Connect with us

Geral

Ateliês abrem as portas para o público conhecer obras e processo criativo

Publicado

em

Quem faz e promove as artes visuais em Campinas? Um circuito de 14 ateliês e espaços expositivos da cidade vai mostrar, pela primeira vez de forma simultânea, quem são, o que fazem e o que propõem essas pessoas para a pintura, escultura, desenho, performance, design, fotografia, vídeo-arte, dentre outras linguagens. O circuito estará recebendo os visitantes nos dias 30 de abril e 1 de maio, gratuitamente.
Será a 1ª edição do “CLAI Aberto”, evento organizado pelo Circuito Livre de Arte Independente (CLAI), que preconiza a abertura ao público de todos os ateliês e espaços expositivos dos seus integrantes. O ateliê é onde um artista trabalha, podendo haver exposições ou não.
Muitos ateliês só recebem visitantes por agendamento, mas estarão de portas abertas para o público no CLAI Aberto. Já um espaço expositivo, além de apresentar as mostras, pode oferecer atividades de formação, pesquisa, ateliês coletivos, residências artísticas, e ainda salvaguardar acervos de obras de arte e documentos. Os espaços expositivos têm um horário de visitação determinado, que varia de caso a caso.
Durante o CLAI Aberto, o público poderá visitar os ateliês e espaços expositivos com programação dividida em quatro roteiros, de acordo com a localização dos espaços pela cidade. A programação artística é diversificada e composta por exposições, oficinas, performances, rodas de conversas, música e venda de obras de arte. O horário é das 11 às 18h, com entrada gratuita.
O CLAI Aberto busca atrair uma audiência que ainda não conhece os espaços membros, dar visibilidade aos artistas que por eles circulam e promover o hábito de consumir arte e cultura na cidade”, explica Maíra Endo, uma das organizadoras do evento.
Sobre o CLAI
O Circuito Livre de Arte Independente foi criado em março de 2020, no início da pandemia de covid-19. O objetivo foi proporcionar apoio mútuo e articulação entre espaços e iniciativas autogeridas que desenvolvem atividades ligadas às artes visuais em Campinas. Hoje, o CLAI é formado por 14 ateliês e espaços de arte.
Organizado por Ana Angélica (artista-gestora da Casa de Eva), Maíra Endo (organizadora-editora-curadora do HIPOCAMPO) e Teresa Mas (arquiteta-gestora do Instituto Pavão Cultural), o CLAI promoveu seu primeiro projeto coletivo em Campinas através do edital Ações em Rede, da Lei Aldir Blanc, em abril de 2021. Participaram dessa iniciativa pioneira 17 espaços.
A Lei Aldir Blanc foi responsável pela transferência de recursos do governo federal para os diversos Estados e municípios do Brasil, inclusive para a Prefeitura de Campinas, por meio da Secretaria de Cultura. A verba foi destinada a artistas, trabalhadores do setor da cultura e espaços culturais que tiveram as atividades interrompidas em razão da pandemia do coronavírus.
Circuito de bike e programação
O CLAI Aberto conta com o apoio da Bike Foguete, que vai realizar dois percursos entre os espaços. No sábado, o percurso tem início às 14h no Ateliê – CASA e termina por volta das 18h no Ateliê-Folha; no domingo, o percurso começa às 14h na Nave na Mata e finaliza por volta das 18h no Instituto Pavão Cultural.
Percurso do 
sábado

https://goo.gl/maps/5G7uQ4YBVzwhrA786
Percurso do 
domingo

https://goo.gl/maps/uuqcceCHX9uLnYrX9
Independentemente do passeio de bike, os espaços estarão abertos conforme a programação abaixo.
30.04 (sábado)
11h – 16h – Sousas
14h – 18h – Centro/Cambuí/Vila Industrial/Chácara da Barra
01.05 (domingo)
11h – 14h – Jardim Eulina
14h – 18h – Barão Geraldo
TOTE Espaço Cultural
11h – 13h – Visita guiada da exposição “Fleetings Moments of Joy”, do artista canadense Dermot Wilson
11h – 14h – Oficina de Monotipia com Flávio Gordon
11h – 15h – Oficina: O gesto como despertar de uma linguagem
30.04 (sábado)
14h – 18h – Centro/Cambuí/Vila Industrial/Chácara da Barra
ATAL 609 – lugar de Investigações artísticas
Visita guiada pelo espaço e pela exposição “Mesa da Amargura”, de Philippe Dias.
Philippe Dias é natural do interior paulista e artista visual pela Universidade Federal da Paraíba. Pesquisa a pintura tropical vernacular e mistura memória e invenção de histórias como preenchimento de lacunas do que jamais irá lembrar.
Obrigatório o uso de máscara.
Ateliê CASA
Abertura da exposição Fúria das Beterrabas, do coletivo COMA*.
O coletivo COMA foi criado durante a pandemia do covid-19 a partir de afinidades e interesses pelo tema da alimentação entre as artistas visuais Alessandra Sposetti (Rio de Janeiro), Estefania Gavina(Campinas) e Sheila Oliveira(São Paulo).
O coletivo tem um caráter experimental e intuitivo que se concentra em uma produção artística interessada nas mais variadas possibilidades do movimento colaborativo, neste caso dedicado à pesquisa e produção poética a partir dos alimentos e da alimentação. Tem como objetivo apresentar sua produção artística através das mais diversas linguagens expressivas e experiências sensoriais, estabelecendo discussões sobre cultura, consumo e hábitos alimentares por meio de exposições, ocupações e intervenções artísticas, amplificando a todos as possibilidades das ferramentas de percepção e emancipação sobre o tema.
Ateliê Folha
Visitação da exposição “Quem vem”, de Caio Boteghim, Fábio Barella e João Paulo.
Vendas de obras do artista anfitrião Carriero.
Ateliê Oráculo
Exposição dos espaços de produção pictórica (Kate Manhães) e ilustração (Rhelga Westin). Venda de obras visuais e literárias.
Casa Ímpar – Estúdio Criativo
Visitação da exposição “Processos”, de Mirs Monstrengo, Kranium e Sérgio Campelo.
Pintura ao vivo.
Oficinas: “Imagem e a Escrita Poética” e “Arte Urbana”.
Bazar Casa Ímpar e convidados.
Fêmea Fábrica
Visita guiada pelo espaço e pelos ateliês dos artistas Camillat, OEFEHA, Giselle Freitas, Gim e Alexandre Silveira.
Mercado Labirinto: artistas e criadores exibem suas marcas autorais.
17h30 | Sessão HIPOCAMPO de videoarte
Seleção de videoarte do acervo HIPOCAMPO com curadoria de Maíra Endo. Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: livre.
Programa da sessão:
Original Cópia (2014), de Irma Brown (Recife), em parceria com Maria Cardoso e Ana Lu.
Inconsciente Inconsistente (2014, criado coletivamente por Cacá Toledo, Felipe Antunes, Francisco Orlandi Neto, Guilherme Fogagnoli (Kid), Luiza Valdetaro e Paula Possani a partir da canção homônima de Felipe Antunes
Rosto de Álcool (2017), de Desali (Belo Horizonte)
Buraco Negro (2015), de Ali do Espírito Santo (Porto Alegre)
Autoterrorismo (2016), de Marcelo Beso (Campinas/Itália)
Confortável (1998), de Marco Paulo Rolla (Belo Horizonte)
I miss you (2017), de Hifacybe (São Luís do Paraitinga)
Ruídos Ruinosos (2010), de Alexandre Silveira (Campinas)
Inmortales (2015), de Marina Mayumi (São Paulo)
É a questão (1991), de Ricardo Basbaum (Rio de Janeiro)
Obrigatório o uso de máscara em espaços fechados.
As visitas guiadas e o mercado ocorrerão das 11h às 18h.
01.05 (domingo)
11h – 14h – Jardim Eulina
Clubinho Eulina
Revitalização de mural do Clubinho, em stencil.
Apresentação sobre o movimento Clubinho Eulina.
Reprodução de músicas de artistas independentes da região gravadas pela Eulina Radio. 
01.05 (domingo)
14h – 18h – Barão Geraldo
CASA de EVA
Visitação da exposição ERRO, de Paula Almozara, com visita guiada para quem desejar.
Experimentação com dispositivos produtores de imagens (atividade elaborada pela equipe da CASA).
Ateliê Ventre da Terra (cerâmica) aberto, com explicação dos processos e venda de peças.
Exposição e venda das obras do Clube de Colecionadores.
Pede-se o uso de máscara durante a visita.
Instituto Pavão Cultural
Visitação da exposição Sob Ataque, do Coletivo Garapa, vídeo da visita mediada com o artista Paulo Fehlauer e convite para produção de desenho ou texto.
Venda de gravuras, livros e prints.
Atividade extra: Confraternização de encerramento do evento
Nave na Mata. Residência artística e gastronômica.
Exposição e venda de obras de arte em joalheria e escultura (SeiZo Soares) e pintura (Giló Silvatti).
Visita guiada à oficina de madeira.
Passeie pela vizinhança, na borda da Mata Santa Genebra.
Sílvia Matos Ateliê de Criatividade
Visitação da exposição Ainda Sombras, das artistas do Antropoantro Beth Schneider, Inês Fernandez, Lalau Mayrink, Olivia Niemeyer, Sílvia Matos, Tina Gonçalez e Vane Barini.
Abertura do Museu dos que já foram (homenagem aos que foram atingidos pela covid-19), inaugurado em fevereiro de 2021 no Instagram.
Pede-se o uso de máscara no local fechado.
Xilomóvel
Impressão de xilogravuras dos artistas do Xilomóvel (demonstração).
Venda de gravuras dos artistas Luciana Bertarelli, Márcio Elias, Natália Gregorini e Simone Peixoto.
Conheça os espaços que participam do CLAI Aberto:
AT|AL|609
. Lugar de investigações artísticas. Espaço independente dedicado à difusão da arte contemporânea por meio de exposições, orientação de propostas artísticas, cursos e programa de residência, que buscam auxiliar o desenvolvimento de processos criativos e promover a reflexão e participação da comunidade. R. Antônio Lapa, 609 – Cambuí (
www.at-al-609.art.br
)
Ateliê CASA
. Idealizada como lugar de pesquisa e perturbações na arte contemporânea. Criado por Estefania Gavina, conta com ambientes para exposições, sala de leitura, cozinha, jardim e cinema ao ar livre. Desde 2017 abriga o acervo sui generis de imagem ACHO, fundado por Fabiana Bruno, Estefania Gavina & Elaine Pessoa. R. Maestro Agide Azzoni, 320 – Chácara da Barra (
www.instagram.com/ateliecasacampinas
)
Ateliê Folha
. Espaço de produção/pesquisa do artista Fabiano Carriero e da quituteira Duda Ribas. Com sede na Vila Industrial, um dos bairros históricos mais antigos de Campinas, desde 2016 abre suas portas para encontros, feiras e exposições. R. Doutor Sales de Oliveira, 1383 – Vila Industrial ( 
www.facebook.com/espacofolha
)
Ateliê Oráculo
. Com foco em artes visuais, design e literatura, é o espaço de produção da dupla criativa Kate Manhães e Rhelga Westin. Fundado em 2010, tem sede na Vila Industrial, bairro histórico da cidade de Campinas. O Oráculo é um lugar de reflexão, vivência e experimentação no desenvolvimento de projetos comissionados e autorais. R. Sete
 de Setembro
, 850 – Vl. Industrial (
www.atelieoraculo.art.br
)
Casa de Eva
. É um espaço de cultura, criação e troca de saberes dedicado à fotografia e às artes visuais. Possui um espaço de galeria, um laboratório fotográfico PB e de técnicas alternativas de impressão, ateliê de cerâmica e uma sala de vidro no jardim para práticas corporais. R. Des. Antão de Moraes, 588 – Cidade Universitária (
www.casadeeva.com.br
)
Clubinho Eulina
. Coletivo que visa promover atividades culturais e de lazer, e também reivindicar melhorias na Praça de Esportes Salvador Lombardi Neto. O lugar possui além de um complexo esportivo, um amplo espaço onde já aconteceram oficinas, apresentações artísticas e musicais, e outros eventos. R. Barão de Porto Feliz, 500 – Jd. Eulina (
www.instagram.com/clubinhoeulina
)
Estúdio Casa Ímpar
. Espaço de exposição, comercialização, oficinas, parcerias, aprendizado, projetos e produção, composto por três artistas visuais, Campelo, Kranium e Mirs Monstrengo, com diferentes linguagens, que vai da pintura acadêmica à arte contemporânea, passando pelo graffiti e arte urbana. R. Coronel Rodovalho, 23 – Centro ( 
www.instagram.com/estudiocasaimpar
)
Fêmea Fábrica
. Espaço compartilhado por 4 artistas visuais que, ao buscarem uma prática autogestionada, desdobram sua instalação física como potência de ações e encontros criativos. Suas atividades giram em torno das artes visuais e de desdobramentos transdisciplinares possibilitados pela leitura contemporânea da arte. R. Luzitana, 1769 – Centro (
www.femeafabrica.com
)
HIPOCAMPO
(
hipocampo.art.br
). Espaço de arte independente, multidisciplinar e virtual, voltado para a construção e difusão de um acervo público digital que 
hoje
 abriga cerca de 250 peças de mais de 40 colaboradores. Criado em 2016 por Maíra Endo, publica mostras semestrais, trazendo recortes de seu acervo.
Instituto Pavão Cultural
. Espaço dedicado a exposições e projetos culturais voltados para artes visuais, artes cênicas, arquitetura, música, e atividades educativas. Criado em 2019 por Mário Braga e Teresa Mas, tem como diferencial o espaço propício para melhor interação entre espectador e obra. R. Maria Tereza Dias da Silva, 708 – Barão Geraldo (
www.pavaocultural.org
)
Nave na Mata
. Na borda da mata de Santa Genebra, promove eventos gastronômicos, oficinas, exposições e mercados. Conta com espaço para hospedagem como residência artística, adotando a filosofia e práticas de cuidado de si. SeiZo Soares é escultor, roteirista e professor. 
Hoje
 cursa doutorado na Faculdade de Educação, UNICAMP. R. Mata da Tijuca, 56 – Bosque de Barão Geraldo (
www.facebook.com/navenamata
Silvia Matos Ateliê de Criatividade
. Espaço para Arte Contemporânea criado em 1990. Oferece oficinas, pesquisas, exposições e palestras. Aqui surgiu o grupo Antropoantro (Beth Schneider, Inês Fernandez, Lalau Mayrink, Olivia Niemeyer, Sílvia Matos, Tina Gonçalez e Vane Barini) no ano 2000. R. Aristides Lobo, 1016 – Cidade Universitária (
www.silviamatos.art.br
)
TOTE Espaço Cultural
. Lugar independente voltado para as artes visuais contemporâneas, onde acontecem exposições, workshops, cursos e, desde 2020, residências artísticas. Gerido pela artista Norma Vieira que ali tem seu atelier. Av. Dona Maria Franco Salgado, 260, Sousas (
www.toteespacocultural.com
)
Xilomóvel.
Ateliê itinerante, equipado com todo o material necessário para a prática da xilogravura. Em sua sede fixa, os artistas do projeto desenvolvem seus trabalhos, planejam e organizam as atividades do Xilomóvel e também oferecem cursos de longa duração e intensivos. R. Francisco de Barros Filho, 546, Barão Geraldo (
www.xilomovel.com.br
) .

Geral

Semana da Juventude terá 15 dias de mobilização com 45 atividades

Publicado

em

Por

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, deu início nesta sexta-feira, dia 12, na Sala Azul à Semana da Juventude em Campinas. A data marca o Dia Internacional da Juventude e assinala os 7 anos de atividade da Coordenadoria de Políticas para a Juventude. São 45 atividades ao todo, com mais de 30 instituições, serviços, coletivos, ou jovens parceiros. A programação completa da semana pode ser conferida no hotsite: http://bit.ly/semanadajuventudecampinas.

 

“Em Campinas, a juventude está entre as nossas prioridades. Com essa preocupação, decidimos estender a Semana da Juventude, que agora terá 15 dias”. Ele também acrescentou a importância de desenvolver políticas públicas para este segmento. “Nossos jovens precisam de oportunidades e ações que venham ao encontro da expectativas deles”, acrescentou.

 

“Já são sete anos que celebramos essa data e o propósito é proporcionar mais dignidade e perspectivas, principalmente entre os mais socialmente vulneráveis”, afirmou Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.

Publicidade

 

Nos sete anos de atividade da Coordenadoria de Políticas para a Juventude, foram oportunizadas cerca de 1 mil vagas de cursos profissionalizantes, mais de 11 mil participantes em campanhas, eventos culturais e esportivos, feiras, audiências, mobilizações e palestras. Em 2022, foram investidos R$ 155.572,70 nos bolsistas do Programa Socioeducativo Juventude Conectada e contabilizados 8.939 atendimentos nos telecentros. Além disso, entre os meses de janeiro e julho, 1.750 jovens participaram de campanhas, cerimônias, eventos culturais e esportivos, feiras, audiências, mobilizações e em palestras em geral promovidos pela Coordenadoria.

 

​Instituído no calendário oficial de Campinas por meio da Lei Complementar nº 115/2015, a Semana da Juventude é um evento realizado pelo Poder Executivo em colaboração com o Conselho Municipal da Juventude e parceiros da sociedade civil. O Dia 12 de agosto é o Dia Internacional da Juventude, celebrado através da resolução da Assembleia Geral da ONU em 1999, como resposta às recomendações levantadas na Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude, em Lisboa, em 1998, onde ocorreram diversas reflexões sobre as práticas de responsabilidade social para a população jovem.

 

Publicidade

Com base no Estatuto da Juventude, compreendendo a juventude como pessoas na faixa etária de 15 a 29 anos, a 7ª Semana será realizada em conjunto com a Fundação FEAC, através do Programa Juventudes, e contará com ampla e diversa programação proposta por instituições, serviços, coletivos, ou jovens engajados na pauta das juventudes entre os dias 12 e 27 de agosto.

 

O tema deste ano é “Pega essa visão: a minha, a sua e a nossa participação” e está pautado no eixo “Direito à cidadania, à participação social e política e à representação juvenil do Estatuto da Juventude”. Acompanhando o movimento nacional em torno da mobilização juvenil para o exercício da cidadania pelo voto, a cidade de Campinas teve um aumento de 156% no número de novos títulos de pessoas entre 16 e 17 anos em comparação ao ano de 2020. 

Continue Lendo

Geral

Agenda do Festival de Leitura quer aproximar leitor da cultura escrita

Publicado

em

Por

O II Festival de Leitura, agendado para o Espaço Cultural Maria Monteiro, na Vila Padre Anchieta, começa nesta segunda-feira, 15 de agosto, e termina no sábado, 20 de agosto. O evento é gratuito e conta com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Campinas.
Na programação estão saraus, exposições, palestras, rodas de conversa, filmes. Haverá também lançamento de livros, histórias para contar, desafios e debates.
Segundo os organizadores, o objetivo é aproximar o leitor, com oportunidade de experimentar e reconhecer as tradições da cultura escrita e do legado que cada uma das matrizes literárias oferece. O festival busca contemplar as mais diversas linguagens, que se aproximam e se miscigenam com a produção literária, como a música e as artes visuais, e dentre elas, especialmente, o cinema.
Programação
Exposição ‘Editora da Unicamp em 22’ sobre os centenários da Independência, da Semana Modernista de 1922 e da ascensão do Fascismo, de 10 a 21 de agosto, no saguão do Espaço Cultural Maria Monteiro – rua Dom Gilberto Pereira Lopes, s/n, Conjunto Habitacional Padre Anchieta
Exposição ‘Cenas de Leitura’ – coleção da Biblioteca Pública Municipal Prof. Ernesto M. Zink, na EE Paulo Mangabeira Albernaz – Rua Jair Jorge Bosco, 15, Nova Aparecida, de 15 a 20 de agosto
Dia 15 de agosto – segunda-feira – Leitura e aprendizado das linguagens
14:30 horas – Roda de conversa com professores sobre a literatura infantil na formação dos alunos (parceria com o CEFORTEPE), com a participação de Marta A. Oliveira, Cibele N. V. Ignácio, Vanessa Ferreira da Silva e Adriana Dante Baldijão. e Daniela C. Carvalho, escritoras e professoras da rede municipal de educação;
16 horas – Sessão de Cinema de Animação com os Hai-Kais do Príncipe, produzido pelo Núcleo de Animação de Campinas, sobre poemas de Guilherme de Almeida;
16:30 horas – Apresentação de contadores de histórias, com Mila Soares e Rose Darc;
17 horas – Apresentação e lançamento de livros infantis – Kátia Sentinaro e Marta Oliveira
Dia 16 de agosto – terça-feira – Antropofagia em pauta
15 horas – Sarau sertanejo – roda de violas com pessoal do Centro de Saúde da Vila Padre Anchieta;
19:30 horas – Projeção de fragmentos da peça ‘O Rei da Vela’, de Oswald de Andrade, encenada em 1967 pelo Grupo de Teatro Oficina;
20:30 horas – Leitura do Manifesto Antropofágico e roda de conversa sobre a Semana de Arte Moderna de 1922;
Dia 18 de agosto – quinta-feira – A produção literária na mão das mulheres
16 horas – Apresentação do filme ‘No rastro da poesia, no Caminho de Cora’,
produção EBC, dirigido por Maranhão Viegas;
17 horas – Leitura de poemas de Cora Coralina, e sarau literário dedicado às obras de mulheres escritoras;
20:00 horas – Lançamento do livro ‘Mulheres de Cora Coralina’, coletânea de poesias de poetas da Vila, organizado pela escritora Katia Marchese;
Dia 19 de agosto – sexta-feira – A criação como leitura do mundo
19:30 horas – Lançamento e apresentação de livros – roda de conversa com escritores
20:30 horas – Filme documentário sobre Carlos Drummond de Andrade, produção TV Cultura;
21 horas – Sarau
Dia 20 de agosto – sábado – As matrizes culturais e suas diversidades
14:30 horas – Roda de conversa sobre a literatura afro-brasileira com o
escritor Carlindo Fausto Antônio, professor da UniLAB;
15:30 horas – projeção do Filme AmarElo, dirigido pelo rapper Emicida;
17:30 horas – Roda de conversa com rappers de Campinas coordenada por Adriano Bueno;
18:30 horas – Apresentação de rappers e slamers.
Serviço
II Festival de Leitura
Dias: de 15 a 20 de agosto
Local: Espaço Cultural Maria Monteiro, na Vila Padre Anchieta – R. Dom Gilberto Pereira Lopes, s/n – Conj. Hab. Padre Anchieta, Campinas
Entrada gratuita

Continue Lendo

Geral

Itinerários das linhas 126 e 127 serão ampliados na região do Vida Nova

Publicado

em

Por

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) amplia a abrangência de atendimento das linhas 126 (Terminal Vida Nova / Vida Nova I e II) e 127 (Terminal Vida Nova / Vila Vitória), a partir da próxima segunda-feira, 15 de agosto, na região do Conjunto Habitacional Vida Nova.  

 

 

O trajeto da linha 126 será prolongado para atender aos bairros Residencial Porto Seguro, Vila Vitória e Chácaras Parque Aeroporto. Saindo do Terminal Vida Nova, a linha passa a atender ao Residencial Porto Seguro e retoma o itinerário atual pelos bairros Vida Nova I e II. Na sequência, passa pelo Terminal Vida Nova para atender aos bairros Núcleo Residencial Vila Vitória e Chácaras Parque Aeroporto, realizando parada no terminal.  

 

Publicidade

 

Já a linha 127 retoma o atendimento aos bairros Vida Nova I e II; e passa a atender ao Residencial Porto Seguro. Ela inicia o itinerário no Terminal Vida Nova e segue o trajeto atual pelo Núcleo Residencial Vila Vitória e Chácaras Parque Aeroporto. Em seguida, passa a atender ao Residencial Porto Seguro e aos bairros Vida Nova I e II, realizando parada no Terminal Vida Nova. No trajeto praticado pelas linhas, são 19 pontos de parada, além do terminal.  

 

 

Informações aos usuários   

Publicidade

 

Os usuários do transporte público coletivo podem consultar horários e itinerários das linhas pelos aplicativos “Cittamobi” e “Moovit”, que informam, em tempo real, a estimativa de chegada do ônibus no ponto, entre outras funcionalidades; e estão disponíveis para sistemas operacionais Android e iOS. A Emdec também disponibiliza a consulta aos itinerários, horários de partida referência nos pontos iniciais e finais, no endereço portal.emdec.com.br/consultalinha.    

 

 

Para esclarecer dúvidas sobre trânsito e transporte, acesse os canais do Fale Conosco Emdec, pelo telefone 118, site (portal.emdec.com.br/faleconosco); ou pelo aplicativo “Emdec”, disponível para download no Google Play e App Store.   

Publicidade
Continue Lendo

Populares