Connect with us

Geral

Boletim Sisnov mostra aumento de notificações sobre violência doméstica

Publicado

em

A 11ª edição do boletim do Sistema de Notificação de Violências (Sisnov) de Campinas, apresentado na tarde desta quinta-feira, dia 14 de dezembro, na Prefeitura, em encontro com as lideranças das secretarias envolvidas e imprensa, aponta alta nas notificações de atendimento de violência doméstica pela rede de cuidados e apoio do Município.
Em 2016, foram 2.136 notificações, acima das 1.814 de 2015 e das 1.227 de 2014. É o maior número desde 2009, quando foi instituída a obrigatoriedade nacional de notificação de casos de violência atendidos pela Saúde, Assistência, Segurança e Educação.
Os dados somam violência do tipo interpessoal, intrafamiliar ou urbana/comunitária, contra mulheres, crianças e adolescentes, idosos e de natureza sexual, e a violência autoprovocada (tentativa de suicídio). O aumento das notificações não está ligado necessariamente ao aumento da violência, analisa o coordenador técnico do Sisnov, o médico Carlos Avancini. Ele acredita existir uma sensibilização dos profissionais de atendimento para detectar as situações e também um fortalecimento das vítimas para denunciar.
Os números são analisados em vários aspectos, gerando informações importantes para a compreensão de como a violência doméstica se divide em natureza de atos, autores e perfis das vítimas.
A principal forma de violência ainda é a física, com 610 casos em 2016; seguida pela negligência, 524 notificações; e sexual, 393. A quarta forma de violência mais recorrente foi a autoimposta, a tentativa de suicídio, com 307 casos registrados no ano passado em Campinas.
Os familiares próximos ainda são os autores da maioria das agressões, com cônjuges, pais e mães/madastras encabeçando a categoria.
Violências x Cultura de Paz
Pelo relatório, também é possível identificar o perfil da violência contra criança e adolescente, contra mulher adulta – violência de gênero, contra a pessoa idosa, de natureza sexual, tentativa de suicídio, e de negligência contra criança e adolescente (de 0 a 17 anos).
Esse último recorte dos dados, a violência por negligência/abandono, chamou a atenção dos analistas por ser a segunda forma mais frequente em todas as fases da vida (22,6%) e a primeira para o grupo entre 0 e 17 anos no período de 2013 a 2016. O acumulado de notificações para violência de negligência/abandono nesse período corresponde a 1.228 notificações, com predomínio da faixa entre 0 e 11 anos, com 911 notificações (74,2%), destaca o boletim Sisnov.
A negligência, avalia o coordenador técnico Carlos Avancini, deve ser compreendida em um contexto social, cultural e até de desamor, desafeto e descuido, quando há uma intenção por trás do maltrato. É a violência de pessoa a pessoa, geralmente de quem deveria estar cuidando contra quem deveria estar sendo cuidado.
Pela instrução do Sisnov, a violência de negligência é definida como: “(…) a omissão pela qual se deixou de prover as necessidades e os cuidados básicos para o desenvolvimento físico, emocional e social da pessoa atendida/vítima. Ex.: privação de medicamentos; falta de cuidados necessários com a saúde; descuido com a higiene; ausência de proteção contra as inclemências do meio, como o frio e o calor; ausência de estímulo e de condições para garantir a frequência à escola. Violência de Abandono: é uma forma extrema de negligência”.
A secretaria municipal de Assistência Social e Segurança Alimentar, Eliane Jocelaine Pereira, avaliou, em mesa redonda realizada após a apresentação do boletim, que a evolução dos dados é um sinal do aprimoramento da própria gestão, ao lado da conscientização das equipes sobre a importância de notificar e a segurança garantida aos profissionais para realizar as notificações.
Campinas não é uma privilegiada no quesito da violência. Isso está acontecendo no País inteiro”, destacou, afirmando que é preciso continuar investindo na capacitação para a prevenção e a proteção básica, nas reflexões sobre a situação e discussões sobre a violência em seus vários aspectos. “Nós temos que trabalhar muito para uma Cultura de Paz. A sociedade, a população, precisa se conscientizar sobre uma paz positiva, de ação, em que as pessoas se responsabilizem por isso”, declarou.
O boletim Sisnov nº 11 apresenta uma série de estatísticas e está acessível on-line no site da Prefeitura de Campinas, na página da Secretaria de Saúde, podendo ser acessado integralmente no endereço http://www.saude.campinas.sp.gov.br/saude/biblioteca/boletins/sisnov/Boletim_SISNOV_n11_2017.pdf.

Geral

Saúde aplica mais de 2 mil doses de vacina contra a covid-19 no sábado, 27

Publicado

em

Por

A Secretaria de Saúde aplicou durante este sábado, 27 de novembro, 2.168 doses de vacina contra a covid-19, por meio da ação Campinas Vacina Mais. Pessoas de todas as faixas de idade acima dos 12 anos puderam se vacinar, sem precisar fazer agendamento, em diversos pontos. 

 

As ações do Campinas Vacina Mais começaram na sexta-feira, 26 de novembro, e seguem durante este domingo, dia 28. O objetivo é aumentar a cobertura vacinal, principalmente nos adolescentes e nos adultos entre 18 e 24 anos. O balanço completo do fim de semana será divulgado na segunda-feira.

 

Estão sendo aplicadas primeiras e segundas doses, assim como as doses adicionais. No caso das duas últimas, serão cumpridos os intervalos estabelecidos pelo Programa Estadual de Imunização (confira abaixo). 

 

Todas as pessoas precisam levar CPF e comprovante de endereço. No caso de segunda dose ou dose adicional é necessário apresentar o cartão de vacinação.

 

Intervalo

 

Vacina da Pfizer – para receber a segunda dose da Pfizer é preciso um intervalo de pelo menos 21 dias (três semanas) para pessoas a partir de 18 anos. No caso de adolescentes, o intervalo é a partir de oito semanas.

 

Vacina Astrazeneca – o intervalo entre as doses da vacina da Astrazeneca é de, no mínimo, oito semanas.

 

Vacina CoronaVac – o intervalo entre as doses da vacina CoronaVac é de quatro semanas.

 

Dose adicional – Pessoas a partir de 18 anos precisam ter completado o esquema vacinal há pelo menos cinco meses. Pessoas com alto grau de imunossupressão podem receber a dose adicional a partir de 28 dias da segunda dose.

 

Agendamento

 

Independentemente do “Campinas Vacina Mais”, o agendamento para receber as vacinas contra a covid-19 continua aberto.

 

A escolha do dia, horário e local pode ser feita no site https://vacina.campinas.sp.gov.br

Continue Lendo

Geral

Centros de Saúde começam a vacinar alunos em escolas da rede estadual

Publicado

em

Por

A Secretaria Municipal de Saúde iniciou a vacinação contra covid-19 nas escolas estaduais de Campinas para ampliar a cobertura vacinal de adolescentes e jovens adultos. Cada centro de saúde está responsável pela imunização das comunidades escolares das suas áreas de abrangência. O calendário é organizado de acordo com a disponibilidade dos estabelecimentos de Educação e de Saúde. As ações fazem parte do “Campinas Vacina Mais”, com vacinação sem agendamento em pontos estratégicos da cidade, iniciada em 23 de outubro. 

 

A medida foi tomada depois que um levantamento do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) apontou que cerca de 23 mil alunos da rede estadual com idade a partir de 12 anos estão sem a primeira dose da vacina. Em relação à segunda dose, são cerca de 14 mil com a imunização incompleta.

 

Em Campinas, a cobertura vacinal de primeira dose dos adolescentes entre 12 e 14 anos é de 64,3%. Entre as pessoas de 15 a 17 anos, a cobertura é de 67,1%.

 

Documentos

 

Os menores de idade devem levar RG e/ou CPF e autorização dos pais. Os adultos devem apenas levar o documento.

 

Campinas Vacina Mais

 

Neste final de semana, de 27 e 28 de novembro, serão realizadas outras ações do Campinas Vacina Mais em vários pontos da cidade. 

 

Clique e confira os locais e endereços em https://vacina.campinas.sp.gov.br/vacinas/covid-19.

 

 

Agendamento

 

Independente das ações do “Campinas Vacina Mais”, o agendamento para receber as vacinas contra a covid-19 continua aberto. 

 

A escolha do dia, horário e local pode ser feita no site https://vacina.campinas.sp.gov.br.

Continue Lendo

Geral

Performance será ato pela valorização da arte e história afro-descendente

Publicado

em

Por

No mês da Consciência Negra e combate ao racismo, os artistas Andrea Mendes e Antônio Pulquerio realizarão uma performance no Parque Portugal (Lagoa do Taquaral). A atividade artística terá início às 10h no portão principal da área de lazer e continuará até o Lago do Café, onde percorrerá as alamedas até a Casa de Vidro. Para finalizar, será feita uma ação de ativação artística na Liteira, que integra o acervo do Museu da Cidade.
Segundo os organizadors, a performance/cortejo revisita ritos ancestrais, evoca presenças de antepassados afro-descendentes para reviver memórias de origens que transcendem o peso das desumanizações que marcaram os corpos de seu povo. Os artistas classificam a performance como “uma celebração de (re)existência que proclama: Arroba não! Somos o peso milenar da nossa força ancestral!”
A intervenção é parte das ações artísticas realizadas durante a exposição “Ocupação Escritas Ocultadas”, que tem como curadora Sônia Fardin.

Data – 27/11
Início – 10h, no portão 1 do Parque Portugal (Taquaral)
Término – 11h, no Museu Casa de Vidro

Continue Lendo

Populares