Connect with us

Geral

Balanço mostra que 57,41% do público-alvo foi vacinado contra gripe

Published

on

Balanço parcial da Secretaria de Saúde de Campinas informa que foram aplicadas 148.100 doses da vacina contra influenza desde o começo da Campanha de Vacinação contra a gripe, que começou dia 23 de abril. Os dados são até o dia 16 de maio. Isso corresponde a 57,41% da cobertura vacinal. 

O número mostra a quantidade de vacinas aplicadas no público-alvo, que abrange crianças, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), idosos e professores. 

O balanço mostra também que, entre o grupo prioritário, o índice de cobertura vacinal ficou menor entre as crianças (33,61%) e as gestantes (38,9%). Isso porque, de acordo com Gabriela Marchesi, coordenadora do Programa de Imunização, ainda existe um mito de que a vacina pode ser prejudicial aos pequenos e aos bebês que ainda estão na barriga da mãe, e, assim, esse público acaba optando por não tomar a vacina. Mas ela garante que é justamente o contrário. “A vacina é 100% segura, feita de fragmentos do vírus. Gestantes e crianças têm a imunidade mais baixa e, diferente do pensam os pais, a vacina vai sim proteger os menores e os recém-nascidos da influenza”, explica Gabriela.

Ainda segundo a coordenadora, o efeito da vacina dura de 9 meses a 1 ano e quanto mais cedo a pessoa tomar, mais protegida ela estará durante o Inverno, que é quando a população fica mais suscetível a pegar a gripe.  “Depois de aplicada, a vacina demora 15 dias para ter o efeito desejado, por isso, a importância de procurar o mais breve possível o centro de saúde para receber a dose”, reforça Gabriela.

 

Campanha

A vacinação contra a gripe vai até 1º de junho. Devem se vacinar pessoas a partir de 60 anos, crianças entre seis meses e menores de cinco anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas, pessoas privadas de liberdade e os funcionários do sistema prisional. Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também devem ser vacinados. 

A vacina protege contra as gripes A (H1N1 e H3N2) e B. A composição muda todo ano, de acordo com as cepas do vírus da gripe que estão em circulação no período. Por isso, as pessoas precisam se vacinar anualmente para evitar complicações causadas pela gripe e doenças graves, como pneumonia.

Pessoas com doenças agudas graves e febre (moderada ou alta) devem esperar a melhora do quadro clínico para receber a dose.

Para tomar a vacina, o paciente deve levar carteira de vacinação ou documento de identidade. Os doentes crônicos devem apresentar receita ou prescrição médica.

Os pacientes acamados que fazem parte do grupo que deve ser vacinado receberão a dose em casa, de acordo com a programação dos centros de saúde. Os que são assistidos pelas unidades de saúde serão avisados por telefone sobre a data da aplicação da vacina.

Importante ressaltar que só os casos mais graves de gripe, que evoluem para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) são notificados à Vigilância em Saúde.

 

Influenza

A gripe, ou influenza, é uma infecção causada por vírus que afeta o sistema respiratório, mais precisamente o nariz, garganta e brônquios. O contágio ocorre de forma direta através das secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar ou de forma indireta, por meio das mãos que, após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias, pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz. A doença pode se apresentar desde uma forma leve e de curta duração, até formas clinicamente graves e complicadas. A gripe é responsável por elevada taxa de adoecimento e morte em grupos de maior vulnerabilidade, principalmente no inverno.

 

Números

 

Grupo Crianças

Doses aplicadas: 20.229

Cobertura vacinal: 33,61%

 

Grupo Trabalhadores da Saúde

Doses aplicadas: 22.622

Cobertura vacinal: 55,07%

 

Gestantes

Doses aplicadas: 4.386

Cobertura vacinal: 38,9%

 

Puérperas

Doses aplicadas: 1.232

Cobertura vacinal: 66,49%

 

Idosos

Doses aplicadas: 94.620

Cobertura vacinal: 69,53%

 

Professores

Doses aplicadas: 5.011

Cobertura vacinal: 57,41%

 

Total

Doses aplicadas: 148.100

Cobertura vacinal: 57,41%

Geral

Fiscalização coíbe aglomerações com 2.238 pessoas e fecha cinco comércios

Published

on

By

A Guarda Municipal de Campinas dispersou 2.238 pessoas entre o final da noite de sábado, dia 24/7, e a madrugada deste domingo, 25/7, durante a Operação Aglomeração Zero, coordenada pela Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública. 

 

A ação constatou que estas pessoas encontravam-se aglomeradas em grupos de mais dez em praças, vias públicas e nas proximidades de bares e restaurantes.

 

A Operação Aglomeração Zero visa coibir ou dispersar concentração de indivíduos nas ruas para conter a transmissão do coronavírus em Campinas. Viaturas e efetivo da GM são empregados durante a ação, realizada no período em que vigora o Toque de Recolher na cidade, entre 23h e 5h.

 

A corporação intensifica o patrulhamento em locais mapeados a partir de dados estatísticos de onde a Guarda Municipal registra maior número de denúncias recebidas pelo 156 e 153 e também nos bairros com mais casos de transmissão da Covid-19.

 

Fiscalizações

 

O balanço aponta também o resultado das fiscalizações. No sábado, as equipes de fiscalização da Prefeitura vistoriaram 134 estabelecimentos. Destes, 5 foram fechados.

 

As equipes de fiscalização contam com agentes municipais das secretarias de Saúde (por meio da Coordenadoria de Vigilância Sanitária) e Planejamento e Urbanismo, Setec e Procon.

 

A Prefeitura ressalta que a colaboração da população é muito importante no controle da pandemia em Campinas. Mesmo com o avanço da vacinação, os cidadãos precisam manter o uso correto da máscara, fazer higienização das mãos e manter o distanciamento social.

Continue Reading

Geral

GM dispersa 1.680 pessoas na Operação Aglomeração Zero desta madrugada

Published

on

By

A Guarda Municipal de Campinas dispersou 1.680 pessoas entre o final da noite de sexta-feira, 23 de julho, e a madrugada deste sábado, 24, durante as ações da Operação Aglomeração Zero, coordenada pela Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública.

 

Com o objetivo de coibir ou dispersar grupos com mais de dez pessoas em vias públicas, viaturas e efetivo da GM realizam a ação no período em que vigora o Toque de Recolher na cidade, entre 23h e 5h.

 

A corporação intensifica o patrulhamento em locais mapeados a partir de dados estatísticos de onde a Guarda Municipal registra maior número de denúncias recebidas pelo 156 e 153 e também nos bairros com mais casos de transmissão de Covid-19.

 

Fiscalizações

 

O balanço aponta também o resultado das fiscalizações. Ontem, as equipes de fiscalização da Prefeitura vistoriaram 92 estabelecimentos. Destes, 7 foram fechados.

 

A fiscalização envolve servidores das secretarias de Saúde (por meio da Coordenadoria de Vigilância Sanitária) e Planejamento e Urbanismo, Setec e Procon.

 

A Prefeitura ressalta que a colaboração da população é muito importante no controle da pandemia em Campinas. Mesmo com o avanço da vacinação, os cidadãos devem fazer o uso correto da máscara, a higienização das mãos e manter o distanciamento social.

Continue Reading

Geral

Prefeito recebe ministro em cerimônia na EPAR Boa Vista nesta sexta, 23

Published

on

By

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, e o presidente da Sanasa, Manuelito Magalhães, participaram na manhã desta sexta-feira, 23 de julho, da cerimônia de apresentação da Estação Produtora de Água de Reúso – EPAR Boa Vista. O evento contou com a presença do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e do secretário nacional de Saneamento, Pedro Maranhão.

 

 

 

 

A obra beneficia uma população de aproximadamente 55 mil moradores de 30 bairros de Campinas. A EPAR tem capacidade para tratar 180 litros de efluentes por segundo. O esgoto, tratado por meio de membranas ultrafiltrantes, resulta em água de excelente qualidade, que pode ser aproveitada como água de reúso com 99% de grau de pureza. Com a operação dessa unidade, a Estação de Tratamento de Esgoto Vó Pureza será desativada.

 

 

 

 

A EPAR Boa Vista faz de Campinas o primeiro município com mais de 500 mil habitantes a atingir 100% da capacidade instalada para o tratamento de esgoto. “Esta estação é inovadora, um exemplo de ação que gostaríamos que fosse multiplicada em outras cidades brasileiras. Além de tratar o esgoto de forma adequada, está produzindo uma água de qualidade que poderá desde retornar aos rios até ser usada na agricultura ou em aplicações mais nobres. Estou bem impressionado”, elogiou o ministro.

 

 

 

De acordo com o prefeito Dário Saadi, a obra impacta, principalmente, no desenvolvimento sustentável. “Podemos tratar o esgoto, que é fundamental para o meio ambiente, e produzir água de reúso que, além de ser destinada ao Ribeirão Boa Vista mais limpa, pode ser usada na indústria e em outros lugares”, comemorou.

 

 

 

 

De acordo com o presidente da Sanasa, Manuelito Magalhães, a EPAR representa um avanço no tratamento terciário de esgoto. “Devolvemos aos rios água de muito melhor qualidade do que aquela que nós captamos para abastecer a nossa cidade. Recentemente, assinamos outro contrato de financiamento com a Caixa para a modernização da ETE Anhumas, que será transformada em estação produtora de água de reúso. Quando esse empreendimento estiver pronto, Campinas tratará, em caráter terciário, cerca de 70 por cento do esgoto produzido na cidade”, anunciou.

 

 

 

 

O investimento total da obra na Boa Vista foi de R$ 68.458.591,90, sendo R$ 45.998.479,18 financiados pelo PAC FIN/FGTS, e R$ 22.460.112,72 como contrapartida da Sanasa. O trabalho foi executado pelo consórcio formado pelas empresas Enfil e Augusto Velloso, escolhido por meio de licitação internacional. A obra teve início em 1º de março de 2016 em uma área de 90 mil metros quadrados. A EPAR Boa Vista leva o nome do córrego que margeia a estação.

 

 

 

Liberação de recursos

 

Durante o evento, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, assinou a liberação de recursos nos valores de R$ 126 milhões para obra de melhorias e modernização da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Anhumas.

 

 

Também foram liberados R$ 129,5 milhões para a implantação do sistema de esgotamento sanitário que ligará a bacia do Samambaia, em Campinas, à Estação Produtora de Água de Reúso (EPAR) Capuava, em Valinhos.

Continue Reading

Populares