Connect with us

Geral

11 Super Dicas para Salvar sua Empresa em Caso de Falta de Energia

Publicado

em

energia

A falta de energia é um assunto importante porque pode levar qualquer empresa ao prejuízo financeiro. Apesar de saber disso, poucas pessoas sabem o que fazer nessa hora.

O verão brasileiro é uma época do ano marcado pelo sol, mas também pelas tempestades. Com isso, muitas regiões sofrem com as chuvas fortes e as ventanias, com a queda de árvores e outros desastres. As consequências são bem previsíveis: muitas empresas são prejudicadas pela queda da energia elétrica.

Sem energia elétrica, a produtividade é reduzida e o prejuízo é certo.

Uma das provas que esses momentos realmente influenciam negativamente em diversas companhias são as milhares de reclamações e processos judiciais que as concessionárias respondem – seja pelo atraso do reestabelecimento do serviço, ou por fornecerem abastecimento incompleto.

A partir disso, fica claro que todos os empresários estão sujeitos aos prejuízos que a falta de energia pode causar ao seu negócio, seja ele de pequeno, médio ou grande porte.

Publicidade

Abaixo, separamos 11 dicas que devem ser usadas quando isso acontecer.

11 super dicas caso falte energia na sua empresa

As dicas abaixo são todas gerais e úteis para qualquer empresário. Vamos começar falando sobre a importância de fazer um B.O. (Boletim de Ocorrência) até a prevenção, que deve ser feita com o uso de geradores de energia. Confira!

1 – Faça um Boletim de Ocorrência

Esse não precisa ser o seu primeiro passo, mas fazer um boletim de ocorrência é importante para garantir os seus direitos em caso de perdas, por exemplo.

Publicidade

Ele vai servir, inclusive, para o caso de o serviço não ser reestabelecido com urgência. O B.O pode ser feito via internet.

2 – Entre em contato com a Concessionária de Energia

É importante falar com a concessionária para fazer uma reclamação sobre o que aconteceu. Procure saber os motivos da queda de energia e tentar obter uma estimativa do retorno do abastecimento. Durante o contato, que normalmente é telefônico, solicite informações úteis, como:

  • Qual o motivo da queda da energia?
  • O que deve ser feito imediatamente? Quais medidas tomar?
  • Quando o abastecimento de energia irá retornar – há previsão?

Não esqueça de anotar o protocolo de seu atendimento. Ele será imprescindível se precisar registrar o momento inicial em que o serviço foi perdido e que você entrou em contato solicitando o seu restabelecimento.

3 – Atente-se aos possíveis débitos com a empresa de energia

Se você atrasar o pagamento da conta por muitos meses ou se estiver com débitos, existe a possibilidade de corte da energia elétrica, portanto, é importante verificar esse fato.

Publicidade

Geralmente, a companhia elétrica envia avisos dos débitos, com prazos estabelecidos.

Por outro lado, se não houver débitos, então, toda a responsabilidade é da companhia.

4 – Os Problemas com a fiação

Se a falta de energia for um problema recorrente na sua região é importante é procurar saber se há falhas na fiação de energia.

Essa parte estrutural é toda de responsabilidade da companhia de energia elétrica.

Publicidade

5 – Evite a perda de aparelhos

Em uma residência, uma forma de evitar a perda de aparelhos é um pouco mais fácil: quando começarem os raios e trovões, a recomendação é desligar o maior número possível de aparelhos que estão conectados na tomada.

Em uma empresa, isso é um pouco mais complicado, afinal, se o fizer, a produtividade cairá.

Por isso, é preciso atentar-se às formas de driblar a falta de energia sem prejudicar o trabalho da empresa – veja como fazer mais adiante no tópico: Cuidados com os aparelhos eletrônicos durante as quedas de energia.


6 – Confira os aparelhos danificados

Publicidade

Após a energia ser restabelecida, verifique se houve aparelhos que foram danificados.

Em caso positivo, a recomendação é buscar três orçamentos distintos de serviços. O serviço deverá ser pago pela empresa de energia elétrica, mas vale a pena entrar em contato com ela para saber quais os próximos passos devem ser dados. Geralmente, a resposta tem que ser dada em até 45 dias.

7 – Obtenha descontos na conta de energia elétrica

Se a interrupção durar muito tempo, as empresas podem entrar com um pedido de desconto na conta para reaver o prejuízo obtido, conforme o Código de Defesa do Consumidor.

Existem, inclusive, normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que garantem o código.

Publicidade

8 – Na falta de ressarcimento dos prejuízos, é possível entrar com uma ação contra a Agência Reguladora

Se a empresa negar o pagamento de aparelhos danificados, perdas de insumos e outros prejuízos, o ideal é entrar em contato com as agências reguladoras, Procon ou com o Poder Judiciário, solicitando restituição dos dados emergentes (efetivamente perdidos), mas também do que se deixou de ganhar, chamados de lucros cessantes. Além dos dados materiais, também é possível entrar com pedido de danos morais, principalmente se a empresa for um comércio e perder vendas.

O valor gasto com a locação de geradores de energia emergencialmente também é um custo que pode ser requerido para ser ressarcimento no processo judicial contra a concessionária de energia.

Cuidados com aparelhos eletrônicos durante as quedas de energia

9 – Uso de nobreak

Publicidade

O nobreak também é conhecido como UPS – Uninterruptible Power Supply, ou seja, Suplemento de Energia Ininterrupta). Ele exerce duas funções importantes: a de estabilizar a tensão da energia, protegendo os aparelhos conectados a ele de oscilações da energia fornecida, e armazenar energia em uma bateria interna, que é utiliza toda vez que a fonte de energia principal cai. A autonomia dos no-breaks depende da capacidade de armazenamento do aparelho, e pode variar mantendo um aparelho funcionando de 20 minutos até 4 horas.

10 – Laptop para evitar perdas de arquivos

O uso de laptops e notebooks pode ser uma alternativa para manter as atividades funcionando e evitar a perda de arquivos por desligamento abrupto da fonte de energia, já que eles têm uma bateria própria que garante o seu funcionamento por um tempo médio de duas horas.

11 – O Armazenamento na nuvem para garantir acesso a arquivos

Agora, no caso de a empresa ter o serviço de armazenamento na nuvem, poderá ter acesso aos arquivos por meio de outros dispositivos – o que acaba sendo uma alternativa à queda de energia.

Publicidade

12 – Geradores de energia para evitar qualquer perda

Com o uso dos nobreaks e baterias os computadores, notebooks e impressoras podem ser mantidos ligados por algum tempo. Só que com esses equipamentos a energia só é mantida nesses poucos aparelhos e não dura mais do que poucas horas – o que no caso de interrupções mais longas é insuficiente.

Por outro lado, muitos negócios precisam de outros equipamentos ligados para continuarem suas operações, além de iluminação, climatização, itens de acessibilidade, entre outros inúmeros. A melhor dica, portanto, é sempre ter um gerador de energia como backup para evitar que o fluxo do negócio seja afetado de forma negativa. Esse tipo de aparelho pode suportar uma demanda de muitas horas – ou seja, sem que a empresa tenha qualquer perda por ausência de energia da concessionária.

Se a melhor forma de solucionar um problema é prevenção, os geradores aparecem como solução imediata. Como medida corretiva, eles também são muito eficientes, já que a locação de um grupo gerador pode ser feita em um curtíssimo prazo de tempo. Saiba mais como utilizar um gerador em seu negócio com quem mais entende do assunto: A Geradora Locação de Geradores e Equipamentos

Publicidade

Geral

Campanha do Agasalho de Campinas ultrapassa 9,4 toneladas de doações

Publicado

em

Por

A Campanha do Agasalho de Campinas alcançou nesta sexta-feira, dia 1º, a marca de 9.441 quilos de doações, entre roupas e cobertores. O número representa um avanço de 23,7% em relação ao último balanço, divulgado em 22 de junho. “É com muita satisfação e espírito solidário que celebramos esse novo patamar de doações. O povo de Campinas está de parabéns”, afirmou Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.
No dia 6 de julho, será feita uma operação conjunta com o Exército para triar a grande quantidade de doações na quadra esportiva dos Patrulheiros Campinas. Esse ano, a campanha continua priorizando roupas masculinas, pois são as que menos chegam por meio de doações.
As doações podem ser feitas até o dia 31 de julho. Um hotsite foi criado especificamente para a campanha: https://campinas.sp.gov.br/doeagasalho.
A Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos destaca, ainda, para a importância de as peças estarem em bom estado de conservação.
O propósito da Campanha do Agasalho é a distribuição de roupas de inverno e cobertores à população socialmente vulnerável. A Campanha irá até o dia 30 de julho, podendo ser prorrogada em caso de necessidade.
Operação inverno
Desde 1º de maio, a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos lançou a Operação Inverno, serviço de acolhimento a pessoas em situação de rua no município por meio do SOS Rua. A Operação Inverno se estende até o dia 30 de setembro.
Desde que começou, já foram registrados 3.570 atendimentos, foram distribuídos 6.013 cobertores e realizados 716 encaminhamentos a abrigos municipais.
Durante a Operação Inverno, o período de acolhimento do serviço SOS Rua passa a ser das 8h à 0h. O objetivo é acolher essas pessoas e, se elas aceitarem, as encaminhar aos serviços da rede de proteção, de assistência social e de saúde do município. O SOS Rua conta com equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos e educadores que atuam diretamente nas ruas.
Desde a primeira semana do mês, reforçando a ação da Operação Inverno, o Bagageiro Municipal ampliou em mais duas horas o horário de atendimento à população socialmente vulnerável. O serviço está localizado na Rua José Cruz Ferreira Jorge, 32, na Vila Industrial, e funciona, agora, de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h. Antes da mudança, o horário de atendimento era até 17h.
A Secretaria também, em 5 de maio, ampliou o número de vagas em abrigos para pessoas em situação de rua. Além das 120 vagas já existentes no Samim, foram criadas mais 100 vagas na Casa da Cidadania.
Além da Operação Inverno, por meio do SOS Rua, a Prefeitura de Campinas mantém outras políticas públicas voltadas à população em situação de rua.
Mão amiga
Tendo como objetivo promover a reinserção social por meio da qualificação profissional de pessoas em situação de rua, o Mão Amiga oferece, durante o curso, uma bolsa de 277 UFICs, o que equivale a R$ 1.165,73, e dura de 12 a 24 meses. Desde 2016, quando foi criado, já foram certificados 166 bolsistas: 130 homens e 36 mulheres, que frequentaram aulas de hidráulica, elétrica e música. Mais de 20 ex-egressos do curso já entraram para o mercado de trabalho formal.
Operação “Amigos no trecho”
Iniciada em 1º de julho de 2021, o projeto envolve a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, a Polícia Militar Rodoviária e as concessionárias que administram as estradas que passam pelo município de Campinas. Trata-se de um serviço 24 horas que, ao identificar um morador em situação de rua nas estradas, aborda, identifica-o e oferece acolhimento no albergue municipal.
Recâmbio
O Recâmbio de Migrantes é um programa da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos cujo propósito é garantir o retorno seguro de pessoas socialmente vulneráveis a seus locais de origem.
Centros POP Sares unidade 1 e unidade 2
São equipamentos públicos que ofertam atendimento especializado para pessoas em situação de rua. As ações desenvolvidas são: acolhida; escuta qualificada e compreensão do contexto familiar e social dos (as) usuários (as); orientação sobre documentação pessoal; compreensão da complexidade e da dimensão social que perpassa a situação de rua; incentivo à participação social dos (as) usuários (as) e a defesa de direitos e oferta de cuidados de higiene, vestuário e alimentação.
Casas de passagem
As duas casas de passagem em Campinas acolhem pessoas em situação de rua, oferecendo espaço transitório de moradia para a construção do processo de saída das ruas. Oferece cuidados de higiene, saúde, alimentação, vestuário, documentação e convivência.
Abrigos
A Prefeitura conta com três abrigos masculinos, um feminino e um albergue municipal (Samim).
Consultório na rua
A Secretaria Municipal de Saúde mantém o Consultório na Rua, que visa atender a essa população. Por meio de um veículo adaptado que percorre diversas áreas da cidade, o Consultório na Rua oferece cuidados em saúde a essas pessoas em seus próprios contextos de vida. É composto por duas equipes multidisciplinares que contam com médicos, psicólogos, assistentes sociais, auxiliares de enfermagem, enfermeiros e redutores (pessoas que trabalham com a política de redução dos danos causados pelas drogas).
O foco do atendimento é voltado para doenças ou condições que mais atingem os moradores em situação de rua, como tuberculose, alcoolismo e combate ao crack e outras drogas. Orienta essa população sobre doenças, como as sexualmente transmissíveis e hepatites. Realiza curativos, testes de diabetes e medição de pressão.

Continue Lendo

Geral

Operação Inverno entregou 6 mil cobertores à população em situação de rua

Publicado

em

Por

A Operação Inverno chegou esta semana a 6.013 cobertores distribuídos desde o início das atividades, em 1º de maio. Nesse mesmo período, foram realizadas 3.570 abordagens nas ruas de Campinas e 716 encaminhamentos ao Samim.
O serviço SOS Rua e as equipes da Secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos têm realizado um trabalho árduo e extremamente qualificado para acolher a população em situação de rua”, afirmou Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.
Durante a Operação Inverno, o período de acolhimento do serviço SOS Rua é das 8h à 0h. O objetivo é acolher essas pessoas e, se elas aceitarem, as encaminhar aos serviços da rede de proteção, de assistência social e de saúde do município. O SOS Rua conta com equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos e educadores que atuam diretamente nas ruas.
Desde a primeira semana do mês, reforçando a ação da Operação Inverno, o Bagageiro Municipal ampliou em mais duas horas o horário de atendimento à população socialmente vulnerável. O serviço está localizado na Rua José Cruz Ferreira Jorge, 32, na Vila Industrial, e funciona, agora, de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h. Antes da mudança, o horário de atendimento era até 17h.
Desde 5 de maio, a secretaria ampliou o número de vagas em abrigos para pessoas em situação de rua. Além das 120 vagas já existentes no Samim, foram criadas mais 100 vagas na Casa da Cidadania.
Campanha do Agasalho
A Campanha do Agasalho de Campinas coletou até o momento 9.441 quilos, entre roupas e cobertores. O número representa um avanço de 23,7% em relação ao último balanço, divulgado em 22 de junho. Esse ano, a campanha continua priorizando roupas masculinas, pois são as que menos chegam por meio de doações.
A Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos destaca, ainda, para a importância de as peças estarem em bom estado de conservação. As doações podem ser feitas até o dia 31 de julho. Um hotsite foi criado especificamente para a campanha: https://campinas.sp.gov.br/doeagasalho.
O propósito da Campanha do Agasalho é a distribuição de roupas de inverno e cobertores à população socialmente vulnerável. A Campanha irá até o dia 30 de julho, podendo ser prorrogada em caso de necessidade.
Outras ações
Além da Operação Inverno, por meio do SOS Rua, a Prefeitura de Campinas mantém outras políticas públicas voltadas à população em situação de rua.
Mão amiga
Tendo como objetivo promover a reinserção social por meio da qualificação profissional de pessoas em situação de rua, o Mão Amiga oferece, durante o curso, uma bolsa de 277 UFICs, o que equivale a R$ 1.165,73, e dura de 12 a 24 meses.
Desde 2016, quando foi criado, já foram certificados 166 bolsistas: 130 homens e 36 mulheres, que frequentaram aulas de hidráulica, elétrica e música. Mais de 20 ex-egressos do curso já entraram para o mercado de trabalho formal.
Operação “Amigos no trecho”
Iniciada em 1º de julho de 2021, o projeto envolve a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, a Polícia Militar Rodoviária e as concessionárias que administram as estradas que passam pelo município de Campinas. Trata-se de um serviço 24 horas que, ao identificar um morador em situação de rua nas estradas, aborda, identifica-o e oferece acolhimento no albergue municipal.
Recâmbio
O Recâmbio de Migrantes é um programa da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos cujo propósito é garantir o retorno seguro de pessoas socialmente vulneráveis a seus locais de origem.
Centros POP Sares unidade 1 e unidade 2
São equipamentos públicos que ofertam atendimento especializado para pessoas em situação de rua. As ações desenvolvidas são: acolhida; escuta qualificada e compreensão do contexto familiar e social dos (as) usuários (as); orientação sobre documentação pessoal; compreensão da complexidade e da dimensão social que perpassa a situação de rua; incentivo à participação social dos (as) usuários (as) e a defesa de direitos e oferta de cuidados de higiene, vestuário e alimentação.
Casas de passagem
As duas casas de passagem em Campinas acolhem pessoas em situação de rua, oferecendo espaço transitório de moradia para a construção do processo de saída das ruas. Oferece cuidados de higiene, saúde, alimentação, vestuário, documentação e convivência.
Abrigos
A Prefeitura conta com três abrigos masculinos, um feminino e um albergue municipal (Samim).
Consultório na rua
A Secretaria Municipal de Saúde mantém o Consultório na Rua, que visa atender a essa população. Por meio de um veículo adaptado que percorre diversas áreas da cidade, o Consultório na Rua oferece cuidados em saúde a essas pessoas em seus próprios contextos de vida. É composto por duas equipes multidisciplinares que contam com médicos, psicólogos, assistentes sociais, auxiliares de enfermagem, enfermeiros e redutores (pessoas que trabalham com a política de redução dos danos causados pelas drogas).
O foco do atendimento é voltado para doenças ou condições que mais atingem os moradores em situação de rua, como tuberculose, alcoolismo e combate ao crack e outras drogas. Orienta essa população sobre doenças, como as sexualmente transmissíveis e hepatites. Realiza curativos, testes de diabetes e medição de pressão.

Continue Lendo

Geral

Feira do Empreendedor PCD na Estação Cultura tem apoio do Sebrae

Publicado

em

Por

A Feira do Empreendedor PCD (Pessoa Com Deficiência) Eficiente conta com o apoio do Sebrae para promover a inovação no segmento. O evento ocorrerá neste sábado, dia 2, na Estação Cultura de Campinas, das 9h às 17h e tem, também, a participação da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.
Organizado pela empresa Libras Visual, a Feira do Empreendedor PCD Eficiente vai reunir 37 expositores, além de 13 palestras e 10 apresentações, como desfiles de PCDs, dança do ventre, ballet com crianças cegas, entre outros, tudo com total acessibilidade para o público cego e surdo.
Campinas tem, segundo estimativas do IBGE, cerca de 28% da população, ou 345 mil pessoas, com algum tipo de deficiência: são 13 mil com deficiência intelectual, 54 mil com deficiência auditiva, 72 mil com deficiência motora e 205 mil com deficiência visual.
A secretaria municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos oferece os seguintes serviços à população com deficiência:
Plataforma Emprega Bem – plataforma digital on-line que aproxima as empresas dos profissionais com deficiência.
Cartão Bem Acessível – documento de identificação da pessoa com deficiência que facilita o acesso prioritário aos serviços públicos municipais
Programa de Acessibilidade Inclusiva – o pai serviço, de transporte coletivo
Guia Digital Caminhos da Inclusão – o guia aponta uma lista contendo os endereços acessíveis de Campinas: https://caminhos.campinas.sp.gov.br/.
Coordenadoria de Acessibilidade Arquitetônica – a coordenadoria de acessibilidade arquitetônica (caa) realiza as vistorias nos imóveis públicos ou de uso público para verificação e orientação quanto as normas de acessibilidade.
Centro de Referência da Pessoa com Deficiência – realiza o atendimento psicossocial para as pessoas com deficiência e suas famílias dando orientações sobre direitos.
Central de Interpretação de Libras – realiza o atendimento ao público surdo ou com deficiência auditiva, intermediando a sua comunicação com os demais serviços públicos.
Confira as apresentações
10h – Igreja FF – Pantomima
10h20 – Mãos que Cantam
10h30 – Coral encantar com as mãos
11h20 – Andrea Rosa – a capacidade do pcd –
11h40 – Dança do ventre
12h10 – Sebrae Empreendedorismo
12h30 – Assucamp – história da Associação
12h50 – Inclusione – Mercado de Trabalho PCD
13h10 – Lucas Carvalho PCD
13h30 – Cris Mendes – PCD – Inclusão 360
13h40 – Cais – Conhecer para incluir
14h – Balé Grupo sementes do Futuro – Associação Fernanda Bianchini
14h20 – Centro Cultural Louis Braille – Palestra
14h40 – Aline- Acessibilidade na estética
15h – Arte libras – Decifrando a Libras –
15h20 – Raquel Moreno –projeto surdo caminhoneiro
15h40 – Gilceliano – Autonomia, uma busca do PCD
16h – Mãos que Cantam – Palestra e música
Confira a lista dos expositores:
1 – Centro Cultural Louis Braille
2 – Arte libras
3 – Inclusione – temperos prontos
4 – Inclusão e libras
5 – Maira Massei – artesanato
6 – Katia surda – tapetes
7 – Sebrae
8 – Apae
9 – Boldrini
10 – Cais
11 – Assucamp
12 – Lídia Michelin – madeiras
13 – Marcia surda – reciclável
14 – Remi – alimentos
15 – Candido Ferreira
16 – Vera e Vagner – temperos prontos
17 – Khatia Vieira – livros
18 – Giseli – canecas, camisetas acessórios libras
19 – Karen Fernandes – pijamas
20 – Carol Bonfim – chaveiros
21 – Itamar – barba e cabelo
22 – Janaina – bijuterias de libras
23 – Nisfran – artesanato
24 – Asadep – tiara, lacinho
25 – Mãos que Cantam
26 – Raquel Moreno – projetos online
27 – Wickbold –
28 – JULIANA SOARES
29 – M. Eliana – acessórios de costuras
30 – Igreja FF – pinturas rosto, teatro, oficina
31 – Daniela – acessórios
32 – UNIP
33 – Irene – artesanato de caixinhas
34 – Giowander
35 – Lucas Carvalho
36 – Cris Mendes – consultoria
37 – Selma – roupas
38 – Vanessa – bolo de pote.

Continue Lendo

Populares