Connect with us

Geral

A hora e a vez dos vinhos brancos, rosés e espumantes

Publicado

em

Com a chegada da primavera, os vinhos tintos não saem completamente de cena, mas cedem o protagonismo para os brancos e rosés, que são mais refrescantes e, portanto, combinam melhor com temperaturas elevadas. As opções presentes no mercado são variadas, o que tende a agradar a todos os paladares. Para facilitar a escolha do consumidor, o sommelier Rogério Santos, do Barbacoa Campinas, e a coordenadora do Empório Giovannetti, instalado na unidade Cambuí da rede de choperias homônima, Ivonete Castro, dão dicas de rótulos com preços de até R$ 200,00,  que são ideais para serem degustados em dias e noites de calor, de preferência acompanhados de refeições mais leves.

Uma das boas sugestões para a primavera e também para o verão, segundo Ivonete, é o Cambridge Ice, um vinho do Porto branco que deve ser degustado bem gelado ou, para surpresa de muitos, até com uma pedra de gelo. “Trata-se de uma bebida para ser apreciada nas mesmas ocasiões em que abrimos um espumante. Como esse vinho tem um grau de doçura um pouco maior que os outros tipos de Porto, a pedra de gelo ajuda a atenuar o dulçor, tornando a bebida mais agradável ao paladar”, explica. O vinho tem preço de R$ 175,00 (garrafa) e R$ 30,00 (taça), e pode ser adquirido no Empório para ser degustado no local ou levado para casa.

Outra boa opção para brindar às estações mais quentes do ano é o espumante português “Terras do Demo Malvasia Fina Bruto”, produzido na região de Távora-Varos. Ivonete destaca que a bebida, bastante fresca e frutada, deve ser servida a uma temperatura em torno de 5°C, para que suas características sejam valorizadas. “Nada influi tanto na apreciação de um vinho quanto a sua temperatura. Quanto mais adequada esta for, melhor será a experiência gustativa do consumidor”, ensina. O branco “Terras do Demo Malvasia Fina Bruto”, acrescenta Ivonete, harmoniza muito bem com peixes, mariscos, ostras – como, por exemplo, o prato de frutos do mar grelhados presente no cardápio da casa – e carnes de aves, como a isca de frango empanado. O preço da garrafa é R$ (R$ 139,90).

De Portugal também vem o espumante rosé “Terras do Demo Touriga Nacional Bruto”, da mesma região de Távora-Varos. Este apresenta igualmente paladar fresco e frutado, mas com algumas notas florais. Deve ser servido a uma temperatura próxima de 5ºC, preferencialmente na companhia de peixes, mariscos, ostras e carnes de aves. Preço: R$ (R$ 139,90).

Viva a acidez!

Uma das propriedades mais apreciadas no vinho branco é a sua acidez. Quando bem equilibrada, essa característica torna a bebida ainda mais especial, contribuindo desse modo para a construção de excelentes momentos. De acordo com o sommelier do Barbacoa, duas uvas bem conhecidas dos brasileiros apresentam esse atributo: a Chardonnay e a Sauvignon Blanc, variedades originárias da França, mas que se adaptaram perfeitamente ao Chile, país vizinho que nos fornecesse ótimos exemplares.

A Chardonnay, detalha Rogério Santos, normalmente proporciona bebidas mais untuosas, frutadas e com acidez moderada. “Já a Sauvignon Blanc costuma gerar vinhos mais frescos, frutados e com acidez mais elevada”. Para acompanhar saladas e carpaccio – ambas opções encontradas no buffet de saladas do Barbacoa –  e também camarão grelhado, o sommelier recomenda o “Nimbus Single Vineyard Sauvignon Blanc”, um chileno do Vale de Casablanca. Além de rica acidez, a bebida oferece delicadas notas minerais. O preço, tanto para consumo no local como para viagem é R$ 140,00.

Do Chile vem, ainda, o “Ventisquero Reserva Chardonnay”, um branco com acidez muito amigável e que harmoniza à perfeição com peixes, frutos do mar, carnes brancas e queijos não curados. O preço é R$ 89,00. Por fim, o sommelier do Barbacoa recomenda um vinho rosé, o “Berne IGP Esprit Méditerranée”, um francês originário da Provance. “Durante muito tempo, nós brasileiros tínhamos um pouco de preconceito com o vinho rosé. Havia a ideia equivocada de que se tratava de uma bebida feminina. Hoje, sabemos que não é nada disso. Esse vinho é leve, refrescante e eclético. É uma ótima companhia para um dia quente e harmoniza muito bem com filé de peixe grelhado, como os presentes no cardápio do Barbacoa – linguado, pintado, bacalhau e salmão”, pontua Rogério Santos. Preço: R$ 99,00.

Giovannetti Cambuí

A casa, localizada no Cambuí, bairro boêmio de Campinas, foi fundada em 1997. Ocupa um imóvel histórico de 1,7 mil m², que foi restaurado pelo Grupo Giovannetti. O bar e restaurante tem capacidade para 700 pessoas e conta com salão principal, onde está instalado o Empório, áreas ao ar livre e espaço para recreação infantil. O almoço, diariamente, é em sistema de buffet, com cobrança por peso ou por pessoa. A partir das 16h, o cliente tem à escolha pratos “boêmios”, executivos e triviais, além de pizzas, salgados – como o Milionário (kibe) e o Portuga (bolinho de bacalhau), lanches e porções. A happy hour conta com uma mesa de frios com mais de 20 itens selecionados, além de chope com preço promocional, de segunda a quinta-feira, das 16h às 20h.

Serviço:

Rua Padre Vieira, 1277, Cambuí. Campinas, SP

Telefone: 19.3234.9510

Horário de funcionamento: todos os dias, das 11h até o último cliente

www.giovannetti.com.br

Barbacoa Campinas

O Barbacoa Campinas opera com serviço à la carte no almoço e no jantar. No cardápio estão mais de 15 cortes exclusivos de carnes nobres entre os quais o Carré de Cordeiro e o T-bone, e também pescados e outras opções, além de sobremesas e uma carta de vinhos com mais de 200 rótulos. As carnes acompanham uma guarnição à escolha do cliente e o pedido dá direito ao buffet de saladas, com mais de 30 itens. Com capacidade para 150 pessoas, o restaurante conta com três ambientes intimistas – Adega Barbacoa, Salão Principal e Espaço Gourmet. Na Adega, o cliente encontra vinhos da mais alta procedência para degustar no local ou para viagem. Já o Espaço Gourmet, é uma área privativa ideal para a realização de eventos sociais ou corporativos.

Serviço:

Barbacoa Campinas

Avenida Guilherme Campos, 500, Parque D. Pedro Shopping (Entrada das Águas), Campinas, SP

Telefone: (19) 3209.1641

Horário de funcionamento: todos os dias das 10h até o último cliente

Geral

Caixa paga abono salarial para nascidos em janeiro e fevereiro

Publicado

em

Por

Cerca de 3,4 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro começam a receber, nesta terça-feira (19), R$ 2,75 bilhões referentes ao abono salarial do calendário 2020/2021 – ano-base 2019. A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial, para quem não é cliente do banco.

As poupanças digitais podem ser movimentadas pelo aplicativo Caixa Tem. Disponível para telefones celulares, o aplicativo permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), boletos bancários, compras com cartão de débito virtual pela internet e compras com código QR (versão avançada do código de barras) em estabelecimentos parceiros.

Para os funcionários públicos ou trabalhadores de empresas estatais, vale o dígito final do número de inscrição do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). A partir de amanhã, fica disponível o crédito para inscritos com final 5. O Pasep é pago pelo Banco do Brasil.

Os trabalhadores que nasceram entre julho e dezembro receberam o abono salarial do PIS em 2020. Os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2021.

Os servidores públicos com final de inscrição do Pasep entre 0 e 4 também receberam em 2020. Já as inscrições com final entre 5 e 9 ficaram para 2021. O fechamento do calendário de pagamento do exercício 2020/2021 ocorre em 30 de junho.

Quem tem direito

Tem direito ao abono salarial 2020/2021 o trabalhador inscrito no Programa de Integração Social (PIS) há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2019, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos. Também é necessário que os dados tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) ou e-Social, conforme categoria da empresa.

Recebem o benefício na Caixa os trabalhadores vinculados a entidades e empresas privadas. Em todo o calendário 2020/2021, a Caixa deve disponibilizar R$ 15,8 bilhões para 20,5 milhões trabalhadores.

As pessoas que trabalham no setor público têm inscrição no Pasep e recebem o benefício no Banco do Brasil (BB). Nesse caso, o beneficiário pode optar por realizar transferência (TED) para conta de mesma titularidade em outras instituições financeiras, nos terminais de autoatendimento do BB ou no portal www.bb.com.br/pasep, ou ainda efetuar o saque nos caixas das agências.

Para o exercício atual, o BB identificou abono salarial para 2,7 milhões trabalhadores vinculados ao Pasep, totalizando R$ 2,57 bilhões. Desse montante, aproximadamente 1,2 milhão são correntistas ou poupadores do BB, e aqueles com final de inscrição de 0 a 4 receberam seus créditos em conta antecipadamente no dia 30 de junho, no total de R$ 580 milhões, segundo a instituição financeira.

Abono salarial anterior

Os trabalhadores que não sacaram o abono salarial do calendário anterior (2019/2020), finalizado em 29 de maio deste ano, ainda podem retirar os valores. O prazo vai até 30 de junho de 2021. O saque pode ser feito nos canais de atendimento com cartão e senha Cidadão, ou nas agências da Caixa.

A consulta sobre o direito ao benefício, bem como ao valor à disposição, pode ser feita por meio do aplicativo Caixa Trabalhador, pelo atendimento Caixa ao Cidadão (0800-726-0207) e no site http://www.caixa.gov.br/abonosalarial/.

No caso do Pasep, os recursos ficam disponíveis para saque por cinco anos, contados do encerramento do exercício, de acordo com resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Os abonos não sacados são transferidos automaticamente para o próximo exercício, sem necessidade de solicitação do trabalhador.

fonte ebc

Continue Lendo

Geral

Reajuste dos pedágios altera a tarifa de 10 linhas intermunicipais de Campinas

Publicado

em

Por

Acréscimos em 34 linhas serão de R$ 0,05 a R$ 0,10 e começam a valer a partir deste domingo (17) 

Em razão do reajuste de pedágios pela Artesp, em vigor desde o dia 1º de dezembro de 2020, 34 linhas metropolitanas gerenciadas pela EMTU/SP terão acréscimos de R$ 0,05 a R$ 0,10 nas tarifas a partir deste domingo (17). 

Os reajustes ocorrerão apenas em parte das 852 linhas gerenciadas e fiscalizadas pela EMTU/SP na Grande São Paulo, Campinas, Vale do Paraíba/Litoral Norte e Sorocaba. As linhas que terão alteração nessas quatro regiões metropolitanas são aquelas que passam por pedágios. 

O custo do pedágio é acrescido nos valores das passagens das linhas metropolitanas, conforme o artigo nº 32, parágrafo 4º do decreto estadual nº 24.675/86. O cálculo é feito pela divisão do valor pago na praça de pedágio pelo número médio de passageiros por viagem. O objetivo é ressarcir as empresas concessionárias e permissionárias dessa despesa sobre a operação. 

Os passageiros estão sendo informados sobre as linhas que terão reajuste por meio de avisos afixados nos ônibus, mídias sociais e pelo site emtu.sp.gov.br. 
Abaixo estão dados gerais por região. Os novos valores das tarifas das linhas com reajuste na parcela do pedágio estão disponíveis no link https://www.emtu.sp.gov.br/emtu/itinerarios-e-tarifas/tarifas-em-formato-pdf.fss.


Região Metropolitana de São Paulo Consórcio Anhanguera e Unileste – Oito linhas e serviços terão reajuste de um total de 224 que circulam nas áreas 2 e 4 de concessão (regiões de Osasco e Mogi das Cruzes): 524, 116, 378, 818, 827, 838, 819 e 206 

Região Metropolitana de Campinas Consórcio Bus+ – 10 linhas e serviços de um total de 150 que operam na região: 612, 612DV1, 614, 616, 618, 633, 693, 714, 715 e 734

Região Metropolitana do Vale do Paraíba/Litoral Norte Empresas Jacareí e Litorânea – 5 linhas de um total de 84 que operam na região: 5151, 5501,5503, 5504 e 5508 

Região Metropolitana de Sorocaba Empresas Rápido Luxo, VB e Expresso Amarelinho – 11 linhas de um total de 87 que operam na região: 6214, 6215, 6219, 6224, 6225, 6226, 6115, 6113, 6114, 6213 e 6213EX1.

Continue Lendo

Geral

Técnica de enfermagem do HC é a 1ª vacinada contra Covid em Campinas

Publicado

em

Por

O início da imunização contra a Covid-19 em Campinas aconteceu na tarde desta segunda-feira, 18 de janeiro, no Hospital de Clínicas da Unicamp. A primeira pessoa a ser vacinada foi a técnica de enfermagem do HC Liane Tinoco, de 48 anos. O prefeito de Campinas, Dário Saadi, e o governador do Estado de São Paulo, João Doria, participaram do evento.

 

“Campinas é o primeiro momento de vacinação fora da cidade de São Paulo. Campinas abriga brasileiros de todas as partes. Hoje temos o privilégio de vacinar a primeira funcionária do HC. Ela está na linha de frente ajudando a salvar vidas. Queria agradecer, em nome da Liane, todos os profissionais de saúde e também os que trabalham na área, embora não sejam formados em saúde, mas que também ajudam a salvar vidas: motoristas de ambulância, equipes de limpeza, de segurança, de manutenção…Estamos muito orgulhosos de termos uma vacina do Brasil, a Coronavac, a vacina do Butantan. Agora a vacinação segue aqui com outros profissionais desta unidade do HC da Unicamp”, afirmou o governador.    

 

A técnica de enfermagem é baiana e tem 14 anos de profissão. “Estou muito grata e me sinto honrada em ser a primeira pessoa a ser vacinada no interior de São Paulo”, afirmou Liane.  

 

Distribuição

 

A distribuição das vacinas e insumos para imunização contra a Covid-19 para os cinco hospitais-escola do Interior do Estado começou também nesta segunda. Além do Hospital de Clínicas de Campinas, que recebeu 4 mil vacinas do Butantan, receberam as doses os hospitais de Clínicas de Botucatu, Ribeirão Preto, Marília e o Hospital de Base de São José do Rio Preto.

 

No total, cerca de 60 mil profissionais que atuam nesses cinco hospitais serão imunizados contra a Covid-19.

 

Vacinas em Campinas

 

A partir desta terça-feira,19 de janeiro, grades de vacinas e insumos serão enviadas aos polos regionais para distribuição às prefeituras.

 

“Assim que as vacinas chegarem, vamos distribuir aos hospitais públicos e privados, que farão a vacinação. Nós já cadastramos todos os hospitais de Campinas e cerca de 15 mil pessoas receberão a vacina. As informações extra oficiais é que as vacinas chegam amanhã. Não temos o número exato de doses, mas pelas contas que fizemos, 15 mil chegam. Ainda não temos o horário, mas estamos com toda a logística de distribuição preparada”, disse o prefeito Dário Saadi.

 

De acordo com ele, a abertura do agendamento para os outros grupos previstos na primeira fase vai depender da quantidade de doses que a cidade irá receber. A prioridade é quem está atuando na linha de frente.

 

O agendamento será feito por meio do portal da Prefeitura de Campinas, pelo telefone 160 ou pelo centro de saúde de referência. Quem optar pela internet, deverá acessar o endereço www.campinas.sp.gov.br e clicar em um banner sobre a campanha de vacinação.

 

Será necessário preencher um cadastro e as opções de horário serão disponibilizadas. A pessoa poderá escolher dia e horário. No fim do processo de agendamento será emitido um comprovante com todos os dados, que pode ser impresso ou armazenado no celular.

 

A ida ao centro de saúde só é recomendada em último caso, pois há um grande volume de atendimentos de saúde nas unidades.

 

No dia da vacinação, as pessoas devem levar documento com foto.

 

 

Centros de Imunização

Em Campinas, as vacinas serão aplicadas em pelo menos cinco centros de vacinação (há possibilidade de ampliação), um por região da cidade: 

 

– Casa da Criança Paralítica – Rua Pedro Domingos Vitali, 160 – Parque Italia (região Sul) 

– Naed Noroeste – Avenida Ibirapuera, s/nº, Jardim Londres (região noroeste);

– Centro de Vivência do Idoso – Lagoa do Taquaral – portão 5 (região leste);

– Círculo Militar- Avenida Getúlio Vargas, 200. Jardim Chapadão (região norte);

– CAIC Sudoeste – Rua José Augusto de Mattos, s/nº, Vila União (região sudoeste).

 

O público-alvo da primeira etapa inclui profissionais de saúde, pessoas a partir de 60 anos de idade, indígenas e quilombolas.

 

A primeira etapa será dividida da seguinte maneira:

 

1º – profissionais de saúde, indígenas e quilombolas – cerca de 63 mil pessoas em Campinas

2º – pessoas com 75 anos ou mais – 40.383 pessoas

3º – 70 a 74 anos – 26.309 pessoas

4º – 65 a 69 anos – 33.507 pessoas

5° – 60 a 64 anos – 46.169 pessoas

 

Das mortes por Covid em Campinas, 87% correspondem a esse público da primeira etapa.

Continue Lendo









<





Populares