Connect with us

Geral

11 Super Dicas para Salvar sua Empresa em Caso de Falta de Energia

Publicado

em

A falta de energia é um assunto importante porque pode levar qualquer empresa ao prejuízo financeiro. Apesar de saber disso, poucas pessoas sabem o que fazer nessa hora.

O verão brasileiro é uma época do ano marcado pelo sol, mas também pelas tempestades. Com isso, muitas regiões sofrem com as chuvas fortes e as ventanias, com a queda de árvores e outros desastres. As consequências são bem previsíveis: muitas empresas são prejudicadas pela queda da energia elétrica.

Sem energia elétrica, a produtividade é reduzida e o prejuízo é certo.

Uma das provas que esses momentos realmente influenciam negativamente em diversas companhias são as milhares de reclamações e processos judiciais que as concessionárias respondem – seja pelo atraso do reestabelecimento do serviço, ou por fornecerem abastecimento incompleto.

A partir disso, fica claro que todos os empresários estão sujeitos aos prejuízos que a falta de energia pode causar ao seu negócio, seja ele de pequeno, médio ou grande porte.

Abaixo, separamos 11 dicas que devem ser usadas quando isso acontecer.

11 super dicas caso falte energia na sua empresa

As dicas abaixo são todas gerais e úteis para qualquer empresário. Vamos começar falando sobre a importância de fazer um B.O. (Boletim de Ocorrência) até a prevenção, que deve ser feita com o uso de geradores de energia. Confira!

1 – Faça um Boletim de Ocorrência

Esse não precisa ser o seu primeiro passo, mas fazer um boletim de ocorrência é importante para garantir os seus direitos em caso de perdas, por exemplo.

Ele vai servir, inclusive, para o caso de o serviço não ser reestabelecido com urgência. O B.O pode ser feito via internet.

2 – Entre em contato com a Concessionária de Energia

É importante falar com a concessionária para fazer uma reclamação sobre o que aconteceu. Procure saber os motivos da queda de energia e tentar obter uma estimativa do retorno do abastecimento. Durante o contato, que normalmente é telefônico, solicite informações úteis, como:

  • Qual o motivo da queda da energia?
  • O que deve ser feito imediatamente? Quais medidas tomar?
  • Quando o abastecimento de energia irá retornar – há previsão?

Não esqueça de anotar o protocolo de seu atendimento. Ele será imprescindível se precisar registrar o momento inicial em que o serviço foi perdido e que você entrou em contato solicitando o seu restabelecimento.

3 – Atente-se aos possíveis débitos com a empresa de energia

Se você atrasar o pagamento da conta por muitos meses ou se estiver com débitos, existe a possibilidade de corte da energia elétrica, portanto, é importante verificar esse fato.

Geralmente, a companhia elétrica envia avisos dos débitos, com prazos estabelecidos.

Por outro lado, se não houver débitos, então, toda a responsabilidade é da companhia.

4 – Os Problemas com a fiação

Se a falta de energia for um problema recorrente na sua região é importante é procurar saber se há falhas na fiação de energia.

Essa parte estrutural é toda de responsabilidade da companhia de energia elétrica.

5 – Evite a perda de aparelhos

Em uma residência, uma forma de evitar a perda de aparelhos é um pouco mais fácil: quando começarem os raios e trovões, a recomendação é desligar o maior número possível de aparelhos que estão conectados na tomada.

Em uma empresa, isso é um pouco mais complicado, afinal, se o fizer, a produtividade cairá.

Por isso, é preciso atentar-se às formas de driblar a falta de energia sem prejudicar o trabalho da empresa – veja como fazer mais adiante no tópico: Cuidados com os aparelhos eletrônicos durante as quedas de energia.


6 – Confira os aparelhos danificados

Após a energia ser restabelecida, verifique se houve aparelhos que foram danificados.

Em caso positivo, a recomendação é buscar três orçamentos distintos de serviços. O serviço deverá ser pago pela empresa de energia elétrica, mas vale a pena entrar em contato com ela para saber quais os próximos passos devem ser dados. Geralmente, a resposta tem que ser dada em até 45 dias.

7 – Obtenha descontos na conta de energia elétrica

Se a interrupção durar muito tempo, as empresas podem entrar com um pedido de desconto na conta para reaver o prejuízo obtido, conforme o Código de Defesa do Consumidor.

Existem, inclusive, normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que garantem o código.

8 – Na falta de ressarcimento dos prejuízos, é possível entrar com uma ação contra a Agência Reguladora

Se a empresa negar o pagamento de aparelhos danificados, perdas de insumos e outros prejuízos, o ideal é entrar em contato com as agências reguladoras, Procon ou com o Poder Judiciário, solicitando restituição dos dados emergentes (efetivamente perdidos), mas também do que se deixou de ganhar, chamados de lucros cessantes. Além dos dados materiais, também é possível entrar com pedido de danos morais, principalmente se a empresa for um comércio e perder vendas.

O valor gasto com a locação de geradores de energia emergencialmente também é um custo que pode ser requerido para ser ressarcimento no processo judicial contra a concessionária de energia.

Cuidados com aparelhos eletrônicos durante as quedas de energia

9 – Uso de nobreak

O nobreak também é conhecido como UPS – Uninterruptible Power Supply, ou seja, Suplemento de Energia Ininterrupta). Ele exerce duas funções importantes: a de estabilizar a tensão da energia, protegendo os aparelhos conectados a ele de oscilações da energia fornecida, e armazenar energia em uma bateria interna, que é utiliza toda vez que a fonte de energia principal cai. A autonomia dos no-breaks depende da capacidade de armazenamento do aparelho, e pode variar mantendo um aparelho funcionando de 20 minutos até 4 horas.

10 – Laptop para evitar perdas de arquivos

O uso de laptops e notebooks pode ser uma alternativa para manter as atividades funcionando e evitar a perda de arquivos por desligamento abrupto da fonte de energia, já que eles têm uma bateria própria que garante o seu funcionamento por um tempo médio de duas horas.

11 – O Armazenamento na nuvem para garantir acesso a arquivos

Agora, no caso de a empresa ter o serviço de armazenamento na nuvem, poderá ter acesso aos arquivos por meio de outros dispositivos – o que acaba sendo uma alternativa à queda de energia.

12 – Geradores de energia para evitar qualquer perda

Com o uso dos nobreaks e baterias os computadores, notebooks e impressoras podem ser mantidos ligados por algum tempo. Só que com esses equipamentos a energia só é mantida nesses poucos aparelhos e não dura mais do que poucas horas – o que no caso de interrupções mais longas é insuficiente.

Por outro lado, muitos negócios precisam de outros equipamentos ligados para continuarem suas operações, além de iluminação, climatização, itens de acessibilidade, entre outros inúmeros. A melhor dica, portanto, é sempre ter um gerador de energia como backup para evitar que o fluxo do negócio seja afetado de forma negativa. Esse tipo de aparelho pode suportar uma demanda de muitas horas – ou seja, sem que a empresa tenha qualquer perda por ausência de energia da concessionária.

Se a melhor forma de solucionar um problema é prevenção, os geradores aparecem como solução imediata. Como medida corretiva, eles também são muito eficientes, já que a locação de um grupo gerador pode ser feita em um curtíssimo prazo de tempo. Saiba mais como utilizar um gerador em seu negócio com quem mais entende do assunto: A Geradora Locação de Geradores e Equipamentos

Geral

Prefeitura e Câmara detalham implementação dos corredores ecológicos

Publicado

em

Por

O secretário do Verde, Rogério Menezes, participou nesta segunda-feira, 10 de maio, de encontro virtual com a Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal, presidida pelo vereador Luiz Rossini. A reunião foi promovida para detalhar como serão implementados, na Região Metropolitana de Campinas (RMC), os chamados corredores ecológicos, que integram o Programa Reconecta RMC.

 

 

 

 

 

Corredores ecológicos são faixas de vegetação que têm como objetivo unir fragmentos florestais e unidades de conservação que foram separados por interferência humana (estradas, agricultura ou outros tipos de atividade). Seu principal objetivo é permitir o deslocamento da fauna entre as áreas isoladas e, consequentemente, promover a troca genética entre espécies e a dispersão de sementes.

 

 

 

 

 

A tarefa será grande. A área total de corredores na RMC é de 52.148 hectares, mas apenas 34% desse total (17.475 hectares) têm vegetação. O foco inicial do plano de ação é a recuperação de 11.420 hectares, com o plantio de 1.667 mudas nativas por hectare.

 

 

 

 

 

A estimativa é de custo entre R$ 16 mil e R$ 20 mil por hectare de área plantada, mas é preciso garantir autossustentação em dois anos. Segundo o secretário, as fontes de recursos para essa restauração já existem e precisam ser canalizadas para essas áreas. São recursos do projeto Nascentes do governo do Estado, do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), parcerias privadas, ICMS Ecológico que foi recentemente alterado pelo Estado. “Cada prefeitura terá que viabilizar sua parte nessa recuperação”, afirmou Menezes.

 

 

 

 

 

O Reconecta nasceu da discussão de 2016, quando foi decretado o Plano de Verde de Campinas, que prevê 280 quilômetros de corredores ecológicos para ligar fragmentos florestais. “Recuperar o meio ambiente não pode ser ação de uma cidade isolada, mas precisa de projetos regionais. O Programa Reconecta RMC nasceu dessa discussão, onde cada uma das 20 cidades fará sua parte para reconectar fragmentos”, afirmou.

 

 

 

 

 

Plano de Ação

 

 

 

O Plano de Ação para Implantação da Área de Conectividade da RMC foi lançado no início de abril, em cerimônia virtual, quando o prefeito Dário Saadi assinou documentos em que reafirma o compromisso do município com o desenvolvimento sustentável e com os programas de combate às mudanças climáticas e ao aquecimento global.

 

 

 

 

A Área de Conectividade será baseada em infraestrutura verde e azul, como parques lineares, arborização urbana (integração das águas e das áreas verdes), impulsionando a economia verde e circular, além de fortalecer os sistemas de Unidades de Conservação, recuperar Áreas de Preservação Permanentes (APP), conservar bacias hidrográficas e prevenir o atropelamento de animais silvestres.

 

 

 

 

O programa Reconecta RMC tem como parceiro o Projeto Interact-Bio, coordenado e implementado pelo ICLEI (Governos Locais pela Sustentabilidade). O financiamento vem do Ministério Federal Alemão do Meio Ambiente, de Proteção da Natureza, da Construção e da Segurança Nuclear (BMUB), por meio da Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI).

 

 

 

 

Também participaram do encontro desta segunda-feira técnicos da Secretaria do Verde e os vereadores Mariana Conti, Paulo Gaspar e Cecílio Santos.

Continue Lendo

Geral

Seis linhas terão paradas no Corredor BRT, na Avenida das Amoreiras

Publicado

em

Por

Como forma de otimizar e agilizar os trajetos, seis linhas do sistema convencional de transporte público coletivo passam a realizar paradas nas faixas exclusivas do Corredor BRT Ouro Verde, na Avenida das Amoreiras. A mudança ocorre a partir da próxima segunda-feira, 17 de maio, no trecho desde a Avenida Prefeito Magalhães Teixeira (São Bernardo) até a altura do Terminal BRT Campos Elíseos (Vila Rica).  

 

 

 

 

 

Passam a realizar paradas nas faixas exclusivas, nos dois sentidos de circulação, as linhas 140 (Terminal Vila União), 141 (Jardim Capivari), 142 (Jardim Santa Terezinha), 162 (Jardim Paulicéia), 163 (Campos Elíseos) e 317 (Jardim São José / Jardim São Marcos), com embarque e desembarque de passageiros pela faixa esquerda. Até então, o atendimento aos usuários ocorria nos pontos localizados nas marginais da avenida.  

 

 

 

 

 

As linhas impactadas passam a realizar paradas nas faixas exclusivas do BRT desde a região central, uma vez que já atendem a Estação João Jorge. A mudança agiliza as viagens de cerca de 2,4 mil passageiros, que são transportados pelas seis linhas diariamente.  

 

 

 

 

 

O secretário de Transportes, Vinícius Riverete, destaca que “gradativamente, a infraestrutura dos Corredores BRT vem sendo ativada para uso do sistema convencional de transporte, agilizando o tempo de viagem dos usuários”.  

 

 

 

 

 

“Além de otimizar os trajetos, a medida amplia a segurança na circulação, uma vez que os ônibus irão transitar segregados do tráfego em geral”, destaca o presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva. 

 

 

 

 

 

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) instalou seis abrigos por sentido, ao longo do trecho. Confira a localização de referência das novas paradas: 

 

 

 

 

 

Escola Municipal Profª Geny Rodriguez (altura do nº 1.380) 

OBA Hortifruti (altura do nº 1.700) 

Banco Bradesco (altura do nº 2.100) 

Corpo de Bombeiros (altura do nº 2.800) 

Av. Amoreiras, altura do nº 3.280 (próximo à Rua Martinópolis): será atendido pelas linhas 140, 141 e 317 

Av. Amoreiras, altura do nº 3.800: será atendido pelas linhas 140 e 141 

 

 

 

 

As demais linhas que circulam no trecho prosseguem atendendo aos pontos localizados nas marginais.  

 

 

 

 

 

O trecho impactado da Avenida das Amoreiras conta com as estações BRT São Bernardo, Parque Industrial, Anhanguera e Vila Rica, além do Terminal BRT Campos Elíseos. Todas as estruturas serão ativadas futuramente, quando o sistema BRT entrar em operação.   

 

 

 

 

Orientações aos usuários 

 

 

 

 

Nos primeiros dias das alterações, agentes da Mobilidade Urbana orientam os usuários do transporte público. Para mais informações, a população conta com o aplicativo “Cittamobi”, disponível para sistemas operacionais Android e iOS. Ele informa, em tempo real, o horário da chegada do ônibus no ponto e itinerários, entre outras funcionalidades. 

 

 

 

 

Para esclarecer dúvidas sobre trânsito e transporte, acesse os canais do Fale Conosco Emdec, pelo telefone 118, site (portal.emdec.com.br/faleconosco); ou baixe o aplicativo “Emdec”, disponível para download no Google Play e App Store. 

Continue Lendo

Geral

Ato contra o feminicídio marca ação de conscientização em Campinas

Publicado

em

Por

Um ato público na Vila San Martin, na tarde desta segunda-feira, dia 10 de maio, marcou o início da Semana Municipal de Combate ao Feminicídio em Campinas. 

 

 

 

 

O evento, organizado pelo padre Antônio Rodrigues Alves e pelos pais da jovem Thaís Fernanda Ribeiro, vítima de feminicídio em 2019, contou com a presença da secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas, Vandecleya Moro.

 

 

 

 

“A Secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas vem trabalhando no sentido de amparar essas mulheres vítimas de violência e conscientizar a sociedade para o problema”, afirmou a secretária.

 

 

 

 

Instituída pela lei 15.848, de 9 de dezembro de 2019, a Semana Municipal de Combate ao Feminicídio em Campinas visa difundir as ações de informação sobre o tema. A data marca o aniversário da vítima de feminicídio Thaís Fernanda Ribeiro, que morava na Vila San Martin em Campinas.

 

 

 

 

Ceamo

 

 

 

O Ceamo é o serviço que atende a mulher vítima de violência em Campinas. Conta com uma equipe de profissionais para acolher, atender e prestar apoio jurídico, social e psicológico à mulher em situação de violência doméstica, realizando atendimento individual, familiar ou em grupo.

 

 

 

 

O serviço da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas funciona na rua Francisco Glicério, nº 1269 e dispõe de um telefone 0800 para atender o público: 0800-777-1050, mas também atende no telefone 3236-3619. O e-mail é ceamo@campinas.sp.gov.br.

 

 

 

Durante a semana, a Secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas deve anunciar uma parceria para promover mais segurança à mulher vítima de violência.

Continue Lendo







Populares