Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

1º Workshop Crespinhos no Poder será realizado em setembro

A Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial (Cpir), da Secretaria Municipal da Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, promoverá na próxima terça-feira, dia 4 de setembro, o 1º Workshop Crespinhos no Poder. O evento é uma parceria com a ONG Crespinhos no Poder, inciativa de empoderamento de crianças e adolescentes negros de Campinas. Objetivo é discutir novas iniciativas de empoderamento para o público-alvo, além de abordar os planos para um desfile a ser promovido em novembro. O evento reunirá pais das crianças e adolescentes participantes do último ensaio fotográfico realizado pela ação.

 

 

 

 

O workshop também apresentará os planos para uma exposição fotográfica com imagens de crianças e jovens que participaram do primeiro e do segundo ensaio fotográfico Crespinhos no Poder. O último ensaio foi realizado no último sábado, dia 25 de agosto. A ação inaugurou a parceria entre a Cpir e a ONG Crespinhos no Poder. Cerca de 30 pessoas participaram da sessão.

 

 

 

 

As imagens foram produzidas pelo idealizador do projeto, o fotógrafo Elmis Santos, e contaram com o trabalho e apoio da Cpir, da maquiadora Carolina Toniatti, de Marlon Malachias, da Minha Loja 2.0, e de Amélia Vaz, da empresa Sucesso Afro. Os ensaios são gratuitos e haverá novas edições.

 

 

 

 

A ONG Crespinhos no Poder tem foco na equidade racial, beleza negra e favorece um convívio harmônico, respeitoso para com toda a sociedade. Segundo Elmis Santos, o projeto visa empoderar crianças e adolescentes, usando como linguagem de expressão a fotografia e o diálogo com os pais.

 

 

 

 

“Essa ação trabalha a questão do empoderamento, valorizando o cabelo e a estética negra. O objetivo é fortalecer a autoestima das crianças, fazendo com que ela reconheça sua própria beleza e, por consequência, auxiliar os pais e a própria sociedade a lidarem com a questão do racismo e da desvalorização da estética negra”, explicou o coordenador da Cpir, Sergio Max de Almeida Prado.