Connect with us

Geral

Atendimento no CPAT é considerado ótimo por 81,3% dos usuários

Publicado

em

A qualidade do atendimento oferecido pelo CPAT (Centro Público de Apoio ao Trabalhador), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Trabalho e Renda de Campinas, foi considerada ótima por 81,3% de seus usuários. A pesquisa, efetuada nas três unidades do CPAT – Centro, Ouro Verde e Campo Grande – ouviu 14.493 pessoas durante todo o ano de 2017. O serviço foi qualificado como ótimo por 11.784 mil entrevistados e bom por 2.679 mil (18,5% do total). Foram ouvidas 10.170 mil pessoas no CPAT Centro, 2.220 mil no Ouro Verde e 2.103 mil no Campo Grande.
A avaliação também é positiva em outros itens pesquisados. O tempo de espera foi considerado curto por 53,7% dos atendidos e médio por 41,9%. Um total de 97,2% dos pesquisados afirmaram ter entendido as orientações e informações recebidas e 51,2% avaliaram as condições da sala de espera como ótimas e 47,1% como boas. A triagem feita pelos funcionários do CPAT foi vista como ótima por 58,7% dos usuários e boa por 40,3%.
O secretário municipal de Trabalho e Renda, Luis Yabiku, acredita que esses números revelam que a cada ano o atendimento prestado pelo CPAT evolui. “Estamos no caminho certo”, destacou. Para Yabiku, além do preparo e do empenho dos funcionários, um aspecto que valoriza a atuação do CPAT é o tratamento humanizado que é dado aos usuários do serviço. “As pessoas nos procuram em um momento difícil, por isso essa atenção que é oferecida a elas por nossos servidores é fundamental”, afirmou.  
Em relação à pesquisa feita em 2016, houve um acréscimo de 3,6% na avaliação da atuação do CPAT como ótima. Em 2016, 78,5% qualificaram o serviço como ótimo, índice que aumentou para 81,3% no ano passado.
Entre as sugestões apresentadas pelos usuários do CPAT, as que lideraram foram a de abrir o posto do CPAT mais cedo, de contratar mais atendentes e de introduzir melhorias no wifi. Já a imensa maioria dos elogios feitos pelos frequentadores do CPAT Centro dizem respeito à qualidade do atendimento (93,3%).
De acordo com a coordenadora do Sine (Sistema Nacional de Emprego) municipal, Sílvia Garcia, a principal reivindicação das pessoas que procuram o CPAT já foi atendida. “A partir desse ano, alteramos o horário de funcionamento do CPAT Centro, que passou a funcionar das 7h30 às 17h30”, disse ela.
Empregadores
A pesquisa também ouviu 572 empresas que cadastraram suas vagas de emprego no Sine municipal durante o ano de 2017, e a avaliação dos serviços do CPAT também foi positiva junto a esse segmento.
Segundo o levantamento, 84,8% dos empregadores consultados qualificam o atendimento oferecido pelo CPAT como ótimo e 15% como bom. 52,1% dos empresários atendidos pelo CPAT consideram, ainda, que os trabalhadores encaminhados estão dentro do perfil solicitado e 29,7% que estão em parte dentro do perfil.

Geral

Projeto com ações afirmativas de Campinas é finalista em concurso

Publicado

em

Por

A secretária municipal de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas, Eliane Jocelaine Pereira, está entre os cinco finalistas do projeto Desafio Lideranças Públicas Negras, promovido em parceria pelo Instituto Arapyaú, Humanize, Fundação Lemann e República.org e que visa evidenciar as iniciativas no País que estão gerando oportunidades em posições de lideranças para profissionais negros no setor público.
Ela concorre com o projeto “Ações Afirmativas no Serviço Público: Uma Urgência”, desenvolvido com a participação de várias secretarias e parcerias. O projeto engloba uma série de programas e políticas implementadas na Prefeitura de Campinas nos últimos anos.

A iniciativa vencedora será definida por voto popular – o processo termina em 31 de janeiro. No endereço https://www.catalise.social/desafio-liderancas-publicas-negras é possível conhecer as propostas concorrentes e votar.

Uma das iniciativas incluídas no projeto de Eliane Jocelaine é a implementação de políticas afirmativas, a chamada Lei de Cotas, que prevê a destinação de 20% das vagas em concurso público e processos seletivos para negros no setor público municipal. As cotas estavam previstas para serem aplicadas em 2020, mas isso não ocorreu por causa da pandemia que suspendeu os concursos. A Lei de Cotas será aplicada em 2021.

A lei é um marco importante porque quanto mais negros acessando vagas diversas, mais possibilidade de essas pessoas chegarem à posições de lideranças”, afirmou a secretária.

Outra ação desenvolvida em Campinas foi a criação do Centro de Referência em Direitos Humanos na Prevenção e Combate ao Racismo e Discriminação Religiosa, espaço em que profissionais de diversas áreas acolhem, acompanham e encaminham denúncias da prática de discriminação racial e religiosa. O Centro de Referência também realiza ações voltadas para a promoção da igualdade e combate ao preconceito racial e religioso, junto a escolas, universidades, empresas e demais órgãos.

A política antirracista ampliou, ainda, a participação social no Conselho Municipal de Desenvolvimento da Comunidade Negra, que teve papel importante na construção do Plano Municipal de Igualdade Racional. O plano traz estratégias e políticas públicas a serem desenvolvidas para ampliar a igualdade racial.

Além disso, foi criado o Museu da Paz, no Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim, para produção de conhecimento, valorização da cultura afro-brasileira e também espaço para concretizar a lei que estabelece ensino da história afro-brasileira nas escolas. O museu, criado em parceria com a Unesco, está em fase de construção de seu acervo, e auxiliará no processo de avanço na política de educação.

Continue Lendo

Geral

Bolsa Atleta do governo federal tem inscrições abertas, por meio digital

Publicado

em

Por

Atletas que participam de esportes de alto rendimento e obtêm bons resultados em competições nacionais e internacionais de sua modalidade podem se inscrever para o novo edital do Bolsa Atleta a partir desta terça-feira, dia 26 de janeiro. O prazo para inscrições vai até 15 de fevereiro e o resultado está previsto para 15 de abril.

O programa, realizado pelo governo federal desde 2005, passa a ser realizado por uma plataforma digital. O objetivo é facilitar as inscrições e o acompanhamento dos processos de análise e concessão do benefício.

O secretário municipal de Esportes e Lazer de Campinas, Fernando Vanin, acredita ser importante divulgar o Bolsa Atleta na cidade para que os esportistas que são elegíveis fiquem atentos e não deixem de se inscrever. “Neste momento de incertezas, é fundamental a tranquilidade proporcionada pelo Bolsa Atleta, pois, diante das dificuldades, sem competições sendo realizadas, os atletas acabam sobrevivendo do valor que é pago, inclusive para alimentação da família e despesas gerais”, avalia.

No ambiente virtual, os atletas candidatos poderão realizar a inscrição e enviar documentos pelo sistema, como declarações de clube e de patrocinadores. O candidato à bolsa deverá preencher o plano esportivo, acompanhar o andamento da análise da inscrição e verificar periodicamente a existência de pendências. Não será preciso enviar novos documentos pelos Correios.

Para o técnico de atletismo Evandro Lázari, do Instituto Vanderlei Cordeiro de Lima e da Orcampi (Organização Funilense de Atletismo de Campinas), que treina nove atletas elegíveis para a Bolsa, hoje a renda pessoal para que se mantenham no esporte vem do benefício. Ele conta que nos últimos anos houve redução dos patrocínios das empresas nos clubes, e as equipes têm conseguido oferecer a estrutura básica que garante os treinamentos. “Mas o salário do atleta, a fonte de receita, vem do Bolsa Atleta”, explica o técnico.

Evandro Lázari, que orienta atletas em provas de velocidade e barreira, estima que apenas no atletismo existam hoje cerca de 220 esportistas treinando em Campinas. Desses, pelo menos 45 seriam possíveis candidatos ao Bolsa Atleta neste ano.
A expectativa é que, em 2021, o programa supere os números do último edital, que contemplou 6.357 atletas de modalidades olímpicas e paralímpicas.

O Programa Bolsa Atleta concede o benefício em cinco diferentes categorias (além da Pódio): Base, Estudantil, Nacional, Internacional e Olímpica/Paralímpica, com valores mensais que variam de R$ 370,00 a R$ 3.100,00. Cada uma delas tem pré-requisitos, como ter no mínimo 14 anos de idade, estar vinculado a um clube e filiado a uma federação e a uma confederação, além de ter participado de uma competição elegível e obtido até a terceira colocação (modalidades individuais) ou sido eleito entre os melhores atletas (modalidades coletivas).

Inscrições
O novo sistema do Bolsa Atleta está ativo a partir deste 26 de janeiro. Os candidatos elegíveis devem se cadastrar e criar senha no site do governo federal para depois ter acesso ao sistema do programa, por meio da área de Inscrições da página do Bolsa Atleta, no portal do Ministério da Cidadania, no endereço https://www.gov.br/cidadania/pt-br/acoes-e-programas/bolsa-atleta/inscricoes.
O cadastro deve ser feito em https://sso.acesso.gov.br/login?client_id=contas.acesso.gov.br&authorization_id=177400d3238 . É necessário acionar o portal do governo federal para ter acesso aos sistemas, quando será preciso inserir o CPF e a senha cadastrados. Já na área restrita, o atleta poderá efetuar a inscrição e enviar a documentação necessária.

O recurso para o Bolsa Atleta já está inserido na Lei Orçamentária Anual (LOA) do ano vigente. A previsão orçamentária para o Bolsa Atleta em 2021 é de R$ 145 milhões, a maior desde 2014 e superior, inclusive, ao investimento no programa em 2016, ano dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio, que foi de R$ 143 milhões.

Continue Lendo

Geral

Campinas inicia vacinação contra Covid-19 para outras categorias da Saúde

Publicado

em

Por

A Secretaria Municipal de Saúde vai iniciar, na próxima quinta-feira, dia 28 de janeiro, a vacinação de novas categorias de profissionais da Saúde, que não estão na assistência direta a pacientes com Covid-19. O anúncio foi feito pelo prefeito Dário Saadi nesta terça-feira, dia 26, durante transmissão ao vivo.
Essas novas categorias incluem médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem, cirurgiões dentistas, técnicos de análises clínicas e motoristas de ambulância. A vacinação será iniciada com as 12 mil doses da vacina Oxford/Astrazeneca que Campinas recebeu na manhã desta terça-feira, dia 26 de janeiro.

Para se vacinar, os profissionais de saúde deverão fazer um agendamento, que será liberado hoje, dia 26, a partir das 17h, pelo site www.vacina.campinas.sp.gov.br Só será possível agendar enquanto houver doses disponíveis.

Foi um processo complexo a definição de quais profissionais devem ser imunizados neste momento. Fizemos uma discussão criteriosa, que levou em conta parâmetros estabelecidos pelo Departamento de Vigilância em Saúde”, disse o prefeito. “Esses profissionais, segundo dados do Devisa, foram os mais afetados, os que mais adoeceram durante a pandemia”, completou.

O prefeito também fez um destaque sobre a segurança da campanha, para que a vacinação seja feita para os públicos prioritários. “No agendamento, tem um alerta onde a pessoa terá que garantir a veracidade das informações declaradas. Quem cometer alguma fraude será responsabilizado civil e criminalmente. Além disso, no momento da vacinação, o profissional terá que apresentar os documentos que comprovam suas informações”, completou.

A vacina será aplicada em duas doses, sendo a segunda 12 semanas após a primeira. “Na primeira fase, tinham que ser vacinados os profissionais da linha de frente e, assim como já fazemos na campanha de influenza, as doses foram enviadas diretamente para as unidades de saúde, tanto públicas como privadas”, explicou a diretora do Devisa, Andrea von Zuben. “Os demais profissionais que atuam em unidades de saúde, mas que não fazem parte da linha de frente, terão que fazer o agendamento em nosso hotsite”, completou.

Ainda segundo a diretora, todos os profissionais de saúde serão imunizados, de acordo com a chegada de novas doses na cidade.

Só pode tomará tomar a vacina quem tiver agendado. No dia marcado, é preciso levar documento de identificação com foto e carteira de registro profissional ou comprovante de vínculo com estabelecimento de saúde, como holerite, carteira de trabalho assinada ou declaração do empregador.
Serão dois centros de imunização:

– Centro de Vivência do Idoso – Lagoa do Taquaral – Portão 5 (região leste);

– Caic Sudoeste (Zeferino Vaz) – Rua José augusto de Mattos, s/nº, Vila União (Região Sudoeste).
Vacina Campinas

O hotsite www.vacina.campinas.sp.gov.br também esclarece dúvidas sobre vacinas e a atual campanha de vacinação na cidade. Além disso, divulga a opinião de especialistas, notícias relacionadas ao assunto, cuidados com a doença, entre outros tópicos.

Até o momento, o hotsite já recebeu mais de 6,1 mil acessos.
A primeira etapa da vacinação será dividida da seguinte maneira:

1º – profissionais de saúde, indígenas e quilombolas – cerca de 63 mil pessoas em campinas;

2º – pessoas com 75 anos ou mais – 40.383 pessoas;

3º – 70 a 74 anos – 26.309 pessoas;

4º – 65 a 69 anos – 33.507 pessoas;

5° – 60 a 64 anos – 46.169 pessoas.
Das mortes por Covid em Campinas, 87% correspondem a esse público da primeira etapa.
Balanço de vacinação até as 12h30 de hoje

A Secretaria de Saúde de Campinas já vacinou 13.325 profissionais que atuam diretamente na assistência a pacientes com Covid-19. O balanço foi atualizado às 12h30 desta terça-feira, dia 26 de janeiro, e refere-se a doses aplicadas da vacina Coronavac, do Butantan.

Estão inclusos os trabalhadores vacinados nos hospitais públicos, particulares e Centros de Saúde. Não estão englobados os profissionais vacinados no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp.

Continue Lendo









<





Populares