todas as pesquisas apontam que as escolas são seguras, desde que todos os protocolos sanitários sejam obedecidos. Estamos fazendo a checagem de todas as nossas unidades para voltarmos com segurança”, afirmou o secretário de Educação, José Tadeu Jorge.

O cronograma prevê, neste primeiro momento, um retorno híbrido, com aulas presenciais e por meio da plataforma digital. O retorno presencial é facultativo ao aluno.

As turmas serão divididas: metade da sala vai para a escola uma vez por semana enquanto a outra metade fica em casa. Depois, os alunos se revezam, quem estava em casa, tendo aula on-line, vai para a escola.

Já os alunos da Educação Integral, do Ensino Fundamental, terão aulas presenciais todos os dias. No entanto, as turmas serão divididas em dois períodos: metade frequenta a escola no período da manhã e o restante à tarde.

Em virtude da constante necessidade de higienização de todos os espaços das escolas, o que inclui maçanetas das portas e carteiras, por exemplo, o período de aula será de três horas diárias. Antes da pandemia eram cinco horas.

Nos dois turnos serão oferecidas duas refeições: café da manhã e almoço ou almoço e café da tarde.
As primeiras semanas servirão para a conscientização da comunidade escolar. Estamos vivenciando uma situação inédita e a pandemia ainda está em curso. É uma oportunidade de as crianças também aprenderem conceitos. As primeiras semanas terão esse foco: o novo contexto”, explicou o secretário.
Cada aluno receberá um kit com quatro máscaras não descartáveis e um vidro individual de álcool em gel. Os professores, além das máscaras, também contarão com protetor facial (face shield). As carteiras serão disponibilizadas com um distanciamento de um metro e meio. Totens com álcool em gel serão distribuídos em pontos estratégicos das escolas.

As aulas de educação física serão mantidas, mas sem esportes de contato.
O retorno presencial é facultativo. Caso a família não queira levá-lo à escola, o estudante pode acompanhar as aulas pelo sistema remoto. O conteúdo será o mesmo.

Continue Lendo

Geral

Prefeito anuncia novo presidente da Setec nesta quinta-feira, 14

Publicado

em

Por

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, anunciou hoje (quinta-feira, 14/01) o administrador de empresas Andre Assad Mello como novo presidente da Setec (Serviços Técnicos Gerais).

Além da formação em Administração, Mello também é graduado em Comunicação Social e pós-graduado em Gestão. Foi diretor-superintendente do Hospital Municipal de Paulínia e atuou em várias empresas privadas, como White Martins, Nova Química, Intermedic, Sanofi-Aventis e Biosigma Farmacêutica.

Continue Lendo









<





Populares